Você está preparado para ouvir o som da Última Trombeta?

Filed Under (Arrebatamento) by Geração Maranata on 08-10-2011

Tag: , ,

por Geração Maranata (com adaptações de espada.eti.br)

 

Você está preparado para ouvir o som da Última Trombeta?

Você está justificado diante de Deus ou corre o risco de passar pelo período do Julgamento?

O próximo grande evento do calendário de Deus será a remoção total dos cristãos genuínos deste mundo.

Observe o que foi dito: "cristãos genuínos", pois Deus conhece a diferença entre o "legítimo" e o "falsificado"!

Em qual categoria você se encontra?

Cristão Legítimo — aqueles que experimentaram um renascimento espiritual sobrenatural, sabem sem qualquer dúvida que Deus é seu Pai Celestial e que em breve os receberá por a toda a eternidade.

Cristão Falsificado — aqueles que são falsos convertidos e que "perderão o ônibus". A Bíblia se refere a eles como "joio no meio do trigo" e "bodes", em vez de ovelhas de Deus.

Há ainda outra categoria que não têm a menor ideia do que estamos falando e que, em sua maior parte, também não saberão após ter acontecido! 

A definição de um "mistério", do original grego Musterion é simplesmente um segredo que Deus não tinha anteriormente revelado como Escritura. Após Jesus Cristo ressuscitar dentre os mortos, Ele escolheu Saulo de Tarso para se tornar o apóstolo Paulo e pessoalmente revelou a ele as doutrinas da fé cristã — que incluíam diversos "mistérios" que não tinham sido revelados anteriormente:

μυστηριον musterion
1) algo escondido, secreto, mistério
    1a) geralmente mistérios, segredos religiosos, confiado somente ao instruído e não a meros mortais
    1b) algo escondido ou secreto, não óbvio ao entendimento
    1c) propósito ou conselho oculto
          1c1) vontade secreta
          1c1a) dos homens
          1c1b) de Deus: os conselhos secretos com os quais Deus lida com os justos, ocultos aos descrentes e perversos, mas manifestos aos crentes
2) nos escritos rabínicos, denota o sentido oculto ou místico
    2a) de um dito do AT
    2b) de uma imagem ou forma vista numa visão
    2c) de um sonho

"Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça, revelar seu Filho em mim, para que o pregasse entre os gentios, não consultei a carne nem o sangue." (Gálatas 1:15-16)

Um dos mais controversos desses mistérios envolve o "Arrebatamento da Igreja" — a ação de Deus remover em massa Seu povo da Terra. Mas, para a maioria que crê em uma interpretação literal da Bíblia, a única discordância gira em torno de quando e não se isso acontecerá.

Em algum ponto no futuro, Deus removerá todos os cristãos deste mundo em um instante. Quando acontecer, esse abençoado evento não somente tirará aqueles que estiverem vivos, mas também incluirá todos os que morreram no passado. Um dos aspectos mais maravilhosos será que cada indivíduo receberá um corpo glorificado, como aquele que Jesus Cristo tem agora no céu! Leia 1 Coríntios 15:35-58. Esse corpo estará livre do pecado e será perfeito em todos os aspectos — 'sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante': "Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível." (Efésios 5:27)

"Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras." (1 Tessalonicenses 4:13-18).

"Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados." (1 Coríntios 15:51-52)

Quando aquela maravilhosa trombeta do céu soar, coincidirá com "a última trombeta de convocação".  Este último toque, também é conhecido pela tradição do povo judeu como Shofar Gadol (o Grande Shofar) conforme Isaías 27.13 que diz:

“Naquele dia, se tocará uma grande trombeta (Shophar Gadol), e os que andavam perdidos pela terra da Assíria e os que forem desterrados para a terra do Egito tornarão a vir e adorarão ao Senhor no monte santo em Jerusalém." (Isaías 27.13)

Este é um toque messiânico, pois anuncia a vinda do grande Rei. Antigamente em Israel quando um rei era coroado, tocava-se o Shofar, após este, o povo bradava dizendo: “Viva o Rei!”, leia 1 Reis 1.38-40.

תקע taqa ̀
1) soprar, bater palmas, bater, fazer soar, empurrar, soprar, soar

גדול gadowl ou (forma contrata) גדל gadol
1) grande

שופר showphar ou שׂפר shophar
1) chifre, chifre de carneiro

Tekiáh-Gedolá: conhecido como o Grande Toque (Grande Shofar), é um Tekiáh prolongado, onde se aumenta o tom na metade do toque; é um som prolongado, tocado pelos rabinos judeus na conclusão do Rosh Hashanah — a celebração do Ano Novo judaico, chamado também de "Festa das Trombetas" — que Deus os instruiu a observar em Levítico 23:24:

"Fala aos filhos de Israel, dizendo: No mês sétimo, ao primeiro do mês, tereis descanso, memorial com sonido de trombetas, santa convocação." (Levítico 23:24)

O Shofar Gadol, também é uma convocação, um chamado aos perdidos da casa de Israel, um chamado às tribos perdidas do povo hebreu. Conforme o verso lido de Isaías 27.13, os Filhos de Israel, retornaram para Jerusalém, para adorar ao Senhor no Monte Santo. O Shofar Gadol é uma convocação para que o povo judeu retorne à adoração. É um Instrumento de Arrependimento.

Ao longo dos séculos, o ensino rabínico passou a ver o Rosh Hashanah como retrato de um tempo de julgamento individual. É verdadeiramente irônico que a maioria dos filhos de Israel (não todos, porque muitos se tornaram cristãos nascidos de novo) ainda se referem a si mesmos corporativamente como "o povo escolhido de Deus" (Deuteronômio 7:6). Mas eles, junto com bilhões de gentios incrédulos, serão deixados para trás para experimentar o Período da Tribulação — o julgamento de Deus sobre os judeus, em particular, e sobre o resto do mundo, em geral.

Assim, sem qualquer pista na mente, observe os seguintes comentários feitos por um rabino com relação à Mishna — a versão escrita da "Torah oral" do judaísmo rabínico:

Olhar Para o Futuro
Rabino Shlomo Jarcaig
"No mês sétimo, ao primeiro do mês, tereis descanso, memorial com sonido de trombetas, santa convocação." (Vayikra/Levítico 23:24). "Isso se refere ao festival conhecido como Rosh HaShanah. 
A Mishna nos informa (Tratado Rosh HaShanah 1:2) que esse é o dia do ano em que cada indivíduo é julgado. Como seu nome indica (literalmente, a cabeça do ano), ele também é o primeiro dia do ano judaico. Parece peculiar que sejamos julgados no primeiro dia do novo ano; como o julgamento baseia-se em nossas ações no ano anterior, o julgamento seria mais apropriado no último dia do ano. Além disso, as orações no dia não enfocam aquilo que se esperaria para um dia de julgamento. Não há ênfase em remorso ou em arrependimento. Ao contrário, nossa tarefa durante todo o dia é declarar que D-us é o Rei do Universo. Ademais, se este é, de fato, o Dia do Julgamento, por que a própria Torah não faz a mínima menção a esse fenômeno? As referências a um 'dia de descanso', lembrança de soar a trombeta" e uma 'santa convocação' dificilmente advertem as massas a se prepararem como gostariam antes de serem julgadas pelo Criador." (www.torah.org)

Mishná – do hebraico משנה, "repetição" e do verbo שנה, ''shanah", "estudar e revisar" – é uma das principais obras do judaísmo rabínico, e a primeira grande redação na forma escrita da tradição oral judaica, chamada a Torá Oral.

Como indicam claramente os comentários do rabino, o evento não contém um simbolismo tópico para os judeus, a relevância de soar as trombetas para a qual a tradição rabínica erroneamente vê como sendo um 'dia de julgamento'. Por causa disso, acredita-se que elas irão, em algum ponto no futuro, literal, mas não intencionalmente, anunciar a partida para o lar celestial de um grupo de indivíduos especificamente escolhidos, a Igreja de Jesus Cristo (Efésios 1:4), ao contrário da eleição nacional de Israel — quando eles subirem para se encontrarem com Jesus nos ares!

"Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor." (Efésios 1:4)

A razão por que se diz "erroneamente vê como sendo um dia de julgamento" é porque eles equiparam o Rosh Hashanah com o dia em que Deus os julgará como indivíduos. Mas, é claro, esse julgamento — o julgamento dos judeus e dos gentios que nunca receberam a Jesus Cristo como seu Salvador — ocorrerá diante do Grande Trono Branco após o reinado milenar de Cristo.

"E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles." (Apocalipse 20:11)

Entretanto, em outro sentido, o julgamento está em vista, porque após a Igreja partir, a ira de Deus será derramada sobre este mundo: "Porque Deus não nos destinou para a ira, mas para a aquisição da salvação, por nosso Senhor Jesus Cristo." (1 Tessalonicenses 5:9).

Muitos cristãos não compreendem o simbolismo que está por trás do Rosh Hashanah ou Festa das Trombetas. Com relação aos versos que descrevem essa festa (Levítico 23:23-25; Números 10:10 e 29:1-6), eis o que um dicionário bíblico tem a dizer sobre o assunto: "… o propósito especial desta festa, que é descrita nestes versos, não é conhecido." [Easton’s Illustrated Dictionary].

Deus deu a Israel um total de sete festas e as quatro primeiras já tiveram seu significado profético cumprido: Páscoa, Pães Ázimos, Primícias e Pentecostes.

A igreja passou a existir em Pentecostes e a próxima festa na sequência é Trombetas! Veja se não faz sentido que "a última trombeta de convocação" de 1 Coríntios 15:52 seja retratada pela Festa das Trombetas e que terá seu significado profético cumprido quando a igreja for removida do mundo!

"Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados." (1 Coríntios 15:52)

Isto nos leva à pergunta: Quando aquela tremenda e maravilhosa trombeta soar no céu, você estará justificado diante de Deus, ou será deixado?

Você estará "em Cristo" e partirá com os demais eleitos de Deus, ou ficará para trás para vivenciar os horrores da Tribulação — o período de sete anos durante o qual o Diabo possuirá um homem que se tornará o governante supremo do mundo, chamado na Bíblia de Anticristo?

"Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora." (1 João 2:18)

Existem inúmeras indicações que o mundo está caminhando rapidamente para as condições que a Bíblia prediz que existirão durante esse tempo futuro. Portanto, a cada tique-taque do relógio, a probabilidade cresce mais que a igreja esteja se aproxiamando da "hora zero".

Se você ainda não tem seu bilhete, passar tempo próximo ao portão de embarque não servirá para nada! Acorde e reconheça que a hora está avançada. Busque a salvação que somente pode ser obtida por meio da fé genuína em Jesus Cristo.

"Passou a sega, findou o verão, e nós não estamos salvos." (Jeremias 8:20).

 

http://espada.eti.br/p319.asp (com adaptações feitas pelo blog Geração Maranata)

Fontes:

http://tabernaculodedavid.sites.uol.com.br/shofar2.htm

http://wikipedia.qwika.com/en2pt/Shofar

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mishn%C3%A1

Dicionário Bíblico Strong – Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong – James Strong

 

As Festas Judaicas e seu Cumprimento Profético – Matzot

Filed Under (Festas Judaicas e o Cumprimento Proféticos) by Geração Maranata on 02-10-2011

Tag: ,

This entry is part 2 of 7 in the series As Festas Judaicas e seu Cumprimento Profético

Matstsah - Sem Fermento, Asmo

Por Geração Maranata

A Sete Festas de Israel têm um significado profético, pois além de apontar para Cristo como o Cordeiro Pascal, elas também falam da ‘parousia’ que é a Segunda Vinda do Senhor Jesus.

As Festas Bíblicas foram ordenanças do Senhor e por quatro vezes encontramos a declaração de que elas seriam um 'estatuto perpétuo' para Israel. (Lv. 23)

Cristo cumpriu as quatro festas comemoradas na Primavera, no tempo exato designado para sua celebração, segundo o calendário judaico.

Isso quer dizer que, uma vez que o ciclo de festas da Primavera foi cumprido por Cristo em sua primeira Vinda, também o ciclo de festas do Outono será cumprido, no futuro, com os eventos relacionados à segunda Vinda de Jesus.

As Sete Festas são:

Primavera

Outono

Festa dos Pães Asmos (Chag Matzot)

Introdução

Pão ázimo ou asmo, do hebraico matstsah ou matzah, é um tipo de pão assado sem fermento, feito somente de farinha de trigo (ou de outros cereais como aveia, cevada e centeio) e água. A preparação da massa não deve exceder 18 minutos para garantir que a massa não fermente.

מצה matstsah
1) asmo (pão, bolo), sem fermento

A Festa dos Pães Asmos era comemorada no dia seguinte à Páscoa, ou seja no dia 15 de Abib e terminava no dia 21 do mesmo mês, portanto com duração de sete dias: "E aos quinze dias deste mês é a festa dos pães ázimos do SENHOR; sete dias comereis pães ázimos." (Lv.23:6)

Na verdade, os pães asmos deveriam ser comidos a partir da tarde do dia 14: " No primeiro mês, aos catorze dias do mês, à tarde, comereis pães ázimos até vinte e um do mês à tarde. (Ex 12:18)

Durante a semana da Festa dos Pães Asmos, o fermento e qualquer coisa fermentada tinham que ser removidos de todos os lares.

Em Êxodo 12.15 e 13.7 a palavra hebraica 'chametz' foi traduzida por "pão levedado", porém, o significado literal desse termo, é "coisa fermentada". Em outras palavras, nada que continha fermento devia ser encontrado entre eles, em hipótese alguma, "em todo teu território" (Êx 13.7). A desobediência a esta ordenança era uma punição gravíssima. (Ex: 12:15).

1) Fermento: do hebraico 'seor' é qualquer substância que seja capaz de produzir fermentação em massa de pão ou líquido.

שאר s ̂e’or
1) levedura

2) Fermentado: do hebraico 'chametz' é qualquer coisa fermentada ou que contém levedura

חמץ chametz
1) aquilo que está fermentado, levedura

"Durante sete dias comam pão sem fermento. No primeiro dia tirem de casa o fermento, porque quem comer qualquer coisa fermentada, do primeiro ao sétimo dia, será eliminado de Israel." (Ex 12:15)

"Comam pão sem fermento durante os sete dias; não haja nada fermentado entre vocês, nem fermento algum dentro do seu território." (Ex 13:7)

Contexto Histórico

No  Antigo Testamento guardava-se a Páscoa separada da Festa dos Pães Asmos, apesar de terem conexão.

A Páscoa era celebrada na tarde do dia 14 do mês de Abib, enquanto que a Festa dos Pães Asmos começava no dia 15 de Abib e se extendia por sete dias. Juntas formavam uma Festa dupla.

Já nos tempos de Jesus, as Festas da Páscoa e do Pães Asmos eram tratadas como uma única Festa: "Estava se aproximando a festa dos pães sem fermento, chamada Páscoa," (Luc 22.1). 

Isso era devido não haver intervalo entre as duas Festas e porque ambas celebravam a mesma libertação do Egito (Êx 12.1-28). Na verdade a Festa dos Pães Asmos era a continuação da Festa Páscoa e durante essas duas Festas ainda tinha a Festas das Primícias

A Importância do Pão Asmo para Israel:

  • Era usado na consagração dos sacerdotes (Exodo 29:2/Levítico 8:2).
  • Era usado na separação dos nazireus (Numeros 6:15,17)
  • Era usado na Páscoa.

Pães Asmos no Tabernáculo:

Ficavam em uma mesa onde havia pratos para os pães asmos e as taças de ouro. Os pães eram colocados nos pratos em duas pilhas de 6 pães cada uma.

São chamados de Pães da Proposição ou Pão da face ou da presença, significa o alimento espiritual e alimento universal. Não havia outro tipo de alimentação, não podia ser comido fora da Tenda e eram comidos no Sábado.

Significado e Cumprimento Profético

O Pão Asmo não continha fermento porque representava a pureza de Cristo. 

Também é o símbolo do verdadeiro Pão da Vida, Jesus Cristo, onde até o local do Seu nascimento era profético, Belém significa “Casa do Pão”.
O aspecto profético da Festa dos Pães Asmos é que ela retrata o sepultamento de Jesus. Assim como a Festa da Páscoa ilustrava a Sua morte na Cruz, assim também a observância dos Pães Asmos ilustrava o Seu sepultamento.
A razão histórica para a Festa dos Pães Asmos é que foi exigido que Israel comesse pão sem fermento. Isto se deve ao fato de que o fermento é um símbolo da malícia e da maldade.

"Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós.  Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade." (1 Co 5:7-8)

Os Pães Asmos também expressam a nossa comunhão com Cristo, que começa com a nossa redenção e depois prossegue em uma vida santa.

Fermento, símbolo do pecado
Fermento em hebraico é s ̂e’or e deriva de sha’ar que significa “deixar de fora, sobras, restos”.

שאר sha’ar
1) restar, sobrar, ser deixado para trás

“Ao primeiro dia tirareis [shabath] o fermento [s ̂e’or] das vossas casas; porque qualquer que comer pão levedado [chametz]….” (Êxodo 12:15)

A palavra sha'ar descreve a porção de massa com fermento ativo que era deixada de fora para utilização no próximo fabrico de pão. A expressão referida na passagem de Êxodo 12:15 é "shabath sh’or".   A palavra Shabbat significa “parar, deixar de”. Daí o significado: deixar de pôr de lado a porção de massa com fermento ativo para o fabrico de pão do dia seguinte.

שבת shabath
1) parar, desistir, descansar

Nota: Shabbath (sábado) é procedente de shabath (descanso).

Sem esta porção de fermento, a massa para o fabrico de pão, levaria muito mais tempo para fermentar:

“E o povo tomou a sua massa, antes que levedasse [chametz], e as suas amassadeiras atadas em suas roupas sobre seus ombros… E cozeram bolos ázimos da massa que levaram do Egito, porque não se tinha levedado [chametz], porquanto foram lançados do Egito; e não se puderam deter, nem prepararam comida”. (Êxodo 12:34, 39)

A palavra Sh’or é muitas vezes confundida com Chametz, mas Chametz não é o fermento em si, mas sim qualquer massa já levedada – neste caso o pão ou a massa.

A palavra Chametz, como é normal nas palavras hebraicas, assume vários significados, um deles é “ser azedo”. É esse o sentido que se aplica quando falamos de massa Chametz. Esta massa diz-se azeda porque sofreu a ação da fermentação. 

Sh’or também não é fermento no sentido que nós entendemos hoje, mas sim uma parte da "massa azeda” que era posta de lado para iniciar a fermentação da próxima massa para o fabrico de pão.

Sabemos hoje, que o fermento nada mais é do que bactérias que existem no ar, porém esse conceito não existia nos tempos antigos. A própria Palavra de Deus nos dá a entender que o Sh’or era algo visível, a ponto que tinha que ser posto fora de casa.

“Sete dias se comerá pães ázimos, e o levedado [Chametz] não se verá contigo, nem ainda fermento [Sh’or] será visto em todos os teus termos.” (Êx13:7)

Veja que não era apenas o Sh’or que tinha que pôr fora de casa, mas também o Chametz.  Esta é a única passagem que diz que Chametz Sh’or deveriam se retirados de casa, em todas as outras passagens falam apenas em pôr o Sh’or.

No entanto, o princípio por detrás de "pôr fora" quer seja Chametz quer seja o Sh’or é o mesmo, pois se não houver Chametz em casa não será comido, da mesma forma que sem Sh’or não se pode fazer Chametz. O mandamento consiste em que se coma Matstsah (pão feito de massa não levedada).

מצה matstsah
Sentido de ser devorado avidamente em virtude de sua doçura;
1) asmo (pão, bolo), sem fermento

A palavra Matstsah, contrariamente à palavra Chametz  que significa “ser azedo”, significa “ser doce”. Esta designação apenas é válida quando aplicado à massa, porque se trata de uma massa que não levedou.

O Matstsah é uma imagem do próprio corpo de Cristo, o pão da vida, sem fermento (sem pecado). Veja: João 6:35, 48-51; Lucas 22:19.

O significado das palavras hebraicas Matstsah (pão ázimo) e Mitsvah (Mandamento) estão intimamente ligados, sendo mesmo sinônimos, pois significam o ensino puro, não adulterado da Torah que nos foi dada pelo Senhor, pelo que podemos dizer que: Jesus é o Pão não levedado da Torah! 

Uma vez cozida, qualquer massa de pão que tivesse fermento deixa de o ter na sua forma ativa, pois o fermento morre com o cozimento. Porém, os “restos mortais” desse fermento permanecem na massa e são indissociáveis dela; daí que o Senhor nos diga para comermos pão sem fermento para não ingerirmos esses “restos mortais”.

מצוה mitsvah
1) mandamento

Aspecto Espiritual

O Novo Testamento nos fala de cinco tipos de Fermento:

  • Fermento dos Fariseus"Acautelai-vos primeiramente do fermento dos fariseus, que é a hipocrisia." (Lucas 12:1) – A Hipocrisia era o fermento dos Fariseus, tipo: "faça o que eu digo, mas não o que eu faço"
  • Fermento dos Saduceus – "Então os saduceus, que dizem que não há ressurreição…" (Marcos 12:18a) – Os Saduceus negavam o sobrenatural de Deus, como a ressurreição, os anjos, o Espirito Santo, etc. Era uma Religião baseada em filosofia.
  • Fermento de Herodes – "E ordenou-lhes, dizendo: Olhai, guardai-vos do fermento dos fariseus e do fermento de Herodes." (Marcos 8:15) – Este fermento simboliza o amor pelo mundo e suas coisas. Jesus mencionava Herodes como um homem mundano (raposa). Herodes era um assassino, que apesar de ter ouvido tantas vez a mensagem de João não se arrependeu
  • Fermento dos Gálatas - "Um pouco de fermento leveda toda a massa." (Gálatas 5:9) – Os Gálatas misturavam Cristianismo com Legalismo e se preocuvam com aparências exteriores. Misturavam Lei e Graca; Carne e Espirito; Escravidão e Liberdade.
  • Fermento dos Coríntios – "Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade." (1 Coríntios 5:7-8) – O fermento dos Coríntios representa a malícia e os pecados da imoralidade.

Santificação, símbolo da ausência do fermento

"Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade." (1 Coríntios 5:8).

Assim como a Festa dos Pães Asmos era celebrada imediatamente após o sacrifício da páscoa, aquele que é redimido pelo sangue de Cristo, deve imediatamente prosseguir em seu caminho em processo de santificação: "…aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus" (2 Coríntios 7:1).

Esta oferta não poderia conter sangue do sacrifício porque o sangue era derramado por causa do pecado e "…aquele que sofreu na carne deixou o pecado" (1 Pedro 4:1) e "…quem morreu, justificado está do pecado… …a morte já não tem domínio sobre Ele" (Romanos.6:7,9).

Diversos textos da Palavra demonstram o processo de santificação do cristão após a Redenção. Devemos distingüir os textos que falam da Salvação e os que falam da Santificação. A tabela abaixo demonstra o paralelo dos textos bíblicos que tratam da Redenção e da Santificação do cristão (clique na tabela para ampliar).

Concluindo, as verdades simbólicas dos pães asmos para os cristãos são:

  1. Consagração
  2. Separação para o Senhor

"Jesus tira o fermento da nossa vida nos libertando do poder do pecado"

Fontes:

http://www.bibliapage.com/pascoa.html

http://www.kol-shofar.org/estudos/117_FESTAS_PAES_ASMOS.pd

As Festas de israel – Pr Tony Silveira 

 

 

 

Vulcão mais mortal do planeta pode entrar em erupção novamente

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 01-10-2011

Tag: , ,

Por Geração Maranata

 

Tocai a trombeta em Sião, e clamai em alta voz no meu santo monte; tremam todos os moradores da terra, porque o dia do SENHOR vem, já está perto; Dia de trevas e de escuridão; dia de nuvens e densas trevas … E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. Joel 2:30 (Joel 2:1,2a,30)

E abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço, como fumaça de uma grande fornalha; e com a fumaça do poço escureceram-se o sol e o ar. (Apocalipse 9:2)

 

Associated Press | AP  –  Qua, 19 de setembro de 2011

Indonésios temem nova erupção de vulcão que matou 90 mil pessoas

A última vez que o vulcão mais mortal do planeta explodiu foi em 1815, matando 90 mil pessoas. Ele também foi responsável por um inverno vulcânico que causou a pior fome em todo o mundo no século 19. 

Agora, ele pode explodir novamente.

Seu nome é Monte Tambora e está localizado na ilha de Sumbawa, na Indonésia. Apesar de não ter sido a explosão vulcânica mais poderosa da história, foi a que causou mais mortes diretas e indiretas.

Quando a explosão aconteceu em abril de 1815, Sumbawa foi destruída. A caldeira, em seguida, entrou em colapso, após alguns meses de atividade pesada. A maioria da população da ilha foi morta e sua vegetação foi reduzida a cinzas. Algumas árvores foram arrancadas e empurradas para dentro do mar, juntamente com cinzas, criando 3 quilômetros de jangadas gigantes. Tsunamis foram gerados pela explosão e afetaram as ilhas que ficavam nas proximidades.

A erupção do Tambora deixou uma cratera de 11 quilômetros de largura e um quilômetro de profundidade, espalhando cerca de 400 milhões de toneladas de gases sulfúrico na atmosfera e levando a "ano sem verão" nos EUA e na Europa.  Foi várias vezes mais poderoso do que explosão do Krakatoa em 1883 – segunda pior da história – apesar de não ter a mesma fama internacional, porque a notícia se espalhou através dos barcos nos oceanos, disse o pesquisador Indyo Pratomo.  Em contrapartida, a erupção do Krakatoa ocorreu quando o telégrafo já era popular, transformando-se em primeira notícia global.

O poder de destruição do Tambora afetou o mundo inteiro.  Cinzas subiram em uma coluna que atingiu 43 quilômetros de altura, até a estratosfera. As partículas mais pesadas eventualmente caíram, mas um véu de aerossóis de sulfato permaneceu na estratosfera por anos, escurecendo a luz do sol em toda parte. Isso afetou todo o clima global em grande escala, e iniciou uma cadeia de eventos que matou milhões no Hemisfério Norte. 

Pouco se sabia sobre o impacto global do Tambora, até a década de 1980, quando as amostras de gele da Groenlândia – que através da leitura dos anéis das árvores – revelou uma concentração incrível de camada de enxofre que remonta a 1816, disse o geólogo Jelle de Boer, co-autor de "Vulcões na História Humana: Os efeitos de longo alcance da grande erupção".

Gases tinham combinado com o vapor de água e formaram pequenas gotículas de ácido que permaneceram durante anos na atmosfera, circundando a Terra e alguns refletindo a radiação solar de volta para o espaço.

 

Inverno vulcânico mortal

No ano seguinte à explosão vulcânica não houve verão e as temperaturas desceram uma média de 0,5 grau Celsius. Não parece muito, mas o enxofre liberado pelo vulcão causou estragos em culturas agrícolas e morte da pecuária em todos os lugares. 

Os Estados Unidos experimentaram geadas extremas e neve pesada em pleno mês de Julho (verão nos EUA), arruinando tudo nos campos. O mesmo aconteceu em outros lugares, causando uma grande fome em todo o mundo.

Essa fome ajudou a espalhar uma nova cepa da cólera na Ásia e uma epidemia de tifo no sudeste da Europa e no Mediterrâneo oriental. 

Especialistas estão dizendo agora que o Monte Tambora está pronto para entrar em erupção novamente. Um fluxo constante de terremotos está agitando a ilha. Eram menos de cinco no mês de abril e agora aumentaram para mais de 200.

“Começou a expelir cinzas e fumaça no ar, algo tão alto quanto 1.400 metros. É algo que nunca vi antes”, diz Gede Suantika, do Centro de Vulcanologia do governo indonésio.

Autoridades elevaram o alerta para o segundo nível mais alto há duas semanas e estabeleceram um perímetro de perigo de cerca 3 quilômetros e seus habitantes estão evacuando a área sob as ordens do governo. A maioria das pessoas de lá conhece a história de 1815 e não precisa de qualquer ordem para começar a correr. Na verdade, as pessoas de fora da zona de perigo também estão fugindo por puro medo.

Não se espera uma repetição de 1815 ainda – é preciso muito mais de 200 anos para esse tipo de pressão enorme venha a acontecer novamente, acredita Boer, que leciona na Universidade Wesleyan, em Connecticut.

A atividade atual, segundo o vulcanologista islandês Haraldur Sigurdsson, pode ser parte do nascimento de um “filho” do Tambora, no processo de formação de um novo vulcão. A explicação, porém, pouco conforta os moradores da região.

A verdade é que ninguém sabe ao certo se o Monte Tambora vai explodir com a mesma intensidade de 1815, ou quando vai explodir. Mas sabemos que ele está despertando, o que certamente não é bom.

 

Fontes:

http://gizmodo.com/5842066/the-deadliest-volcano-in-the-planet-is-ready-to-explode-again

http://news.yahoo.com/farmers-flee-worlds-deadliest-volcano-rumbles-100259369.html

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/09/indonesios-temem-nova-erupcao-de-vulcao-que-matou-90-mil-pessoas.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Monte_Tambora

 

Sinais no Céu e as Festas Judaicas

Filed Under (Festas Judaicas e o Cumprimento Proféticos, Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 26-09-2011

Tag: , ,

Por Geração Maranata

 

"Assim diz o SENHOR: Não aprendais o caminho dos gentios, nem vos espanteis com os sinais dos céus, porque com eles os gentios se atemorizam" (Jr 10.2).

"Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas…" (Lc 21.25)

A maioria dos que estudam as Profecias bíblica concorda que as Festas de Outono de Israel têm uma conexão profética a ser realizada no futuro.

Por conta disso, muitas teorias têm surgido sugerindo os mais absurdos tipos de cumprimento profético.

Há uma (de 2008) que relacionou quatro eclipses lunares e dois solares com as Festas Judaicas da Páscoa e Tabernáculos (que ocorrerão entre 2014 e 2015) e marcou o retorno do Senhor para 2015, com a Grande Tribulação iniciando em 2008.

Há ainda outra, que utilizando os mesmos eclipses, reajustou a data da Grande Tribulação começando ainda esse ano (leia sobre o assunto no final desse post) e o retorno do Senhor para 2018.

Apesar da grande possibilidade desses sinais poderem representar de fato um sinal profético, deve-se tomar cuidado em marcar datas e trazer descrédito às profecias bíblicas.

A respeito desse assunto, o estudioso em profecia Jack Kelley, escreveu (em 2008) o seguinte artigo:

 

O Cenário da Lua de Sangue

Há uma teoria circulando atualmente na web, promovido por um bem conhecido website de profecias, que mostra o resultado de traçar os eclipses do sol e da lua e compará-los com as Festas Levíticas, e nota que o único momento neste século quando 4 eclipses lunares totais, conhecidos como tetrade, coincidirão tanto com a Páscoa (Pesach)  quanto com a Festa dos Tabernáculos (Sucot) se dará nos anos 2014-2015.

Eclipses lunares também são conhecidos como "luas de sangue" porque a lua freqüentemente se torna vermelha durante um eclipse.

Também haverá 2 eclipses solares durante esse período. Na primavera de 2015 o ano religioso Israelense começará com um eclipse total do sol seguido, duas semanas depois, por um eclipse total da lua na Páscoa (Pesach). E então, seis meses depois a seqüência se repetirá com um segundo eclipse solar em Rosh Hashanna seguido, duas semanas depois, por outro eclipse total da lua na Festa dos Tabernáculos, tudo em 2015.

A última vez que algo assim ocorreu foi em 1967, quando Jerusalém se tornou novamente uma cidade Judia não dividida, e antes disso houve várias ocorrências durante os anos 1948-50, quando Israel estava se tornando uma nação. Não houve nenhuma ocorrência sequer nos anos 1800, 1700, 1600, e nenhuma em 1500 que coincidisse com Dias Festivos Judaicos.

 

O Que Isso Significa?

A conclusão sendo tirada disso pelo produtor do vídeo é que 2015 é o ano mais provável para a 2ª vinda do Senhor em todo o Século 21, e o outono (hemisfério norte – primavera no hemisfério sul) é o melhor momento naquele ano.

Entendidos em profecia de toda parte estão todos caindo uns sobre os outros para entrar nessa . Mas na correria da emoção que legitimamente acompanham pensamentos sobre o iminente retorno do Senhor, muitos estão ignorando uma ferramenta para avaliar onde estamos nos tempos do fim que eu apresentei inicialmente em minha série intitulada "Sete Coisas que Você Precisa Saber para Entender a Profecia dos Tempos do Fim". É uma ferramenta de gestão de negócios chamada agenda reversa.

Alegações sensacionalistas como a que é feita nesse site podem resultar em real confusão se você não conhece a seqüência na qual os principais eventos dos Tempos do Fim ocorrerão. Na verdade, a ordem deles é muito lógica e, uma vez que a aprenda, você pensará porque não viu isso antes.

A melhor maneira de descobrir isso é executar o que o mundo dos negócios às vezes chama de exercício de agenda reversa. Ele envolve ir até o final de um processo e identificar seu resultado final. Então você lista em ordem reversa todas as coisas que têm que acontecer para produzir aquele resultado, voltando em direção ao presente. É mais simples do que parece, e muito mais simples em profecia do que nos negócios, porque existem muito menos eventos para organizar. 

Todos pensamos na Eternidade como o resultado final assim, começar do final e trabalhar para trás significa que começamos lá.

O último evento principal descrito a qualquer nível de detalhe na Bíblia é a Era do Reino ou Milênio, o reino de 1000 anos do Senhor na terra, o qual se distingue e precede a Eternidade.

  • A Eternidade não pode começar até que o Milênio termine.
  • O Milênio obviamente não pode começar até a Segunda Vinda, porque é quando o Senhor retorna para estabelecê-lo.
  • A Segunda Vinda não pode ocorrer até o final da Grande Tribulação.
  • E isso não pode ocorrer até que o Anticristo se coloque no Templo em Israel se declarando Deus (2 Tes 2:4).
  • Esse é o evento que Jesus advertiu Israel e Ele o chamou de "Abominação da Desolação" em Mat 24:15-21.
  • Mas isso não pode acontecer até que haja um Templo. Não existem um Templo em Israle desde 70 AD e não haverá um até que os Judeus resolvam que precisam de um.
  • Isso não ocorrerá até que Deus reinstale seu relacionamento do Antigo Concerto, sinalizando o início da 70ª semana de Daniel.
  • E isso não pode ocorrer até que a Batalha de Ezequiel 38-39 seja vencida, pois é a batalha de Ezequiel que oficialmente atrai os Judeus de volta para Deus (Eze 39:22).
  • E isso não pode ocorrer até que a Igreja se vá, porque a Igreja e Israel são mutuamente exclusivos para Ele (Rom 11:25 e Atos 15:13-18).
  • E isso nos traz ao presente, pois não há nenhum evento precedente ao Arrebatamento da Igreja. Isto pode acontecer a qualquer momento.

Utilizando essa ferramenta de agendamento podemos ver que como os eventos dos tempos do fim estão determinados a ocorrer, e o único cuja cronologia é especulativa e o Arrebatamento.

Alguns argumentam que existem dúvidas sobre a cronologia da Batalha de Ezequiel 38, mas a Bíblia é bastante clara ao dizer que a batalha de Ezequiel 38 é a chamada para 'acordar' Israel a fim de iniciar a 70ª semamna de Daniel. É o evento que traz Israel de volta ao concerto com Deus, exigindo que um Templo seja construído. A 70ª semana de Daniel tem por definição a duração de sete anos. A última metade é a Grande Tribulação, depois da qual o Senhor voltará.

 

Qual é o Ponto?

Isso me traz ao meu ponto, e para fazê-lo, usarei a ferramenta da agenda reversa novamente.

A fim de que o Senhor retorne no outono de 2015, a 70ª semana de Daniel teria que ter começado no outono de 2008. Isso significaria que a Batalha de Ezequiel 38 ja teria acontecido, e Deus teria sido reapresentado para Israel, trazendo-os de volta para o relacionamento da Antiga Aliança que resultaria em o Judaísmo Bíblico se tornar a religião nacional oficial de Israel. E o Anticristo já teria aparecido e ganhado poder suficiente para ajudar Israel a negociar um tratado de sete anos que inclui provisões para um Templo (Dan 9:27). 

Todas as condições para Ezequiel 38 ainda não foram cumpridas, apesar de a maioria dos jogadores já estarem alinhados. 

Se essas Luas de Sangue anteriores (1948 e 1967) de fato anunciaram o renascimento da nação e a reunificação de Jerusalém como parece, então o próximo passo na jornada de Israel em direção ao Reino é sua reunião nacional com seu Criador. Esta é maneira como Ezequiel viu isso acontecer, e importante o suficiente para Deus para merecer um tal anúncio celestial. Afinal de contas, Ele tem esperado para trazê-los de volta por 2000 anos.

"VINDE, e tornemos ao Senhor, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele."  (Oséias 6:1-2)

Graças a Deus, não demorará até que saibamos com certeza quem está certo e quem está errado. E não será necessário nenhuma ciência espacial para dizê-lo. Pois, se a 70ª semana de Daniel estiver determinada a começar nas Festas de Outono, então os próximos meses/anos assombrarão o mundo em uma série de espantosos cumprimentos proféticos sem paralelos desde a crucificação e ressurreição do Senhor. Você quase pode ouvir os passos do Messias.

Fonte: Olhar Profético (Adaptado do artigo escrito em 2008, quando essa teoria foi muito discutida)

 

Sinais nos Céus

Texto bíblico usado: "E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para SINAIS e para tempos determinados e para dias e anos." (Gn 1:14)

Eclipse Solar:

Por três anos consecutivos, 2008, 2009 e 2010, houve um eclipse solar parcial sempre no dia 1 de Av do caledário judaico:

- 1 de Agosto de 2008 (1 º de Av)
– 22 de julho de 2009 (1 º de Av)
– 11 de julho de 2010 (1 º de Av)

O mês de Av é considerado um mês de luto, onde se lembra a destruição dos dois Templos judaicos que ocorreram no mesmo dia: 09 de Av.

 

Eclipse Lunar:

- No ano judaico de 5708 (1948), ano da Independência do Estado de Israel, ocorreu um eclipse na Festa Judaica da Páscoa (Pessach) e no ano seguinte (1949) ocorreu o mesmo.

- Em 1967, ano que Israel unificou Jerusalém, ocorreu outro eclipse lunar na Páscoa (Pessach). No mesmo ano ocorreu outro eclipse lunar na Festa dos Tabernáculos (Sucot).

 

Tetrad

"O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR. E há de ser que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo." (Joel 2:31)

Tetrad – fenômeno astronômico de rara ocorrência quando quatro eclipses lunares ocorrem em uma linha com intervalos de seis lunações (semestre) – Fonte: Wikipedia

Esse fenômeno ocorrerá nos anos de 2014 e 2015 e cairão nos dias das Festas Judaicas:

Tetrad Lunar:

- 2014: 15 de abril (Pessach) e 8 de outubro (Sucot)

- 2015: 4 de abril (Pessach) e 28 de setembro (Sucot) 

 

Eclipse Solar:

- 2015: eclipse total no dia 20 de março (15 dias antes do Pessach) e 13 de setembro (Rosh Hashanna).

Este ano (2011) surgiu uma nova teoria que tem sido muito divulgada na web.  

Essa nova teoria juntou a de 2008 e ligou ao Cometa Elenin.   Esta foi ainda mais longe e marcou a data para o início da Grande Tribulação para 29/09/2011!

Devemos tomar cuidado e seguir a orientação do Senhor: "E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane;" (Mateus 24:4)

Quem quiser assistir ao vídeo que está circulando na web, acesse o link: http://www.youtube.com/watch?v=KXMwJqgyEhk&feature=player_embedded

Esse vídeo já começa com um erro de tradução de Gênesis 1:14, mudando a palavra 'estações' para 'festas'.  Daí pode-se ver a indução ao engano.  No meio do vídeo o autor mistura astronomia, astrologia, Elenin e Apocalipse 12 (A Mulher vestida de Sol).

 

Conclusão 

Como já mencionei, as coincidências desses sinais são um caso a considerar, pois podem fazer parte dos sinais do retorno de Cristo.  Porém fazer disso motivo para marcar datas é um erro que muitos têm cometido e levado as profecias bíblicas ao descrédito.

Vamos aguardar, vigiar e nos preparar! 

Maranata!

 

Veja também:

http://www.elshaddaiministries.us/

 

Fontes:

http://olharprofetico.com.br/ikvot-hamashiach/161-o-cenario-da-lua-de-sangue (Traduzido de: http://gracethrufaith.com/estudios-biblicos-en-espanol/el-escenario-de-la-luna-color-de-sangre/)

http://www.chamada.com.br/mensagens/sinais.html

http://www.lasttrumpet.org/seven_proofs.htm

http://www.sonoma.edu/users/v/vegalu/eschatology_files/solar%20eclipses.pdf

http://www.sonoma.edu/users/v/vegalu/eschatology.html

http://www.youtube.com/watch?v=shLUhjaJMKs

http://believersjourney.blogspot.com.br/2011/05/solar-eclipse-patterns-2008-2020.html

 

As Festas Judaicas e seu Cumprimento Profético – Pessach

Filed Under (Festas Judaicas e o Cumprimento Proféticos) by Geração Maranata on 22-09-2011

Tag: ,

This entry is part 1 of 7 in the series As Festas Judaicas e seu Cumprimento Profético

Por Geração Maranata

As Sete Festas de Israel têm um significado profético, pois além de apontar para Cristo como o Cordeiro Pascal, elas também falam da ‘parousia’ que é a Segunda Vinda do Senhor Jesus.

As Festas Bíblicas foram ordenanças do Senhor e por quatro vezes encontramos a declaração de que elas seriam um 'estateuto perpétuo' para Israel. (Levítico 23)

Cristo cumpriu as quatro festas comemoradas na Primavera, no tempo exato designado para sua celebração, segundo o calendário judaico.

Isso quer dizer que, uma vez que o ciclo de festas da Primavera foi cumprido por Cristo em sua primeira Vinda, também o ciclo de festas do Outono será cumprido, no futuro, com os eventos relacionados à segunda Vinda de Jesus.

As Sete Festas são:

Primavera

Outono

Nesta primeira série de estudos iremos abordar a primeira festa do ciclo da Primavera: a Páscoa

Páscoa (Pessach)

Introdução

Páscoa (do Hebraico פסח pessach e do Grego πασχα pasch) é uma festa judaica onde se comemora a libertação dos israelitas do Egito. A celebração é realizada entre os 14º e 22º dias de Nissan ou Adar II (Abib no Tanakh) que corresponde a março ou abril do nosso calendário.

Nota 1: O mês de Nissan é o nome dado ao primeiro mês do calendário judaico religioso, que se inicia com a primeira Lua nova da época da cevada madura em Israel. O nome Nissan tem origem babilônica. Na Torá o nome do mês é Abib que significa 'espigas verdes'. Nissan é um mês de 30 dias que marca o ínicio da primavera no hemisfério norte. 

Nota 2: Para o povo judeu havia o ano sagrado e o ano civil. O sagrado começava no 1° dia do mês de Abib/Nissan na Estação da Primavera. O civil começava no 1° dia do mês de Tishrei na Estação de Outono. O ano é dividido em 12 meses lunares, com um 13° mês 7 vezes em cada 19 anos.

O Pessach significa 'passagem' ou 'passar por cima' onde o Senhor poupou as casas dos Filhos de Israel e livrou-os da décima praga que foi a morte do primogênito de cada família egípcia. Portanto, se comemora a libertação dos filhos de Israel da escravidão do Egito além de marcar o nascimento dos hebreus como povo. 

A festa também tem um significado agrícola, pois marca o início do período de colheita na terra de Israel.  Os antigos pastores e agricultores comemoravam o início da colheita da cevada e a entrega do ômer. 

Nota: Ômer era uma medida de cevada (aproximadamente 2,2 l) que se levava ao Templo como oferta no segundo dia de Pêssach.

O "Último dia de Pessach", conhecido como 'Acharon shel Pessach' é também uma festa que comemora a Passagem do Mar Vermelho.

Contexto Histórico 

"Então disse a Abrão: Sabes, de certo, que peregrina será a tua descendência em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos, mas também eu julgarei a nação, à qual ela tem de servir, e depois sairá com grande riqueza. E tu irás a teus pais em paz; em boa velhice serás sepultado. E a quarta geração tornará para cá; porque a medida da injustiça dos amorreus não está ainda cheia." (Gên 15:14-16)

Já havia se passado cerca de 430 anos desde que o Senhor falara a Abraão dizendo que sua descendência seria peregrina e ficaria sob servidão e aflição, contudo as Suas promessas não falham, pois Ele vela pela Sua Palavra para cumpri-la.

A peregrinação no Egito começou com a descida de Jacó e seus filhos para se encontrar com José que era governador do Egito.

Anos depois, os egípcios começaram a afligir os israelitas.  Quando os sofrimentos dos filhos de Israel tornaram-se insuportáveis, clamaram ao Senhor que ouviu seus clamores.  O Senhor então levantou Moiséis para que libertasse seu povo.  

O Senhor castigou a terra dos egípcios com pragas, mas apesar disso o coração do Faraó tornou-se endurecido e se recusava a deixar o povo de Israel sair, apenas na décima praga permitiu a libertação.

Décima e última praga: "À meia-noite eu sairei pelo meio do Egito; e todo o primogênito na terra do Egito morrerá, desde o primogênito de Faraó, que se assenta com ele sobre o seu trono, até ao primogênito da serva que está detrás da mó, e todo primogênito dos animais. E haverá grande clamor em toda a terra do Egito, qual nunca houve semelhante e nunca haverá" (Êx 11.4-6).

O povo de Israel habitava no Egito e se não fosse a intervenção de Deus como poderiam escapar do anjo destruidor?

O Senhor então providenciou a proteção a cada família dos hebreus, com seus respectivos primogênitos.  Cada família tinha que tomar um cordeiro macho de um ano de idade, sem defeito e sacrificá-lo ao entardecer do dia 14 de Abib (Êx 12.3-6). O sangue do cordeiro sacrificado deveria ser aspergido em ambas as ombreiras e na viga da porta das casas. Quando o Anjo passasse, passaria por cima daquelas casas que tivessem a marca do sangue. Assim, pelo sangue do cordeiro morto, o povo de Israel foi protegido da condenação da morte que foi executada contra os primogênitos egípcios.

Neste evento o Senhor ensinou ao seu povo a importância da obediência e da redenção pelo sangue, a fim de prepará-los para o advento do "Cordeiro de Deus" (Jesus) que tiraria o pecado do mundo. Ver Êx 12  e João 1.2.

Naquela noite específica, os israelitas deveriam estar vestidos e preparados para viajar. A ordem recebida era assar o cordeiro, preparar ervas amargas e pães sem fermentos. Ao anoitecer, já estariam prontos para a refeição e para partir rápido, pois com a décima praga os egípcios rogariam que deixassem o país. No dia 15 de Abib os filhos de Israel deixaram a terra do Egito.

O Dia, a Hora e o Local da Páscoa

A Páscoa foi instituída na noite em que ocorreu o Êxodo do Egito. A primeira Páscoa foi celebrada na Lua Cheia, no final do dia 14 do mês de Abib, dali em diante deveria ser celebrada anualmente.

A festa começa com a morte de um cordeiro como oferta pelo pecado (Ex.12:2,6), no dia 14 do mês de abib, ou seja, um dia antes dos Pães Asmos (Lv.23:6) e dois dias antes das Primícias (Lv.23:12). 

O dia civil judaico (período de 24 horas) se inicia às 18:00h e termina às 18:00h do dia subseqüente, portanto a noite vem primeiro que o dia.

O dia judaico (12 horas) compreende o intervalo entre o nascer e pôr do sol (por volta de 06:00h às 18:00h), era dividido em três partes: manhã, meio-dia e tarde (Sl.55:17).

Os judeus distinguiam duas tardes no dia:

- a primeira ia das 15:00h às 18:00h (pôr do sol);

- a segunda se iniciava ao pôr do sol (em torno de 18:00h) indo até a escuridão da noite, aproximadamente às 19:00h. (Mt.14:15 e 23).

O sacrifício da Páscoa era oferecido "no crepúsculo da tarde" (Lv.23:5; Nm.28:4,8).

A passagem faz referência à primeira tarde (15:00h às 18:00h). A segunda tarde, que se iniciava às 18:00h, e a manhã, que tinha início às 06:00h, juntos formavam um dia (Gn.1:5). 

Mais tarde o Senhor estabeleceu um local apropriado para que o ritual da Páscoa fosse realizado:

"Então sacrificarás como oferta de páscoa ao Senhor teu Deus, do rebanho e do gado, no lugar que o Senhor escolher para ali fazer habitar o seu nome. Não poderás sacrificar a páscoa em nenhuma das tuas cidades que te dá o Senhor teu Deus. Senão no lugar que o Senhor teu Deus escolher para fazer habitar o seu nome, alé sacrificarás a páscoa à tarde, ao pôr do sol, ao tempo em que saíste do Egito. Então a cozerás, e comerás no lugar que o Senhor teu Deus escolher…" (Dt.16:2,5-7).

Significado e Cumprimento Profético

Os cordeiros que eram sacrificados na Páscoa eram um símbolo, um tipo do verdadeiro Cordeiro que tira o pecado do mundo: Jesus Cristo. 

Cordeiro perfeito (Êxodo 12:5)

O cordeiro escolhido por cada família tinha que ser absolutamente perfeito. Isso significava que tinha que passar por uma investigação rigorosa para ver se havia algum defeito, não importa quão pequena seja. 1 Pedro 1:18-20 descreve Jesus como o Cordeiro Imaculado. Ele também passou por uma série de investigações para determinar se nEle havia alguma culpa:

  • Ele foi examinado pelos príncipes dos sacerdotes e os anciãos (Mateus 21:12)
  • Ele foi examinado por Pilatos (Mateus 27:1-26)
  • Ele foi examinado por Herodes (Lc 23:6-12)
  • Ele foi examinado pelo Sumo Sacerdote Anás (João 18:13, 24)
  • Ele foi examinado pelo sumo sacerdote Caifás (João 18:13-14, 19-24, 28)

Ninguém no mundo político e religioso encontrou qualquer causa para colocá-lo à morte. Ele era absolutamente inocente, o nosso Salvador perfeito. Não admira que só o Seu sangue poderia expiar o pecado.

Redenção:

O evento que corresponde à Páscoa no Novo Testamento é a Redenção.

Redenção tem a ver com libertação de escravos, pois alude à libertação que Deus concedeu a Seu povo Israel, da escravidão no Egito. Os Israelitas não tinham como alcançar a liberdade, e necessitavam de alguém que fizesse isto por eles.  E foi isto que o Senhor fez por Israel .Toda redenção acontece porque um preço é pago . Neste caso, a fiança foi o sangue do cordeiro da Páscoa. Os israelitas foram resgatados da morte e da escravidão egípcia, para passar a pertencer a outro dono, a Deus . A verdadeira Redenção significava que eles estariam livres dos cruéis egípcios para servir ao Deus vivo.

Assim como um cordeiro foi sacrificado no dia da Páscoa para a libertação dos Israelitas do Egito, Cristo foi sacrificado para a libertação dos nossos pecados:

"…Ele salvará o seu povo dos pecados deles" (Mt.1:21);

"…pelo seu sangue nos libertou dos nossos pecados" (Ap.1:5);

"…Cristo, nosso cordeiro pascal, foi imolado" (I Co.5:7).

A palavra hebraica chata’ usada para traduzir pecado é derivada de uma forma verbal que significa purificar, de modo que o substantivo significa um sacrifício que obtém a purificação.

חטא chata’

1) pecar, falhar, perder o rumo, errar, incorrer em culpa, perder o direito, purificar da impureza

Dessa forma entendemos melhor o sentido do texto de Gênesis 4:7: "…se, todavia, procederes mal, eis que o (a oferta pelo) pecado jaz à porta… …a ti cumpre dominá-lo (domá-lo)"

Esta identificação também pode ser vista no Novo Testamento: "Aquele que não conheceu pecado, ele o fez (oferta pelo) pecado por nós…" (II Co.5:21).

Este era o método usado por Deus, desde os tempos de Adão, para perdoar os pecados: O sangue deveria ser derramado, veja Gn.3:21.

"Porque a vida da carne está no sangue. Eu vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação em virtude da vida" (Lv.17:11).    

A palavra ‘expiação’ vem do hebraico:

כפר kaphar

1) cobrir, purificar, fazer expiação, fazer reconciliação, cobrir com betume

A Bíblia diz que "…sem derramamento de sangue não há remissão" (Hb.9:22). No tempo do Antigo Testamento o sangue dos animais apenas cobria os pecados. O sangue de Cristo tira o pecado do mundo “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.”  (Jo.1:29).

O Dia do Sacrifício

A primeira Páscoa foi comemorada numa sexta-feira. Jesus Cristo também foi crucificado numa sexta-feira:

“E no dia seguinte, que é o dia depois da Preparação, reuniram-se os príncipes dos sacerdotes e os fariseus em casa de Pilatos.”  (Mt.27:62)

E, chegada a tarde, porquanto era o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado. (Mc.15:42)

E era o dia da preparação, e amanhecia o sábado.  (Lc.23:54)

E era a preparação da páscoa, e quase à hora sexta; e disse aos judeus: Eis aqui o vosso Rei. (Jo.19:14)

Jesus foi crucificado na hora terceira, ou seja, às 09:00h: "E era a hora terceira, e o crucificaram."  (Mc.15:25).

Da hora sexta à hora nona (12h00h às 15h00h) houve trevas sobre a terra (Mt.27:45; Lc.23:44-46):

"E desde a hora sexta houve trevas sobre toda a terra, até à hora nona." (Mt.27:45)

"E era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até à hora nona, escurecendo-se o sol;  E rasgou-se ao meio o véu do templo. E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou."  (Lc.23:44-46).

Na hora nona, compreendida entre 15h00h e 18h00h (pôr-do-sol), Jesus rendeu o espírito cumprindo o mesmo período designado para o sacrifício da Páscoa, ou seja, no crepúsculo da tarde,

"No mês primeiro, aos catorze do mês, pela tarde, é a páscoa do SENHOR." (Lv.23:5)

Um cordeiro sacrificarás pela manhã, e o outro cordeiro sacrificarás à tarde:

"E o outro cordeiro sacrificarás à tarde, como a oferta de alimentos da manhã, e como a sua libação o oferecerás em oferta queimada de cheiro suave ao SENHOR." (Nm.28:4,8).

A Hora do Sacrifício

Tudo indica que Jesus morreu após às 15:00h que é a hora nona:

"E era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até à hora nona, escurecendo-se o sol; E rasgou-se ao meio o véu do templo.  E, clamando Jesus com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isto, expirou." (Lc.23:44-46)

"Naquele tempo as horas não eram precisas, por isso é possível que Jesus tenha morrido entre 15:00h e 17:00h e sepultado após as 17:00h: E, chegada a tarde, porquanto era o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado." (Mc.15:42),

O sábado iria começar às 18:00h: "Era o Dia da Preparação, e estava para começar o sábado." (Lc.23:54)

A Lei Judaica proibia o trabalho aos sábados e a permanência de um corpo morto na cruz:

“Se um homem culpado de um crime que mereça a morte for morto e pendurado num madeiro, não deixem o corpo no madeiro durante a noite. Enterrem-no naquele mesmo dia, porque qualquer que for pendurado num madeiro está debaixo da maldição de Deus. Não contaminem a terra que o Senhor, o seu Deus, lhes dá por herança. (Dt.21:22,23)

“Esse era o Dia da Preparação, e o dia seguinte seria um sábado especialmente sagrado. Por não quererem que os corpos permanecessem na cruz durante o sábado, os judeus pediram a Pilatos que ordenasse que lhes quebrassem as pernas e os corpos fossem retirados.” (Jo.19:31).

Assim sendo, a morte de Jesus foi mais rápida do que se esperava: “Pilatos ficou surpreso ao ouvir que ele já tinha morrido. Chamando o centurião, perguntou-lhe se Jesus já tinha morrido.” (Mc.15:44).

Isto ocorreu por 4 motivos:

1) Jesus é o Cordeiro Pascal, e como tal deveria morrer no mesmo período do sacrifício da Páscoa: “Guardem-no até o décimo quarto dia do mês, quando toda a comunidade de Israel irá sacrificá-lo, ao pôr-do-sol.”  (Ex.12:6);

2) Suas pernas não poderiam ser quebradas para acelerar a sua morte:

"Vieram, então, os soldados e quebraram as pernas do primeiro homem que fora crucificado com Jesus e em seguida as do outro. Mas quando chegaram a Jesus, percebendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas.” (Jo.19:32,33)

“Vocês a comerão numa só casa; não levem nenhum pedaço de carne para fora da casa, nem quebrem nenhum dos ossos.” (Ex.12:46)

“Não deixarão sobrar nada até o amanhecer e não quebrarão nenhum osso do cordeiro. Quando a celebrarem, obedeçam a todas as leis da Páscoa.” Nm.9:12;

“protege todos os seus ossos; nenhum deles será quebrado.” (Sl.34:20);

3)  Seu corpo não poderia permanecer no madeiro:

“Quando também em alguém houver pecado, digno do juízo de morte, e for morto, e o pendurares num madeiro,

"O seu cadáver não permanecerá no madeiro, mas certamente o enterrarás no mesmo dia; porquanto o pendurado é maldito de Deus; assim não contaminarás a tua terra, que o SENHOR teu Deus te dá em herança.” (Dt.21:22,23)

4)  O próprio Jesus rendeu o seu espírito:

“E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: Está consumado. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.” (Jo.19:30) “Ninguém ma tira de mim, mas eu de mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tornar a tomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai.(Jo.10:18)

“Jesus respondeu, e disse-lhes: Derribai este templo, e em três dias o levantarei.” (Jo.2:19).

O Local do Sacrifício

O local exato da morte de Cristo não é conhecido, mas a Bíblia menciona que o lugar onde Cristo foi crucificado se chamava Calvário:

“E, quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali o crucificaram, e aos malfeitores, um à direita e outro à esquerda.”  (Lc.23:33).

Em hebraico (aramaico) o nome é Gólgota:

“E, levando ele às costas a sua cruz, saiu para o lugar chamado Caveira, que em hebraico se chama Gólgota,”  (Jo.19:17) que significa Lugar da Caveira: “E, chegando ao lugar chamado Gólgota, que se diz: Lugar da Caveira.” (Mt.27:33).

Jesus Cristo não poderia ser crucificado fora da Judéia, apesar de que foi crucificado fora de Jerusalém:

“E muitos dos judeus leram este título; porque o lugar onde Jesus estava crucificado era próximo da cidade; e estava escrito em hebraico, grego e latim.” (Jo.19:20)

“E, lançando mão dele, o arrastaram para fora da vinha, e o mataram.” (Mt.21:39)

“Porque os corpos dos animais, cujo sangue é, pelo pecado, trazido pelo sumo sacerdote para o santuário, são queimados fora do arraial. E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta.” (Hb.13:11,12

A Judéia era o local do templo de Salomão, onde Deus havia escolhido para habitar:

“E o SENHOR lhe disse: Ouvi a tua oração, e a súplica que fizeste perante mim; santifiquei a casa que edificaste, a fim de pôr ali o meu nome para sempre; e os meus olhos e o meu coração estarão ali todos os dias.” (I Rs.9:3)

Tudo isto evidencia que Deus queria mostrar que só há um Caminho para a salvação. Os sacrifícios da Páscoa não podiam ser realizados em qualquer lugar, mas somente no lugar onde Deus havia determinado. Os sacrifícios e adoração fora de Jerusalém eram considerados pecado (I Rs.12:25-33; I Rs.13:9,10; I Rs.8:29,33,38,44; Dn.9:3).

Deus não aceita outro sacrifício além do sacrifício que Cristo realizou no Calvário. Desse modo, ordenando que os sacrifícios fossem realizados no templo, Deus estava querendo demonstrar que só há um caminho para a salvação.

Jesus é descendente de Judá “O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a ele se congregarão os povos.” (Gn.49:9), leia toda a profecia (Gn.49:8-12).

Por esta razão a tribo de Judá recebeu lugar de honra na ordem dos acampamentos da tribo, diante do tabernáculo: “Os que armarem as suas tendas do lado do oriente, para o nascente, serão os da bandeira do exército de Judá, segundo os seus esquadrões, e Naassom, filho de Aminadabe, será príncipe dos filhos de Judá.” (Nm.2:3), veja também Lc.1:78,79; Sl.84:11; Ml.4:2.

A salvação vem dos judeus (Jo.4:22) e o judeu Jesus é a Porta (Jo.10:9) que dá acesso ao Pai.

O esquema abaixo mostra a localização das doze tribos em volta do tabernáculo. Veja que a tribo de Judá permanecia em frente da porta de entrada para o tabernáculo, no lado leste. Isso indicava que um descendente de Judá haveria de abrir o caminho que dá acesso a Deus. Leia as passagens: Lc.1:78; Nm.2:3; Sl.84:11; Ml.4:2.

Conclusão

A Palavra de Deus nos faz saber que o Senhor Jesus é a Verdadeira Páscoa, pois:

- É através Dele que passamos da morte para a vida;

- É através Dele e do Seu sacrifício que os nossos pecados são perdoados;

- É Nele que devemos iniciar um novo caminho de santificação, sem o qual não poderemos ver a Deus (Hebreus 12:14);

Por isso para nós também Páscoa significa “Passagem” e "Libertação":

Passagem” de uma condição de pecado para uma vida santificada em Cristo.

Libertação” do velho homem e transformação em “nova criatura” em Cristo.

Maranata!

Fontes:

http://www.pilb.t5.com.br/ – Direitos autorais de Luiz Antonio Ferraz, 1997

http://www.doutrinasbiblicas.com/pascoajudaica_t/pascoajudaica.htm

http://www.atosdois.com.br/print2.php?codigo=3869

http://www.estudosgospel.com.br/

http://servantofmessiah.org/times-and-seasons/feasts-of-the-lord/spring-feasts-of-the-lord/

Quais as diferentes visões sobre o Arrebatamento? Pós-Tribulacionismo

Filed Under (Métodos de Interpretação Profética) by Geração Maranata on 10-09-2011

Tag: , ,

This entry is part 2 of 2 in the series Quais as diferentes visões sobre o Arrebatamento?

Por Geração Maranata

Há cinco diferentes visões a respeito do Arrebatamento. As diferenças estão em quando ele acontecerá e quem será arrebatado.
 
São elas:
A 'Grande Tribulação' e a 'Segunda Vinda de Cristo' são os temas centrais.  Muitos afirmam que haverá um período, em que uma Tribulação será mais severa, mais intensa e que assolará a Terra.
A grande discussão é: a Igreja (os salvos em Cristo)  passará ou não por esse período de Tribulação?
 
Essa discussão, em torno de uma Tribulação, faz parte da teologia dos Milenistas, principalmente nos Dispensacionalistas.
 
Os Amilenistas não se preocupam com essa discussão, pois apesar de crer da Segunda Vinda de Cristo não crêem que haverá um Milênio e uma Tribulação literais.
 
 
 
Conceito

Jesus nos advertiu sobre um tempo de grande tribulação tal como o mundo jamais viu e que ocorreria antes do seu retorno, leia Mt 24:3-31.

A linha escatológica Pós-Tribulacionista defende que a Igreja passará por essa Grande Tribulação predita por Jesus, porém ela (a Igreja) será preservada da ira, ou seja, receberá uma proteção sobrenatural a exemplo de Israel que permaneceu no Egito durante o juízo das pragas, porém não foi atingido por elas.  Outros exemplos são os de Noé, Ló e dos cristãos de Jerusalém quando da destruição de 70 d.C, o Senhor providenciou meios, revelações e ajuda a Seus servos para que pudessem se proteger da ‘Ira’.

Isso é possível, pois “tribulação” e “ira de Deus” são diferentes. Enquanto a tribulação será experimentada por todos, a ira de Deus visará apenas os ímpios, no qual os cristãos salvos serão poupados; Ap.3:10 é citado para provar essa teoria, onde o Senhor promete nos guardar da hora da provação:

“Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.” (Ap 3:10)

O Pós-Tribulacionismo também identifica a Igreja como sendo os santos da Tribulação:

“Depois destas coisas olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono, e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; E um dos anciãos me falou, dizendo: Estes que estão vestidos de vestes brancas, quem são, e de onde vieram?  E eu disse-lhe: Senhor, tu sabes. E ele disse-me: Estes são os que vieram da grande tribulação, e lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro.” (Apo 7:9, 13-14)

Nesta linha escatológica o Arrebatamento e o Aparecimento Glorioso são os mesmo eventos, não há distinção entre eles.  O Arrebatamento só ocorrerá no final da Grande Tribulação e os crentes salvos e vivos serão arrebatados para se encontrar com o Senhor no ar e voltarão imediatamente com Ele à Terra.

 

Ressurgimento

Desde a década de 50 vários teólogos vêm abandonando outras posições escatológicas, como o Pré-Tribulacionismo e aderindo ao Pós-Tribulacionismo.

O motivo desse ressurgimento deve-se em parte por influência do ministro Batista George E. Ladd, Professor de Novo Testamento do Seminário Teológico Fuller. Ladd foi um defensor notável do Pré-Milenismo Histórico e crítico do ponto de vista Dispensacionalista.  Escreveu alguns livros defendendo a tese Pós-Tribulacionista: “Crucial Questions About the Kingdom of God” (Questões Cruciais Sobre o Reino de Deus, de 1952), “The Blessed Hope” (A Bem-aventurada Esperança, de 1956) e “The Last Things” (As Últimas Coisas, de 1978).

George E. Ladd acreditava que o Pós-Tribulacionismo era o ponto de vista dos pais da Igreja e concluiu um estudo a esse respeito onde afirmou que: “Cada pai da Igreja que trata do assunto previa que a Igreja sofreria nas mãos do Anticristo”.

 

Principais Características

O Pós-Tribulacionismo utiliza o método de interpretação alegórico e por isso não faz distinção entre Israel e Igreja.

Crêem em duas ressurreições, sendo que a primeira será de todos os mortos salvos e ocorrerá no início do Milênio.

Quanto ao Reino de Deus, há Pós-Tribulacionistas que crêem que ele está presente nos corações dos homens (método alegórico) e há os que crêem em um Reino literal onde Cristo irá reinar nesta Terra.

Há Pós-Tribulacionistas que também são Pós-Milenistas e por isso crêem que Jesus voltará encerrando a Tribulação e também o Milênio e que ambos não têm tempo determinado, por esse motivo muitos ignoram a questão do Arrebatamento.

O Pós-Tribulacionismo nega:

- A doutrina da iminência (volta do Senhor a qualquer momento): ensina que vários sinais devem ser cumpridos antes que o Senhor possa vir.

- O cumprimento futuro da profecia de Daniel 9.24-27: alega que essa profecia já se cumpriu.

- O Dispensacionalismo: alega que o tempo chamado "tempo de angústia para Jacó" (Jr 30.7) também é para a Igreja e não só para Israel.

 

Alicerces Bíblicos

Arrebatamento e Segunda Vinda

“Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.” (1 Tessalonicenses 4:16-17)

O Pós-Tribulacionismo diz que somente Paulo mencionou que a Igreja seria tomada nos ares, e ele disse isso em apenas uma passagem da Carta aos Tessalonicenses. Por causa disso toda a discussão sobre Arrebatamento deve ter esses versos como fundamento.

Se esse é o único lugar nas Escrituras onde o Arrebatamento é mencionado, então todas as outras passagens que são citadas como base para o “Arrebatamento" têm que ter alguma conexão com este versículo.

Com base nesse argumento usam a passagem de Mateus 24:27-31, que julgam ser a mais próxima do Arrebatamento citado por Paulo:

“E, logo depois da aflição daqueles dias (Tribulação), o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos (Arrebatamento), de uma à outra extremidade dos céus.”

Com esses versículos fica provado que o Arrebatamento ocorrerá após a Tribulação, concluem.

Portanto, seria um equívoco perguntar quando o Arrebatamento ocorrerá, pois a Bíblia somente menciona a Vinda do Senhor e diz que quando Ele vier, nós seremos Arrebatados juntos para estar com Ele.

Logo, não existem dois eventos: Arrebatamento e Segunda Vinda. Há apenas um evento, por ocasião da Segunda Vinda os crentes serão Arrebatados.  Dizem que a Bíblia não faz esta distinção, caso fosse um evento distinto, não usaria o termo ‘parousia’, que significa ‘Vinda’, mas sim a palavra ‘Arrebatamento’.

Outro argumento é que a Bíblia usa pelo menos duas outras palavras para descrever o retorno do Senhor e também não faz distinção entre elas: ‘apokalupsis’ que significa ‘revelação’ e ‘epiphaneia’ que significa ‘manifestação’. Ambas as palavras vem do grego e são usadas para descrever a esperança da Igreja e em passagens onde o assunto é a Segunda Vinda. Neste caso seria estranho que a Bíblia usasse três diferentes palavras (parousia, apokalupsis e epiphaneia) para descrever dois eventos diferentes e que estão separados por sete anos. Em outras palavras, seria confuso usar estas três palavras para falar de dois eventos diferentes, sem procurar distingui-los.

 

Tribulação

Outro grande argumento dos Pós-Tribulacionistas é a promessa de que a Igreja passará pela Tribulação.

Passagens usadas como base:

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos.  (Mateus 24.9-11)

Mas olhai por vós mesmos, porque vos entregarão aos concílios e às sinagogas; e sereis açoitados, e sereis apresentados perante presidentes e reis, por amor de mim, para lhes servir de testemunho. Mas importa que o evangelho seja primeiramente pregado entre todas as nações. Quando, pois, vos conduzirem e vos entregarem, não estejais solícitos de antemão pelo que haveis de dizer, nem premediteis; mas, o que vos for dado naquela hora, isso falai, porque não sois vós os que falais, mas o Espírito Santo. E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai ao filho; e levantar-se-ão os filhos contra os pais, e os farão morrer. E sereis odiados por todos por amor do meu nome; mas quem perseverar até ao fim, esse será salvo.  (Marcos 13.9-13)

E seguia-o grande multidão de povo e de mulheres, as quais batiam nos peitos, e o lamentavam. Jesus, porém, voltando-se para elas, disse: Filhas de Jerusalém, não choreis por mim; chorai antes por vós mesmas, e por vossos filhos. Porque eis que hão de vir dias em que dirão: Bem-aventuradas as estéreis, e os ventres que não geraram, e os peitos que não amamentaram!  Então começarão a dizer aos montes: Caí sobre nós, e aos outeiros: Cobri-nos.  Porque, se ao madeiro verde fazem isto, que se fará ao seco?  (Lucas 23.27-31)

Crêem que esses versículos são dirigidos à Igreja e não à Israel, como querem os Pré-Tribulacionistas.   Outras passagens usadas como argumentos:

Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia. (João 15.18,19)

Tenho-vos dito estas coisas para que vos não escandalizeis. Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. (João 16.1,2,33)

Segundo o Pós-Tribulacionismo, diante de todas essas promessas de uma Tribulação fica impossível dizer que a Igreja será Arrebatada antes desse período.

Todos esses argumentos são ainda mais fundamentados pela citação de perse­guições presentes em Atos, das quais a Igreja foi vítima como cumprimento parcial daqueles alertas:

E também Saulo consentiu na morte dele. E fez-se naquele dia grande perseguição contra a Igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judéia e de Samaria, exceto os apóstolos.  E uns homens piedosos foram enterrar Estêvão, e fizeram sobre ele grande pranto. E Saulo assolava a Igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão. (At 8.1-3)

E os que foram dispersos pela perseguição que sucedeu por causa de Estêvão caminharam até à Fenícia, Chipre e Antioquia, não anunciando a ninguém a palavra, senão somente aos judeus. (At 11.19)

Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no Reino de Deus. (At 14.22)

Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; (Rm 12.12)

 

Ressurreição

Segundo o Pós-Tribulacionismo a ressurreição dos santos mortos ocorrerá por ocasião do Arrebatamento da Igreja, usam o versículo de Tessalonicenses como base bíblica:

Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. (l Ts 4.16).

Conseqüentemente, o Arrebatamento está junto com a ressurreição.

Outro argumento é as passagens que falam sobre uma ressurreição de santos mortos (primeira ressurreição) elas sempre estão associadas à Vinda do Senhor:

Os teus mortos e também o meu cadáver viverão e ressuscitarão; despertai e exultai, os que habitais no pó, porque o teu orvalho será como o orvalho das ervas, e a terra lançará de si os mortos. (Is 26.19),

Porque, se a sua rejeição é a reconciliação do mundo, qual será a sua admissão, senão a vida dentre os mortos? (Rm 11.15),

E serás bem-aventurado; porque eles não têm com que to recompensar; mas recompensado te será na ressurreição dos justos.  E, ouvindo isto, um dos que estavam com ele à mesa, disse-lhe: Bem-aventurado o que comer pão no Reino de Deus. (Lc 14.14,15)

E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos.  Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição. Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos.  (Ap 20.4-6),

E iraram-se as nações, e veio a tua ira, e o tempo dos mortos, para que sejam julgados, e o tempo de dares o galardão aos profetas, teus servos, e aos santos, e aos que temem o teu nome, a pequenos e a grandes, e o tempo de destruíres os que destroem a terra. (Ap 11.18),

E naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro. E muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para vida eterna, e outros para vergonha e desprezo eterno. Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente. (Dn 12.1-3).

Os Pós-Tribulacionistas afirmam que as passagens do Antigo Testamento provam que a ressurreição dos santos ocorrerá com a Revelação de Cristo antes do Reino Milenar, logo a ressurreição da Igreja será junto com a ressurreição de Israel.  Então a ressurreição da Igreja marca a hora do Arrebatamento.

 

Parábola do  trigo e do joio

"Deixai-os crescer juntos até à colheita, e, no tempo da colheita, direi aos ceifeiros: ajuntai primeiro o joio, atai-o em feixes para ser queima­do; mas o trigo, recolhei-o no meu celeiro" (Mt 13.30).

Os Pós-Tribulacionistas entendem que os anjos irão agrupar o joio no final dos tempos, mas só transladarão (arrebatar) a Igreja, representada pelo trigo do campo, deixan­do o joio confinado para julgamento.

 

As Setentas Semanas de Daniel

Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo. Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos. E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações. E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador. (Daniel 9.24-27)

Segundos os Pós-Tribulacionistas a profecia de Daniel 9.24-27 já foi cumprida em sua totalidade, não havendo intervalo entre a sexagésima nona e a septuagésima semana da profecia. Dizem que todo o plano ali determinado já teve seu cumprimento concluído no ano 70 a.C. com a destruição de Jerusalém.

Argumentam que se existissem "espaços" entre as semanas a profecia seria vaga, ilusória e enganosa.

As "sessenta e nove semanas" ("sessenta e duas semanas" + "sete semanas"), chegaram “até o Messias”, ou seja, até o início de seu ministério.  Na verdade a última das "setenta semanas" proféticas começou com João Batista e sua pregação pública sobre o Reino de Deus e quando Cristo foi batizado, tentado e começou também a pregar meses depois.

A  primeira metade da semana (3 anos e meio) foi usada para pregar o evangelho do Reino.  Na metada da semana ocorreu a Páscoa ou quatrocentos e oitenta e seis anos e meio depois "do mandamento para restaurar e construir Jerusalém".

Cristo, de acordo com essa teoria, é Aquele que confirma a Aliança, e no período de Seu ministério as seis grandes promessas de Daniel 9.24 foram cumpridas: cessar a transgressão, dar fim aos pecados, expiar a iniqüidade, trazer a justiça eterna, selar a visão e a profecia e ungir o Santíssimo.

Portanto, esses sete anos, adicionados aos quatrocentos e oitenta e três anos, somam quatrocentos e noventa anos (70 semanas), de modo que toda a profecia, desde os tempos e acontecimentos correspondentes, foi cumprida ao pé da letra.

 

2 Tessalonicenses 1:5-10

Prova clara do justo juízo de Deus, para que sejais havidos por dignos do Reino de Deus, pelo qual também padeceis; Se de fato é justo diante de Deus que dê em paga tribulação aos que vos atribulam, E a vós, que sois atribulados, descanso conosco, quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu com os anjos do seu poder, Como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo; Os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, ante a face do Senhor e a glória do seu poder,  Quando vier para ser glorificado nos seus santos, e para se fazer admirável naquele dia em todos os que crêem (porquanto o nosso testemunho foi crido entre vós).

Nesses versículos os Pós-Tribulacionistas afirmam que Paulo está indicando claramente que Deus dará aos crentes o descanso quando Jesus vier em chamas de fogo, trazendo retribuição. Então Paulo diz que os descrentes irão pagar as penalidades, "quando ele vem para ser glorificado nos santos naquele dia". Concluem que não há dúvida de que a Vinda para os santos e a Vinda para executar vingança são a mesma Vinda.

 

2 Tessalonicenses 2:1-3

Ora, irmãos, rogamo-vos, pela Vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, e pela nossa reunião com ele, Que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o dia de Cristo estivesse já perto. Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição.

Nestes versos Paulo volta ao assunto ‘Segunda Vinda’. Ele o faz dizendo "quanto à Vinda do nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com Ele". Então ele diz que o Dia do Senhor "não virá sem que primeiro venha a apostasia, e o homem da iniqüidade seja revelado, o filho da destruição".

Segundo o Pós-Tribulacionismo esta é a mais clara negação do Arrebatamento "a qualquer momento" – iminente – que alguém possa imaginar.

Dizem que esta passagem fala por si mesma, pois parafraseando o que Paulo está dizendo, teríamos: "Quanto à sua Vinda e a nossa reunião com ele, isto não acontecerá até…".

Então, colocando dessa forma, fica subentendido que Paulo liga a Vinda do nosso Senhor com a nossa reunião com Ele (Arrebatamento), porque ele está falando sobre ambos, logo não se trata de dois eventos separados.

Concluem que seria estranho Paulo alertar que o anticristo precisaria vir primeiro, pois eles não estariam ali para ver, neste caso Paulo deveria alertar que primeiro haveria o Arrebatamento.

 

Apocalipse 20:4-5

E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos.Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.

Está claro para todos que, os eventos mencionados nos versos acima, ocorrerão depois da Tribulação, pois pessoas estão assentadas no trono reinando com Jesus. Com base nessa premissa, os Pós-Tribulacionistas afirmam que isto é a Primeira Ressurreição. Se o Arrebatamento é precedido pela Ressurreição dos crentes (1Ts 4:15-17; 1Co 15:52), e isto é a Primeira Ressurreição, então o Arrebatamento deve ser depois da Tribulação.

 

1 Coríntios 15:50-55

E agora digo isto, irmãos: que a carne e o sangue não podem herdar o Reino de Deus, nem a corrupção herdar a incorrupção. Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória. Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?

Esta passagem e a de 1 Ts 4:17 (“Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor”) são provavelmente as passagem mais conhecidas para as pessoas em geral, em relação ao Arrebatamento.

Porém, os Pós-Tribulacionistas, sustentam que a passagem de 1 Coríntios 15:50-55 não se refere ao Arrebatamento.  Dizem que Paulo enfatizou que iriam acorrer os seguintes eventos: o soar da trombeta, os mortos ressuscitarão e os vivos seriam transformados "num piscar dos olhos". Não há menção de um Arrebatamento.

O motivo pelo qual as pessoas relacionam essa passagem a existência de um Arrebatamento é a expressão "num piscar dos olhos", porém o que Paulo quis dizer é que num piscar de olhos seremos transformados e não ‘Arrebatados’.

 

1 Coríntios 15:23-24

Mas cada um por sua ordem: Cristo as primícias, depois os que são de Cristo, na sua Vinda. Depois virá o fim, quando tiver entregado o Reino a Deus, ao Pai, e quando houver aniquilado todo o império, e toda a potestade e força.

Os Pós-Tribulacionistas argumentam que esta passagem mostra os seguintes tipos de ressurreição: do Senhor; a primeira (geral) ressurreição e então seguirá a segunda ressurreição.

Com isso a teoria Pré-Tribulacionista de que haverá múltiplas ressurreições dentro da Primeira Ressurreição é eliminada.

O argumento: se a ressurreição dos "que são de Cristo na sua Vinda" ocorre no Arrebatamento, então a "Primeira Ressurreição" de João (Ap 20:5) também ocorre no Arrebatamento. E se realmente "os que são de Cristo na sua Vinda" é uma referência a Segunda Vinda, então nem Paulo não menciona o Arrebatamento ou o Arrebatamento ocorre na Segunda Vinda. Que esta última é a verdadeira sabe-se porque é demonstrada pelo relato no livro de Apocalipse que mostra que aqueles que morrem durante a Tribulação, certamente seriam incluídos em "os que são de Cristo".

 

Mateus 24:29-31

E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas.  Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.

Os Pós-Tribulacionistas se baseiam nesta passagem para sustentar a tese de que o Arrebatamento e a Segunda Vinda são o mesmo evento.

Não crêem que Jesus estava falando apenas para os judeus, como sustentam os Pré-Tribulacionistas, mas também para a Igreja que iria ser formada após sua ascensão.  Jesus falou essas palavras aos discípulos que seriam a fundação da futura Igreja.  Seria um absurdo achar que tudo Jesus falou e ensinou nos Evangelhos foi apenas para os judeus e sem aplicação para a futura Igreja.

O discurso de Jesus foi para responder a uma pergunta: "Que sinal haverá da sua Vinda, e o fim dos tempos?" Jesus respondeu descrevendo a Grande Tribulação, sua Vinda nas nuvens, o som de trombetas e a reunião dos eleitos (Arrebatamento).

 

Lucas 17:26-31

E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem. Comiam, bebiam, casavam, e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e veio o dilúvio, e os consumiu a todos. Como também da mesma maneira aconteceu nos dias de Ló: Comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os consumiu a todos. Assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar. Naquele dia, quem estiver no telhado, tendo as suas alfaias em casa, não desça a tomá-las; e, da mesma sorte, o que estiver no campo não volte para trás.

Segundo os Pós-Tribulacionistas, Jesus está mostrando que Deus virá em juízo no mesmo dia em que os crentes serão salvos: "Assim será no dia em que o Filho do Homem se há de manifestar".

 

2 Pedro 3:8-15

Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão.  Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, Aguardando, e apressando-vos para a Vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz. E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada;

Um dos argumentos Pós-Tribulacionista é que Pedro usa a expressão "como um ladrão" que é geralmente usada em referência à Segunda Vinda de Cristo.

Pedro descreve o evento dando a impressão de que os crentes estarão esperando ‘Aguardando, e apressando-vos para a Vinda do dia de Deus ‘ e que estão conectados com a promessa de Deus ‘O Senhor não retarda a sua promessa’.

Pedro também declara que Paulo escreveu sobre essas coisas em suas epístolas.

Então concluem que se os eventos desta passagem ocorrem na Segunda Vinda, e se estes eventos eram o que os crentes nesta epistola estavam esperando, então a nossa esperança e a nossa expectativa é a Segunda Vinda e não o Arrebatamento: "O Senhor não retarda a sua promessa… mas o Dia do Senhor virá…", ou seja, a promessa será cumprida no Dia do Senhor.

Finalizam dizendo que a Igreja deve esperar ver estes eventos acontecerem e deve procurar estar preparada quando Ele vier. Isto dificilmente pode ser aplicado na visão Pré-Tribulacionista.

 

Proponentes

Alguns proponentes dessa escatologia são: Benjamin Newton, George Muller, William Booth (fundador do Exército da Salvação) e Charles Spurgeon.

 

Leia também:

Ponto de Vista Pós-Tribulacionista

Para saber mais:

Artigos do site www.projetoomega.com

Arrebatamento Pós-Tribulacionista: Uma Exegese De 2 Tessalonicenses 2:1-3 – www.postribulacionismo.blogspot.com/2010/05/por-pr.html

.

Fontes:

“A teologia do Novo Testamento” – George Ladd

“O Arrebatamento Pós-Tribulacional” – Willian Arnold III

"Manual de Escatologia" – Dwight Pentecost

Bíblia de Estudos Profecias – Ed Atos

http://escatologiacrista.blogspot.com/

http://www.monergismo.com/textos/escatologia_reformada/Arrebatamentosecreto_samuel.htm

http://www.institutogamaliel.com/Escatologia.php
 
 

Quais são os sinais que antecedem a Volta de Jesus? Natureza

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 24-08-2011

Tag: , ,

This entry is part 3 of 8 in the series Quais são os sinais que antecedem a Volta de Jesus?

"Haverá terremotos em diversos lugares." (Mc 13:8)

"E na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo" (Lc 21:25)

"Mas todas estas coisas são o princípio de dores." (Mt 24:8)

"Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobre-virá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão." (1 Tes 5:3)

"O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se.  Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça." (2 Pe 3:9-13)

"Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora." (Rm 8:22)

Por Geração Maranata

 

Terremoto devastador no Haiti, Itália, Chile e China. Enchentes e destruições no Brasil, América do Sul e Europa. Vulcões, Ciclones e tornados em toda parte. O que está acontecendo com o mundo?

O Senhor Jesus disse que seu retorno seria antecedido por catástrofes na natureza e percebe-se com nitidez que, nas últimas décadas, elas têm aumentado tanto em quantidade, quanto em intensidade.

Apesar dessas catástrofes serem o mais claro sinal da Volta de Cristo, muitas pessoas, inclusive cristãos, reagem com indiferença, alguns ainda dizem que catástrofes sempre existiram, outros alegam que a globalização e o acesso aos meios de comunicação permitem que tomemos conhecimento em tempo real, ao passo que nas décadas e séculos passados, somente as pessoas locais ficavam sabendo do ocorrido, porém, apesar de sempre terem existido, todos têm que concordar que elas estão ocorrendo com uma frequência alarmante nessas últimas décadas.

Vejamos alguns acontecimentos que comprovam nossa afirmação, alguns misteriosos, como a morte de animais:

1) Mortandade de animais no mundo inteiro, ainda sem explicação cabível (para ler todas as notícias click aqui):

08/06/2011 – Mortandade marítima nas praias da Flórida
08/06/2011 – 600 pinguins aparecem mortos no Uruguai
29/05/2011 – Filipinas: 800 t de peixes mortos são encontradas em lago
18/04/2011 – Centenas de peixes foram encontrados mortos em Ventura Harbor
24/03/2011 – Centenas de estrelas-do-mar aparecem mortas no Reino Unido
19/03/2011 – 400 baleias-piloto encontradas mortas nas Ilhas Malvinas
25/02/2011 – Morte de golfinhos aumenta na costa do Golfo do México
16/02/2011 – Misteriosa morte de peixes assusta habitantes do norte da Turquia
16/02/2011 – Alarmante enigma dos mares: Milhares de peixes mortos nas praias dos EUA
09/02/2011 – Milhões de Medusas aparecem mortas na Flórida
31/01/2011 – Em plena Piracema, milhares de peixes aparecem mortos no Pantanal
27/01/2011 – Mortandade de peixes na Colômbia é atribuída aos “fenômenos sobrenaturais”
26/01/2011 – Peixes mortos lotam praia de Mongaguá – SP
21-01-2011 – Milhares de búfalos e vacas mortas no Vietnã
21/01/2011 – Pequim relatos de mortes de aves em massa
20/01/2011 – Mortes misteriosas de aves estão sendo investigadas próximo à Dacono (Colorado)
20/01/2011 – Misteriosa infecção está matando Salmões em Vaucouver, Canada
19/01/2011 – Dezenas de peixes e focas mortas no Canadá
17/01/2011 – Centenas de focas mortas no Canadá
17/01/2011 – Centenas de vacas são encontradas mortas
13/01/2011 –Dezenas de Aves Mortas na Alemanha
12/01/2011 – Pássaros que morreram na Romênia seriam vítimas do álcool, diz veterinário
12/012011 – Pássaros continuam a morrer
11/01/2011 – Aves mortas na Romênia
11/01/2011 – Mais de 100 pássaros mortos encontrados em estrada de Sonoma na Califórnia
11/01/2011 – Peixes mortos no lago Michigan
09/01/2011 – Surgem pássaros mortos, aos milhares, em mais Países, como: Reino Unido, Japão, Brasil, Tailândia, …
08/01/2011 – México tem misteriosa morte de pássaros
08/01/2011 – Peixes Mortos por contaminação no Haiti
07/01/2011 – Centenas de passaros mortas em Bolonha, Itália
06/01/2011 – Polícia Ambiental encontra várias espécies de peixes mortos em rio de Minas Gerais
06/01/2011 – As aves mortas achadas no Tennessee
06/01/2011 – Centenas de Peixes Mortos em País de Gales
06/01/2011 – Morcegos Mortos em Arizona, EUA
‎06/01/2011 – Chuva de pássaros lembra filme de terror e traumatiza crianças nos EUA.
06/01/2011 – Frio mata milhares de peixes nos EUA, Brasil e Nova Zelândia.
06/01/2011 – Carolina do sul, centenas de milhares de peixes mortos.
05/01/2011 – 40.000 caranguejos morrem de frio na Grã-Bretanha
05/01/2011 – Cerca de 100 toneladas de peixes mortos são encontrados em Paranaguá (PR-Brasil)
05/01/2011 – Chuva de pássaros mortos também se registrou no Louisiana
05/01/2011 – Encontrados 500 pássaros mortos em estado vizinho ao Arkansas
05/01/2011 – Chuva de pássaros mortos volta a cair nos EUA
05/01/2011 – Depois dos EUA, Suécia tem “chuva” de pássaros mortos
05/01/2011 – O mistério dos pássaros que morrem subitamente continua a alastrar
‎05/01/2011 – Nova ‘chuva’ de pássaros mortos nos
‎05/01/2011 – Mais um caso de pássaros mortos nos Estados Unidos
05/01/2011 – Suécia tem “chuva” de pássaros
05/01/2011‎ – ‎Dezenas de pássaros aparecem mortos
05/01/2011 – Surgem casos de aves mortas em Kentucky, na Suécia e no Japão.
05/01/2011 – Dois Milhões de peixes mortos em Maryland. Milhares de caranguejos mortos em Inglaterra.
04/01/2011 – Chuva de pássaros mortos volta a cair
04/01/2011‎ – Pássaros mortos intrigam autoridades em Arkansas, EUA
04/01/2011‎ – ‎Estranha chuva de pássaros mortos volta a cair nos EUA
‎04/01/2011 –‎ Além de pássaros, 100 mil peixes aparecem mortos
04/01/2011‎‎ – Morte misteriosa de milhares de pássaros gera teorias nos EUA
04/01/2011 – Surgem Notícias de mais aves mortas, noutro Estado: Louisiana
04/01/2011 – Ontario, centenas de peixes mortos
04/01/2011 – Florida: Milhares de peixes mortos
03/01/2011‎ – ‎EUA: Milhares de peixes e pássaros aparecem mortos.
03/01/2011‎ – ‎EUA: cem mil peixes aparecem mortos no Rio Arkansas
03/01/2011 – Laboratórios buscam respostas para a morte de 3 mil aves nos EUA
‎03/01/2011 – Após chuva de pássaros mortos, mais de 100 mil peixes sem vida
03/01/2011 – ‎‎Após pássaros, estado americano do Arkansas tem morte de peixes
03/01/2011 – ‎Pássaros e peixes morrem misteriosamente em cidade dos EUA
03/01/2011 – Canadá: em Manitoba encontraram 10 mil pássaros mortos,China: Vários pássaros mortos
03/01/2011 – ‎‎Investigação sobre pássaros mortos gera expectativa em Beebe
03/01/2011 – Chuva de pássaros mortos no Arkansas
02/01/2011 – Milhares de pássaros mortos no Chile
01/01/2011 – Milhares de aves morreram no Arkansas.
31/12/2010 – 150 Toneladas de peixes mortos no Vietname
30/12/2010 – Cem toneladas de peixes mortos no Paraná, Brasil.
05/01/2010 – Brasil, Suécia e Nova Zelândia atingida por fenômenos estranhos

São muitas ocorrências de mortes que não podem ser ignoradas.  Muitas pessoas acreditam que, essa mortandade pode está relacionada a distúrbios no campo magnético. Leia a notícia aqui.

 

2) Vulcões

Estima-se que existam atualmente em torno de 1.600 vulcões ativos no mundo, 600 em terra e o restante no oceano.

Uma das hipóteses apontada por cientistas para ligar aquecimento global a vulcões está no derretimento da camada de gelo em regiões próximas aos pólos. A falta de gelo significa um obstáculo a menos para o magma(*) atravessar e poder chegar à superfície. Assim, erupções aconteceriam com maior facilidade.

(*) Nome dado a rocha fundida debaixo da superfície da Terra que, quando expelida por um vulcão, dá origem à lava.

Segundo o vulcanologista Freysteinn Sigmundsson, da Universidade da Islândia, o fim da Era do Gelo há 10 mil anos coincidiu com o surgimento de inúmeros vulcões no país. Agora, se realmente passarmos por um novo período de aquecimento, a mesma situação deve se repetir, sugere o pesquisador.

"Nosso trabalho indica que veremos erupções maiores ou mais freqüentes na Islândia nos próximos anos. O derretimento do gelo pode sim afetar o sistema magmático", afirmou Sigmundsson.

Fonte: Carbono Brasil

Definição

Vulcão é uma abertura na crosta terrestre, de formato montanhoso, por onde saem magma (lava), cinzas, gases e poeira. Esta estrutura geológica é formada, geralmente, com a movimentação e encontro das placas tectônicas.

Quando um vulcão entra em erupção (em atividade) pode provocar terremotos e lançar na atmosfera grande quantidade de materiais magmáticos.

Existem entre 500 e 600 vulcões ativos no mundo. O Brasil está situado no meio da placa Sul-americana, por isto está praticamente imune a terremotos e vulcões.

Os principais vulcões do mundo são: Etna (Sicilia), Monte Fuji (Japão), Kilauea (Havai), Krakatoa (Indonésia), Monte Pinatubo (Filipinas), Vesúvio (Itália) e El Chichon (México).

Neste ano (2011) a mídia reportou mais de 30 erupções de vulcões (até 20 agosto), fora as pequenas explosões que não são reportadas.

20/08/2011 – Vulcão italiano Etna entra em erupção e deixa nuvem de cinzas‎
19/08/2011 – Vulcão entra em erupção na Itália. O vulcão Etna entrou em erupção lançando colunas de cinzas e lavas
17/08/2011 – Vulcão Chivelutch lança cinzas a 8 km‎
14/08/2011 – Vulcão Soputan entra em erupção na Indonésia‎
08/08/2011 – O vulcão Karangetang, na ilha indonésia de Célebes, entrou em erupção
11/08/2011 – Vulcão submarino entra em erupção nos EUA
05/08/2011 – Hawaii – Vulcão Kilauea entra em erupção na Big Island‎
03/08/2011 – Erupção do vulcão Shivélutch na Kamchatka, Russia
02/08/2011 – Vulcão segue em erupção nos Andes chilenos
31/07/2011 – Vulcão Etna entra em erupção com lavas a 450 m de altura
10/07/2011 – Vulcão indonésio Lokon entra em erupção
03/07/2011 – O vulcão Soputan, na ilha indonésia de Célebes, entrou em erupção
03/07/2011 – Vulcão Klyuchevskoy, Rússia entrou em erupção e produziu uma pluma de cinzas que ascendeu a uma altitude de 7 km acima do nível do mar
13/06/2011 – Vulcão Nabro entra em erupção na Eritreia, leste da Àfrica Vulcão na Eritreia e lança nuvem de cinzas a 15 km de altitude
10/06/2011 – Vulcão entra em erupção no Havaí
06/06/2011 – A erupção do vulcão Cordón Caulle forçou hoje a retirada de moradores do Chile.
04/06/2011 – A erupção do vulcão Puyehue no Chile
04/06/2011 – Vulcão entra em erupção perto da Cidade do México (monte Popocatepetl)
21/05/2011 – Vulcão Grimsvötn entra em erupção na Islândia
12/05/2011 – Vulcão Etna entra em erupção na Itália
26/04/2011 – Vulcão Tungurahua entra em erupção na cordilheira do Equador
13/03/2011 – Vulcão japonês de Kyushu entrou em erupção
11/03/2011 – Vulcão Karangetang entra em erupção na Indonésia
11/03/2011 – Dois vulcões entraram em erupção na Rússia, na Península de Kamchatka
11/03/2011 – Vulcão Sakurajima, Japão, entra em erupção dia 11 de março, mesmo dia do terremoto
07/03/2011 – Cientistas monitoram novas erupções do vulcão Kilauea, no Havaí
21/02/2011 – Vulcão filipino Bulusan entra em erupção
11/02/2011 – Vulcão do monte Shinmoedake entra em erupção no Japão, após 52 anos em repouso
07/02/2011 – O vulcão Kizimen, na Rússia, entrou em erupção
01/02/2011 – O vulcão Shinmoedake, no sul do Japão, voltou a entrar em erupção
28/01/2011 – Vulcões na Ásia entram em erupção
27/01/2011 – Erupção do vulcão Bromo atrapalha tráfego aéreo na Indonésia
26/01/2011 – Vulcão Kirishima entra em violenta erupção no Japão
13/01/2011 – O vulcão Etna entrou em erupção na ilha italiana da Sicília
03/01/2011 – Vulcão Merapi tem nova erupção na Indonésia (Ilha de Java)

Notícia recente:

A Agência de Ciências e Tecnologia Marinha e Terrestre do Japão descobriu uma rachadura de pelo menos 80m de comprimento e um 1 m de profundidade que teria sido aberta no fundo do mar na costa de Sarnriku, no leste do país, após o terremoto do dia 11 de março de 2011. O desastre deixou mais de 20.400 mortos ou desaparecidos no Japão, e desencadeou a pior crise nuclear do mundo em25 anos em Fukushima. (Fonte: http://noticias.terra.com.br/mundo/asia/terremotonojapao/noticias/0,,OI5297590-EI17716,00-Japao+imagem+mostra+fenda+de+m+criada+no+mar+apos+tremor.html)

Para saber mais:

Lista de Vulcões no mundo: http://www.vulkaner.no/v/volcan/nvolalfa.html

Atividade vulcânica mundial: http://www.ovga-azores.eu/noticias/ver.php?id=54

Erupções: http://pt.euronews.net/tag/erupcao-vulcanica/

http://vulcanoticias.com.br/portal/erupcoes/2011

 

3) Terremotos

Definição: são deslizamentos que ocorrem nas falhas geológicas, quando as placas se movimentam. E estas se movimentam porque o manto é pastoso e líquido. O movimento provoca terremotos e a atividade dos vulcões.

Estima-se que ocorram a cada ano cerca de 500 mil tremores em todo o planeta, dos quais 100 mil são percebidos e pelo menos mil causam danos. A Terra não para de tremer!

Em todo o século XIX ocorreram 41 grandes terremotos, acarretando pouco mais de 350 mil mortes. No século XX, até maio de 1997, já haviam ocorrido 96 grandes terremotos, que provocaram a morte de mais de 2 milhões e 150 mil pessoas

Nunca se viu tantos terremotos acima de 6 na escala Richter em tão pouco tempo. Para os especialistas o número de terremotos não tem aumentado, porém um estudo publicado pelo Departamento de Geodésia – IG/UFRGS diz o contrário.

O estudo

Observa-se que, com exceção da década de 50, todas as outras décadas do século XX tiveram maior número de grandes terremotos quando comparadas às atividades sísmicas no planeta de cem anos atrás.

Mesmo fazendo-se uso de outros critérios ou fontes, o aumento do número de terremotos em todo o mundo é um fato inquestionável. Uma pesquisadora americana, Sarah Davis, formulou as seguintes perguntas a um grupo de especialistas da área, através da Internet:

“Está havendo um aumento na incidência de terremotos em todo o mundo no século XX? Caso existam registros antigos, esse aumento tem-se verificado ao longo dos últimos 200 anos?

Quem respondeu à questão de Sarah foi o vulcanologista Steve Mattox, da Universidade de North Dakota. Segundo ele, na primeira metade do século XX houve 15 terremotos de intensidade extrema, e na segunda metade haviam ocorrido até então 20 desses terremotos. Já em todo o século XIX registraram-se apenas 7 terremotos extremos. O Dr. Steve conclui: “"Baseando-se nessa rápida análise de uma única fonte de informação, parece que a frequência de terremotos está aumentando. A grande questão é o porquê disso". (Fonte e estudo na íntegra em http://www.ufrgs.br/museudetopografia/Artigos/TERREMOTOS.pdf)

Coincidência ou conexão?

O pesquisador Wolfgang Friederich, professor de geociências na Universidade do Ruhr, em Bochum, diz que alguns modelos sismológicos e cálculos matemáticos mostram um aumento de tensão tectônica em outras partes do mundo, depois que um terremoto é registrado.

Esse fato, combinado com dados estatísticos, criaram uma teoria: um grande terremoto – como os recentes em solo haitiano e chileno – pode atenuar a tensão em parte de uma placa tectônica, aumentando-a em outras. Isso teria potencial para causar um terremoto consecutivo, em outra parte do planeta.

"O problema é que você tem que provar que não é uma coincidência, o que é muito difícil", alega Friederich.

Alguns cientistas estão bastante seguros de que, depois de um terremoto, a tensão é redistribuída para outros pontos da placa tectônica. Mas relacionar o efeito a um segundo terremoto, ou a um abalo posterior, não é tão fácil.

Rainer Kind, pesquisador do GFZ, Centro Alemão de Geopesquisa, concorda. "Ninguém conseguiu provar com sucesso, até agora, que os terremotos registrados em um lado da placa estejam ligados a terremotos no outro lado."

Círculo de fogo

A Terra é formada por camadas sucessivas, cujas densidades aumentam da superfície para o centro. As principais são a crosta, o manto e a núcleo.

A crosta é a camada superficial da Terra. O manto apresenta subdivisões: a litosfera faz contato com a crosta, e é sólida; enquanto a astenosfera, cuja temperatura é elevada, compõe-se de rocha derretida.

As placas tectônicas apresentam densidade menor do que o magma da astenosfera, e por isso "flutuam" sobre ele. Os pontos onde essas placas se encontram são as chamadas falhas geodésicas, nas quais se concentra a maior parte dos terremotos.

"As placas movem-se tanto horizontal quanto verticalmente, ou seja, uma se move para baixo da outra", explica Friederich. "Os movimentos das placas também podem ser mistos, na vertical e horizontal."

A maior parte da atividade sísmica do mundo acontece numa área do Oceano Pacífico conhecida como Círculo de Fogo. A região tem o formato de ferradura e circunda a costa do oceano ao longo de países como a Nova Zelândia, Japão, Alasca e Chile. Outras áreas onde há terremotos frequentes são a Crista Oceânica do Atlântico e a Falha de San Andreas, na Califórnia.

Notícia recente:

Terremoto abala Washington e é sentido em Nova York

23-08-2011

O terremoto de 5,9 graus de magnitude teve como epicentro o estado de Virgínia (nordeste), a cerca de 15 km da cidade de Mineral e 139 km de Washington, e a 6 km de profundidade, segundo a medição provisória do Instituto Sismológico americano.

O tremor provocou a evacuação do Pentágono e do Congresso em Washington, onde foi sentido fortemente, enquanto que em Nova York diversos edifícios públicos também foram esvaziados rapidamente.

Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/ciencia/terremoto-abala-washington-e-e-sentido-em-nova-york–5

 

Veja também:

Nos últimos sete dias foram relatados mais de 31 terremotos acima de 5,0: http://starviewer.wordpress.com/2011/08/08/en-los-ultimos-7-dias-se-han-reportado-mas-de-31-terremotos-por-encima-de-5-0/

Lista de Terremotos: http://www.emsc-csem.org/#2

Monitor Sismológico: http://www.iris.edu/seismon/

Fontes:

http://www.library.com.br/Filosofia/terremot.htm

http://eco4u.wordpress.com/tag/terremotos/

http://www.dw-world.de/dw/article/0,,5335395,00.html

 

4) Inundações

As inundações vêm aumentando continuamente em todos os países da Terra. A cada ano elas surgem com ímpeto redobrado, acarretando a destruição de cidades e vilas, perdas agrícolas, doenças e mortes.

De acordo com dados do World Almanac, em todo o século XIX foram registradas três grandes inundações, onde pereceram cerca de 938 mil pessoas.

No século XX, até agosto de 1996, havia ocorrido 82 grandes inundações em diversos pontos do globo, as quais mataram aproximadamente 4 milhões e 72 mil pessoas.

Observa-se o extraordinário aumento do número dessas inundações nas últimas décadas do século XX. Nos primeiros 40 anos (1900 a 1939) houve 10 grandes inundações. Nos 40 anos seguintes (de 1940 a 1979) houve 41 grandes inundações. Se plotarmos os dados da tabela acima num gráfico de barras, teremos uma visão clara da mudança de patamar do número de inundações por década:

Segundo a ONU, o ano de 2005 ficou marcado pela ocorrência de 360 desastres naturais, ou seja, quase um por dia! Em levantamento elaborado, pela organização mundial foram, no total 168 inundações, 69 tornados e furacões e 22 secas que transtornaram a vida de milhões de pessoas.

Fonte: http://www.ufrgs.br/museudetopografia/Artigos/INUNDA%C3%87%C3%95ES.pdf

Cientistas confirmam que aquecimento global intensifica enchentes. Estudos detalham relação entre emissões de gases causadores do efeito estufa e maior incidência de chuvas.

16/02/2011

A sequência de inundações pelo mundo nos últimos meses sempre foi relacionada às mudanças climáticas com muita cautela por cientistas climáticos. A resposta mais comum era a de que eventos extremos poderiam estar ligados ao aquecimento global, mas ainda não havia base científica para comprovar tal relação. Dois estudos publicados nesta semana no periódico científico Nature tentam responder essa pergunta. E a resposta é sim, há relação. Gases causadores do efeito estufa estão associados ao aumento da formação de chuvas. Os resultados dos dois estudos são as primeiras identificações formais sobre a contribuição humana para eventos extremos como nevascas, inundações e secas

Um dos estudos analisou a intensificação da precipitação (formação da chuva a partir de altos índices de umidade na atmosfera) sobre grandes áreas do Hemisfério Norte na segunda metade do século XX. Pesquisadores do Consórcio de Impactos Climáticos do Pacífico combinaram séries de dados de modelos climáticos que têm o mesmo histórico sobre concentração de gases do efeito estufa.

“Nosso estudo indica que em grande parte do Hemisfério Norte, quantidades anuais de precipitação máxima em qualquer dia ou em cinco dias consecutivos (que normalmente estão relacionadas às enchentes) têm aumentado” disse ao iG Xuebin Zhang, co-autor do estudo que atribuiu o aumento em larga escala destes eventos aos efeitos do homem na concentração de gases do efeito estufa na atmosfera.

“O que descobrimos foi que determinadas mudanças observadas na análise dos padrões não podem ser explicadas apenas com a variabilidade climática natural. Desta forma, fomos capazes de atribuir as mudanças na precipitação às influências do homem”, disse Zhang.

Os autores cruzaram dados de diversos modelos climáticos para identificar variações nos padrões. “Quando cruzamos estes modelos climáticos podemos perceber a resposta específica a estas mudanças de concentração. Normalmente estes padrões deveriam ser quase homogêneos. Então é como reconhecer um rosto na multidão. Podemos identificar a relação de tais mudanças nos dados”, disse Francis Zwiers da Universidade de Victoria, no Canadá, também autor do estudo.

Os autores do estudo enfatizam que inundações ocorrem naturalmente, sem o aquecimento global. Mas argumentam que modelos climáticos têm subestimado os efeitos do aquecimento global provocado pelo homem sobre a intensificação da precipitação na atmosfera. (Maria Fernanda Ziegler)

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/meioambiente/cientistas+confirmam+que+aquecimento+global+intensifica+enchentes/n1238013651807.html

Lista de Inundações em 2011:

19/08/2011 – 18 municípios enviaram à Defesa Civil relatórios sobre estragos e inundações. No total, 47 municípios da região Sul do Brasil foram atingidas pelas chuvas.
17/08/201 – Enchentes atingem milhares de pessoas no sul do Paquistão‎
13/08/2011 – FRIO – Mínima em Rondônia pode chegar a 6º C, aponta meteorologia‎. Tempestades intensas, com raios, granizo, ventania e chuva volumosa.
12/08/201 – Rússia: Foi decretado estado de emergência no distrito de Solnechny, no território de Khabarovsk, em função das enchentes do rio Silinka.
11/08/2011 – País tem semana de fortes chuvas‎. Nova Deli – As chuvas de monções foram intensas na Índia na última semana.
10/08/2011 – Após chuva, ondas chegam a 3 m na costa de Florianópolis‎, depois de três dias de chuva intensa.
08/08/2011 – Tempestades em SP e no RJ vão até triplicar nos próximos 60 anos‎
07/08/201 – Tailândia: Tempestade Nock-Ten mata 20 pessoas‎, além disso, 236 mil habitações foram afetadas pelas inundações e 72 mil e 495 hectares de cultivo ficaram destruídos devido às enchentes.
05/08/201 – Enchentes e secas atingem região sul e central da China‎
04/08/2011 – EUA: meteorologistas preveem temporada de furacões mais intensa‎
04/08/2011 – A tempestade tropical Emily varreu o sul do Haiti com fortes chuvas e ventos.
04/08/2011 – Tempestade tropical Arlene provoca inundações no México.
03/08/2011 – Chuvas provocaram enchentes e deslizamentos de terra, matando 23 pessoas na capital haitiana, Porto Príncipe.
03/08/2011 – Chuvas deixam mais de 7 mil desabrigados no Vale do Ribeira (SP)
30/07/201 – Enchentes destroem plantações na Coreia do Norte‎
28/07/2011 – Milhões de paquistaneses ainda necessitam de ajuda devido as inundações devastadoras do ano passado. Cerca de 20 milhões de pessoas foram afetadas pelas enchentes.
28/07/2011 – Chuvas afetam mais de 116 mil pessoas no Paraná e Rio Grande do Sul‎
27/07/2011 – 28 pessoas morrem em deslizamento na Coréia do Sul
27/07/2011 – Rio Souris transborda e chuvas causam inundações em Minot, nos EUA
27/07/2011 – Chuva causa deslizamento no Equador
26/07/2011 – Tempestade deixa 10 mortos nas Filipinas‎. A tempestade tropical Nock-ten provocou grandes enchentes, muitas das 15 cidades agrícolas de Albay foram inundadas pelas águas.
22/07/2011 – 50 mil pessoas afetadas pelas chuvas, no RS
22/06/2011 – Chuva provoca tragédia no Nordeste
13/07/2011 – Chuvas torrenciais na China
25/05/2011 – Aracaju debaixo d’água
18/05/2011 – Estado de emergência é prorrogado por mais 90 dias, na Venezuela
09/05/2011 – Deslizamentos de terra provocam mais de 17 mortes na Indonésia
05/05/2011 – Mais de 50 mil pessoas desabrigadas no Nordeste por causa das chuvas
18/04/2011 – Inundações na Tailândia registram 64 vítimas
11/04/2011 – Chuvas do final de semana afetam mais de 8 mil pessoas no Paraná
30/03/2011 – Inundações atingem mais de 1 milhão de pessoas na Tailândia
22/03/2011 – 14 cidades em estado de emergência em GO
22/02/2011 – Bolívia declara estado de emergência por causa das chuvas
22/02/2011 – Chuva espalha destruição na Região Serrana do Rio de Janeiro
12/01/2011 – Chuva no Sri Lanka deixa 18 mortos
10/01/2011 – Chuva não para na Malásia
03/01/2011 – Enchentes na Austrália são as piores dos últimos 50 anos
02/01/2011 – Nordeste da Austrália sofre com inundações recordes

Notícia recente:

Vazão das Cataratas do Iguaçu está oito vezes acima no normal

20-08-2011

São 12 milhões de litros de água por segundo, na manhã deste sábado (20). Passarela foi interditada por medida de segurança.

A vazão das Cataratas do Iguaçu está oito vezes acima do normal na manhã desta sábado (20). Segundo a diretoria do parque, são 12 milhões de litros de água por segundo, quando o normal é de 1 milhão e 500 mil litros por segundo.

Por medida de segurança, a passarela de acesso ao mirante da Garganta do Diabo foi interditada.

De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar, as chuvas que atingiram as regiões sudoeste e oeste do estado contribuíram com o aumento da vazão, em virtude das cheias do rios que deságuam no Iguaçu. Da manhã da sexta-feira até a manhã de sábado (20), choveu 80 mm na região Sudoeste, sendo que a média esperada para todo o mês de agosto é de 100 mm.

Na tarde de sexta-feira (19), a vazão era de 950 mil litros de água por segundo.

Fonte: http://g1.globo.com/parana/noticia/2011/08/vazao-das-cataratas-do-iguacu-esta-oito-vezes-acima-no-normal.html

 

5) Clima: Aumento de Frio e Calor

Alerta sobre a intensificação dos cilos de calor e frio no planeta

Estamos sob risco de suicídio ecológico. A afirmação é do Biogeógrafo Norte-Americano Jared Diamond, que fez a afirmação, respondendo as perguntas freqüentes pelos “céticos do clima”. O aumento da temperatura do planeta em que se atribui a intensificação dos ciclos de calor e frio, testemunhada hoje por toda a parte do planeta. Pode ser resultado de um ciclo natural do planeta?

“A verdade é que a idéia de que as mudanças climáticas que estamos presenciando são naturais é ridícula, quanto a que nega a evolução das espécies”.

As mídias e a indústria do entretenimento mostram, cada vez mais as imagens e temas do fim do mundo, edifícios e prédios em ruínas. Será tudo isso um fascínio pela própria destruição? Conforme matéria do Jornal “O Estado de São Paulo”, tudo isso é o romantismo das imagens das civilizações passadas que entraram em colapso, como a civilização dos maias, incas e astecas.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/suplementos,alerta-que-vem-da-lama,669684,0.htm

Lista de eventos:

21/08/2011 – Onda de frio intenso causa 18 mortes no Chile
15/08/2011 – Nova Zelândia é atingida por pior onda de frio dos últimos 50 anos
12/08/2011 – Onda de calor já matou 36 pessoas desde julho no Japão
22/07/2011 – Chile enfrenta pior nevasca dos últimos 30 anos
21/07/2011 – Uma onda de calor nos Estados Unidos já matou 22 pessoas esta semana, a pior dos últimos 60 anos
18/07/2011 – Uma impressionante onda de calor toma conta de amplas regiões dos Estados Unidos, com temperaturas acima de 38 graus centígrados. Com a elevada umidade do ar, o calor se torna sufocante e o desconforto é maior do que uma temperatura de 40 graus no Rio de Janeiro, por exemplo.
09/07/2011 – SC é atingifa por onda de frio mais intensa dos últimos dez anos
08/07/2011 – O deserto de Atacama, no norte do Chile – conhecido como uma das regiões mais secas do planeta enfrenta neste inverno a maior onda de frio e neve em quase 20 anos e já acumula 18 cm de neve
08/07/2011 – Sul da China sofre com onda de calor que castiga população
07/07/2011 – Onda de frio intenso deixa dois mortos e congela canos de água em Santa Catarina
04/07/2011 – Frio: Onda de frio provoca mortes na Bolívia e Uruguai
02/07/2011 – Onda de frio na Bolívia matou pelo menos 35 pessoas
29/06/2011 – Frio intenso mata duas pessoas em Curitiba (PR)
29/06/2011 – Frio intenso provoca três mortes no Paraná
28/06/2011 – Campo Grande (MS): Frio intenso pode ser causa de 2 mortes no País
27/06/2011 – Pior onda de frio em 20 anos fecha oito escolas no Rio Grande do Sul
21/03/2011 – Ondas de calor podem aumentar cinco a dez vezes na Europa
07/03/2011 – Onda de calor de 2010 na Europa foi a pior da história. Última década quebrou recordes de temperatura dos últimos 500 anos.
24/02/2011 – Ao menos 30 morrem após onda de frio na Polônia
22/01/2011 – Forte onda de frio deixa norte dos EUA sob clima gelado

Leia também: http://www.library.com.br/Filosofia/oclima.htm

Notícias recentes:

Termômetros registram queda de 23ºC na temperatura em Cuiabá

20-08-2011

Na tarde desta sexta a temperatura chegou a 38ºC e neste sábado a 15ºC.

Segundo o Inmet, a friagem deve continuar nos próximos dias.

Os termômetros registraram uma queda de 23ºC nas últimas horas em Cuiabá. De acordo com o 9º Distrito de Meteorologia, vinculado ao Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a friagem como é conhecida, vem da região do Paraguai e derruba a massa de ar quente e seco que predominava na região Centro-Oeste.

Na tarde desta sexta-feira (19) o 9º Distrito registrava a temperatura de 38ºC em Cuiabá. Já por volta das 9h30 [horário de MT] da manhã deste sábado, os termômetros marcavam 15ºC na capital cuiabana.

Ainda segundo o 9º Distrito, no domingo o declínio da temperatura continua, com máximas de 24ºC e mínima de 15ºC. Nas outras cidades de Mato Grosso o tempo também fica nublado com possibilidade de pancadas isoladas de chuva.

Baixa umidade

A queda na temperatura chegou a Cuiabá depois de uma semana de muito calor, quando a temperatura chegou aos 40ºC e a umidade do ar chegou em nível de deserto em Cuiabá, entre 10% e 15%.

Fonte: http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2011/08/termometros-registram-queda-de-23c-na-temperatura-em-cuiaba.html

 

Calor deixa 10 mortos na Itália; temperatura chega aos 47°C

24-08-2011

A onda de calor que atinge há uma semana a Itália, com temperaturas que superam os 35°C, deixou dez mortos na região de Milão, a maioria idosos, indicaram nesta quarta-feira as autoridades.

Dez idosos com idades entre 78 e 90 anos faleceram na terça e nesta quarta-feira devido a problemas cardíacos e respiratórios causados pelas altas temperaturas, segundo o serviço de emergências de Milão.

A defesa civil italiana elevou o nível de alerta em 16 cidades, entre elas Milão, Turim, Roma e Nápoles, onde são registradas temperaturas de 38°C a 40°C.

A pequena cidade de Capo Carbonara, na ilha de Sardenha, registrou a temperatura recorde de 47°C. Segundo a defesa civil, a onda de calor prosseguirá até sexta-feira.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5310802-EI8142,00-Calor+deixa+mortos+na+Italia+temperatura+chega+aos+C.html

 

6) Ciclones, Furacões, Tornados

Definições:

Furacão – O furacão é uma tempestade com ventos muitos fortes, que se forma nos oceanos, entre as regiões tropicais, pois é de lá que ele obtém a sua energia.  Por razões históricas, os furacões que se formam no Oriente (no oceano Índico e no leste do oceano Pacífico) são geralmente chamados de tufões.

Tornado – Tempestade intensa, que pode se formar sobre a terra ou sobre o mar.

Ciclone – Movimento de grande escala que pode ocorrer tanto na atmosfera como no oceano, caracterizado por um giro realizado pelo ar ou pela água ao redor de uma área de baixa pressão na atmosfera ou no oceano. Os ciclones classificam-se em tropicais e extratropicais. Os ciclones tropicais tendem a ser mais violentos que os de latitudes médias e às vezes causam grande devastação. Os ciclones são classificados em 5 categorias, de acordo com a força dos ventos.

Na categoria 1 — intensidade mínima, os ventos estão entre 118 km/h e 152 km/h (na prática, até 130 km/h o fenômeno é chamado de tempestade tropical, e a partir daí de furacão).

Na categoria 2 — intensidade moderada, os ventos variam de 153 km/h a 176 km/h.

Na categoria 3 — intensidade forte, os ventos ficam entre 177 km/h e 208 km/h.

Na categoria 4 — intensidade extrema, os ventos situam-se entre 209 km/h e 248 km/h.

Na categoria 5 — intensidade catastrófica, os ventos passam de 249 km/h.

Mapa – Países e regiões onde pode acontecer tornado/furacão/ciclone

Aumento de tempestades em cinco bacias oceânicas sugere relação de causa e efeito entre os fenômenos.

Recente trabalho sobre a mudança na quantidade, duração e intensidade de ciclones tropicais, em cinco bacias oceânicas e nos últimos 35 anos foi publicado na Science em setembro de 2005, confirma outros estudos que apontavam um crescimento da freqüência de furacões das mais altas intensidades (categorias 4 e 5).

Esse incremento acompanha o progressivo aumento observado na temperatura da água de superfície nos mesmos oceanos. Esse aumento foi da ordem de 0,5ºC, no período 1970-2004, na temporada de furacões. Entretanto, não procura estabelecer relação de causa e efeito – embora a deixe subentendida – entre o aumento de tempestades tropicais e o aquecimento global, tal como sugerida por K. E. Trenberth, por exemplo, mas colocada como especulativa e sujeita a forte controvérsia. O debate parece reativar-se com as trágicas conseqüências do Katrina sobre Nova Orleans e região.

Uma comparação do número de furacões de categoria 4 e 5 em dois períodos, 1975-1989 e 1990-2004, mostra que no Pacífico Oeste o número aumentou de 85 para 116 (ou de 25% para 41% do total), e no Atlântico Norte, de 16 para 25 (de 20% para 25%).

Leia também:

http://www.fisica.ufc.br/lfnm/html/tornados.html

http://ambientes.ambientebrasil.com.br/mudancas_climaticas/artigos/furacoes_e_aquecimento_global.html

http://resumododia.com/paises-onde-acontecem-furacoes.html

Fontes:

http://twgeral.wordpress.com/2010/03/12/ciclone-tornado-furacao-tufao/

http://www2.uol.com.br/sciam/artigos/furacees_e_aquecimento_global.html

http://www.library.com.br/Filosofia/ciclones.htm

Quais são os sinais que antecedem a Volta de Jesus? Sociedade

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 31-07-2011

Tag: ,

This entry is part 2 of 8 in the series Quais são os sinais que antecedem a Volta de Jesus?

"Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te." (2 Timóteo 3:1-5)

por Geração Maranata

Sinais da Sociedade

O Senhor Jesus disse que nos últimos dias a sociedade seria tão maligna como foi nos dias de Noé, ou seja, seria imoral, resistente às leis, violenta, dada aos prazeres, etc.

Em 2 Timóteo 3:1-5, o apóstolo Paulo disse que a sociedade do tempo do fim seria caracterizada por três amores:

o amor a si mesmo (humanismo)

o amor ao dinheiro (materialismo)

o amor ao prazer (hedonismo)

A mente dos homens se tornará depravada: "Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam."(Rm 1:28)

As pessoas chamarão o mal de bem e o bem de mal: "Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!" (Isaias 5:20)

Todas essas profecias estão se cumprindo diante de nós.  A sociedade tem rejeitando as diretrizes cristãs para escolher a imoralidade.

O nosso século é marcado pela explosão do conhecimento e invenções que trouxeram ao homem moderno a possibilidade de ter uma vida com conforto, prazerosa e regalada.  Porém, esse modo de viver trouxe ao homem uma série de problemas comportamentais (antes não existentes) que fazem com que as pessoas façam tudo para manter ou alcançar esse padrão de vida.

As pessoas passam a ter diversos tipos de comportamentos e atitudes:

  • Aumento da competição;
  • Desejo de ganhar mais e mais;
  • Obrigações múltiplas diárias;
  • Work-a-holic (pessoas que se dedicam ao trabalho demasiadamente, como um vício);
  • Necessidade de procurar conhecimento novo a cada dia e primeiro do que os outros;
  • A alta atração por entretenimentos (cinema, internet, teatro, TV);
  • Aumento da concupiscência (desejos) por coisas
  • Afastamento do homem da família (pelo trabalho ou por meio de entretenimento);
  • Novas diretrizes que afastam Deus da Sociedade;
  • Novos tempos no meio Evangélico: comércio, novas crenças, novos costumes, etc.
  • Afastamento dos crentes das Igrejas por causa de trabalho, lazer, estudo.
  • Afastamento do pensamento do homem das coisas de Deus;

O novo estilo de vida do homem moderno tem levado ao distanciamento de Deus, como se 'coisas' suprissem a Sua presença.  Deus foi relegado a segundo plano na vida de muitas pessoas, inclusive de muitos crentes, que só cultuam a Deus quando dá tempo ou quando querem adquirir dEle mais 'coisas'.

Na verdade, as dificuldades que o seres humanos (incluindo os cristãos) estão enfrentando hoje estão relacionadas com o fato de estarmos vivendo os 'tempos difíceis' sobre os quais Paulo falou:

"Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas…" (2 Tm 3.1-2).

As pessoas estão morrendo por causa do amor – do amor a si próprias, do amor ao dinheiro e do amor aos prazeres desse mundo.

Desde sempre somos ensinados por vários 'especialistas em psicologia' que devemos amar a nós mesmos para amar ao próximo.

Até pregadores dizem isso nos púlpitos: "você precisa se amar".  Conselheiros e televangelistas dizem: "Ame-se! Goste de si mesmo! Honre-se! Você merece!"

A autocomiseração (sentir pena de si mesmo) e exaltação do ego são facilmente aceitas pelas pessoas.

Paulo diz que os "amantes de si mesmos" são "mais amigos dos prazeres que amigos de Deus". E isso está em total contradição com o Mandamento que Jesus nos ensinou:

"Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo" (Mt 22.36-39).

Jesus deixou claro que estava falando de apenas de dois mandamentos, pois disse:  "Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas" (Mt 22.40).

Não há nas Escrituras um mandamento que diz que a pessoa deve 'amar a si mesma'.

A humanidade é infeliz e sofre com os problemas da vida porque se tornou "amante de si mesma" e "mais amiga dos prazeres que amiga de Deus", ou seja o pecado do ser humano é amar a si mesmo mais do que a Deus e às outras pessoas.

Com relação a 'amar-se a si mesmo', Dave Hunt, teólogo e pesquisador em Escatologia diz o seguinte:

Linguisticamente, em toda a Bíblia, o termo agapao é sempre dirigido aos outros, nunca a mim mesmo. O conceito de amor-próprio não é o tema do Grande Mandamento, mas apenas um qualificativo. Quando Jesus ordena amar a Deus “de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força” (Mc 12.30), Ele enfatiza a natureza abrangente desse amor agapao(amor-atitude, que vai além da capacidade do homem natural, sendo possível exclusivamente pela graça divina). Se Ele usasse as mesmas palavras para o amor ao próximo, estaria encorajando-nos à idolatria. Contudo, para o grau de intensidade de amor que devemos ao próximo, Ele usou as palavras “como a ti mesmo.

Jesus não nos ordenou a amar a nós mesmos. Ele não disse que havia três mandamentos (amar a Deus, ao próximo e a nós mesmos). Ele apenas afirmou: “Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas” (Mt 22.40). O amor-próprio já está implícito aqui – ele é um fato – não uma ordem. Nenhum ensino nas Escrituras diz que alguém já não ama a si mesmo. Paulo afirma: “Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja” (Ef 5.29). Os cristãos não são admoestados a amar ou a odiar a si mesmos. Amor-próprio, ódio-próprio (que é simplesmente uma outra forma de amor-próprio ou preocupação consigo mesmo), e auto-depreciação (possivelmente uma desculpa para culpar a Deus por não conceder ao ego maiores vantagens pessoais), são atitudes centradas no eu. Os que se queixam da falta de amor-próprio geralmente estão insatisfeitos com seus sentimentos, habilidades, circunstâncias, etc. Se realmente odiassem a si mesmos, eles estariam alegres por serem miseráveis. Todo ser humano ama a si mesmo.

Em toda a Escritura, e particularmente dentro do contexto de Mateus 22, a ordem é dirigir aos outros todo o amor que o indivíduo tem por si. Não nos é ordenado que amemos a nós mesmos. Já o fazemos naturalmente. O mandamento é que amemos os outros como já amamos a nós mesmos. A história do Bom Samaritano, que segue o mandamento de amar o próximo, não só ilustra quem é o próximo, mas qual é o significado da palavra amor. Nesse contexto, amor significa ir além das conveniências a fim de realizar aquilo que se julga ser melhor para o próximo. A idéia é que devemos procurar o bem dos outros do mesmo modo como procuramos o bem (ou aquilo que podemos até erradamente pensar que seja o melhor) para nós mesmos – exatamente com a mesma naturalidade com que tendemos a cuidar de nosso bem-estar.

Portanto, independente da compreensão que se tenha dessa passagem bíblica, a verdade insconstestável é que o homem ama a si mesmo, do contrário Cristo teria dito: “Não odieis o próximo como a ti mesmo”. (Dave Hunt)

Paulo descreve quem são as pessoas 'amantes de si mesmas" ou "egoístas":  elas também são "avarentas, jactanciosas (ou presunçosas), arrogantes, blasfemadoras, desobedientes aos pais, ingratas, irreverentes, desafeiçoadas, implacáveis, caluniadoras, sem domínio de si, cruéis, inimigas do bem, traidoras, atrevidas, enfatuadas (ou soberbos), mais amigas dos prazeres que amigas de Deus" (2 Tm 3.2-4).

A lista de Paulo começa descrevendo as pessoas dos últimos tempos como amantes de si mesmas, ou seja, o egoísmo encabeça a lista dos males do final dos tempos. O materialismo vem em segundo lugar; as pessoas serão “avarentas”, amando o dinheiro e aquilo que ele é capaz de comprar;

Soberba - A pessoa ‘soberba’ (isto é, arrogante ou altiva) é ‘alguém que procura se mostrar superior aos outros’.

Orgulho e Vaidade – Muitos se gloriam de seus próprios atos e realizações com a finalidade de impressionar as pessoas. São adeptos do culto à personalidade, são presunçosos e soberbos e desejam ardentemente fama e projeção social.  A palavra “presunçosos” se refere a “alguém que alardeia e ostenta realizações, e em sua jactância ultrapassa os limites da verdade, procurando se destacar e se engrandecer em uma tentativa de impressionar”.

Egoísmo e Avareza – Essas são as características dos “amantes de si mesmos” e que fazem que elas sejam individualistas e tenham desejos incontrolável de alcançar seus interesses pessoais em detrimento do respeito e amor ao próximo. O egoísta é ambicioso e narcisista; adora a si mesmo (2 Tm 3.2). Já o avarento, “amante do dinheiro”, é obcecado pelo lucro. Nestes últimos dias, o materialismo tem levado as pessoas a se digladiarem pelo vil metal e infelizmente, as promessas de “fortuna fácil” têm atingido os púlpitos de muitas igrejas. "Pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos." (1 Tm 6.10).

Incontinência – Sem domínio próprio, não consigam refrear seus impulsos naturais dominados pelo pecado (Rom 1.23-32).

Desobediência aos pais e ingratidão – Temos visto ao longo da história que a cultura anticristã tem incentivado a desobediência ao mandamento divino, explicito em Êxodo 20.12 "Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor teu Deus te dá.". Porém, nada se compara com a insubordinação obstinada dos filhos aos pais nesses últimos dias. Os ‘desobediente a pais e mães’ são os rebeldes.

Desamor e Crueldade – Há por toda a parte pessoas desprovidas de “afeto natural”, isto é, que não tem afeição, amor e cuidado nem mesmo pela própria família. São pais desafeiçoados aos filhos e filhos que não tem a menor consideração e carinho pelos pais.

Dureza do coração e Calúnia – A palavra de Deus adverte que nos últimos dias, os homens iriam se tornar irretratáveis, “duros de coração”, e incapazes de perdoar. Nas regras de sobrevivência do mundo moderno não há espaço para a compaixão e perdão.  Calúnia, no original “diábolos”: são caluniadores aqueles que se comprazem em depreciar a honra e a moral alheia .

Traição e Hipocrisia – São desvios de caráter de pessoas que se orgulham de enganar e descumprir promessas em razão de conveniências pessoais. Temos exemplos na política e em alguns executivos de empresas.

Aversão ao bem – A Bíblia diz que nos últimos dias os homens seriam inimigos do bem e se negariam a praticá-lo. Desprezariam os bons e amariam os maus.  Atualmente a industria do entretenimento tem induzido nossas crianças a gostarem de “heróis” de caráter explicitamente mau, seres demoníacos e monstros malignos através de jogos eletrônicos e das historias em quadrinhos.

Abuso do poder – Pessoas obstinadas, orgulhosas e atrevidas que abusam do poder e cultuam a própria personalidade.

Blasfêmia e Irreverência – Os ‘blasfemos’ são aqueles que usam suas palavras para caluniar os outros. Há os que ultrajam a glória de Deus e aqueles que difamam o comportamento religioso do cristão e a doutrina. Os blasfemos também são irreverentes. O termo “irreverente” significa “ímpio” ou “sem respeito pelo sagrado”. No final dos tempos os homens se afastarão de Deus a ponto de perderem o respeito pelas coisas santas.

Apego aos prazeres mundanos – A Bíblia diz que nos últimos dias os homens viverão em função do prazer deste mundo, isto é, serão “mais amigos dos deleites do que de Deus”. O estilo de vida mundano, chamado atualmente de 'hedonismo', prega que o principal alvo da vida humana é a obtenção do prazer, a fim de evitar a dor e o sofrimento. “Os principais pecados contra Deus, praticados por esse século vil, são: blasfêmia, irreverência e apego aos prazeres mundanos”.

 

Conclusão

Amar a si mesmo mais do que amar a Deus leva à morte espiritual, mas amar a Deus com todo o seu ser leva a negar o "EU" e à vida eterna.

Jesus disse: "Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará. Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou a causar dano a si mesmo?" (Lc 9.23-25).

Para reflexão:

"… Nossos cultos geralmente são celebrações de nós mesmos, mais do que celebrações de Deus.

Nunca antes, nem mesmo na igreja medieval, os cristãos foram tão obsessivos consigo mesmos.

Auto-estima, auto-confiança, auto-isto e auto-aquilo têm substituído a discussão sobre os atributos de Deus. Ironicamente, isso tem criado o oposto do que tenciona.

Sem o conhecimento de Deus, em cuja imagem fomos criados, e sem a graça que nos transformou em filhos de Deus, o narcisismo, ou amor-próprio, desenvolve-se em depressão.

Em outras palavras, quando o crente procura realização pessoal em uma igreja bíblica é como girar em torno de si mesmo.

A casa de Deus é edificada para a glória e a satisfaç&atilde%3

Haverá um Reino Milenar depois que Cristo voltar? – Pré-Milenismo Histórico

Filed Under (Métodos de Interpretação Profética) by Geração Maranata on 24-07-2011

Tag: , , ,

This entry is part 2 of 4 in the series Haverá um Reino Milenar depois que Cristo voltar?

por Geração Maranata

O Milênio

“E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos.

E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem.

E depois importa que seja solto por um pouco de tempo.

E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus, e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta, nem a sua imagem, e não receberam o sinal em suas testas nem em suas mãos; e viveram, e reinaram com Cristo durante mil anos.

Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição. Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos.

E, acabando-se os mil anos, Satanás será solto da sua prisão, E sairá a enganar as nações que estão sobre os quatro cantos da terra, Gogue e Magogue, cujo número é como a areia do mar, para as ajuntar em batalha. E subiram sobre a largura da terra, e cercaram o arraial dos santos e a cidade amada; e de Deus desceu fogo, do céu, e os devorou. E o diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde está a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados para todo o sempre.” (Apo: 20:1-10)

 

“E o Senhor será rei sobre toda a Terra; naquele dia um será o Senhor e um será o seu nome” (Zc 14:9)

 

A palavra millennium vem do latim mille annus que significa mil anos. O termo grego usado na Bíblia é chiliasm (quiliasmo).  

χιλιοι chilioi
plural de afinidade incerta
1) mil

ετος etos
1) ano

No capítulo 20 de Apocalipse encontramos a única menção de um reino milenial de Cristo e as divergências giram em torno desses mil anos.

Nem todos os cristãos acreditam que Jesus Cristo voltará literalmente à Terra para estabelecer um reino de paz e segurança que durará mil anos.

Quatro correntes escatológicas tentam explicar o significado do Milênio:

Pós-Milenismo

• Pré-Milenismo Histórico

Pré-Milenismo Dispensacionalista

Amilenismo

Nesta segunda série estudaremos o ensino do Milênio segundo a visão Pré-Milenista Histórica.

O Pré-Milenismo Histórico é uma das quatro correntes que tentam responder à pergunta:

“Haverá um reino milenial depois que Cristo voltar?”

Pré-Milenismo Histórico

Os adeptos desta visão afirmam que ela é a interpretação escatológica mais antiga sobre o Milênio, por isso é também chamada de Pre-Milenismo Clássico.

Acredita-se que foi a interpretação escatológica principal nos três primeiros séculos do Cristianismo, onde personagens como Papias, Irineu, Justino Mártir, Tertuliano e outros apoiaram essa interpretação.

 

Histórico

O Pré-Milenismo foi a visão predominante nos primeiros três séculos da Igreja.

Os que aderiam a esta visão incluía Papias (60-130dC), Justino Mártir (100-165dC), Irineu (130-202), Tertuliano (160-330dC), Orígenes (cerca de 185-254), Hipólito, Metódio, Comandiano, Lactanius e outros.

De acordo com alguns documentos, como o apócrifo ‘Epístola de Barnabé’, nos primeiros séculos da Igreja os cristãos aguardavam a volta de Jesus para estabelecer o Milênio de paz e justiça na Terra, ou seja, eles criam no Pré-Milenismo, porém depois de um período de Tribulação. Depois do reinado de mil anos é que seria estabelecido o Reino Eterno.

O motivo de os cristãos da época acreditarem na volta de Jesus depois de um período de tribulação era porque entendiam que já estavam vivendo esse período, que já durava muitos anos; então as muitas perseguições e sofrimentos eram considerados normais. Os líderes dessa época procuravam preparar os cristãos para uma época ainda pior que estaria por vir.

A visão do Milênio seria uma época de grande abundância, prosperidade e harmonia na criação. Papias, bispo de Hierápolis da Frígia, início do segundo século, cria dessa forma.

Porém, com o tempo, a crença de um Milênio literal já não era unânime. A partir do quarto século, muita coisa iria mudar e traria declínio à visão Pré-Milenista.

Vários fatores contribuíram para a mudança de visão:

1) Com o fim das perseguições, devido a cristianização promovida pelo Imperador Romano Constantino, a visão Amilenista tomou força. Esta continua sendo a posição da Igreja Católica Romana até os dias de hoje e foi defendida também pela maior parte dos reformadores protestantes.

2) A partir do século III d.C. teólogos de Alexandria (cidade localizada no Egito, hum!) introduziram outro ensino sobre o Milênio. Orígenes e Clemente sugeriram um ensino simbólico ou alegórico a respeito dos mil anos. A Igreja, exausta de tantas perseguições, havia esperado ardorosamente, mas em vão, pelo imediato retorno de Jesus, acabou deixando-se influenciar e abandonou a posição Pré-Milenista.

A proteção de Constantino ajudou na idéia de que o Milênio já havia começado. O que inicialmente foi considerado heresia, gradualmente, foi sendo aceito, especialmente através da influência de Agostinho, bispo de Hipona (396-430 d.C.) e Jerônimo (347-420 d.C.) . Agostinho rejeitava o Pré-Milenismo, tachando-o de literal e carnal demais, e espiritualizou o conceito.

3) A introdução da interpretação alegórica das Escrituras foi o fator decisivo para o declínio Pré-Milenista, pois esse ensino traz consigo um desprezo por tudo que é terreno e visível.

O Velho Testamento era, até meados do segundo século depois de Cristo, a única Bíblia da Igreja. O VT fala muito de um Reino na Terra, por isso alguns pais do segundo século (como Clemente e Orígenes) começaram a transformar essas passagens em alegorias para evitar os conflitos que uma interpretação mais literal poderia trazer. O Velho Testamento passou a ser visto, cada vez mais, não como uma parte importante do plano de Deus, mas apenas como uma história simbólica cheia de figuras das verdades espirituais e invisíveis.

4) A influência da filosofia grega e o gnosticismo também contribuíram e muito para o declínio da visão Pré-Milenista e pôs fim na esperança de um Reino Milenar. Um dos ensinos que parece ter contaminado muito o Cristianismo foi o conceito grego de que a matéria é má por natureza e que por isso é preciso se livrar desse corpo e desse mundo material para poder alcançar a perfeição, que no caso do Cristianismo seria o Céu que é totalmente espiritual e transcendental.

5) Outro fator foi o distanciamento entre a Igreja e os judeus. Embora os primeiros cristãos fossem todos judeus, depois da abertura para os gentios, a Igreja foi aos poucos se desligando de suas raízes originais. Houve várias causas para isso, uma das quais foi a destruição de Jerusalém em 70 d.C. O método de interpretação alegórica também contribuiu, fazendo com que os cristãos desprezassem a história da nação de Israel e o entendimento judaico das revelações de Deus. Isso preparou o caminho para a Igreja se considerar o novo Israel de Deus, herdeira de todas as promessas do Velho Testamento (num sentido espiritual), deixando Israel como povo e nação completamente fora.

Quais são as provas das Escrituras fornecidas pelos Pré-Milenistas Históricos para o ensino de que haverá um reinado milenar terreno após a volta de Cristo?

Para os Pré-Milenistas Históricos a Igreja é o Israel de Deus, mencionado por Paulo em Gl. 6:16. Não há nenhuma distinção entre Israel e Igreja hoje, e do mesmo modo não haverá no Milênio.

Para chegar a esta conclusão, fazem uso do mesmo princípio de interpretação utilizado pelos Amilenistas, em relação as profecias do Antigo Testamento. Porém acreditam que Deus restaurará a nação de Israel, pois para ela há promessas no Milênio.

Romanos 11 é usado para provar essa restauração:

“E se alguns dos ramos foram quebrados (Israel), e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado em lugar deles (A Igreja), e feito participante da raiz e da seiva da oliveira, não te glories contra os ramos; e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti.

Dirás, pois: Os ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado. Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé. Então não te ensoberbeças, mas teme. Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, teme que não te poupe a ti também.

Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado.

E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar. Porque, se tu foste cortado do natural zambujeiro e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira!

Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades. E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados.” (Romanos 11:17-27) (grifo meu)

O Velho Testamento e Cristo falaram a respeito do governo do Ungido. Salmos 2 é usado como respaldo bíblico:

“Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte de Sião.” (Salmo 2:6)

Apesar de que o único lugar onde a Bíblia menciona tal reino milenar terreno é Apocalipse 20:1-6, os Pré-Milenistas encontram uma descrição da Segunda Vinda de Cristo em Apocalipse 19 e Apocalipse 20 descreve eventos que sucederão à Segunda Vinda

Os primeiros três versículo de Apocalipse 20, descreveriam o aprisionamento de Satanás durante o Milênio depois da volta de Cristo.

Apocalipse 20:4 retrataria o reinado dos crentes ressuscitados com Cristo sobre a terra durante o milênio.

A palavra grega 'ezasan' (eles viveram ou, vieram à vida), encontrada nos versos 4 e 5, significariam ‘ressuscitado da morte de um modo físico’.

Ainda no verso 4, seria encontrado uma descrição da ressurreição física dos crentes no início do Milênio, mais tarde seria denominada “a primeira ressurreição”; no verso 5 encontraríamos uma descrição da ressurreição física dos incrédulos no final do Milênio.

Em 1 Coríntios 15.23-26, embora os Pré-Milenistas reconheçam que esta passagem não forneça uma prova conclusiva para um Milênio terreno, porém pode-se encontrar apoio neste ensino, especialmente nos versos 23 e 24

“Cada um, porém, por sua própria ordem: Cristo, as primícias, depois (epeita) os que são de Cristo, na sua vinda. E então (eita) virá o fim (telos), quando ele entregar o Reino ao Deus e Pai…”

Nesses versículos, o Apóstolo Paulo estaria retratando o triunfo do Reino de Cristo realizado em três etapas:

- a ressurreição de Cristo;

- a Parousia, quando os crentes serão ressuscitados;

- o fim, quando Cristo entregará o Reino a Deus Pai;

Uma vez que há um intervalo significativo entre a primeira (ressurreição de Cristo) e a segunda etapa (ressurreição dos crentes), então não parece improvável que possa haver também um intervalo significativo entre a segunda e a terceira etapa.

As palavras 'então' (eita) e 'fim' (telos) deixariam lugar para um intervalo indefinido de tempo entre a Segunda Vinda e o Fim, quando Cristo completaria a subjugação de seus inimigos.

Este intervalo seria o Milênio.

Cronologia Pré-Milenista Histórica

De acordo com o Pré-Milenismo Histórico, vários eventos têm de acontecer antes que Cristo retorne:

• A evangelização das nações;

• A grande apostasia ou rebelião;

• A manifestação do anticristo;

• A grande tribulação;

• A Igreja atravessará a Tribulação final;

• A Segunda Vinda de Cristo não será um evento em duas etapas, mas uma ocorrência única;

• Quando Cristo voltar, os crentes que estiverem mortos serão ressuscitados, os crentes que estiverem ainda vivos serão transformados e então ambos os grupos serão juntamente elevados para encontrar com o Senhor nos ares;

• Após este encontro nos ares, os crentes acompanharão Cristo que descerá à Terra;

• Após Cristo ter descido à Terra, o anticristo será exterminado e seu Reino opressor chegará ao fim. Neste momento ou antes disso, a grande maioria dos judeus que estiverem vivos se arrependerá de seus pecados, crerá em Cristo como seu Messias e será salvo;

• Cristo estabelecerá seu Reino Milenar – um Reino que durará aproximadamente mil anos;

• Jesus governará visivelmente sobre todo o mundo, e seu povo redimido reinará juntamente com ele.

• Os redimidos incluem tanto judeus como gentios. Embora em sua maioria os judeus tenham se convertido recentemente, após a conversão dos gentios, eles não formarão um grupo separado, uma vez que haverá apenas um povo de Deus.

• Aqueles que reinarão com Cristo, durante o Milênio, incluem tanto crentes que acabam de ser ressuscitados da morte como crentes que ainda estavam vivos quando da volta de Cristo;

• As nações incrédulas, que ainda estiverem sobre a terra nessa época, serão governadas por Cristo com vara de ferro.

• Não deve-se confundir o Milênio com Estado Eterno, porque o pecado e a morte ainda existirão.

• Entretanto, o mal será amplamente restringido e a justiça prevalecerá na Terra como nunca antes aconteceu.

• Este será um tempo de justiça social, política e econômica, e de grande paz e prosperidade.

• A natureza refletirá as bênçãos desta era uma vez que a terra será extraordinariamente produtiva e o deserto florescerá como a rosa.

• Perto do fim do Milênio, porém, Satanás, que estava preso durante este período, será solto e sairá a enganar as nações mais uma vez.

• Ele congregará as nações rebeldes para a Batalha de Gogue e Magogue, e as levará para atacar o “acampamento dos santos”.

• Descerá fogo do céu sobre as nações rebeldes e Satanás será lançado no Lago de Fogo.

• Com o fim do Milênio, haverá a ressurreição dos incrédulos que morreram.

• Acontecerá o julgamento do Grande Trono Branco, no qual todos os homens, tanto crentes como incrédulos, serão julgados. Aqueles cujos nomes forem encontrados escritos no Livro da Vida ingressarão na vida eterna, enquanto aqueles cujos nomes não forem encontrados naquele livro serão lançados no Lago de Fogo.

• Depois disto, o Estado Eterno é instaurado: os incrédulos passam a eternidade no inferno, enquanto que o povo redimido de Deus vive para sempre na nova terra que foi purgada de todo mal.

 

Principais Argumentos contra o Pré-Milenismo Histórico

• Apocalipse 20 não fornece prova incontestável para um reinado milenar terreno que se seguirá à Segunda Vinda.

• O livro de 1 Coríntios 15.23,24 não fornece evidência clara um Reino milenar terreno.

• O retorno do Cristo glorificado e dos crentes glorificados, para uma terra onde ainda existe pecado e morte, violaria a finalidade da glorificação.

• O reinado milenar terreno não concorda com o ensino escatológico do Novo Testamento, uma vez que não pertence nem a era presente nem a era porvir.

• Os Pré-Milenistas se utilizam apenas da literatura apocalíptica para provar a literalidade do milênio, visto que o Velho Testamento não possui nenhum texto que relata um período literal de mil anos.

 

Conclusão

Este ponto de vista foi abandonado pela maior parte do Cristianismo, que passou a adotar a interpretação Amilenista e mais tarde Pós-Milenista.

Depois do século XIX surgiu a interpretação conhecida como Pré-Milenismo Dispensacionalista, porém difere em várias partes do Pré-Milenismo Histórico.

Alguns proponentes dessa interpretação escatológica: George Ladd, J. Barton Payne, Alexander Reese, Millard Erickson e outros.

 

Fontes de Pesquisas:

Livro ‘A Bíblia e o Futuro’ de Anthony Hoekema

http://br.dir.groups.yahoo.com/group/solascripturatt/message/6453

http://idac.info/pos_melenismo_amilenismo_e_pre_milenismo.html

http://www.revistaimpacto.com.br/divergencias-historicas-sobre-a-escatologia

Autor: ** Geração Maranata ** Se for copiar favor informar a Fonte!

Projeto Vênus: Um Novo Céu e uma Nova Terra?

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 30-06-2011

Tag: , , ,

This entry is part 5 of 5 in the series Zeitgeist

por Geração Maranata

"E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe." (Apo 21:1)

"Porque, eis que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá mais lembrança das coisas passadas, nem mais se recordarão." (Is 65:17)

"Porque, como os novos céus, e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante da minha face, diz o SENHOR, assim também há de estar a vossa posteridade e o vosso nome" (Is 66:22)

 

Semelhante aos cientistas que prometem Imortalidade através da ciência, onde o ser humano poderá viver até 1.000 anos, o Projeto Vênus propõe a criação de um paraíso na Terra, um novo Éden.

Seria o ‘Milênio bíblico’ na visão Humanista.

Quem sabe se esses projetos não farão parte ou serão apropriados para formar o grande engano que será impetrado pelo futuro líder mundial, o anticristo?

Afinal será isso que ele prometerá: paz, fim da fome e miséria, saúde, segurança, etc…

Quando surgir o líder que tenha o poder de garantir coisas semelhantes a essa, certamente terá a aprovação e até mesmo a ‘adoração’ das pessoas, cansadas deste mundo cheio de violência e injustiça social.

 

“O Projeto Vênus é um esboço para a gênese de uma nova civilização global.” (thevenusproject.com)

“O Projeto Vênus não pode ser posto em prática em escala global até que o sistema econômico mundial deixe de suprir as necessidades das pessoas.” (movimentozeitgeist.com.br)

 

O Projeto Vênus apresenta uma proposta para redesenhar o futuro da humanidade, estabelecer uma nova forma de viver, onde o ser humano irá usufruir de uma vida repleta de abundância, onde as pessoas poderão viver vidas mais longas, com mais saúde e com mais significado, onde haverá uma nova era de paz e sustentabilidade para todos.

O Projeto está aliado ao ‘The Zeitgeist’, cientistas e intelectuais ateus que juntos apóiam a idéia de uma nova sociedade única com um só governo que tomará conta de tudo.

Polícia, prisões, atividades bancárias, publicidade, corretores de títulos, exército e governos não seriam mais necessários quando os bens, serviços, assistência médica e educação estão disponíveis para todas as pessoas.

O Projeto Venus substituiria os políticos com uma sociedade cibernetizada na qual todas as entidades físicas seriam o mais rápido possível geridas e operadas por sistemas computadorizados.

A única área em que os computadores não operariam ou administrariam seria na vigilância dos seres humanos, pois isso seria completamente desnecessário e considerado socialmente ofensivo. Uma sociedade que usa a tecnologia sem preocupação social não tem base de sobrevivência.

Objetivo

O mundo não está muito bem de saúde e os seus habitantes também não. Urge encontrar soluções. (Condicionamento para as pessoas acharem que realmente tem que haver mudanças, é a conhecida 'Ordo ab Chao' – Ordem através Caos)

O Projeto Vênus tem como objetivo melhorar a qualidade de vida, mostrar uma nova direção para a cultura mundial, combater problemas como: desemprego, violência, crime, substituição dos homens pela tecnologia, alta densidade demográfica e desequilíbrio do meio-ambiente.

O nome da organização tem origem na cidade de Venus, Flórida (daí o nome Projeto Vênus, apesar de que há outros motivos para o nome, como verá adiante), onde o centro de pesquisa da organização está situado. Neste lugar se concentra o projeto de uma nova civilização, onde será reestruturado o futuro e criada as bases de uma nova humanidade.

Crime, poluição, prisão, falência, corrupção, o Projeto Vênus apresenta uma proposta para solucionar todos esses problemas, e isso está em perfeita concordância com os aspectos espirituais e os ideais encontrados na maioria das religiões em todo o mundo. O que distingue o Projeto Vênus é que ele se propõe a traduzir esses ideais em realidade.

Para o sucesso do projeto é fundamental a eliminação da economia vigente baseada em dinheiro, em favor de uma economia baseada em recursos.

A economia baseada no lucro (o atual sistema monetário) gera escassez, pobreza, crime, corrupção e guerra. Impede o desenvolvimento da tecnologia, que deveria ser utilizada para benefício da sociedade e não em prol da poluição, da construção de armas, do consumo, da alienação, etc. Ou seja, se a tecnologia fosse utilizada fora do âmbito do lucro, sobraria espaço para uma maior abundância e distribuição de recursos. A conseqüência seria uma drástica diminuição da corrupção, da ganância e egoísmo que caracterizam as sociedades desenvolvidas contemporâneas.

Como se conseguirá esse prodígio?

Substituindo a economia baseada no dinheiro por uma economia baseada nos recursos. Esta visão está baseada da observação de que os processos resultantes do sistema monetário, como o trabalho e a competição, corrompem a sociedade e afastam as pessoas do seu verdadeiro potencial. É nesta sociedade de cooperação e altamente tecnológica que o Projeto Vênus vê o escape da sociedade ao atual panorama eco-sociológico.

O sistema monetário e os processos associados a ele, tal como a venda do próprio trabalho e a competição, são danosas à sociedade e limitam o verdadeiro potencial da maioria das pessoas.

Profissões baseadas no sistema monetário, como por exemplo, advogados, banqueiros, vendedores de seguro, equipes de marketing e publicidade, vendedores e corretores de valores deverão ser eliminados.

"O que causará o colapso dos sistemas monetários do mundo será a infusão da automatização e a terceirização do trabalho. Isso inclui não apenas os trabalhadores de linhas de montagem, mas também médicos, engenheiros, arquitetos e semelhantes. Quando trabalhadores e profissionais perdem o seu poder de compra, as indústrias que dependem deles não conseguem mais funcionar. Isso trará um fim ao sistema monetário. Não é tanto uma questão dos donos abrirem mão de suas indústrias quanto o fato de que as pessoas não terão mais o poder de compra para sustentar este sistema.  Esse colapso já está em andamento numa escala global…" (movimentozeitgeist.com.br)

Metas

  • Realizar a declaração dos recursos mundiais como patrimônio comum de todas as pessoas. (a Amazônia seria internacionalizada)
  • Transcender as divisões artificiais que hoje arbitrariamente separam as pessoas.
  • Substituir economias nacionalistas baseadas em dinheiro por uma economia baseada em recursos.
  • Ajudar na estabilização da população mundial através da educação e do uso voluntário de contraceptivos.
  • Regenerar e restaurar o meio ambiente de acordo com o melhor de nossa capacidade.
  • Reprojetar cidades, sistemas de transporte, agroindústrias, e fábricas para que sejam energeticamente eficientes, limpas e capazes de servir convenientemente às necessidades de todas as pessoas.
  • Livrar-se gradualmente das entidades corporativas e dos governos, (locais, nacionais, ou supranacionais) como meios de gestão social. Obs.: Seus proponentes deixam claro que a abordagem para um governo global não tem absolutamente nada em comum com os presentes objetivos da elite de formar um governo mundial dirigida por ela e pelas grandes corporações. A visão de globalização autoriza todas as pessoas do planeta a ser as melhores que puderem, não a viver sobre submissão abjeta de um corpo governamental corporativo.
  • Compartilhar e aplicar novas tecnologias para o benefício de todas as nações.
  • Desenvolver e usar fontes de energia limpas e renováveis.
  • Produzir a mais alta qualidade em produtos para o benefício das pessoas do mundo inteiro.
  • Exigir estudos sobre o impacto ambiental antes da construção de quaisquer megaprojetos.
  • Encorajar o mais amplo espectro de criatividade e incentivo a empreendimentos construtivos.
  • Superar o nacionalismo, o fanatismo e o preconceito através da educação. (fanatismo leia-se: Religião)
  • Eliminar o elitismo seja técnico ou de qualquer outra forma.
  • Delinear metodologias através de pesquisas meticulosas em vez de opiniões aleatórias.
  • Melhorar a comunicação nas escolas para que a nossa língua seja relevante às condições físicas do mundo. (uma língua mundial?)
  • Fornecer não só as necessidades básicas de sobrevivência, como também desafios que estimulem a mente ao mesmo tempo em que enfatizam a individualidade em detrimento da uniformidade.
  • Finalmente, preparar as pessoas intelectual e emocionalmente para as mudanças e desafios que vêm pela frente. (um tipo de ‘Mudança de Mente e Comportamento’)

Etapas

1)   A primeira fase já está em andamento. A construção de um centro de pesquisa de 101.171,83 m² está completa.  Vídeos, panfletos, e um livro (‘O melhor que o dinheiro não pode comprar: além da política, pobreza e guerra’) estão sendo divulgados para aumentar o conhecimento público sobre este projeto e suas muitas propostas.

2)   Produção de um longa-metragem que irá retratar como funcionaria um mundo que aderisse às propostas desenvolvidas pelo Projeto Vênus: uma sociedade pacífica em que todas as pessoas formam uma família global no planeta Terra

3)   Construção de uma cidade para pesquisas experimentais. Essa nova cidade será dedicada a trabalhar para atingir as metas e objetivos do Projeto Vênus (ver tópico anterior).

4)   Parque temático: irá fornecer casas inteligentes, sistemas de transporte não poluentes e de alta eficiência, tecnologia computacional avançada, e muitas outras inovações que poderão acrescer valor às vidas de todas as pessoas – em um período curtíssimo de tempo.

A maioria das cidades antigas seria demolida e seus recursos minerados. Elas são ineficientes demais para serem mantidas. Algumas cidades serão reservadas como cidades-museus.

As cidades circulares multi-dimensionais e inovadoras usam os mais sofisticados recursos e técnicas de construção. O arranjo circular geometricamente elegante, cercado por parques e jardins, é projetado para operar com o mínimo de gasto de energia enquanto obtém o mais alto padrão de vida possível.

A cidade usaria tecnologia totalmente limpa em harmonia com a ecologia local.

Governo

Em relação à necessidade de um governo, haverá apenas durante a transição de uma sociedade monetária para uma economia computadorizada baseada em recursos. (E depois? Quem será responsável por repartir o bolo e dividi-lo em pates iguais?)

 

Comunismo

O Projeto Vênus difere do comunismo, pois este não previu os métodos e vantagens de uma economia baseada em recursos. Pelo contrário, o comunismo usou dinheiro e trabalho, teve estratificação social e oficiais eleitos para manter as tradições comunistas.   O comunismo usa dinheiro, bancos, exércitos, polícia, prisões, personalidades carismáticas, estratificação social e é administrado por líderes designados.

O comunismo não tem nenhum plano ou metodologia para pôr em prática os seus ideais juntamente com o capitalismo, fascismo e socialismo e juntos irão, no final, ficar na história como experimentos sociais que fracassaram.

Uma das preocupações do comunismo é a condição de trabalho e a classe trabalhadora. As maiores preocupações do Projeto Venus são produzir bens usando mão-de-obra limitada e eventualmente eliminar o trabalho ao mesmo tempo em que concede às pessoas todas as amenidades de uma sociedade próspera e energética

Nota: Entende-se que, para que um novo modelo de governo mundial seja aceito, seria necessário que antes seja apresentado pelo menos dois outros, opostos entre si, que não dêem certo.  Seria o conceito de Tese, Antítese e Síntese, ou seja, Capitalismo, Comunismo e ?? (o novo governo a ser implantado, contrapondo aos dois outros que se mostraram ineficientes).

 

Jacque Fresco

O Projeto Venus foi iniciado em 1975 por Jacque Fresco e Roxanne Meadows em Venus, Florida. Seu centro de pesquisa é uma propriedade de 21 acre (85,000 m2) que contêm várias construções de seu design, onde eles trabalham em livros e filmes para demonstrar seus conceitos e idéias  Fresco e Roxanne imaginaram cidades circulares, edifícios geométricos nos oceanos, naves habitadas no espaço, arquiteturas visionárias e amigáveis ao meio- ambiente.

Fresco produziu um extenso número de modelos em pequena escala baseados em seus desenhos, bem como várias edificações construídas com base em seus conceitos de simplicidade, sustentabilidade e estética. Com edifícios em forma de domo (forma arquitetônica também chamada de cúpula) altamente resistentes e eficientes, separados por lagos, jardins e trilhas projetados de maneira  que de uma construção não seja possível ver a outra, dando a oportunidade à freqüentes visitantes de vislumbrar um pouco do mundo do amanhã de Fresco. O Projeto Venus foi incorporado em 1995.

Quando era criança, Jacque Fresco teve a visão de uma forma que desde então é a base das suas inúmeras maquetes de cidades, meios de transporte, meios de construção, veículos espaciais e, inclusive, modelos sociais. Essa forma é a engrenagem.

 

Documentário

O Projeto Vênus está, em parte, associado ao movimento Zeitgeist (“espírito do tempo”), cuja obra culminou na edição de dois filmes (Zeitgeist, O Filme e Zeitgeist Addendum), ambos refletindo a visão de Peter Joseph sobre o clima intelectual e cultural da nossa época.

O Projeto Vênus é apresentado no documentário Zeitgeist: Addendum. O filme foi premiado no 5º Festival Anual de filmes ativistas, em Los Angeles, California em 2 de Outubro de 2008, vencendo seu maior prêmio, e ele foi lançado online gratuitamente no Google Video em 4 de Outubro de 2008.

O filme aborda várias questões: o Sistema de Reserva Federal dos Estados Unidos (como emissor de moeda), a CIA (agência de inteligência a serviço do governo), as corporações (mundo empresarial), governos e outras instituições financeiras, e mesmo religiões, concluindo que todas (incluindo o Cristianismo) essas instituições são corruptas e nocivas para a humanidade porque a sociedade é baseada em uma economia de escassez com base no uso do dinheiro, que deve ser substituído eventualmente. No final, o filme propõe a utilização da tecnologia como solução e o modelo apresentado seria o Projeto Vênus.

Nota: Neste ano (2011) foi lançado o terceiro filme: Zeitgeist: Moving Forward.

'Zeitgeist, O Filme' afirma que Jesus é um plágio das religiões, leia aqui uma refutação ao documentário.  

 

O Movimento Zeitgeist

Trata-se de um movimento social de escala mundial, que busca conceitos para uma mudança social. O Movimento é o braço ativista do Projeto Vênus e conta com mais de 400 mil membros (dados de 2010).

O Movimento Zeitgeist declarou 15 de março como o Dia Zeitgeist. Neste dia eventos locais acontecem em todo o mundo para partilhar informação e aprender com todas as pessoas interessadas.

 

Curiosidades

São muitas as curiosidades envolvendo esse Projeto e não pude deixar de publicá-las:

1) A cidade de Venus, Flórida é uma comunidade sem personalidade jurídica, com um corpo de bombeiros voluntários e um acampamento para gays, um dos poucos do estado;

2) Venus está localizada nas Coordenadas 27° – 81° (27,0669, -81,3569). Elevação de 108 pés. Localizado na Route 27. (Somando os dígitos de cada números em negrito, teremos quatro números nove);

3) O modelo da cidade idealizada por Jacque Fresco lembra muito a cidade do filme espírita brasileiro ‘Nosso Lar’:

Nosso Lar: Cidade circular, no centro o governo centralizado e casas ao redor. O governo é comandado por humanos e tem uma maquete cibernética da Terra no meio.

Projeto Vênus: Cidade circular, no centro o governo cibernético (Sem estratificação social ou líderes), e casas ao redor, além da parte da plantação de alimentos e produção de energia verde,. No centro de cada cidade, um governo cibernético informa previsão do tempo, fluxo de migração, controle da biodiversidade dentre outros dados necessários (simbolizado por uma Terra holográfica).

Jacque Fresco iniciou o Projeto Vênus em 1975 e o livro, que deu origem ao filme, foi escrito em 1944. Chico Xavier foi o escritor do livro "Nosso Lar" e, segundo ele, apenas psicografou, o real escritor é o espírito André Luiz (personagem principal do livro).  

Os desenhos minuciosos e detalhados do mapa da cidade "Nosso Lar" assim como a arquitetura das edificações, ministérios e casas, foram criados pela médium "Heigorina Cunha" através de suas observações realizadas durante suas saídas do corpo (o tal desdobramento) em março de 1979 (4 anos depois do início do Projeto Vênus), conduzidas e orientadas pelo espírito "Lucius".

Seus desenhos foram esclarecidos e confirmados por Chico Xavier de que se tratava realmente da cidade “Nosso Lar” e mais tarde serviram de inspiração para criar o visual arquitetônico da cidade que se vê no filme.

No título do Filme aparece uma estrela que pode muito bem ser o planeta Vênus que é conhecido por estrela d'alva ou estrela da manhã.

Aliás, lembra do versículo em Isaías:   "Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!" (Is 14:12)

 

4) O blog israelsousa achou outras coincidências interessantes. Ele percebeu que o filme ‘Contato’ mostra uma cidade do planeta Vênus, muito semelhante ao do Projeto Vênus.

 

5) Outra coincidência é a suposta cidade perdida de Atlântida que, segundo os que acreditam que ela existiu, também teria o mesmo formato da cidade do Projeto Vênus.

Atlântida

 

6) Os adeptos da ufologia propõem um símbolo que possibilitaria uma comunicação entre os UFOS do planeta Vênus e os habitantes da Terra. O símbolo de contato com os Venusianos consiste de um círculo perfeito, tendo 9 cruzes – ou 9 pessoas deitadas, de braços abertos – (olha o número nove aparecendo novamente) dentro dele, todas com a cabeça voltada para o centro desse círculo. (site gnosisonline)

 

7) Algumas imagens dos supostos 'Crop Circle' ou Círculos Ingleses também lembram a forma da cidade proposta pelo Projeto Vênus.

 

8) Uma última observação: a Praça São Pedro no Vaticano:

 

Conclusão

"Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça" (2 Pe 3:13)

O problema deste Projeto é que o simples fato de disponibilizar mecanismos que venham diminuir ou erradicar a desigualdade e injustiça social, possibilitando que todos tenham o mesmo padrão de vida, pode sim diminuir crimes, corrupções, etc, mas nunca irá regenerar o homem, pois este já nasce com uma natureza pecaminosa, com tendência para o mal. 

Pensar que este paraíso com todas as propostas implantadas irá satisfazer o ser humano e fazê-lo ‘bonzinho’ é pura ilusão.

A terra só será habitada por pessoas com sua essência mudada, quando o Senhor, na manifestação da sua Vinda, transformar vivos e mortos, ou seja, os que têm seu nome escrito no Livro da Vida.

Inclusive a criação será mudada, ao ponto do lobo apascentar com o cordeiro e o leão comer palha com o boi.

Somente Deus tem o poder de recriar a terra e céu.

Temos a promessa de que o Senhor irá transformar e redimir toda a criação.

O que irá trazer a mudança radical será o relacionamento das pessoas com o Senhor, como está escrito:

“E irão muitos povos, e dirão: Vinde, subamos ao monte do SENHOR, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do SENHOR.” (Isa 2:3)

“E acontecerá que, todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém, subirão de ano em ano para adorar o Rei, o Senhor dos Exércitos, e para celebrarem a festa dos tabernáculos.” (Zac 14:16)

“Todos os limites da terra se lembrarão e se converterão ao Senhor, e diante dEle adorarão todas as famílias das nações. Porque o domínio é do Senhor, e Ele reina sobre as nações.” (Salmos 22:27 e 28)

Temos um vislumbre da nova Terra que o Senhor irá criar no capítulo 65 de Isaías:

21 E edificarão casas, e as habitarão; e plantarão vinhas, e comerão o seu fruto: As pessoas desfrutarão o fruto do seu trabalho;

22a Não edificarão para que outros habitem; não plantarão para que outros comam: construirão suas próprias moradas.

22b …porque os dias do meu povo serão como os dias da árvore, e os meus eleitos gozarão das obras das suas mãos: poderão ter uma vida excepcionalmente longa;

23 Não trabalharão debalde, nem terão filhos para a perturbação; porque são a posteridade bendita do SENHOR, e os seus descendentes estarão com eles: Os seres humanos serão férteis e terão descendentes para honra.

25 O lobo e o cordeiro se apascentarão juntos, e o leão comerá palha como o boi; e pó será a comida da serpente. Não farão mal nem dano algum em todo o meu santo monte, diz o SENHOR: A qualidade de vida, a intimidade entre Deus e os seres humanos será tal que transformará o eco-sistema invertendo a ordem natural de violência entre o lobo e o cordeiro, ou o leão e o boi, para dar lugar à paz.

Só o poder transformador de Deus pode fazer a diferença. Sem Deus não haverá mudança real, porque somente Ele é quem cria e recria e regenera o homem.

Eis o tabernáculo de Deus com os homens. Deus habitará com eles. Eles serão povos de Deus, e Deus mesmo estará com eles (Apo 21:3)

Maranata!

 

Leia também: Fundação Keshe: um convite à Paz Mundial

 

Para saber mais:

www.thevenusproject.com/pt_BR

www.movimentozeitgeist.com.br

www.thevenusprojectdesign.org

http://www.youtube.com/watch?v=lTYI3BlAx54

"O Projeto Venus" Versão Oficial – com música Hip Hop a partir do álbum "Zeitgeist: The Spirit Of The Age", baseado no Grupo Espiritual Hip Hop 'The Lost Children Of Babylon' (LCOB), Filadélfia – (nome do grupo traduzido: 'As crianças perdidas da Babilônia')

 

Fontes pesquisadas:

www.thevenusproject.com

www.movimentozeitgeist.com.br

www.pt.wikipedia.org

www.devanil.com/?p=8

www.israelsousa.mossol.com

 

Início | Download | Links | Contato
Misso Portas Abertas JMM ANEM
Destino Final Heart Cry Jocum Missao Total Missao Total Projeto Paraguai