Irã pretende destruir Israel até 2014

Filed Under (Gogue e Magogue, Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 12-02-2012

Tag: ,

por Geração Maranata

O Irã deve atacar Israel
 
 
O aiatolá Ali Khamenei libera documento que fornece justificação legal, religiosa para a aniquilação do povo judeu.
 
 
O líder supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, apresentou uma justificativa legal e religiosa para a destruição de Israel e o povo judeu, em um documento publicado no site conservador persa Alef. O documento começou a circular na internet esta semana.
 
O documento, escrito pelo especialista em estratégia Alireza Forghani, apresentou as razões pelas quais, "Em nome de Allah, o Irã deve atacar Israel em 2014."
 
Chamando Israel de "tumor canceroso do Oriente Médio", Forghani lembrou a seus leitores que "Todos os nossos problemas são devidos a Israel!".
 
"Todo muçulmano é obrigado a armar-se contra Israel", insistiu ele, o raciocínio de que se o mundo muçulmano não atacar Israel no futuro próximo "a oportunidade pode ser desperdiçada e depois não será possível pará-los."
 
O documento explica que a guerra contra Israel deve ser realizada em nome da "jihad defensiva" – "Que quer obter o domínio sobre os muçulmanos e matá-los", ou a protecção do Islã contra os agressores.
 
Ele também esclareceu que, embora Israel ainda não tenha atacado o Irã, a ocupação de terras palestinas já justifica um ataque ao Islã determina que "as fronteiras políticas [do mundo] não se pode dividir os muçulmanos e a terra é dividida em duas partes – os países muçulmanos e países não-muçulmano."
 
Forghani assinalou que Israel é o único país no mundo com uma maioria judaica, baseando-se nos últimos resultados do Israel Central Bureau of Statistics's.
 
Ele postulou que, desde que Israel exige o apoio dos EUA e ocidentais a fim de atacar o Irã, deve aproveitar a "passividade" deste último (ocidentais) para "varrer Israel do mapa".
 
O documento prevê também uma "descrição concisa de mísseis balísticos de médio e longo alcance que possam atingir o território deste tumor canceroso regional" e destruir Israel em "menos de nove minutos."
 
 
Nota: Por que o Irã estimou o ano de 2014 para atacar Israel?  Esse ano é interessante, pois está previsto que ocorra alguns eventos raros nos céus, leia o post: Sinais no Céu e as Festas Judaicas.
 
Outras notícias relacionadas:
 
O regime sionista é um tumor cancerígeno que será removido

 

Fonte:  http://www.ruajudaica.com/

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, reiterou a ameaça existencial a Israel em seu discurso desta manhã na Universidade de Teerã, assistido por milhares de pessoas, em que disse que “o regime sionista é um tumor cancerígeno e será removido”. Khamenei também abordou a Primavera Árabe, dizendo acreditar que os palestinos em breve seguirão o exemplo do mundo árabe. Ele prometeu que "o Irã poderia ajudar qualquer país ou organização que lute contra o regime sionista, que agora é mais fraco do que nunca", disse ele. Khamenei, que tem a palavra final sobre todos os assuntos de Estado, disse que o Irã ajudou o Hezbollah e os palestinos do Hamas em suas lutas contra Israel. A multidão reunida no evento recebeu a declaração gritando "Morte a Israel".

 

Irã expõe argumento legal para desferir ataque genocida contra “tumor cancerígeno”

 
por Reza Kahlili
 
O governo iraniano, por meio de um site autorizado, expôs a justificativa legal e religiosa para destruir Israel e matar seu povo.
 
A doutrina inclui a eliminação de assentamentos israelenses e dos judeus ao redor do mundo.
 
Chamando Israel de um perigo para o islamismo, o site conservador Alef, que tem ligações com o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, afirmou que a oportunidade não deve ser perdida para remover “essa substância que estraga tudo”. É uma “justificativa jurisprudencial” matar todos os judeus e aniquilar Israel, e nesse ponto, o governo islâmico do Irã deve assumir a liderança.
 
Aiatolá Ali Khamenei
 
O artigo, escrito por Alireza Forghani, um analista e especialista em estratégia no campo do aiatolá Khamenei, já foi divulgado na maioria dos sites estatais iranianos, incluindo a agência Fars News, da Guarda Revolucionária, mostrando que o regime endossa a doutrina.
 
Como Israel irá (pretende) atacar as instalações nucleares do Irã (leia o post Israel defende ataque ao Irã), há uma justificativa para lançar um ataque cataclísmico preventivo contra o Estado de Israel, argumenta a doutrina.
 
Na sexta-feira, em um importante discurso durante as orações, Khamenei anunciou que o Irã irá apoiar qualquer nação ou grupo que atacar Israel, o “tumor cancerígeno”. Embora essa afirmação pareça um equívoco para alguns no ocidente, há fundamento por trás dela.
 
O Ministério da Defesa do Irã anunciou neste fim de semana que realizou o teste de fogo de um míssil de dois estágios e combustível sólido, e se vangloriou de ter lançado com sucesso um novo satélite em órbita, lembrando o Ocidente que seus engenheiros dominaram a tecnologia de mísseis balísticos intercontinentais, ao mesmo tempo em que o Estado Islâmico avança o seu programa de armas nucleares.
 
O comandante da Guarda Revolucionária, o general de brigada Seyyed Mehdi Farahi, afirmou em agosto que o míssil Safir, capaz de transportar um satélite ao espaço, pode facilmente ser lançado paralelamente à órbita da Terra, o que o transformaria em um míssil balístico intercontinental. Os analistas ocidentais não acreditavam que isso iria acontecer até 2015. Historicamente, orbitar um satélite é critério para atribuir a uma nação a capacidade de lançar esse tipo de míssil.
 
Forghani detalha o dever islâmico da jihad conforme está exposto no Alcorão em nome de Alá e afirma que a “jihad principal”, de acordo com alguns juristas xiitas, só pode acontecer quando o “messias” Mahdi, o imame secreto, 12º imame de acordo com os xiitas, retornar. Os xiitas acreditam que o retorno do Mahdi irá preceder o Armagedom. (grifo meu)
 
Na falta do imame secreto, afirma Forghani, a “jihad defensiva” poderia acontecer quando o islã for ameaçado, e os muçulmanos devem defender o islã e matar seus inimigos. Para justificar tal ação, Alef cita o primeiro imame xiita, Ali, que afirmava que “Iniciar uma guerra contra inimigos com quem a guerra é inevitável e que tenham grande probabilidade de atacar muçulmanos no futuro próximo é uma necessidade e um dever dos muçulmanos”.  Nesse aspecto, o aiatolá Khamenei emitiu uma fatwa em que autorizou o cumprimento da jihad principal em uma era de ausência do imame secreto sob a autorização de Vali Faghih.
O artigo então cita o Alcorão (Al Bácara 2:191-193): “Matai-os onde quer se os encontreis e expulsai-os de onde vos expulsaram, porque a perseguição [de muçulmanos] é mais grave do que o homicídio [de infiéis]… E combatei-os até terminar a perseguição e prevalecer a religião de Alá”.
 
É dever de todos os muçulmanos participar dessa jihad defensiva, afirma Forghani. A fatwa emitida pelo último Aiatolá Ruhollah Khomeini deixou claro que qualquer dominação política por infiéis sobre muçulmanos autoriza estes a defender o islamismo por todos os meios. O Irã agora possui os meios para lançar destruição contra Israel, e em breve terá ogivas nucleares para seus mísseis balísticos intercontinentais.
 
Para atacar o Irã, conforme o artigo, Israel precisa da aprovação e do apoio dos EUA, e sob o atual clima passivo dos EUA, a oportunidade não deve ser perdida para varrer Israel antes que Israel ataque o Irã.
Sob essa doutrina preventiva, vários pontos zero de Israel devem ser destruídos e o seu povo aniquilado. Forghani cita o último censo da Agência Central de Estatísticas de Israel, que mostra que o país possui uma população de 7,5 milhões de cidadãos, dos quais a maioria de 5,7 milhões é de judeus. Ao se detalhar os distritos com a maior concentração de judeus, o censo indica que três cidades: Telavive, Jerusalém e Haifa possuem mais de 60% de população judaica, que o Irã poderia definir como alvo dos seus mísseis Shahab 3, matando todos os seus habitantes.
 
Forghani sugere que o míssil iraniano Sejil, que é de dois estágios com uma trajetória e velocidade que são impossíveis de interceptar, devem mirar instalações israelenses, tais como: a usina nuclear Rafael, que é o principal centro de engenharia nuclear de Israel; a usina nuclear Eilun; outro reator israelense em Nebrin; e o reator Dimona no centro de pesquisa nuclear em Neqeb, o mais importante reator nuclear do país por produzir 90% do urânio enriquecido das suas armas nucleares.
 
Outros alvos, de acordo com o artigo, incluem aeroportos e bases da força aérea como a de Sedot Mikha, que contêm os mísseis balísticos Jericho, localizada no sudoeste da base aérea de Tel Nof, onde se encontram os aviões equipados com armas nucleares. Alvos secundários incluem usinas nucleares, estações de tratamento de água e esgoto, recursos energéticos e infraestruturas de transporte e comunicação.
Finalmente, afirma Forghani, os mísseis Shahab 3 e Ghadr podem mirar assentamentos urbanos até que os israelenses sejam exterminados.
 
Forghani afirma que Israel poderia ser destruído em menos de nove minutos e que o Khamenei, como autoridade máxima, o Velayete Faghih (jurista islâmico), também acredita que Israel e os EUA não apenas devem ser derrotados como exterminados.
 
Os radicais no poder do Irã hoje não apenas possuem mais de 1000 mísseis balísticos, mas estão a ponto de poder lançar um míssil intercontinental, além de possuírem urânio enriquecido suficiente para seis bombas nucleares, pois eles continuam com alta produção de urânio enriquecido, apesar das quatro rodadas de sanções da ONU ao país.
 
O documentário secreto produzido pelo Irã “A Vinda Está Próxima” indica claramente que esses radicais acreditam que a destruição de Israel irá desencadear a chegada do último messias islâmico, e que até Jesus Cristo (que irá se converter ao islamismo) irá atuar como seu representante, rezando a Alá e posto atrás do 12º imame. (Leia o post 'Discurso do presidente do Irã na ONU – Nova Ordem Mundial Espiritual')
 
 
Herdeiros superam Hitler em ousadia
por Osias Wurman
 
 
Desde o Holocausto ninguém ousou confessar tão abertamente a intenção de praticar um novo genocídio contra o povo judeu.
 
Assim fez o líder supremo do Irã, aiatolá Kamenei, ao afirmar na TV iraniana que “no futuro, apoiaremos todo aquele que se opor ao regime sionista”. Para o aiatolá, Israel “é um tumor cancerígeno que deve ser cortado. E ele será cortado com a ajuda de Deus”. Kamanei publicou documento doutrinário onde enfatiza que “a aniquilação de Israel e de todos os judeus é legal e moralmente justificada”.
 
As ameaças de Kamenei estão fundamentadas e detalhadas, segundo seus fanáticos seguidores, no site da Internet vinculado ao líder fundamentalista, intitulado ALEF, em detalhado dossiê escrito por Alireza Forghani, um analista e estrategista de Kamenei, e republicado na maioria dos sites estatais conservadores dando respaldo oficial ao que está no documento.
 
O relatório mostra onde estão as cidades com mais alta concentração judaica em Israel, onde os judeus totalizam 5,7 dos 7,5 milhões de israelenses.
 
Acima publicam o mapa do local onde se encontram as instalações nucleares de Israel, segundo o relatório, afirmando que 60% da população judaica poderia ser alcançada pelos mísseis iranianos Shahab3. Ainda no relatório é dito que os mísseis Sejil, de difícil interceptação, cuidariam de atacar as instalações estratégicas israelenses em Dimona, Nahal Sorek e a fábrica de armas da Rafael em Eilun e Nebrin.
 
 
As bases da Força Aérea, os aeroportos, centrais elétricas e estações de água também seriam alvos dos mísseis iranianos, segundo consta claramente no relatório. O macabro documento acaba afirmando que os foguetes Ghadar seriam responsáveis em destruir os assentamentos urbanos, “até que o Estado Judeu seja apagado do mapa”. Hitler e seus asseclas não tiveram tamanha ousadia em afirmar abertamente que desejavam aniquilar fisicamente um povo. Enquanto a ONU, a União Européia e os EUA aplicam sansões econômicas ao Irã, este responde com uma ameaça existencial ao povo de Israel.

 

Documento iraniano defende ataque a Israel até o ano de 2014

Fonte: http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI5609843-EI308,00-Documento+iraniano+defende+ataque+a+Israel+ate+o+ano+de.html

Um documento publicado pelo website persa Alef na última passada no Irã veio ao encontro aos temores alardeados pelo Ministério de Relações Exteriores de Israel. Alireza Forghani, estrategista do aiatolá Ali Khamenei, defendeu em um artigo escrito em farsi as razões pelas quais, "em nome de Alá, o Irã deve atacar Israel até 2014". O texto foi reproduzido em outros sites governamentais do Irã, inclusive pela agência Fars (o texto está disponível aqui). Por outro lado, apesar de sua proximidade com o supremo líder religioso, Forghani procura pontuar que se trata de sua opinião pessoal e não a do governo iraniano.

No texto, Forghani se refere a Israel como "um tumor cancerígeno no Oriente Médio" e diz aos leitores que "todos os problemas" dos iranianos "são culpa de Israel". "Todo muçulmano é obrigado a se preparar contra Israel", diz. Se o mundo muçulmano não atacar Israel no futuro próximo, "a oportunidade pode se perder e talvez não seja possível pará-los". O documento estabelece que uma guerra contra Israel deve ser levada a cabo em nome de "uma jihad defensiva" para proteger o Islã. Para o estrategista iraniano a "ocupação das terras palestinas" justificam o ataque a Israel, uma vez que "as fronteiras políticas não podem separar muçulmanos e a Terra está dividida em duas partes – países muçulmanos e não-muçulmanos". Forghani provê uma descrição de mísseis de longo e médio alcance que poderiam destruir Israel em "menos de nove minutos".

Um diplomata israelense consultado pelo Terra lamentou o artigo, apesar de avaliar não ser "novidade" o fato de, que para o regime iraniano, Israel não seja um país legítimo. "Eles consideram nosso país como um câncer que deve ser retirado do Oriente Médio. Ahmadinejad e a elite governamental iraniana repetem a todo momento que Israel deve ser destruído", afirmou o representante israelense do Ministério de Assuntos Exteriores em Jerusalém. "E exatamente por isso acreditamos que o Irã é uma ameaça e sua política e programa nuclear atômico devem ser bloqueados", defendeu o funcionário.

Nas últimas semanas o governo israelense do premiê Benjamin Netanyahu tem insistido que a comunidade internacional tome medidas contra o avanço do programa nuclear iraniano, que consideram ter fins bélicos. O vice-ministro de Relações Exteriores de Israel, Dany Ayalon, pediu esta quinta-feira à Colômbia, como atual representante do comitê que monitora as sanções contra Irã e Sudão e como membro não-permanente do Conselho de Segurança da ONU, que implemente um embargo à exportação de petróleo iraniano como forma de pressionar o regime a paralisar seu controverso programa nuclear.

Especialistas têm alertado para o risco de conflito entre Israel e Irã, uma vez que ambos os países vem aumentando a guerra retórica e psicológica travada nos meios de comunicação. Existe o temor de que Israel realize um ataque preventivo para se defender das ameaças de destruição propagadas pelo Irã. No último domingo, o presidente norte-americano, Barack Obama, tentou acalmar os ânimos. "Não acredito que Israel já tenha tomado uma decisão", disse Obama.

Para o analista político iraniano, Trita Parsi, a solução seria aceitar o enriquecimento limitado de urânio em solo iraniano sob o estrito controle das inspeções da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), "com uma transparência e regime de verificação que torne a militarização do programa praticamente impossível". No entanto, Parsi avalia que existe uma falta de vontade política tanto em Teerã, quanto na Washington em ano de eleições, para resolver o aumento da tensão entre Israel e Irã.

"É o que levou Obama a ceder ao Congresso e a Israel, e a adotar uma política equiivocada, e o que levou a liderança dividida em Teerã a ter mais medo do compromisso (político) do que uma escalada (do conflito)", conclui Parsi.

 

 

 

Quais são os sinais que antecedem a Volta de Jesus? Pestes

Filed Under (Governo Mundial, Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 21-12-2011

Tag: , , , ,

This entry is part 6 of 8 in the series Quais são os sinais que antecedem a Volta de Jesus?

Por Geração Maranata

 

Em vários sites e blogs, cristãos ou não, lemos a respeito de uma conspiração para dizimar a população mundial.  Sabemos que pelo menos 2/3 da população será dizimada por ocasião da Grande Tribulação e os eventos que ocorrerão serão "permitidos" por Deus, mas não necessariamente causados por Ele.  

Em Apocalipse 6 lemos sobre os Sete Selos e com eles os Quatros Cavaleiros do Apocalipse.  Se atentarmos bem, veremos que alguns versículos dizem que 'foi-lhe dado…', ou seja, foi permitido que alguém faça alguma coisa ou algo.

"…e foi-lhe dada uma coroa…" (Apocalipse 6:2): concessão de autoridade
"…foi dado que tirasse a paz da terra…" (Apocalipse 6:4)
"…e foi-lhes dado poder…" (Apocalipse 6:8)

Compare com o versículo 7 de Apocalipse 13: "Foi-lhe dado poder para guerrear contra os santos e vencê-los. Foi-lhe dada autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação."  Este versículo mostra que o Anticristo terá permissão para guerrar contra os santos e vencê-los.  Também lhe será concedido autoridade sobre o mundo.

A palavra "dado(a)" vem do hebraico διδωμι didomi(*) que também significa 'conceder', 'permitir':
1) dar
2) dar algo a alguém. 
2a) dar algo a alguém de livre e espontânea vontade, para sua vantagem 
2a1) dar um presente 
2b) conceder, dar a alguém que pede, deixar com que tenha 
2c) suprir, fornecer as coisas necessárias 
2d) dar, entregar 
2d1) estender, oferecer, apresentar 
2d2) de um escrito 
2d3) entregar aos cuidados de alguém, confiar 
2d3a) algo para ser administrado 
2d3b) dar ou entregar para alguém algo para ser religiosamente observado 
2e) dar o que é dever ou obrigatório, pagar: salários ou recompensa 
2f) fornecer, doar
3) dar 
3a) causar, ser profuso, esbanjador, doar-se a si mesmo 
3a1) dar, distribuir com abundância 
3b) designar para um ofício 
3c) causar sair, entregar, i.e. como o mar, a morte e o inferno devolvem o morto que foi engolido ou recebido por eles 
3c) dar-se a alguém como se pertencesse a ele 
3c1) como um objeto do seu cuidado salvador 
3c2) dar-se a alguém, segui-lo como um líder ou mestre 
3c3) dar-se a alguém para cuidar de seus interesses 
3c4) dar-se a alguém a quem já se pertencia, retornar
4) conceder ou permitir a alguém 
4a) comissionar
(*) Dicionário Bíblico Strong
 
Dito isso, acho que podemos entender que parte dos eventos que ocorrerão nos Selos do Apocalipse Cap. 6, serão provocados por 'alguém'.  Também entendemos que esse 'alguém' é o homem que vem montado no primeiro Cavalo Branco, que recebe uma coroa (símbolo de autoridade), que saiu vencendo para vencer (ainda que por tempo determinado).  Esse personagem, apesar de  que alguns posicionamentos escatológicos não concordem, para mim não resta dúvida que seja o Anticristo. Quando digo que os eventos serão provocados pelo Anticristo, não quer dizer que ele fará tudo sozinho, pois ele conta com seus 'servos', que são os responsáveis por toda a montagem do palco mundial, como temos percebido ao longo de vários anos. Há um grupo que conspira contra a humanidade para projetar o Homem da Iniquidade. 
 
O segundo Selo fala sobre 'tirar a Paz da Terra com guerras' (é o que mais temos ouvido, com o agravante de que alguns suspeitam que muitas tem sido provocadas, incitadas para um propósito); o terceiro fala sobre fome e crise financeira; o quarto fala sobre uma grande mortandade, cuja a causa provavelmente é o resultado dos selos anteriores: guerras, fome, pestes, animais selvagens; e por último um grande terremoto, que pode ser causado por explosão de bomba nuclear, pois os homens procurarão se esconder em rochas (bunkers) ou pode ser um terremoto de grandes proporções e inclusive fabricado por esse 'alguém', pois muitas pessoas desconfiam que existe uma arma capaz de fabricar catástrofes naturais (Haarp).  
 
Seguindo nesta linha de raciocínio, veja o que saiu nos noticiários de ontem (20-12-2011).  A mortandade pela peste, poderá ou não ser obra de 'alguém'? E a vacina (pois ela irá existir) poderá muito bem ser dada a quem tiver a marca desse 'alguém'.  E isso me faz lembrar do filme "Contágio"…
 
Meus irmãos estejamos prontos, pois o tempo se aproxima, e rápido!
 
 
Maranata!
 
***
 
"E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado sobre ele tinha por nome Morte; e o inferno o seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra." (Apocalipse 6:8)
 
"Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino (segundo selo), e haverá fomes (terceiro selo), e pestes (quarto selo), e terremotos (sexto selo), em vários lugares." (Mateus 24:7)

 

***

 
Você já observou que, desde que os cientistas decifraram o código genético, a humanidade está sendo afligida por diversas doenças mortais para as quais não existe cura? 
Com a AIDS, Ebola, SARS e a gripe aviária, os cientistas têm a capacidade singular disponível de matar centenas de milhões de pessoas em um período muito curto de tempo. 
Alguns meses atrás, um cientista russo advertiu que até um bilhão de pessoas poderá morrer em decorrência da gripe aviária. 
Sabe-se agora que a SARS é formada por elementos genéticos de vários animais na terra. (www.espada.eti.br)
 
 
Cientistas criam vírus capaz de matar 6 em cada 10 infectados

RIO – Parece um roteiro de Hollywood, mas é bastante real. Cientistas europeus e americanos criaram em laboratório uma linhagem mortal do vírus da gripe aviária, capaz de infectar e matar milhões de pessoas, segundo revelou uma reportagem exclusiva publicada pelo jornal inglês "The Independent". A notícia gerou temores entre especialistas em biossegurança de que as informações caiam nas mãos de terroristas que possam usar o agente como arma biológica de destruição em massa. O governo dos EUA pediu ontem que a sequência genética do vírus alterado não seja revelada na publicação do estudo.

Há o temor também de que um acidente acabe deixando escapar o micro-organismo. Alguns cientistas questionam se esse tipo de pesquisa poderia ter sido feita num laboratório de universidade e não numa instalação militar.

 

— O medo, ao se criar algo tão mortal assim, é que se transforme numa pandemia global, com altas taxas de mortalidade e custos excessivos — explicou um conselheiro científico do governo americano, na condição de anonimato, ao jornalista Steve Connor, do periódico inglês. — O pior cenário nesse caso é muito pior do que se pode imaginar.

 

Pela primeira vez, pesquisadores conseguiram provocar uma mutação na linhagem H5N1 da gripe aviária, tornando-a mais facilmente transmissível pelo ar. A linhagem da gripe aviária matou centenas de milhares de aves, desde que foi descoberta pela primeira vez, em 1996, mas, até agora, infectou apenas cerca de 600 pessoas que tiveram contato direto com as aves doentes.

 

Seis em cada dez infectados morrem

 

O que torna o H5N1 tão perigoso, no entanto, é que ele matou cerca de 60% das pessoas infectadas — tornando-o uma das mais letais formas de influenza na História moderna — uma capacidade de matar moderada apenas por sua inabilidade (até agora) de se espalhar facilmente entre humanos. O vírus alterado em laboratório, no entanto, se transmite facilmente entre os humanos.

 

Cientistas que realizaram a controversa experiência descobriram que é mais fácil do que se imaginava transformar o H5N1 numa linhagem altamente infecciosa de gripe. Eles acreditam que o conhecimento adquirido com o estudo seria vital para o desenvolvimento de novas vacinas e drogas.

 

— Trata-se de uma pesquisa muito importante — afirmou a diretora de políticas científicas do Instituto Nacional de Saúde dos EUA, que patrocinou o estudo, Amy Patterson. — À medida que os vírus evoluem na natureza, queremos estar preparados para saber detectar rapidamente mutações que podem indicar que eles estão $aproximando de uma forma que o torne capaz de cruzar a barreira das espécies mais rapidamente.

 

Mas os críticos dizem que os cientistas colocaram o mundo em risco ao criar uma forma de gripe extremamente perigosa. Cientistas têm poucas dúvidas de que a nova linhagem de H5N1 criada — resultado de apenas cinco mutações em dois genes-chaves — tenha o potencial de causar uma pandemia humana devastadora que poderia matar dezenas de milhões de pessoas. O estudo foi feito em furões, que, quando infectados com influenza, são considerados os melhores modelos animais para se estudar a doença humana.

 

Os detalhes do estudo são considerados tão delicados que foram examinados pelo Conselho Nacional de Ciência para Biossegurança do governo americano, que pediu às revistas "Science" e "Nature", às quais o estudo foi submetido, que não publiquem a sequência genética completa.

 

— Essas são áreas da ciência em que a informação precisa ser controlada — afirmou um cientista do conselho, que falou na condição de anonimato ao "Independent". — Os exemplos mais extremos são, por exemplo, como fazer uma arma nuclear ou qualquer arma que possa ser usada para matar pessoas. Mas as ciências biológicas não tinham se deparado com uma situação dessas antes. É realmente uma nova era.

O estudo foi feito por um grupo de cientistas holandeses coordenado por Ron Fouchier, do Centro Médico Erasmus, em Roterdã; e também por Yoshihiro Kawaoka, da Universidade de Wisconsin-Ma$, nos EUA.

"Descobrimos que isso é, de fato, possível e mais fácil do que se imaginava. No laboratório, foi possível transformar o H5N1 num vírus de transmissão por aerossol que pode se espalhar rapidamente pelo ar", informou Fouchier em comunicado oficial. "Esse processo também poderia ocorrer num ambiente natural."

 

Autor do estudo defende experiência

 

Para justificar a experiência, ele afirmou: "Sabemos por qual mutação procurar no caso de um surto e poderemos, então, interrompê-lo antes que seja tarde. Além disso, a descoberta ajudará no desenvolvimento de vacinas e remédios."

 

Alguns cientistas questionaram se esse tipo de pesquisa deveria ser feito num laboratório de universidade, sem a segurança contra terroristas existente em instalações miltiares. Eles ressaltaram também que vírus experimentais já escaparam acidentalmente de laboratórios aparentemente seguros em outras ocasiões, causando epidemias humanas — caso da gripe de 1977.

 

— Há quem diga que um trabalho como esse não deveria nunca ser feito ou teria de ser em um local onde toda a informação pudesse ser controlada — afirmou uma fonte próxima ao Conselho de Biossegurança. — A tecnologia (de engenharia genética) é hoje comum em muitas partes do mundo. Com a sequência genética, é possível reconstruí-lo. Por isso a informação é tão perigosa.

 

 

Fonte:http://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/cientistas-criam-virus-capaz-de-matar-6-em-cada-10-infectados-3487420.html#ixzz1hBwueTNK

 

 

 

Cientistas afirmam que o filme 'Contágio' é realista. Será isso um aviso?
 
 
ATLANTA – Sim, poderia acontecer. "Contágio", um thriller de Hollywood dirigido por Steven Soderbergh que estreou na semana passada nos Estados Unidos e conquistou o primeiro lugar nas bilheterias com sua narrativa emocionante sobre uma epidemia global de vírus fictício que deixou o público horrorizado com o destino da personagem de Gwyneth Paltrow.
 
Antes de ser lançado, o filme também preocupou pesquisadores de doenças infecciosas da vida real, mas por um outro motivo: eles temiam que o cineasta usasse sua liberdade artística para desvirtuar a ciência e tornar a produção inverossímil.
 
Mas o Dr. Thomas Frieden, chefe do Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Atlanta afirma que o filme é bastante plausível.
 
A equipe que produziu o filme contou com vários consultores especialistas no assunto para garantir que os detalhes científicos fossem precisos.
 
"Contágio" estreia no Brasil no dia 28 de outubro (de 2011).
 
 
 
 
***
 
Leia também:
 
Cinco Grandes Crises Fabricadas  (http://www.espada.eti.br/n2193.asp)
 
 
 
 

China e Rússia se unem e ordena ao exército que se prepare para a Guerra

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 09-12-2011

Tag: , ,

por Geração Maranata

Essa matéria foi publicada no jornal online EUtimes.net.

Pode ser um tanto sensacionalista, mas vale o alerta, pois afinal sabemos que a Russia, o Irã, a Síria e muito provavelmente a China, farão parte da coalizão que invadirá Israel no futuro.

Também temos acompanhado pela mídia que as relações entre os EUA, Rússia e China não vão nada bem. Leia algumas delas: – Putin acusa EUA de estimular protestos pós-eleições na Rússia‎;    Rússia aponta o dedo aos Estados Unidos;   Mísseis lançam discórdia entre Rússia e EUA;   Rússia Ameaça Explodir a Europa;   EUA rejeitam mudar escudo antimísseis apesar de alerta da Rússia;   Presidente chinês ordena à Marinha que se prepare para combater;  Irã ameaça resposta ampla a violação por avião-espião dos EUA;   China anuncia manobras navais após aumento de tensão com EUA;   Análise: Troca de acusações deve esfriar ainda mais relações Rússia-EUA;    Rússia adverte Israel e EUA: ataque contra o Irã seria "erro muito grave".

Guerras e rumores de guerras…

 

China se une a Rússia e ordena ao exercito que se prepare para a Terceira Guerra Mundial
 
Posted by  on Dec 7th, 2011
 
Um Boletim preocupante do Ministro da Defesa enviado ao Primeiro Ministro Vladimir Putin e ao Presidente Dmitry Medvedev (todos da Rússia) afirma que o Presidente Hu Jintao (China) está “convencido em princípio” que a única forma de deter a agressão do Ocidente, liderado pelos Estados Unidos, é através da “ação militar direta e imediata” e que o líder chinês ordenou a suas forças navais que “se prepare para a guerra”.

O apelo de Hu Jintao para a guerra se une ao do contra-almirante chinês e proeminente porta-voz militar Zhang Zhaozhong que, igualmente, advertiu na semana passada que “China não hesitará em proteger o Irã, mesmo que para isso seja necessário a Terceira Guerra Mundial” , e o General Russo Nikolai Makorov que, fatidicamente, declarou na semana passada: “Não descarto que conflitos armados locais e regionais desemboquem em uma guerra de grande escala, incluindo o uso de armas nucleares”.
 
Um novo relatório de inteligência dos EUA também afirmou que a China tem cerca de 3000 armas nucleares, em comparação com as estimativas gerais anteriores que era entre 80 e 400. Para continuar colocando mais combustível na fogueira, o Washington Times informou que a Coréia do Norte está produzindo mísseis capazes de atingir os EUA.
 
O aumento das tensões globais entre o Oriente e o Ocidente explodiu na quinzena passada quando o Embaixador Russo Vladimir Titorenko e dois de seus assistentes, que regressavam da Síria, foram brutamente atacados e enviados ao hospital pelas forças de Segurança do Qatar, ajudados por agentes da CIA e do M16 Britânico, que intentaram obter acesso aos malotes diplomáticos que continham informações da inteligência Síria de que os Estados Unidos estavam enchendo a Síria e ao Irã com mercenários da Al Qaeda com respaldo americano que derrubaram o governo Líbio. 
   
Mais evidências desses malotes diplomáticos, diz esse boletim, revela que os Estados Unidos estão preparando uma “solução final” para a crise do Oriente Médio, a fim de desencadear uma guerra nuclear ao atacarem a Síria e o Irã com agentes biológicos mortais com a intenção de matar a dezenas de milhões de civis inocentes. 

 
[jwplayer mediaid=”4033″]
 
A descoberta do agente biológico a ser usado pelo Ocidente foi revelado há duas semanas pelo virologista holandês Ron Fouchier, do Erasmus Medical Centre na Holanda, que lidera um grupo de cientistas que descobriu cerca de cinco mutações do vírus da gripe aviária são suficientes para torná-lo muito mais letal e facilmente se tornar o assassino mais letal que a humanidade já inventou.
 
Se os Estados Unidos começarem um ataque utilizando este vírus mortal, continua indicando esse boletim, seu método mais provável de dispersão seria via RQ-170 Sentinel Drone, que é operado pela CIA.
 
As aterradoras suposições de futura ações dos Estados Unidos contra seus inimigos foram reveladas nesse boletim com base em exames que fizeram os analistas da inteligência Russa do Drone Sentinel RQ-170, avião que foi derrubado no território Iraniano na semana passada, com o sistema elétrico de bloqueio e inteligência em base de terra Avtobaza, que se usa contra veículos aéreos não tripulados com o mínimo dano e que se demostrou está equipado com um sistema sofisticado de dispersão de aerossóis.
 
É importante destacar que as potências ocidentais utilizaram pela primeira vez um vírus da gripe mortal para destruir seus inimigos e derrubar a ordem estabelecida global, a menos de um século atrás, em 1918, quando a variante de gripe espanhola foi desencadeada no final da Primeira Guerra Mundial e matou aproximadamente 500 milhões de pessoas que representavam 3% do total da população mundial.
 
Arquivos da antiga KGB falam sobre a pandemia da gripe espanhola e sempre afirmaram que o vírus mortal foi uma ”bio-engenharia" produzida pelos cientistas militares dos EUA que usaram em 'cobaias' inclusive soldados americanos que foram as primeiras vitimas registradas e que estavam estabelecidos no Fort Rivey, Kansas. 
 
Para compreender melhor as razões subjacentes atrás dos Estados Unidos e seus aliados Ocidentais de empurrar o mundo para a Guerra Mundial, foi recentemente detalhada pelo jornalista investigativo americano Greg Hunter, cujo chocante e detalhado relatório intitulado “O Mundo está saindo do Controle?", revelou que todo o edifício do sistema econômico Ocidental está se desmoronando sob o peso da divida de 100 trilhões de dólares que ninguém pode pagar e no qual advertiu: "Nunca na história do mundo chegamos tão próximo ao total caos financeiro e da guerra nuclear, ao mesmo tempo".
 
Infelizmente, mas como sempre, o povo americano não está sendo permitido conhecer o futuro horrível que seus lideres estão planejando para eles, uma situação que piorou na semana passada quando o Senado aprovou uma nova lei com uma votação de 93 contra 7 votos, que poderá destruir os Estados Unidos, dando o controle total desta nação, outrora livre, a suas forças militares e destruir a Constituição. 
 
Como assinalamos anteriormente em outra reportagem, vale a pena mencionar novamente as palavras do ex-presidente americano, Thomas Jefferson, que preveniu a seus concidadãos, faz mais de 200 anos, sobre o que está acontecendo hoje, dizendo: 
 
“Eu creio que as instituições bancárias são mais perigosas para nossa liberdade que os inimigos declarados. Se o povo americano permitir alguma vez que os bancos privados controlem a emissão da sua moeda, primeiro pela inflação, depois pela deflação, os bancos e as corporações que crescem ao redor de suas cidades irão privar o povo de toda sua propriedade até os seus filhos acordarem sem o teto que seus pais conquistaram."
 
 
 
 
 

Sinais no Céu e as Festas Judaicas

Filed Under (Israel e as Profecias, Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 26-09-2011

Tag: , ,

Por Geração Maranata

 

"Assim diz o SENHOR: Não aprendais o caminho dos gentios, nem vos espanteis com os sinais dos céus, porque com eles os gentios se atemorizam" (Jr 10.2).

"Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas…" (Lc 21.25)

 

A maioria dos estudiosos em profecias bíblica concorda que as Festas de Outono de Israel têm uma conexão profética a ser realizada no futuro.

Por conta disso, muitas teorias têm surgido sugerindo os mais absurdos tipos de cumprimento profético.

Há uma (de 2008) que relacionou quatro eclipses lunares e dois solares com as Festas Judaicas da Páscoa e Tabernáculos (que ocorrerão entre 2014 e 2015) e marcou o retorno do Senhor para 2015, com a Grande Tribulação iniciando em 2008.

Há ainda outra, que utilizando os mesmos eclipses, reajustou a data da Grande Tribulação começando ainda esse ano (leia sobre o assunto no final desse post) e o retorno do Senhor para 2018.

Apesar da grande possibilidade desses sinais poderem representar de fato um sinal profético, deve-se tomar cuidado em marcar datas e trazer descrédito às profecias bíblicas.

A respeito desse assunto, o estudioso em profecia Jack Kelley, escreveu (em 2008) o seguinte artigo:

 

O Cenário da Lua de Sangue

Há uma teoria circulando atualmente na web, promovido por um bem conhecido website de profecias, que mostra o resultado de traçar os eclipses do sol e da lua e compará-los com as Festas Levíticas, e nota que o único momento neste século quando 4 eclipses lunares totais, conhecidos como tetrade, coincidirão tanto com a Páscoa (Pesach)  quanto com a Festa dos Tabernáculos (Sucot) se dará nos anos 2014-2015.

Eclipses lunares também são conhecidos como "luas de sangue" porque a lua freqüentemente se torna vermelha durante um eclipse.

Também haverá 2 eclipses solares durante esse período. Na primavera de 2015 o ano religioso Israelense começará com um eclipse total do sol seguido, duas semanas depois, por um eclipse total da lua na Páscoa (Pesach). E então, seis meses depois a seqüência se repetirá com um segundo eclipse solar em Rosh Hashanna seguido, duas semanas depois, por outro eclipse total da lua na Festa dos Tabernáculos, tudo em 2015.

A última vez que algo assim ocorreu foi em 1967, quando Jerusalém se tornou novamente uma cidade Judia não dividida, e antes disso houve várias ocorrências durante os anos 1948-50, quando Israel estava se tornando uma nação. Não houve nenhuma ocorrência sequer nos anos 1800, 1700, 1600, e nenhuma em 1500 que coincidisse com Dias Festivos Judaicos.

 

O Que Isso Significa?

A conclusão sendo tirada disso pelo produtor do vídeo é que 2015 é o ano mais provável para a 2ª vinda do Senhor em todo o Século 21, e o outono (hemisfério norte – primavera no hemisfério sul) é o melhor momento naquele ano.

Entendidos em profecia de toda parte estão todos caindo uns sobre os outros para entrar nessa . Mas na correria da emoção que legitimamente acompanham pensamentos sobre o iminente retorno do Senhor, muitos estão ignorando uma ferramenta para avaliar onde estamos nos tempos do fim que eu apresentei inicialmente em minha série intitulada "Sete Coisas que Você Precisa Saber para Entender a Profecia dos Tempos do Fim". É uma ferramenta de gestão de negócios chamada agenda reversa.

Alegações sensacionalistas como a que é feita nesse site podem resultar em real confusão se você não conhece a seqüência na qual os principais eventos dos Tempos do Fim ocorrerão. Na verdade, a ordem deles é muito lógica e, uma vez que a aprenda, você pensará porque não viu isso antes.

A melhor maneira de descobrir isso é executar o que o mundo dos negócios às vezes chama de exercício de agenda reversa. Ele envolve ir até o final de um processo e identificar seu resultado final. Então você lista em ordem reversa todas as coisas que têm que acontecer para produzir aquele resultado, voltando em direção ao presente. É mais simples do que parece, e muito mais simples em profecia do que nos negócios, porque existem muito menos eventos para organizar. 

Todos pensamos na Eternidade como o resultado final assim, começar do final e trabalhar para trás significa que começamos lá.

O último evento principal descrito a qualquer nível de detalhe na Bíblia é a Era do Reino ou Milênio, o reino de 1000 anos do Senhor na terra, o qual se distingue e precede a Eternidade.

  • A Eternidade não pode começar até que o Milênio termine.
  • O Milênio obviamente não pode começar até a Segunda Vinda, porque é quando o Senhor retorna para estabelecê-lo.
  • A Segunda Vinda não pode ocorrer até o final da Grande Tribulação.
  • E isso não pode ocorrer até que o Anticristo se coloque no Templo em Israel se declarando Deus (2 Tes 2:4).
  • Esse é o evento que Jesus advertiu Israel e Ele o chamou de "Abominação da Desolação" em Mat 24:15-21.
  • Mas isso não pode acontecer até que haja um Templo. Não existem um Templo em Israle desde 70 AD e não haverá um até que os Judeus resolvam que precisam de um.
  • Isso não ocorrerá até que Deus reinstale seu relacionamento do Antigo Concerto, sinalizando o início da 70ª semana de Daniel.
  • E isso não pode ocorrer até que a Batalha de Ezequiel 38-39 seja vencida, pois é a batalha de Ezequiel que oficialmente atrai os Judeus de volta para Deus (Eze 39:22).
  • E isso não pode ocorrer até que a Igreja se vá, porque a Igreja e Israel são mutuamente exclusivos para Ele (Rom 11:25 e Atos 15:13-18).
  • E isso nos traz ao presente, pois não há nenhum evento precedente ao Arrebatamento da Igreja. Isto pode acontecer a qualquer momento.

Utilizando essa ferramenta de agendamento podemos ver que como os eventos dos tempos do fim estão determinados a ocorrer, e o único cuja cronologia é especulativa e o Arrebatamento.

Alguns argumentam que existem dúvidas sobre a cronologia da Batalha de Ezequiel 38, mas a Bíblia é bastante clara ao dizer que a batalha de Ezequiel 38 é a chamada para 'acordar' Israel a fim de iniciar a 70ª semamna de Daniel. É o evento que traz Israel de volta ao concerto com Deus, exigindo que um Templo seja construído. A 70ª semana de Daniel tem por definição a duração de sete anos. A última metade é a Grande Tribulação, depois da qual o Senhor voltará.

 

Qual é o Ponto?

Isso me traz ao meu ponto, e para fazê-lo, usarei a ferramenta da agenda reversa novamente.

A fim de que o Senhor retorne no outono de 2015, a 70ª semana de Daniel teria que ter começado no outono de 2008. Isso significaria que a Batalha de Ezequiel 38 ja teria acontecido, e Deus teria sido reapresentado para Israel, trazendo-os de volta para o relacionamento da Antiga Aliança que resultaria em o Judaísmo Bíblico se tornar a religião nacional oficial de Israel. E o Anticristo já teria aparecido e ganhado poder suficiente para ajudar Israel a negociar um tratado de sete anos que inclui provisões para um Templo (Dan 9:27). 

Todas as condições para Ezequiel 38 ainda não foram cumpridas, apesar de a maioria dos jogadores já estarem alinhados. 

Se essas Luas de Sangue anteriores (1948 e 1967) de fato anunciaram o renascimento da nação e a reunificação de Jerusalém como parece, então o próximo passo na jornada de Israel em direção ao Reino é sua reunião nacional com seu Criador. Esta é maneira como Ezequiel viu isso acontecer, e importante o suficiente para Deus para merecer um tal anúncio celestial. Afinal de contas, Ele tem esperado para trazê-los de volta por 2000 anos.

"VINDE, e tornemos ao Senhor, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida. Depois de dois dias nos dará a vida; ao terceiro dia nos ressuscitará, e viveremos diante dele."  (Oséias 6:1-2)

Graças a Deus, não demorará até que saibamos com certeza quem está certo e quem está errado. E não será necessário nenhuma ciência espacial para dizê-lo. Pois, se a 70ª semana de Daniel estiver determinada a começar nas Festas de Outono, então os próximos meses/anos assombrarão o mundo em uma série de espantosos cumprimentos proféticos sem paralelos desde a crucificação e ressurreição do Senhor. Você quase pode ouvir os passos do Messias.

Fonte: Olhar Profético (Adaptado do artigo escrito em 2008, quando essa teoria foi muito discutida)

–*–

O que basicamente diz a teoria de 2008?

Texto bíblico usado: "E disse Deus: Haja luminares na expansão dos céus, para haver separação entre o dia e a noite; e sejam eles para SINAIS e para tempos determinados e para dias e anos." (Gn 1:14)

Eclipse Solar:

Por três anos consecutivos, 2008, 2009 e 2010, houve um eclipse solar parcial sempre no dia 1 de Av do caledário judaico:

- 1 de Agosto de 2008 (1 º de Av)
– 22 de julho de 2009 (1 º de Av)
– 11 de julho de 2010 (1 º de Av)

O mês de Av é considerado um mês de luto, onde se lembra a destruição dos dois Templos judaicos que ocorreram no mesmo dia: 09 de Av.

 

Eclipse Lunar:

As primeiras coincidências encontradas:

- No ano judaico de 5708 (1948), ano da Independência do Estado de Israel, ocorreu um eclipse na Festa Judaica da Páscoa (Pessach) e no ano seguinte (1949) ocorreu o mesmo.

- Em 1967, ano que Israel unificou Jerusalém, ocorreu outro eclipse lunar na Páscoa (Pessach). No mesmo ano ocorreu outro eclipse lunar na Festa dos Tabernáculos (Sucot).

 

Próximas coincidências encontradas e motivo para várias especulações.

Texto usado para apoio: "O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR. E há de ser que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo." (Joel 2:31)

- Tetrad – fenômeno astronômico de rara ocorrência quando quatro eclipses lunares ocorrem em uma linha com intervalos de seis lunações (semestre) – Fonte: Wikipedia

Esse fenômeno ocorrerá nos anos de 2014 e 2015 e cairão nos dias das Festas Judaicas:

Tetrad Lunar:

- 2014: 15 de abril (Pessach) e 8 de outubro (Sucot)

- 2015: 4 de abril (Pessach) e 28 de setembro (Sucot) 

 

Eclipse Solar:

- 2015: eclipse total no dia 20 de março (15 dias antes do Pessach) e 13 de setembro (Rosh Hashanna).

Este ano (2011) surgiu uma nova teoria que tem sido muito divulgada na web.  

Essa nova teoria juntou a de 2008 e ligou ao Cometa Elenin.   Esta foi ainda mais longe e marcou a data para o início da Grande Tribulação para 29/09/2011!

Devemos tomar cuidado e seguir a orientação do Senhor: "E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane;" (Mateus 24:4)

Quem quiser assistir ao vídeo que está circulando na web, acesse o link: http://www.youtube.com/watch?v=KXMwJqgyEhk&feature=player_embedded

Esse vídeo já começa com um erro de tradução de Gênesis 1:14, mudando a palavra 'estações' para 'festas'.  Daí pode-se ver a indução ao engano.  No meio do vídeo o autor mistura astronomia, astrologia, Elenin e Apocalipse 12 (A Mulher vestida de Sol).

 

Conclusão 

Como já mencionei, as coincidências desses sinais são um caso a considerar, pois podem fazer parte dos sinais do retorno de Cristo.  Porém fazer disso motivo para marcar datas é um erro que muitos têm cometido e levado as profecias bíblicas ao descrédito.

Vamos aguardar, vigiar e nos preparar! 

Maranata!

 

Veja também:

http://www.elshaddaiministries.us/

 

Fontes:

http://olharprofetico.com.br/ikvot-hamashiach/161-o-cenario-da-lua-de-sangue (Traduzido de: http://gracethrufaith.com/estudios-biblicos-en-espanol/el-escenario-de-la-luna-color-de-sangre/)

http://www.chamada.com.br/mensagens/sinais.html

http://www.lasttrumpet.org/seven_proofs.htm

http://www.sonoma.edu/users/v/vegalu/eschatology_files/solar%20eclipses.pdf

http://www.sonoma.edu/users/v/vegalu/eschatology.html

http://www.youtube.com/watch?v=shLUhjaJMKs

http://believersjourney.blogspot.com.br/2011/05/solar-eclipse-patterns-2008-2020.html

 

Jerusalém pisada pelos gentios

Filed Under (Israel e as Profecias) by Geração Maranata on 07-08-2010

Tag: , ,

por Dave Hunt

 

Uma análise de Dave Hunt sobre a profecia de Lucas 21':24: "E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem."

Multidões, que pouco ou nada pensam sobre Deus ou Cristo, aceitam que há mais de 2000 anos Jesus nasceu em Belém e "que vieram uns magos do Oriente a Jerusalém. E perguntavam: Onde está o recém-nascido Rei dos judeus?" (Mt 2.1-2). Estranhamente, muitos cristãos que crêem que Jesus nasceu "Rei dos judeus" não atribuem a esse título um significado literal, especialmente que ele tenha algo a ver com judeus. Profecias que falam de Cristo reinando sobre o mundo a partir do trono de Davi, em Jerusalém, são interpretadas como metáforas que se referem ao Seu presente reinado a partir do céu.

A cidade de Davi

Jerusalém foi fundada pelo rei Davi há 3000 anos atrás. A Bíblia se refere a Jerusalém como "cidade de Davi" por mais de 40 vezes. Lá Deus estabeleceu o trono de Davi para sempre, e desse trono o Messias, o Rei dos judeus, descendente de Davi, deve reinar sobre Israel e sobre o mundo (2 Cr 6.6; 33.7; 2 Sm 7.16; Sl 89.3,4,20,21,29-36, etc.). Na Bíblia, Jerusalém é citada mais de 800 vezes e é peça central nos planos de Deus. Lá Ele colocou Seu nome para sempre.

O que há por trás do anti-semitismo?

Satanás tem inspirado 3000 anos de anti-semitismo sabendo que somente o Messias, descendente de Abraão, Isaque e Jacó, pode derrotá-lo. Destruindo todos os judeus, ele teria evitado o nascimento do Messias. Satanás perdeu esse "round". Mas se todos os judeus fossem destruídos hoje, Deus não poderia cumprir Suas promessas de que Cristo reinará como Rei dos judeus, no trono de Davi, em Sua Segunda Vinda. Deus seria, então, um mentiroso e Satanás, o vencedor. A integridade e os propósitos eternos de Deus estão ligados à sobrevivência de Israel!

A quem pertence Jerusalém?

Yasser Arafat afirma que Israel sempre pertenceu aos árabes e que Jerusalém tem sido uma cidade árabe por milhares de anos. Na realidade, Jerusalém não é sequer mencionada no Corão. Em 15 de julho de 1889, o jornal Pittsburgh Dispatch declarou que, dos 40.000 residentes de Jerusalém, 30.000 eram judeus e a maioria dos outros eram cristãos. Em 1948, quando Israel declarou sua independência, somente 3 por cento da "Palestina" pertencia aos árabes.

Israel tem seu Knesset (Parlamento) em Jerusalém. Mas o mundo não aceita isso e as embaixadas estrangeiras se localizam em Tel Aviv. Desafiando a Deus e Seu Rei (leia o Salmo 2), o mundo tem seus próprios planos para Jerusalém.

Aqui confrontamos os aspectos mais amplos da guerra anti-semítica contra Deus e o Rei dos judeus: a tentativa de controlar Jerusalém e a terra de Deus (Lv 25.23). Inacreditavelmente, o Conselho de Segurança das Nações Unidas aplicou quase um terço de suas deliberações e resoluções a Israel, um país com menos de um milésimo da população do mundo! As Nações Unidas jamais condenaram os árabes pelo seu terrorismo, mas Israel já foi condenado mais de 370 vezes por se defender. Em março de 1999, Israel foi novamente notificado pela União Européia de que esta "não reconhece a soberania de Israel sobre Jerusalém". Numa bula papal, no Jubileu do Ano 2000, o papa João Paulo II mais uma vez rejeitou a soberania de Israel sobre Jerusalém.

Jerusalém pisada pelos gentios

Estamos vendo o cumprimento contínuo da notável profecia de Cristo:"Jerusalém será pisada por eles, até que os tempos dos gentios se completem" (Lc 21.24). A retomada de Jerusalém Oriental pelos israelenses em 1967 parecia marcar o fim dos "tempos dos gentios". No entanto, num lance surpreendente, Israel devolveu o monte do Templo aos cuidados do rei Hussein, da Jordânia, deixando o próprio coração de Jerusalém nas mãos dos gentios. Mais tarde [através do “Wagf”, a entidade muçulmana que passou a administrar o local], Yasser Arafat e sua OLP assumiram o controle do monte do Templo.

A doutrina católica romana de que a nação de Israel foi substituída por aquela Igreja tem se espalhado progressivamente também entre evangélicos. Essa substituição de Israel é uma forma sutil de anti-semitismo. Ao invés de mandar os judeus para as fornalhas, nega-se sua importância e até mesmo sua existência: por alguma distorção na História, os comumente chamados judeus não seriam realmente judeus – os verdadeiros judeus seriam os mórmons, os "israelitas britânicos", os católicos ou os cristãos.

O vergonhoso horror do anti-semitismo ao longo da História revela o coração humano. Satanás achou milhares de parceiros (muitos dos quais se diziam cristãos), ávidos por amaldiçoar, perseguir e até mesmo matar o povo escolhido de Deus. Roosevelt, Churchill e outros líderes aliados conheciam a "solução final do problema judeu" de Hitler e nada fizeram. Mesmo as nações neutras, como a Suíça e a Suécia, devolveram judeus refugiados às fornalhas de Hitler.

O objetivo do islamismo

Incrivelmente, um típico livro escolar da Jordânia iguala sionismo com nazismo. Entretanto, os árabes aplaudiram e ajudaram Hitler – e o islamismo busca colocar em prática a "solução final" de Hitler até hoje. Líderes políticos e religiosos muçulmanos estão continuamente fazendo ameaças hitlerianas na TV e nas rádios, pelos alto-falantes nas mesquitas ou nas ruas. A batalha entre Javé, o Deus de Israel, que ama os judeus como povo escolhido, e Alá, o deus do islamismo, que os odeia com furor, está alcançando um clímax apavorante.

Exterminar os judeus é dever de todo muçulmano religioso. Os muçulmanos sonham em destruir Israel. Os assassinos de inocentes cidadãos israelenses são exaltados em todo o mundo árabe e seus nomes são dados a feriados e ruas. Também são feitas comemorações em homenagem a terroristas. Os líderes islâmicos têm invocado um reavivamento espiritual como chave para a destruição de Israel – e o fundamentalismo islâmico, que descaradamente emprega o terrorismo, está agora se espalhando pelo mundo.

Todos os estudiosos islâmicos concordam que é dever sagrado de todo muçulmano, em qualquer idade, promover a jihad (guerra santa) sempre que possível, a fim de submeter o mundo inteiro ao islamismo. Há mais de 100 versos no Corão que falam em lutar e matar em nome da jihad. Um ministro do Gabinete líbio declarou: "A violência é a mais positiva forma de oração dos muçulmanos".

Saddam Hussein, apesar de ter invadido o Kuwait, é idolatrado por milhões de árabes porque seus mísseis "Scud" atingiram pesadamente alvos civis israelenses e ele, repetidamente, faz convocações para que se destrua Israel. Quando Kaddafi esbraveja que "a batalha contra Israel será tamanha que… Israel deixará de existir!", ele fala em nome de cada muçulmano. Maomé, o profeta fundador do islamismo, declarou que "a última hora não chegará antes que os muçulmanos lutem e matem os judeus".

O desejo islâmico de exterminar Israel é ensinado desde a infância. Um ministro da Educação da Síria escreveu: "o ódio que inculcamos nas mentes das nossas crianças desde o berço é sagrado". Um livro de ensino médio do Egito atesta: "Israel não sobreviverá se os árabes se mantiverem firmes no seu ódio". E um livro de quinta série declara: "os árabes não param de agir em direção ao extermínio de Israel". É um ato suicida de Israel trocar terra estratégica pela "paz" se é ameaçado por tamanhos inimigos – mas o mundo o tem forçado a fazê-lo.

Maomé mostrou aos muçulmanos como fazer "paz". Em 628 d.C. ele fez um tratado de paz com sua própria tribo kuraish. Dois anos depois, repentinamente ele atacou Meca e massacrou todos os homens. Arafat declarou publicamente: "em nome de Alá… eu o estou considerando (o acordo de paz entre Israel e OLP) tanto quanto nosso profeta Maomé considerou o acordo com a tribo kuraish… Paz, para nós, significa a destruição de Israel…" Não há lugar para o Rei dos judeus! Assim é o islamismo – preste bem atenção!

As nações muçulmanas estão se armando com mísseis, armas químicas, biológicas e nucleares. A Síria tem fabricado milhares de ogivas químicas, tem enormes estoques de armas biológicas e triplicou seu poderio aéreo e militar desde a guerra de Yom Kippur em 1973. O mundo inteiro sabe que essas armas têm apenas um propósito: destruir Israel. Mas Israel também possui armas nucleares (em novos e eficientes submarinos) e, se necessário, as usará. Então, quem promoverá a paz?

Nota: Segundo muitos estudiosos em profecias, vários países mulçumanos farão parte da coalizão que invadirá Israel (Ezequiel 38)

Cristo advertiu a respeito dessa incrível destruição e que ninguém seria salvo na terra se Ele não interviesse para fazê-la cessar (Mt 24.21-22). Essa impressionante profecia anunciava as modernas armas de hoje. Não é de se admirar que o Deus da Bíblia, que por doze vezes chama a si mesmo de "o Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó", prometa repetidamente proteger Israel e Jerusalém nos últimos dias! Tendo feito Israel renascer em 1948, Deus completará o Seu propósito. Ele declara: "Pode, acaso, nascer uma terra num só dia? Acaso, eu que faço nascer… diz o Senhor… fecharei a madre?" (Is 66.8-9).

O mundo rebelde

Em sua louca rebelião contra Deus, o mundo faz seus próprios planos e rejeita o "Rei dos judeus" e Sua promessa de paz internacional reinando do trono de Davi em Jerusalém. Um governo mundial humanístico é um ideal que tem sido buscado desde Babel. Em 1921 foi estabelecido o Council on Foreign Relations – CFR (Conselho de Relações Exteriores). No ano seguinte, sua publicação Foreign Affairs (Relações Exteriores) afirmou que não haveria "paz ou prosperidade para a humanidade… até que fosse criado algum tipo de sistema internacional…". Em 1934, H.G. Wells declarou: "é preciso que se estabeleça uma fé e uma lei comum para a humanidade… A principal batalha é uma batalha educacional". As crianças estão sendo educadas para rejeitar a Deus e aceitar o Anticristo. Em 1973, no Saturday Review of Education, Gloria Steinem, líder feminista, afirmou que, por volta do ano 2000, "nós iremos, espero eu, criar nossos filhos para acreditarem no potencial humano, e não em Deus".

Em maio de 1947, Winston Churchill declarou: "A menos que se estabeleça e comece a dominar um eficaz supergoverno mundial…, as perspectivas de paz e progresso humano são obscuras e duvidosas…". Em 1948, no artigo UNESCO: Its Purpose and its Philosophy (UNESCO: Seu Propósito e Sua Filosofia), Sir Julian Huxley, o primeiro diretor-geral daquele organismo, explicou que "a filosofia geral da UNESCO deveria ser um humanismo científico mundial, global em sua extensão e evolutivo na sua prática… para ajudar no surgimento de uma cultura mundial única…" O Secretário-Geral das Nações Unidas, Kofi Annan, declarou que "o conceito de soberania nacional" está sendo redefinido e deverá ser colocado de lado. Num avanço rumo a uma religião mundial, "as Nações Unidas estenderam seu papel de manutenção da paz para o território espiritual" e convocaram "sua primeira cúpula de líderes religiosos mundiais".

Decepção com governos humanos

Independentemente do tipo de governo, os governantes são egoístas e opressores. Esse fato tem sido demonstrado repetidas vezes em muitas partes do mundo. A África se livrou do domínio colonial dos brancos. No entanto, ao invés da liberdade prometida, houve nova servidão sob déspotas negros. No lugar de paz e prosperidade, o caos, a pobreza, a intranqüilidade, as guerras étnicas e tribais são crescentes, com negros matando negros e a repetição de golpes e revoluções com que nada se ganha.

O comunismo também já foi uma grande esperança. A revolução comunista na Rússia foi financiada em grande parte por alguns dos homens mais ricos e poderosos da América. Em 1928, John Dewey escreveu no The New Republic que o comunismo, cujo ateísmo obrigatório exaltava, iria "neutralizar e transformar… a influência da família e da Igreja" e, finalmente, atingiria os objetivos estabelecidos no Manifesto Humanista.

Tudo soava tão bem: igualdade para todos. Mas aqueles que impuseram essa "igualdade" eram déspotas em busca dos seus próprios interesses egoístas, oprimindo e roubando quem estava abaixo deles. A corrupção prosperou na Rússia e na China e continua prosperando em cada nação comunista.

O mesmo também é verdade em relação ao islamismo. Maomé impôs o islamismo com a espada. Assim que ele morreu, muitos árabes tentaram abandonar o islamismo mas foram forçados a voltar à submissão nas Guerras de Apostasia, em que dezenas de milhares foram mortos. Isso também não trouxe paz. Os companheiros e parentes mais próximos de Maomé lutaram, barbaramente, para conquistarem a liderança, matando uns aos outros em nome de Alá e de seu profeta morto. Milhares de seguidores de Maomé foram massacrados por alguma facção rival.

O islamismo não mudou. Entre 1948 e 1973 houve 80 revoluções no mundo árabe, 30 das quais foram bem sucedidas, incluindo o assassinato de 22 chefes de Estado. Os sunitas, a maior seita islâmica, e os xiitas, a segunda maior, ainda lutam uns contra os outros. Na guerra de oito anos entre o Irã e o Iraque foram usadas 1.000 toneladas de gases venenosos e houve mais mortes do que na Primeira Guerra Mundial. O islamismo não consegue obter paz nem mesmo entre os muçulmanos. No entanto, o primeiro-ministro britânico Tony Blair disse que o islamismo é sinônimo de "paz, tolerância e uma força para o bem". Incrivelmente, nos EUA a Catedral de Cristal (de Robert Schuller) mantém o "Instituto Cristão e Muçulmano Conjunto Pela Paz". Paz? Que paz seria essa?

Os países islâmicos são ditaduras dominadas por assassinos inescrupulosos e terroristas internacionais como Saddam Hussein do Iraque, Kaddafi da Líbia e Assad da Síria. Em nome de Alá eles prendem, torturam e matam dezenas de milhares dos seus próprios cidadãos e treinam e financiam o terrorismo mundial. Nos territórios da OLP, entregues por Israel, assim como em todos os países muçulmanos, não há liberdade de consciência, de expressão, de religião, de voto ou de imprensa.

Israel é a única democracia do Oriente Médio e ali existem os problemas típicos de uma democracia. A "Terra Santa" está contaminada por drogas, pornografia, prostituição, rebeldia juvenil, estupro, roubos e crimes. Israelenses são jogados uns contra os outros pelo egoísmo. A violência doméstica atinge mais de 200.000 mulheres israelenses por ano. A selvageria nas escolas israelenses se iguala à dos Estados Unidos. Os crimes violentos entre jovens israelenses mais do que duplicaram de 1993 até 1998. Há hostilidade entre israelenses religiosos e seculares e a desilusão com o judaísmo é crescente, especialmente entre a juventude.

Sacrifício pelo pecado

Se Jeremias estivesse vivo hoje em dia, mais uma vez advertiria Israel sobre o julgamento que virá por seu pecado. Israel precisa arrepender-se diante do Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó. Mas, e se isso viesse a acontecer? Os rabinos não têm como oferecer perdão para pecadores arrependidos. Há mais de 1900 anos eles não têm Templo nem sacrifícios pelo pecado – exatamente como foi previsto (Os 3.4; Lc 21.20-24).

Por que Deus profetizaria e permitiria essa condição? A única resposta lógica é ter enviado Jesus, o Messias: como Cordeiro de Deus, Ele morreu pelos pecados dos judeus e dos gentios. Se a Sua morte na cruz foi o sacrifício maior, então os sacrifícios do Antigo Testamento tornaram-se desnecessários. Essa é a única explicação para Deus ter deixado Israel sem Templo ou sacrifícios por todos esses anos.

As Escrituras hebraicas contêm mais de 300 profecias contando quando e onde o Rei dos judeus nasceria, falando tudo sobre Ele, inclusive de Sua rejeição, crucificação e ressurreição. Todas essas profecias se cumpriram ao pé da letra em Jesus Cristo. Se Ele não é o Messias, então não há Messias. No dia exato revelado pelo anjo Gabriel a Daniel (Dn 9.25), Jesus entrou em Jerusalém e foi aclamado como o Messias, como Zacarias havia profetizado (Zc 9.9). A seguir, Ele foi crucificado pelos nossos pecados e ressuscitou, como os profetas de Israel tinham previsto. Na cruz, sobre a Sua cabeça, Pilatos escreveu a acusação: "Este é Jesus, o Rei dos Judeus" (Mt 27.37).

A volta do Messias

De acordo com os fatos históricos incontestáveis e os próprios profetas de Israel, os que esperam a primeira vinda do Messias estão 2000 anos atrasados. A única esperança para Israel é Sua segunda vinda.Tragicamente, será preciso que a batalha de Armagedom aconteça para que Israel reconheça o seu Messias. Quando Javé aparecer pessoalmente para salvar Israel da destruição, todos os judeus vivos verão que Ele é o Homem que foi traspassado e morto pelos seus pecados e ressuscitou, o próprio Messias prometido por seus profetas, a quem eles rejeitaram. Então todo o Israel ainda vivo virá a crer (veja Rm 11.26-27). E o Rei dos judeus finalmente "reinará para todo o sempre"! Por enquanto, Ele oferece perdão, paz, vida eterna e um reinado benevolente no trono de todo coração que se abrir para Ele.

Extraído: www.chamada.com.br

 

Cronologia do Tempo do Fim

Filed Under (Cronologia Bíblica) by Geração Maranata on 02-08-2010

Tag:

por Jack Kelley

Quatro eventos principais que ainda ocorrerão à medida que nos aproximarmos do final da era envolvem Israel e/ou a Igreja, eles são:

1. O Arrebatamento da Igreja

2. A Batalha descrita em Ezequiel 38-39

3. A 70ª Semana de Daniel 9 incluindo a Grande Tribulação

4. O Retorno de nosso Senhor para julgar o mundo e estabelecer Seu Reino

Quatro outros envolvem principalmente o mundo gentílico:

1. O Império Romano Ressurgido

2. O governo mundial único do anticristo

3. A igreja apóstata unificada

4. O reaparecimento de Babilônia

Nós acompanhamos alguns destes em nossas atualizações dos 7 sinais, juntamente com outros já em algum estágio de cumprimento. Neste estudo, demonstrarei que listei os quatro que dizem respeito à Igreja e Israel em ordem cronológica.

 

O Tempo do Fim de acordo com Jesus

No discurso do Monte das Oliveiras, em Mateus 24-25, o Senhor menciona a Grande Tribulação (e por implicação a 70ª semana) e a 2ª vinda incluindo Seus Julgamentos e o começo de Seu Reino. Ele está respondendo à pergunta “que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?” descrevendo eventos até e incluindo o começo do Milênio.

Nós na Igreja vemos o arrebatamento como um enorme sinal de que o fim dos tempos chegou, e para nós ele terá, mas o Senhor não o incluiu em Sua apresentação. Isso é prova para duas coisas:

1. Ele está falando através dos Discípulos Judeus a Israel, e

2. O Arrebatamento da Igreja não está diretamente conectado com outros eventos do tempo do fim.

Nove “marcos” em Mateus 24.15, 21, 23, 29, 30, 36 e 25.1, 14 e 31 referem-se à Grande Tribulação e Sua 2ª vinda. Através disso podemos deduzir que o Arrebatamento e a Batalha de Ezequiel 38 já terão acontecido e a 70ª semana está pela metade. Mas a Bíblia nos dá algum apoio direto para esta visão?

 

Vamos Pegar um Fácil Primeiro

Daniel 9 diz que na metade do último período de sete anos, o anticristo fará uma abominação que causa desolação. Em Mateus 24 Jesus diz a Seus discípulos que quando eles (Israel) virem a abominação que causa desolação de que falou Daniel o profeta, a Grande Tribulação começará. Então a primeira coisa que sabemos é que a 70ª semana estará pela metade quando a Grande Tribulação começar.

 

Um Relato Não Considerado

Lucas 17.20-37 é uma passagem frequentemente desconsiderada que contém uma discussão a respeito Reino Vindouro. Uma vez que algumas das frases são idênticas àquelas vistas na passagem do Sermão do Monte, ela é normalmente vista como redundante, mas eu acho que está lá por uma razão específica. Vamos dissecar o assunto.

Nos versos 20-21 o Senhor é inquirido pelos Fariseus sobre o reino vindouro e lhes diz que está “dentro” deles. Espera um minuto. Esses Fariseus, não seguidores, como poderia Ele dizer “dentro” deles? Bem, esse é um daqueles casos fascinantes de duplo significado. A palavra grega 'en' também é traduzida como 'entre', e ambos os significados estão à vista aqui. Por um lado, Ele nos está dizendo para olharmos dentro dos nossos corações para encontrar o Reino interior. Pelo outro, Ele os está instruindo para olhar para Ele. A Personificação do Reino estava entre eles; Ele cresceu entre eles. Em nenhum dos casos havia qualquer sinal presente. Era uma pista de que o Reino viria em duas fases, e Ele estava falando da primeira delas.

Outra pista segue imediatamente. Nos vs. 22-25 Ele diz a Seus discípulos que o Seu Dia será como um relâmpago brilhando através de um céu escuro; um evento repentino e espetacular visível a todos simultaneamente. Mas primeiro, Ele precisa sofrer e ser rejeitado. Aqui Ele está obviamente se referindo à segunda fase.

 

Como Foi Nos Dias de Noé

A seguir vêm os vs. 26-27, uma cópia da frase em Mateus 24 sobre os dias de Noé. Uma leitura cuidadosa de Gênesis 7.1-4 nos diz que o Senhor deu a Noé sete dias para fazer as preparações finais para o julgamento. Pelos próximos sete dias eles arrebanharam todos os animais dentro da arca que construíram enquanto o povo ao redor ria deles em escárnio. Então, no verso 7.13 nos é dito que no mesmo dia em que eles entraram na arca a inundação veio, e somente Noé, seus três filhos e as esposas deles foram salvos. Muitos vêem Noé e sua família como um modelo do remanescente de Israel, preservados através do julgamento.

Desde o começo da 70ª semana de Daniel, haverá muitos sinais de que o mundo está sendo preparado para o julgamento, e então, no dia que o remanescente crente fugir de Jerusalém, havendo visto a abominação que causa desolação, a Grande Tribulação começará. (O arrebatamento terá ocorrido algum tempo antes, ou não haveria nenhum remanescente crente para fugir. A igreja será guardada do tempo, do lugar e de qualquer relação com o julgamento, e tem que haver tempo para conversões pós-igreja.) Mesmo durante o tempo da Grande Tribulação, as pessoas estarão dando seu melhor para levar a vida como de costume, ignorando os sinais à volta sobre o julgamento eminente. Então, no dia que virem o sinal do Filho do Homem vindo sobre as nuvens em grande glória, todas as nações na terra lamentarão. Eles se darão conta de que esperaram demais.

 

Você Tem que Sair, Ló

Os versos 28-29 parecem ao leitor casual ser somente um outro exemplo da mesma coisa, mas sabemos mais do que isso. A história de Ló e sua família contem diferenças marcantes da história de Noé. Ao invés de ser duas formas de dizer a mesma coisa, elas na verdade descrevem dois conjuntos diferentes de condições. Em Gênesis 19.22 os anjos dizem a Ló que não lhes é permitido fazer nada até que ele e sua família tenham ido embora. Em 1 Tes 1.10 onde Paulo promete que a igreja será resgatada da ira por vir, a palavra foi traduzida do grego apo. Ela significa do tempo, lugar e qualquer relação com o evento. Talvez Ló seja um modelo da igreja; removida do tempo, lugar e de qualquer relação com o julgamento antes que ele possa começar.

Os versos 30-33 nos trazem um círculo completo. Onde está o tesouro de um homem, lá está seu coração. Voltar atrás, ou até mesmo olhar para trás, é um indicador de seus motivos. Descubra em que uma pessoa presta atenção, e logo você descobrirá quais são as suas intenções.

 

Isso é Grego Para Mim

Os versos 34-36 confundem muitas pessoas, porque nós não estudamos o grego. A palavra traduzida como tomado significa receber para si mesmo, e a que foi traduzida como deixado significa enviar. Isso não pode ser o Arrebatamento porque as palavras não se encaixam no evento. Certamente que a Igreja é recebida pelo Senhor no Arrebatamento, mas o resto não é enviado a lugar algum. Essa passagem explica a disposição de “ovelhas e bodes” na parábola em Mat 25. Aqueles tomados (recebidos) referem-se às ovelhas que viverão no Reino e aqueles deixados (enviados) referem-se aos bodes que são removidos para o lugar preparado para o diabo e seus anjos. Tanto as ovelhas quanto os bodes recebem o destino definido pela intenção de seus corações no final da Grande Tribulação, bem no princípio do Milênio.

O ultimo verso, “Onde estiver o corpo, aí se ajuntarão as águias” é uma parábola. Um corpo morto é o objeto do interesse de uma águia. A pergunta, “Onde, Senhor?” diz respeito a ambos os grupos, os tomados e os deixados. O Senhor está confirmando que a disposição de cada um será de acordo com o objeto do seu interesse. Se o objeto não é o céu, então por padrão ele se torna o inferno.

No final dos tempos, o Senhor mandará avisos claros de que um tempo de julgamento está vindo. Muitos vêem sinais antecipados desse aviso nos eventos de hoje. Antes de executá-lo, Ele fará preparativos para preservar um remanescente de Israel através do julgamento (Noé), e extrairá Sua igreja dele (Ló). Use a história como o seu guia.

 

Uma Lição de Profecia

Como conseqüência da rejeição do Messias, Jesus predisse destruição para Jerusalém e para o Templo (Lucas 19.41-44), e os profetas falaram anteriormente do espalhamento do povo também. Dentro de 38 anos após a Crucificação, a cidade e o Templo haviam sido destruídos e o espalhamento começou. O Senhor usou a derrota de Israel em 70 AD para mostrar que os estava abandonando. Durante esse período de tempo a igreja nasceu e se tornou o objeto do foco do Senhor, e logo Israel desapareceu como nação. Tudo isso aconteceu durante o tempo de vida da geração em que Jesus nasceu.

Vários profetas falaram de um futuro reagrupamento do povo e Jesus disse que Jerusalém seria restaurada quando o tempo dos gentios estivesse completo. Tiago esclareceu em Atos 15 que isso ocorreria após o Senhor ter tirado um povo do meio dos gentios por amor de Seu próprio nome. O reagrupamento tornou-se oficial em 1948, e Jerusalém foi devolvida a Israel em 1967.

O Senhor também proclamou que usará a Batalha de Ezequiel 38-39 para provar a Israel e às nações que Ele está voltando para eles. Portanto, essa batalha tem que acontecer antes de a 70ª semana começar. O tratado que põe fim à batalha deve, de fato, preceder a 70ª semana.

Como não podemos conhecer o futuro, a Bíblia nos instrui a aprender com o passado. Se os eventos da 2ª Vinda são uma imagem espelhada dos da Primeira, a Igreja precisa desaparecer, e então a Batalha de Ezequiel, a 70ª semana, o novo Templo, a Grande Tribulação, e a 2ª Vinda, tudo acontece durante a vida da geração nascida entre o renascimento de Israel em 1948 e a recuperação de Jerusalém em 1967.

www.gracethrufaith.com

 

Sete Grandes Sinais Proféticos da Segunda Vinda

Filed Under (Segunda Vinda de Jesus, Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 02-08-2010

Tag: ,

por Jack Kelley

Existem sete grandes sinais proféticos da Segunda Vinda e, atualmente, todos eles estão em alguma fase de cumprimento. Como no ano passado, eu vou listar os sete com suas principais referências Bíblicas e oferecerei comentários sobre eventos atuais.

 

1. Israel Estará em Sua Terra … Ezequiel 36:24, 37:21

"E vos tomarei dentre os gentios, e vos congregarei de todas as terras, e vos trarei para a vossa terra."

"Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu tomarei os filhos de Israel dentre os gentios, para onde eles foram, e os congregarei de todas as partes, e os levarei à sua terra."

Em 1948, quando Israel novamente tomou o seu lugar entre as nações do mundo, pela primeira vez em quase 2000 anos, estudantes da profecia reconheceram o cumprimento do primeiro sinal de que o fim dos tempos estava sobre nós. Isaías 11:11-12, Ezequiel 36:8-12 e Amós 9:14-15 também haviam predito isso claramente. Jesus disse que alguns da geração nascida quando isso acontecesse ainda estariam vivos quando voltasse (Mateus 24:34).

O cumprimento dessa profecia também causou outra reação. Satanás também lê as profecias, e começou a exercer uma influência ainda maior sobre os líderes mundiais em seu contínuo esforço para frustrar o plano de Deus. Como resultado, Israel lutou seis grandes guerras nos últimos 62 anos, cada uma delas uma tentativa de apagar a pátria dos Judeus da face da Terra. E é claro que esse esforço vai continuar com a maior batalha de todas se desenhando no horizonte, predita por Ezequiel nos capítulos 38-39. Os inimigos de Israel, tanto física como espiritualmente, não desistirão até que conseguiram (sua visão) ou sejam destruídos (a visão de Deus).

Neste ano passado (2008), vimos os esforços sem precedentes de amigos e inimigos para diminuir tanto a influência de Israel quanto o seu tamanho. Grande parte do ataque se concentrou sobre a capital, Jerusalém. A nova liderança dos E.U.A., tradicionalmente um dos aliados mais fiéis de Israel, tem feito muitos duvidarem de sua vontade de permanecer ao lado Israel, chamando Jerusalém Oriental de território ocupado e exigindo que casas judaicas não sejam mais construídas ali. No final do ano a União Européia apelou por uma declaração oficial dividindo Jerusalém para abrir caminho para que um futuro Estado palestino tenha parte da cidade como sua capital. E diz-se que vários países do Oriente Médio estão trabalhando com os Palestinos para introduzir uma resolução da ONU que declarará unilateralmente um Estado Palestino na terra de Israel, tendo Jerusalém Oriental como sua capital. (leia o Artigo Israel e a criação do Estado Palestino em 2011)

Mas tentem essas nações o quanto possam destruir Israel, Deus tem um resultado diferente em mente para Israel.

E há de ser que naquele dia o Senhor tornará a pôr a sua mão para adquirir outra vez o remanescente do seu povo, que for deixado, da Assíria, e do Egito, e de Patros, e da Etiópia, e de Elã, e de Sinar, e de Hamate, e das ilhas do mar. E levantará um estandarte entre as nações, e ajuntará os desterrados de Israel, e os dispersos de Judá congregará desde os quatro confins da terra. (Isaías 11:11-12).

"Mas vós, ó montes de Israel, produzireis os vossos ramos, e dareis o vosso fruto para o meu povo de Israel; porque estão prestes a vir. Porque eis que eu estou convosco, e eu me voltarei para vós, e sereis lavrados e semeados. E multiplicarei homens sobre vós, a toda a casa de Israel, a toda ela; e as cidades serão habitadas, e os lugares devastados serão edificados. E multiplicarei homens e animais sobre vós, e eles se multiplicarão, e frutificarão. E farei com que sejais habitados como dantes e vos tratarei melhor que nos vossos princípios; e sabereis que eu sou o Senhor. E farei andar sobre vós homens, o meu povo de Israel; eles te possuirão, e serás a sua herança, e nunca mais os desfilharás." (Ezequiel 36:8-12)

"E trarei do cativeiro meu povo Israel, e eles reedificarão as cidades assoladas, e nelas habitarão, e plantarão vinhas, e beberão o seu vinho, e farão pomares, e lhes comerão o fruto. E plantá-los-ei na sua terra, e não serão mais arrancados da sua terra que lhes dei," diz o Senhor teu Deus. (Amós 9:14-15)

E as nações que tentaram dividir Israel?

"Congregarei todas as nações, e as farei descer ao vale de Jeosafá; e ali com elas entrarei em juízo, por causa do meu povo, e da minha herança, Israel, a quem elas espalharam entre as nações e repartiram a minha terra." (Joel 3:2)

 

2. Jerusalém Estará em Mãos Judaicas … Lucas 21:24

E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem.

O Senhor profetizou que a reunificação de Jerusalém como uma cidade judaica seria um sinal de que a influência estrangeira (gentia) sobre a Sua terra, e mesmo do mundo, estaria prestes a terminar. O cumprimento dessa profecia começou em 1967, e os estudiosos o viram como um sinal importante de que o fim dos tempos havia começado. O esforço de quase todo o mundo para dividir a cidade novamente é, em essência, uma batalha de vontades. Quase todos os líderes de Israel permaneceram firmes na promessa de manter Jerusalém unida para sempre como capital de Israel, mas os chefes incrédulos do mundo estão da mesma forma firmemente determinados a dividi-la. Por trás de tudo isso, é claro, está uma batalha espiritual de enormes proporções. Conquanto não haja dúvida quanto ao resultado, a batalha será um feroz.

Eu chego mesmo a acreditar que Jerusalém não estará realmente livre de ser "pisada" pelos gentios até a volta do Senhor. A profecia de Daniel de que o Domínio Gentio não terminará até o Senhor estabelecer seu reino (Daniel 2:36-45), a profecia de Zacarias sobre a cidade sendo capturada e dividida pouco antes da volta do Senhor (Zacarias 14:2), e as observações de João em Ap. 11:1-2 sobre os gentios pisando o átrio exterior do templo durante a Grande Tribulação todas confirmam isto.

O cumprimento em curso dessas principais profecias acerca de Israel causou confusão nas mentes de alguns comentaristas. Isto se centraliza em torno de uma interpretação errada de Mat. 24:34, de que todas as profecias para o tempo do fim estariam cumpridas dentro de uma geração, nominalmente 40 anos, da reunião de Israel em 1948. Esse erro fez 1988 parecer o momento provável para o Fim. Mas quando 1988 chegou e se foi, os estudiosos se concentraram no aniversário de Jerusalém, 1967, e passaram a adicionar 40 anos a ela, avançando as suas previsões para 2007. A justificativa para isso é que a cronologia das profecias sobre a Primeira Vinda em Daniel 9:24-27 partiu da reconstrução da cidade, e não do retorno à Terra. Mas essa data também se provou errada.

O problema é que o Senhor não prometeu que todas as profecias para os Tempos do Fim estariam cumpridas dentro de uma geração de seu início, apenas que a geração a nascer na época do primeiro dos sinais ainda estaria viva para ver a sua conclusão. De acordo com o Salmo 90:10 a expectativa de vida média Bíblica é de 70 anos, assim a previsão do tempo aproximado do Fim requer a adição de 70 anos a 1948, e não 40.

À medida em que se aproximar, o momento aproximado da 2ª Vinda se tornará cada vez mais evidente. Os que estiverem por aqui quando um tratado for assinado permitindo aos Judeus construirem o seu Templo em Israel saberão que ela estará cerca de sete anos à frente (Daniel 9:27). Aqueles que testemunharem o Anticristo de pé no Templo a proclamar-se Deus saberão que restam apenas 1260 dias para o término da Grande Tribulação, e a 2ª Vinda acontecerá pouco depois (Mat. 24:15,21 e 2 Tes. 2:4). Mas, ainda assim, o Senhor indicou claramente que os vivos sobre a Terra no final da Grande Tribulação não saberão o dia e hora exatos da Sua vinda até que Ele efetivamente apareça (Mateus 24:42 e 44, 25:13).

 

3. Uma Coalizão Muçulmana Armada e Liderada pela Rússia Atacará a Terra Santa … Ez. 38:2-6

"Filho do homem, dirige o teu rosto contra Gogue, terra de Magogue, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal, e profetiza contra ele. E dize: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal; e te farei voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos vestidos com primor, grande multidão, com escudo e rodela, manejando todos a espada; persas, etíopes, e os de Pute com eles, todos com escudo e capacete; Gômer e todas as suas tropas; a casa de Togarma, do extremo norte, e todas as suas tropas, muitos povos contigo."

Mais de 130 referências históricas deixam claro que Magog significa a Rússia moderna, e os outros nomeados aqui formam uma coalizão com base na sua religião comum, o Islã. (Hoje a Rússia é 30% muçulmana e está crescendo.) Entre eles estão Irã, vários países do Norte Africano, países da Europa Oriental ao longo do Danúbio e as nações turcas da Ásia Menor. Uma rápida olhada em um mapa do mundo revelará que essas zonas são o lar de alguns dos grupos islâmicos mais radicais. (Para uma explicação detalhada das nações modernas a que se referem esses nomes bíblicos, leia "Um Olhar Aprofundado nos Equivalentes Modernos aos Nomes Bíblicos em Ezequiel 38")

Os russos já são um grande fornecedor de armas para a coligação muçulmana, assim como Ezequiel profetizou, e será levado a se juntar a esta batalha pelo próprio Deus. A política mal disfarçada da Rússia de se tornar a maior força fora do Oriente Médio está sendo jogada bem nas mãos do Senhor. Irã e Rússia estão bem na execução de um acordo de US$ 50 bilhões para fornecer poder nuclear ao Irã. Os 10 reatores solicitados no negócio são supostamente para geração de energia elétrica, mas a maioria dos líderes ocidentais suspeita que eles podem ser usados para construir bombas também. Alguns especialistas afirmam que o Irã se tornará uma potência nuclear no próximo ano, mas outros acham que uma bomba está ainda um ano ou dois adiante. Israel novamente prometeu impedir que isso aconteça, mas não se surpreenda se os E.U. continuarem a se afastar de sua promessa no mesmo sentido, embora no final do ano a linguagem de Washington pareça estar novamente ficando mais forte. Li recentemente que o Pres. Obama e o PM Netanyahu concordaram em adiar conversas sobre uma ação militar até a primavera de 2010 para dar uma chance à próxima rodada de sanções. Netanyahu havia anunciado um prazo até dezembro de 2009 para evidências do progresso diplomático.

A Rússia também formou alianças comerciais e militares com a Turquia e a Síria, e tornou-se o 2° maior parceiro comercial da Turquia, depois da Alemanha. Eles venderam a Damasco um sistema de defesa aérea de primeira linha, juntamente com seus mísseis de última geração e mísseis anti-tanque e estão construindo um grande porto militar no norte da Síria, em preparação para mover componentes de sua frota do Mar Negro para lá. No Líbano, a Inteligência Militar russa acaba de praticamente tomar a cidade de Sidon, espionando Israel para que o Irã e a Síria. O Irã também recebeu a entrega de um sistema russo de defesa aérea, para proteger o seu reator Bushier, primeiro da série que a Rússia se comprometeu a construir.

O principal obstáculo para o início do cumprimento dessa profecia é a referência à sua ocorrência no momento em que Israel é "um povo pacífico e tranqüilo" (Ezequiel 38:11). Isto certamente não é o caso hoje, mas no Salmo 83 há um profecia ainda a ser cumprida que parece envolver todos na vizinhança de Israel em mais uma tentativa frustrada de eliminar o povo judeu do mapa. O salmista suplica ao Senhor para intervir e derrotar os invasores de Israel. Se isso acontecer, ajudará a explicar porque nenhum deles está relacionado na lista de antagonistas de Ezequiel, e como Israel poderia estar vivendo em um estado de segurança como exige Ezequiel 38:11. Dois dos vizinhos de Israel, o Hamas e o Hizbollah estão fazendo preparativos frenéticos para a guerra e está registrado que eles afirmam esperar uma em breve. Não surpreendentemente, esses preparativos estão sendo comprados e pagos pelo Irã.

Mas dois outros pré-requisitos para a batalha de Ezequiel estão claramente se cumprindo. A guerra de Gaza tornou mais tensas as relações de Israel com a Turquia ao ponto de ruptura e, como eu mostrei, a Turquia estará do lado muçulmano na batalha de Ezequiel. O apoio público para a adesão da Turquia à União Européia também está em declínio, outro sinal de que as atitudes em relação ao Ocidente estão mudando. O Primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan acredita que o destino da Turquia é reconstruir o Império Otomano no novo centro de poder do Oriente Médio. Ele está se aliando com o Irã e a Síria para conseguir isso. Não demorará muito até que a Turquia se estabeleça solidamente no campo da coalizão muçulmana. A recente descoberta de gás natural em alto-mar por Israel, dita ser de proporções "históricas", poderia criar a riqueza necessária para fazer de Israel um alvo atraente, cumprindo a profecia de Ezequiel 38:13 que a Rússia estaria procurando por pilhagem. Até agora Israel realmente não tinha nenhuma riqueza a se mencionar, mas a descoberta de gás natural vale bilhões, enas últimas semanas foi encontrado petróleo perto de Tel Aviv também. Não há ainda informações específicas sobre quão grande possa ser a descoberta, mas pode ser significativa e já está animando as pessoas.

Eu acredito que a remoção dos E.U. como poderoso aliado de Israel, também é necessária para preparar o caminho para a batalha de Ezequiel, porque eu não acho que a coalizão muçulmana atacará até ter a certeza que os E.U. não vão retaliar. Qualquer um dos vários cenários atualmente em atividade poderia alcançar isso, especialmente porque nossa política nacional em relação a Israel já está mudando. Uma recessão aprofundada poderia virar a nação para dentro de novo e nos fazer perder o interesse em defender Israel. Uma queda adicional do dólar nos mercados mundiais poderia mesmo tornar-nos financeiramente incapazes de fazê-lo. Os fundos teriam de ser emprestados e nossa capacidade de pagar a dívida atual já está sendo questionada. A ameaça ou ocorrência real de um grande ataque terrorista poderia levar-nos a ficar inativos. E, finalmente, o arrebatamento da Igreja poderia privar os E.U. da liderança e do material humano para responder. Qualquer um destes poderia significar problemas graves para os E.U. e todos eles têm uma probabilidade maior do que a média de vir a ocorrer nos próximos anos. Em resumo, é muito mais fácil ver os E.U. abandonarem o seu compromisso com Israel do que era até pouco tempo atrás.

Quando for a hora certa, tendo recentemente levado a Sua igreja para o Céu, o Senhor vai usar essa batalha para orquestrar Sua reconciliação com Israel e em seu calcanhar o Anticristo surgirá com um plano de paz que inclua um Templo Judaico. Assim uma vez que essa batalha tenha lugar, a profecia dos tempos do fim continuará a avançar rapidamente.

(*) Nota: Há muitos estudiosos em profecias que não acreditam que a Russia seja o 'Magogue' de Ezequiel.  Essa é uma teoria defendida por muitos, inclusive pelo autor desse artigo (Jack Kelley).

 

O Antigo Império Romano Voltará a Surgir Como Uma Força Política … Apo. 17:9-10

"Aqui o sentido, que tem sabedoria. As sete cabeças são sete montes, sobre os quais a mulher está assentada. E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo." (Isto é um pouco obscuro se você não conhece a sua história. Quando João escrevia isto, por volta de 95AD, haviam existido cinco grandes potências mundiais, Egito, Assíria, Babilônia, Pérsia e Grécia. Todas foram conquistadas e absorvidas. O poder atual era Roma, que nunca foi realmente conquistado e voltará a surgir no fim dos tempos, de acordo com Daniel 9:26.)

Daniel 2:36-45 descreve o Domínio Gentílico do tempo de Daniel para a frente (Egito e Assíria já haviam caído) na forma de uma estátua gigante representando os quatro reinos restantes. Babilônia era a cabeça de ouro. A Pérsia era o peito e os braços de prata. A Grécia era o ventre e as coxas de bronze, seguida pelas duas aparições de Roma, duas pernas de ferro (Roma Bíblica) e dois pés de ferro misturado com argila (o Império Romano revivido). Leia cuidadosamente e você encontrará algumas coisas interessantes na descrição dos dois pés sobre os quais a estátua se apoia. Em primeiro lugar, o ferro e a argila não se misturam. Podemos imaginar um barro pegajoso que serve como uma cola unindo pedaços de ferro, mas a linguagem descreve um barro que é feito de pó e já cozido … duro e frágil como cacos de cerâmica. Você não pode fazer peças aleatórias de ferro e cerâmica aderirem entre si.

As duas pernas de ferro da estátua descrevem as duas divisões do Império Romano dos tempos bíblicos, ocidental e oriental. Hoje, o território da Divisão Ocidental é ocupada pela Europa, enquanto que o território oriental engloba os países islâmicos do Oriente Médio. Eles são os dois pés de ferro misturado com argila. Ambas as divisões estão consistentemente se tornando mais e mais poderosas. Alguns especialistas insistem que as derrotas combinadas de que falam o Salmo 83 e Ezequiel 38-39 tornarão a Perna Oriental (islâmica) incapaz de se tornar parte do Império Mundial do Fim dos Tempos. Mas estimativas aproximadas indicam que apenas 15% do mundo islâmico será representado pelas forças aliadas contra Israel, e lembre-se que apenas os seus soldados morrem em batalha, não a sua população total. E, além disso, Daniel tinha ambos os pés da estátua em vista no capítulo 2, então ambas as divisões do Império Romano têm de estar presentes no Fim dos Tempos. O próximo passo será uma aliança difícil entre essas duas divisões. O uso por Daniel do ferro e do barro em sua composição fala da dificuldade que as culturas ocidental e oriental terão em manterem-se unidas. Mas o fato de que Daniel só identificou quatro impérios significa que o último só pode ser alguma forma da Roma antiga. (Acho interessante que, com as incursões que o Islã já fez na Europa Ocidental, alguns analistas já começaram a chamá-la "Eurábia".)

 

5. O Mundo Abraçará Uma Única Religião … Apo. 13:8

E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.

Não se engane sobre isso. O Islã é a principal força religiosa no mundo de hoje e seu objetivo é nada menos que a dominação do mundo, por qualquer meio necessário. É a religião que mais rápido cresce no mundo e só perde para o cristianismo em número de adeptos. Já quase um em cada quatro habitantes do mundo é muçulmano, e como a maioria dos cristãos e judeus eles não sabem exatamente no que acreditam ou porquê. Eu não sou profeta, mas, ao olhar para o futuro, é muito mais fácil para mim ver o Islã montando sua atual onda de impulso para preencher o vazio deixado pela saída da Igreja do que imaginar alguma mistura aguada de Cristianismo apóstata e Misticismo da Nova Era.

Muito tem sido escrito recentemente sobre al Mahdi, uma figura das profecias muçulmanas que são notavelmente semelhantes às profecias cristãs do Anticristo. Ambas mostram um líder que entra em cena durante um tempo de grande agitação na Terra. Ambas descrevem-no como homem de paz, que terá um um reino com a duração de sete anos de reinado, chefia uma religião única mundial e um governo mundial, e reivindica origem sobrenatural. Ambas as profecias culminam em uma batalha entre o bem e o mal que traz o julgamento final da terra. É como se elas estivessem apontando para a mesma pessoa. A diferença é que no Islã ele é um cara bom, enquanto que a Bíblia o chama de mal.

Pegue esse carismático líder político e religioso, com seu poder sobrenatural, adicione a amplamente apoiada, mas errada crença de que Deus e Alá são a mesma coisa, e que o Islã é uma religião de paz, e depois subtraia o espírito de discernimento, que desaparecerá com a Igreja, e você poderá ver como ele poderia ser o ramo em que um mundo à beira do desastre se agarra para a sobrevivência.

 

6. O Mundo Aceitará um Governo Único … Apo. 13:3

… e toda a terra se maravilhou após a besta.

A última eleição presidencial dos E.U. mostrou quão rapidamente um povo temeroso e desiludido se coloca atrás de alguém que promete mudar as coisas. Quando você olhar para a forma do mundo não é preciso muito para imaginar as circunstâncias chegando a um ponto onde o mundo inteiro vai concordar em seguir um líder que promete trazer ordem ao caos. Quer seja o aquecimento global (agora chamado de Mudanças Climáticas), ou o declínio do dólar americano, a solução única que todos estão falando é alguma forma de governo mundial. Com as coisas que já ameaçam a estabilidade do mundo ficando piores a cada dia, quanto mais frenéticas as pessoas ficarão depois que milhões de seus vizinhos desaparecerem de repente, sem aviso ou explicação, e houver uma mudança nuclear que traga a destruição da Europa através do Oriente Médio e à Rússia? Tudo o que será necessário é um líder que possa convencer as pessoas de que pode consertar as coisas para levar ao cumprimento desta profecia. Leia o artigo "Seria possível um Governo Mundial?"

 

7. Babilônia Voltará a Emergir Como uma Cidade de Destaque nos Negócios do Mundo … Apo. 18:2-3

E clamou fortemente com grande voz, dizendo: "Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e coito de todo espírito imundo, e coito de toda ave imunda e odiável. Porque todas as nações beberam do vinho da ira da sua prostituição, e os reis da terra se prostituíram com ela; e os mercadores da terra se enriqueceram com a abundância de suas delícias."

Você pode não saber, mas Babilônia está sendo preparada para aceitar seu destino como uma cidade de poder no Fim dos Tempos. Ela é apenas uma cidade cerimonial agora, mas 20 anos atrás ninguém sequer sabia que ela existia. Um dos choques da 1ª Guerra do Golfo, foi a descoberta de Babilônia, ali às margens do Eufrates novamente. Agora há um esforço em curso para completar o que Saddam Hussein começou e fazer Babilônia voltar à proeminência no mundo. Os E.U. concordaram em subscrever um estudo de viabilidade, e o governo do Iraque decidiu que tornar Babilônia um destino turístico internacional está no melhor interesse do país.

Você pode pensar que ser um pouco mais que uma atração turística está muito longe de ser um centro de poder mundial, mas não muito tempo atrás, alguns dos novos líderes políticos do Iraque estavam pedindo que a capital de sua nação fosse levada para Babilônia, também. A lógica por trás disso é que Bagdá foi a capital de Saddam, e o Iraque precisa de uma nova capital, mais coerente com a sua herança. Babilônia cumpre o papel, e tornar-se a capital do Iraque seria um grande passo para a realização de sua transformação em um centro de poder.

Por causa da atual falta de importância de Babilônia no mundo, alguns estudantes de profecia procuram um cumprimento alegórico para a sua destruição em Apocalipse 18, e, claro, muitos vêem o E.U.A. ou alguma de suas cidades como um candidato lógico. Mas lembre-se, embora, em Apocalipse 17:9 João descreva "Mistério Babilônia" como assentada sobre sete colinas (que significa Roma), uma profecia de Zacarias 5:5-11 a mostra sendo movida "para as planícies de Sinar", uma referência à antiga Mesopotâmia chamada Iraque hoje. Nós não podemos mudar de interpretações literais da Bíblia para interpretações alegóricas sem uma direção clara, e no que se refere a Babilônia não existe nenhuma direção. De fato, o oposto é verdadeiro.

Obs: Muitos não vêem a Babilônia surgindo literalmente, mas alegoricamente, representando um sistema de governo ou um sistema financeiro.

 

Dores de Parto

"E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores". (Mateus 24:6-8)

Então lhes disse: "Levantar-se-á nação contra nação, e reino contra reino; e haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu." (Lucas 21:10-11)

"E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas. E então verão vir o Filho do homem numa nuvem, com poder e grande glória. Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima." (Lucas 21:25-28)

GUERRAS E RUMORES DE GUERRAS … De acordo com relatórios de inteligência que incluem todas as nossas guerras atuais, bem como os conflitos em que um cessar-fogo existe, mas ainda estão por serem resolvidos, 47 guerras estão atualmente sendo travadas em todo o mundo. Mas alguns relatórios dizem que podem haver até 200 disputas adicionais ameaçando virar conflito armado.

AUMENTO DAS CATÁSTROFES NATURAIS … furacões mais freqüentes e mais graves, terremotos mais frequentes e intensos continuam a pontuar as notícias. Segundo a USGS, houve 73 terremotos "significativos" ao redor do mundo em 2009. Isso se compara com 58 em 2008 e 55 em 2007. (Fonte: http://earthquake.usgs.gov/earthquakes/eqinthenews/)

SINAIS NO SOL, NA LUA E NAS ESTRELAS … A Reversão Magnética Polar, prevista pelo modelo de computador para 2012 (1), está ganhando mais atenção desde que a sua probabilidade foi anunciada pela primeira vez. Conquanto os efeitos de uma Reversão Magnética Polar nunca tenham sido observados pela humanidade, ela aparentemente aconteceu em um passado distante. O que é exclusivo desta vez é que o Sol deverá sofrer uma inversão polar ao mesmo tempo. O que isto significa é que, enquanto o Sol estará enfrentando suas mais intensas tempestades radioativas, o campo magnético da Terra (que nos protege dessas tempestades solares) estará no seu ponto mais fraco e pode até não existir em algumas partes do mundo. Ninguém sabe a extensão dos danos que isso pode causar, mas com base na opinião de especialistas eu especulo que o efeito combinado das 2 reversões polares poderia cumprir o juízo do 6° Selo de Apocalipse 6 e, se o tempo previsto de 2012 estiver correto, isto se encaixa nas fases iniciais da 70ª Semana de Daniel que, acredito eu, irá começar em algum momento de 2011.

 

(1) Nota: Reversão do Polo Magnético e alterações climáticas

De acordo com cientistas da computação, geofísicos e astrofísicos, a Terra e o Sol passarão por um processo de reversão do polo magnético (previsão para 2012).  Uma reversão polar pode enfraquecer o magnetismo da Terra tornando-o irregular porém não chegará a ser anulado. O Modelo Hyderabad (por computador), revela que a reversão polar da Terra e do Sol poderá causar problemas como erros na migração dos pássaros por causa da perda da sensibilidade de direção (leia o artigo "Peixes, aves e outros animais aparecem mortos em vários países"), possibilidade de debilitar o sistema imunológico dos humanos e dos animais, aumento de atividade vulcânica e tectônica, enfraquecimento da magnetosfera, aumento da radiação solar provocando câncer, atração magnética de grandes asteróides e alteração do campo gravitacional da Terra.

Leia a matéria completa: http://www.indiadaily.com/editorial/1753.asp

 

PESTILÊNCIA … Não só novas doenças como HIV e da SARS, mas também o retorno das antigas, como a tuberculose. A grande novidade deste ano foi a gripe suína que até agora não se materializou na pandemia que os especialistas previam.

O AMOR DE MUITOS ESFRIARÁ … 3.500 pessoas morrem todos os dias em defesa da fé cristã. Crime descontrolado, crianças sendo abusadas e assassinadas por seus pais, crianças matando crianças. Julgamentos de assassinatos como entretenimento público em breve a serem seguidos por execuções televisionadas. Limpeza étnica, estupro e gravidez forçada, pedofilia, tiroteios, a incidência de desrespeito é suficiente para deixá-lo doente.

ESTE EVANGELHO SERÁ PREGADO EM TODAS AS NAÇÕES … Olhando para o estado do mundo, é difícil ficar animado. Mas à medida que as notícias mundiais ficam cada vez piores, mais pessoas estão se voltando para o Senhor por consolar. Segundo alguns relatos cerca de 175.000 novos crentes nascem de novo a cada dia, sobretudo na África, China e Índia. Os relatórios dessas conversões são acompanhados por relatos de milagres, pessoas que recebem curas sobrenaturais e mesmo sendo ressuscitadas dentre os mortos. Parece que, assim como Ele fez no início da Era da Igreja, o Espírito Santo está movendo-se poderosamente em seu final. Creio que o Senhor está a emitir uma gigantesco "último chamado" antes de repentinamente levar a igreja daqui para iniciar os julgamentos dos Tempos do Fim.

Como você sabe, esses sinais do Sermão do Monte (Mateus 24, Marcos 13, Lucas 21) são progressivos e todos são descritos como tendo início bem antes do final. Seu interesse principal para nós é encontrado na frase "princípio das dores." Catástrofes naturais, tendência à guerra como um instrumento de diplomacia, fome em meio à fartura (35.000 crianças morrem diariamente de fome e doenças relacionadas) e pestes são descritos como sendo comuns à época, mas aumentando em freqüência e intensidade à medida que o fim se aproxima.

É verdade que há mais de 100 anos as pessoas têm dito, "quão pior pode ficar?" Infelizmente, a resposta agora como então é: "Muito!" Parece que a depravação do homem não conhece limites. Mas tenha coragem. Apesar de estarmos no mundo, nós não somos do mundo. Nós não pertencemos a este lugar, somos cidadãos do céu. E um dia em breve o nosso tão esperado Rei voltará para nos levar para lá. Maranatha!

http://olharprofetico.com.br

 

Razão Para Crer

Filed Under (Israel e as Profecias) by Geração Maranata on 01-05-2010

Tag: , ,

Por Dave Hunt

"Lembrai-vos das coisas passadas da antigüidade: que eu sou Deus, e não há outro, eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim; que desde o princípio anuncio o que há de acontecer e desde a antigüidade, as coisas que ainda não sucederam; que digo: o meu conselho permanecerá de pé, farei toda a minha vontade" (Isaías 46.9-10).

A profecia bíblica é a chave para se entender tanto o passado quanto o futuro. Embora aos céticos essa talvez pareça uma pretensão absurda, ela é facilmente comprovada. Pelo fato de ter se cumprido a maior parte das profecias registradas na Bíblia, fica muito simples determinar se essas profecias são ou não confiáveis.

Dois importantes assuntos da profecia estendem-se consistentemente por toda a Escritura: (1) Israel; (2) O Messias que vem para Israel e através de Israel para o mundo como Salvador de toda a humanidade. Ao redor destes dois temas centrais quase todas as demais profecias se desenrolam e encontram o seu significado, seja o Arrebatamento da Igreja, o Anticristo, seu governo e religião vindouros, o Armagedom, a Segunda Vinda de Cristo, ou qualquer outra ocorrência profética. A Bíblia é absolutamente única na apresentação dessas profecias, as quais ela registra com detalhes específicos, começando há mais de 3.000 anos.

Cerca de 30% da Bíblia são dedicados à profecia. Esse fato confirma a importância do que tem se tornado um assunto negligenciado. Em contraste marcante, a profecia está completamente ausente no Corão, nos Vedas hindus, no Baghavad Gita, no Ramayana, nas palavras de Buda e Confúcio, no Livro de Mórmon, ou quaisquer outros escritos das religiões mundiais. Esse fato isolado já provê um inegável selo de aprovação divina sobre a fé judaico-cristã, que falta em todas as outras crenças. O perfeito registro do cumprimento da profecia bíblica é suficiente para autenticar a Bíblia, diferentemente de todos os outros escritos, como a única e inerrante Palavra de Deus.

Profecia – A Grande Prova

Há muitas provas importantes para a profecia bíblica. A primeira de todas, o cumprimento da profecia estabeleceu prova irrefutável da existência do próprio Deus que inspirou os profetas. Pelos importantes eventos da história mundial, profetizados centenas e mesmo milhares de anos antes de acontecerem, o Deus da Bíblia prova ser o único Deus verdadeiro, Criador do Universo e da humanidade, o Senhor da História – e que a Bíblia é a Sua Palavra infalível, dada a fim de comunicar os seus propósitos e meio de salvação a todos os que crerem. Aqui está uma prova tão simples que uma criança pode entender e tão profunda que os maiores gênios não podem refutar.

A profecia, pois, desempenha um papel vital ao revelar o propósito de Deus para a humanidade. Ela também fornece uma prova inteiramente segura na identificação do verdadeiro Messias de Deus, ou Cristo, e desmascara o impostor de Satanás, o anticristo, de maneira que ninguém que observar a Palavra de Deus venha a ser por ele enganado.

Entretanto, por ser a profecia única na Bíblia, ela é única para Cristo. Profecia nenhuma narrou a vinda de Buda, Maomé, Zoroastro, Confúcio, Joseph Smith, Mary Baker Eddy, os populares gurus hindus que têm invadido o Ocidente, ou qualquer outro líder religioso, todos eles sem as credenciais que distinguem Jesus Cristo. Entretanto, há mais de 300 profecias do Velho Testamento que identificam o Messias de Israel. Séculos antes de Sua vinda, os profetas hebreus estabeleceram critérios específicos que deveriam ser preenchidos pelo Messias. O cumprimento destas profecias nos mínimos detalhes da vida, morte e ressurreição de Jesus de Nazaré demonstram indiscutivelmente ser Ele o prometido por Deus, o verdadeiro e único Salvador.

Visto que estes dois importantes itens da profecia bíblica, Israel e o Messias, são tratados em alguns dos meus livros, principalmente em "Quanto Tempo Nos Resta?", vamos resumi-los aqui rapidamente. Em Isaías 43.10, o Deus de Israel declara que os judeus são Suas testemunhas para o mundo do qual Ele é Deus. Tal é o caso, apesar de 30% dos israelitas hoje afirmarem ser ateus e a maior parte dos judeus do mundo inteiro jamais pensarem em dizer que Deus existe. Mesmo assim eles são testemunhas da existência dEle, tanto para si mesmos como para o mundo, por causa do espantoso cumprimento exato na história daquilo que Deus falou que iria acontecer a esse povo especial.

O Povo Escolhido – Sua Terra e Destino

Embora muito do que os profetas predisseram para Israel ainda seja para o futuro, nove profecias importantes envolvendo detalhes específicos e verificáveis já se cumpriram, exatamente como fora previsto séculos antes.

1. Deus prometeu uma terra e fronteira claramente definidas (Gênesis 15.18-21) a Abraão (Gênesis 12.1; 13.15; 15.7, etc.) e renovou tal promessa a Isaque, filho de Abraão (Gênesis 26.3-5), ao seu neto Jacó (Gênesis 28.13) e aos seus descendentes para sempre (Levítico 25.46; Josué 14.9, etc.).

2. É um fato histórico Deus ter trazido esse "povo escolhido" (Êxodo 7.4-8; Deuteronômio 7.6; 14.2, etc.) à Terra Prometida; uma surpreendente história de milagres por si só.

3. Quando os judeus entraram na Terra Prometida, Deus os advertiu que, se eles praticassem a idolatria e imoralidade dos habitantes primitivos, os quais Ele havia destruído por praticarem o mal (Deuteronômio 9.4), Ele os lançaria também para longe (Deuteronômio 28.63; 1 Reis 9.7 e 2 Crônicas 7.20, etc.). Que isso aconteceu é, também, inegável pela história.

Até este ponto, a história nada tem de especial. Outros povos acreditaram que uma certa área geográfica era a sua "terra prometida" e depois de entrarem nela foram posteriormente expulsos pelos inimigos. Porém, as próximas seis profecias e o seu cumprimento são absolutamente únicos na história dos judeus. A ocorrência desses eventos, exatamente como foram profetizados, jamais pode ter acontecido por acaso.

4. Deus declarou que o seu povo seria espalhado "entre todos os povos, de uma até à outra extremidade da terra" (Deuteronômio 28.64; comp. 1 Reis 9.7; Neemias 1.8; Amós 9.9; Zacarias 7.14, etc.). E assim aconteceu. O "judeu errante" é encontrado em toda parte. A precisão com que essas profecias aconteceram exclusivamente aos judeus se tornou marcante, porque segue cumprimento após cumprimento até que a existência de Deus através do trato com o Seu povo escolhido se torne irrefutável.

5. Deus os admoestou que onde quer que vagassem, os judeus seriam "pasmo, provérbio e motejo entre todos os povos" (Deuteronômio 28.37; 2 Crônicas 7.20; Jeremias 29.18; 44.8, etc.). Incrivelmente isso tem se tornado realidade a respeito dos judeus através de toda a história, exatamente como a geração presente pode muito bem constatar. A maledicência, o desprezo, as piadas, o ódio violento chamado anti-semitismo, não apenas entre os muçulmanos, mas até mesmo entre os que se chamam cristãos, é um fato único e persistente na história peculiar do povo judeu. Mesmo hoje, apesar da freqüente memória do Holocausto de Hitler, que chocou e envergonhou o mundo inteiro como um desafio à lógica e à consciência, o anti-semitismo está vivo e recrudesce em todo o mundo.

História de Perseguição

Além do mais, os profetas declararam que esse povo espalhado não apenas seria difamado, denegrido e discriminado, mas:

6. Seria perseguido e assassinado como nenhum outro povo na face da terra, fato que a história atesta com eloqüente testemunho, pois foi exatamente o que aconteceu aos judeus, século após século, onde quer que fossem encontrados. O registro histórico de nenhum outro grupo étnico ou nacional de pessoas contém algo que ao menos se aproxime do pesadelo de terror, humilhação e destruição que os judeus têm suportado na história, pelas mãos dos povos entre os quais foram espalhados.

Vergonhosamente, muitos que afirmaram ser cristãos e, portanto, seguidores de Cristo, que era um judeu, estavam na primeira fila da perseguição e extermínio dos judeus. Havendo ganho completa cidadania no Império Romano pagão, em 212 d.C., sob o Édito de Caracalla, os judeus se tornaram cidadãos de segunda classe e objeto de incrível perseguição depois que o Imperador Constantino supostamente se tornou cristão. A partir daí, foram os que se chamavam cristãos que se tornaram mais cruéis com os judeus do que os pagãos jamais haviam sido.

Os papas católicos romanos foram os primeiros a fomentar o anti-semitismo ao máximo. Hitler, que permaneceu católico até o fim, afirmaria que estava apenas seguindo o exemplo dos católicos e dos luteranos em concluir o que a igreja havia começado. O anti-semitismo fazia parte do catolicismo, do qual Martim Lutero jamais se libertou. Ele advogava que se incendiassem as casas dos judeus, dando-lhes a alternativa de se converterem ou ficarem sem a língua.[1] Quando os judeus de Roma foram libertados de seus guetos pelo exército italiano em 1870, sua liberdade finalmente pôs fim a cerca de 1.500 anos de inimaginável humilhação e degradação nas mãos dos que afirmavam ser os vigários de Cristo. Papa nenhum odiou os judeus mais do que Paulo IV (1555-1559), cuja crueldade foi além da imaginação humana. O historiador católico Peter de Rosa confessa que uma inteira “sucessão de papas reforçou os antigos preconceitos contra os judeus, tratando-os como leprosos, indignos da proteção da lei. Pio VII (1800-1823) foi sucedido por Leão XII, Pio VIII, Gregório XVI e Pio IX (1846-1878) – todos eles discípulos de Paulo IV.[2] O historiador Will Durant nos lembra de que Hitler teve bons precedentes para a suas sanções contra os judeus:

O Concílio (católico romano) de Viena (1311) proibiu qualquer transação entre cristãos e judeus. O Concílio de Zamora (1313) estabeleceu que se proibissem aos cristãos de se associarem aos judeus… E levou as autoridades seculares (como a igreja havia há muito estabelecido em Roma e nos estados papais) a confinar os judeus em quarteirões separados (guetos) e compeli-los a usar um distintivo (antes havia sido um chapéu amarelo) e assegurar sua freqüência aos sermões para que se convertessem.[3]

Preservação e Renascimento

Deus declarou que apesar de tais perseguições e massacres periódicos,

7. Ele não permitiria que o Seu povo fosse destruído, mas o preservaria como um grupo étnico e nacional identificável (Jeremias 30.11; 31.35-37, etc.). Os judeus teriam toda razão de se misturarem através de casamentos [com os gentios], de mudarem seus nomes e de esconderem sua identidade de qualquer maneira possível, a fim de escaparem à perseguição. Por que preservaram sua linha sangüínea, se não possuíam uma terra própria, se a maioria não cria literalmente na Bíblia, e se a identificação racial só lhes trazia as mais cruéis desvantagens?

Deixar de se misturar em casamentos não fazia sentido. A absorção por aqueles entre os quais viviam pareceria inevitável, de modo que poucos sinais dos judeus como povo distinto deveriam permanecer até hoje. Afinal, esses desprezíveis exilados foram espalhados por todos os cantos da terra por 2.500 anos, desde a destruição de Jerusalém por Nabucodonosor em 586 a.C. Poderia a "tradição" ser tão forte sem uma fé real em Deus?

Contra todas as previsões, os judeus permaneceram um povo distinto, depois de todos esses séculos. Este fato é um fenômeno sem paralelo na história e absolutamente peculiar aos judeus. Para a maioria dos judeus que viviam na Europa, a lei da igreja tornava impossível o casamento misto sem a conversão ao catolicismo romano. Aqui mais uma vez a igreja católica desempenhou um papel infame. Durante séculos era pecado mortal, sob a jurisdição dos papas, o casamento entre judeus e cristãos, evitando-se os casamentos mistos mesmo entre os que o desejassem.

A Bíblia diz que quando Deus determinou guardar o Seu povo escolhido separado para si próprio (Êxodo 33.16; Levítico 20.26, etc.), Ele o fez porque

8. Os traria de volta à sua terra nos últimos dias (Jeremias 30.10; 31.8-12; Ezequiel 36.24,35-38, etc.), antes da segunda vinda do Messias. Essa profecia e promessa há tanto esperada foi cumprida com o renascimento de Israel em sua Terra Prometida. Isso aconteceu em 1948, quase 1.900 anos após a Diáspora final, na destruição de Jerusalém, no ano 70 d.C., pelos exércitos romanos liderados por Tito. Essa restauração de uma nação, depois de 25 séculos, é absolutamente espantosa, um fenômeno sem paralelo na história de qualquer outro povo e inexplicável por meios naturais e muito menos pelo acaso. Mais notável é que

9. Deus declarou que nos últimos dias, antes da segunda vinda do Messias, Jerusalém se tornaria "um cálice de tontear… uma pedra pesada para todos os povos" (Zacarias 12.2-3). Quando Zacarias fez esta profecia, há 2.500 anos, Jerusalém permanecia em ruínas e cheia de animais selvagens. A profecia de Zacarias parecia uma grande loucura, mesmo após o renascimento de Israel em 1948. Pois hoje, exatamente como foi profetizado, um mundo de quase 6 bilhões de pessoas tem os seus olhos voltados para Jerusalém, temendo que a próxima Guerra Mundial, se explodir, seja travada sobre essa pequenina cidade. Que incrível cumprimento da profecia!

Nenhuma Explicação Normal

Israel ocupa 1/6 de 1% da área de terra que os árabes possuem. Os árabes têm o petróleo, a riqueza e a influência mundial que tais recursos aparentemente inesgotáveis proporcionam. Não apenas o pedacinho de terra de Israel é dificilmente perceptível no mapa-múndi, como também lhe faltam todas as coisas essenciais para que se torne o centro das preocupações de todo o mundo. Entretanto, desafiando o bom-senso, Israel é o foco da atenção mundial, exatamente como foi profetizado.

Jerusalém é uma pequenina cidade sem importância comercial ou localização estratégica. Mesmo assim, os olhos do mundo inteiro estão sobre ela mais do que sobre qualquer outra cidade. Jerusalém tornou-se realmente uma "pedra pesada" ao redor do pescoço de todas as nações do mundo, o problema mais irritante e instável que as Nações Unidas enfrentam hoje. E não há explicação lógica para isso. O que os profetas hebreus declararam há milhares de anos e que parecia absolutamente irreal em seu tempo está se cumprindo hoje. Essa é apenas uma parte da evidência de que os "últimos dias" profetizados estão chegando para nós, e que a nossa geração, provavelmente, verá o restante da profecia cumprida.

As profecias acima delineadas (para não citar inúmeras outras), têm sido assunto de conhecimento público nas páginas da Escritura e têm estado disponíveis para exame cuidadoso durante séculos. Que elas tenham se cumprido com detalhes não pode ser obra do acaso, sendo, na verdade, a prova evidente da existência do Deus que inspirou a Bíblia, provando a autenticidade e inerrância desse Livro. Em vista de tal clara e admirável evidência, somente podemos supor benevolentemente que nenhum agnóstico ou ateu tenha se atrevido a ler as profecias bíblicas e as tenha checado pessoalmente com a história e os eventos atuais.

Existem profecias adicionais concernentes a Israel e Jerusalém que se referem aos últimos dias, as quais ainda aguardam futuro cumprimento. Entretanto, podemos estar certos, baseados nas profecias que já se cumpriram, que estas também se realizarão em um futuro não muito distante. O tempo mais aterrador de destruição para os judeus e também para toda a população mundial ainda está por vir. Ele se chama "tempo de angústia para Jacó" (Jeremias 30.7).

Com espantosa precisão a Bíblia não menciona Damasco, Cairo, Londres ou Paris como centro da ação dos últimos dias, mas apenas duas cidades específicas: Jerusalém e Roma. Elas são divergentes, têm sido inimigas desde a época dos césares e notavelmente continuam rivais pela supremacia espiritual ainda hoje. A Roma católica reivindica ser a "Cidade Eterna" e a "Cidade Santa", títulos que a Bíblia deu a Jerusalém. Roma também afirma que é a "Nova Jerusalém", provocando um conflito direto com as promessas de Deus concernentes à verdadeira Cidade de Davi.

Passaram-se 2.000 anos de tensão e antagonismo entre Roma e Jerusalém. Durante quase 46 anos após o renascimento de Israel em 1948, o Vaticano se recusou a reconhecer esse país. Essa animosidade não foi apagada pela recente abertura que o Vaticano executou apenas como expediente para se aproximar de Israel. Roma quer exercer influência sobre o futuro de Jerusalém, que ela ainda insiste em tornar uma cidade internacional sobre a qual Israel não tenha mais direito do que qualquer outra nação.

Com espantosa precisão a Bíblia identifica Jerusalém e Roma como os pontos focais dos eventos profetizados para os últimos dias. Ambas vão ter sua parte no julgamento de Deus. Exige-se pouco mais do que atenção casual sobre as notícias diárias para se reconhecer a precisão da profecia. Também aí, no que a Bíblia diz sobre Roma e a Cidade do Vaticano, temos evidências adicionais de que esse Livro é a Palavra de Deus.

Fonte:

www.chamada.com.br

(extraído do livro "A Woman Rides the Beast", tradução de Mary Schultze)

 

Como nos dias de Noé

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 13-09-2009

Tag: ,

This entry is part 3 of 5 in the series Zeitgeist

por Geração Maranata

“E ACONTECEU que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas, Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Então disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos. Havia naqueles dias gigantes (Nephilim) na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama.” Gênesis 6.1-4

 

Frequentemente visualizamos os Dias de Noé de um ponto de vista da Escola Dominical. Um tipo de historinha bonitinha com os animais embarcando na arca aos pares, enquanto Noé observa. Porém, um cuidadoso exame da história Bíblica vemos uma imagem bem diferente.

“E ACONTECEU que, como os homens começaram a multiplicar-se sobre a face da terra, e lhes nasceram filhas, Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. Então disse o Senhor: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem; porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos. Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama. E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente. Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração. E disse o Senhor: Destruirei o homem que criei de sobre a face da terra, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até à ave dos céus; porque me arrependo de os haver feito.” Gênesis 6.1-7

Deus olhou a humanidade e não gostou do que viu, Ele sofreu! Seu coração estava cheio de dor quando declarou que iria destruir, eliminar, aniquilar a humanidade, e a população animal da terra. Ele viu a malignidade da humanidade e, exceto por Noé e sua família, tudo seria exterminado.

Então, a contagem regressiva começou. Deus deu à criação 120 anos de advertências.

Mas o que realmente estava acontecendo? Com o que os dias de Noé realmente se pareciam? Como era a vida antes do dilúvio?

Alguns dias antes de Jesus ser crucificado, Seus discípulos lhe pediram: “Dize-nos, quando essas coisas acontecerão e quais serão os sinais da Tua vinda e do final dos tempos?”

Eles queriam saber quando Jesus voltaria e quais seriam os sinais antes de seu retorno. Jesus respondeu: “E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem. Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.” Mateus 24.37-42

Então, claramente, Jesus nos dá um pré-requisito para entender o tempo de Sua Segunda Vinda: o entendimento dos tempos de Noé. Gênesis, capítulo 6, desdobra a história do Dilúvio. É mais do que simplesmente um acontecimento histórico, existe, sob exame profundo das Escrituras, algumas implicações realmente perturbadoras. Nós temos anjos caídos tendo relações com mulheres da terra, produzindo enormes e demoníacos super-seres!

 

Os Nephilim?

Mas o que realmente ocasionou o Dilúvio? Foi o aparecimento de uma raça de seres chamados de Nephilim!

Gênesis 6 indica que os “filhos de Deus” (B’nai Elohim) tomaram esposas entre as “filhas dos homens”, as quais deram à luz aos “Nephilim”. O que estava acontecendo?

B’nai Elohim é um termo que se refere aos anjos. Ele ocorre quatro vezes no Velho Testamento onde foi traduzido como “Anjos do Senhor” na antiga tradução Septuaginta. A intrusão de certos anjos na raça humana resultou em uma semente não natural denominada Nephilim, que deriva do Hebraico naphal (cair), ou Os Caídos. (A Septuaginta Grega traduz esse termo como “gigantes”, que, na verdade, quer dizer “nascidos na terra”. Isso é frequentemente confundido com a palavra portuguesa “gigantes” – o que eles não deixavam de ser, incidentalmente).

“Os B’nai Eloim viram as filhas de Adão, que elas eram extensões apropriadas. E eles tomaram esposas para si de todas aquelas que escolheram… Os Nephilim estavam na terra naqueles dia, e mesmo depois disso, quando os B’nai Elohim vieram às filhas de Adão, e eles as engravidaram – eles eram Os Poderosos que existiam desde os tempos antigos, os homens de renome.” Gênesis 6 – Bíblia Interlinear Hebraica.

A palavra traduzida como “gigantes”, na versão King James da Bíblia, é, em Hebraico, Nephilim, que significa “Aqueles que caíram, ou os caídos”. Judas, o irmão de Jesus, os descreve como “anjos que deixaram seu estado original no Céu”. Esses anjos caídos vieram à terra para um propósito sério.

Os “caídos” procuraram se misturar com a linhagem de Adão por causa da promessa de enviar um redentor através de seus descendentes. O Hebraico diz que os Filhos de Deus viram que as mulheres eram uma “extensão” adequada, pois eles buscavam extender a si mesmos do mundo espiritual para este mundo, bem como extender-se aos “filhos da promessa”, a linhagem de Adão. Satanás tentou impedir o nascimento, no futuro distante, do Messias.

O acasalamento de seres humanos com anjos resultou em criaturas híbridas, espíritos maus com corpos humanos. Os híbridos humano-anjos começaram a corromper e destruir a raça humana, resultando no Dilúvio, “o fim de toda carne”, exceto Noé e sua família.

A Bíblia usa outros nomes para descrever esses degradados anjos caídos e seus descendentes, além da palavra Nephilim. Eles são:

. Rephaim – da raiz rapha = espíritos, sombras Gen. 14.5
. Anakim – raça de gigantes Num. 13.33 – Descendentes dos Nephilim
. Emim – os desertores arrogantes, terrores, raça de gigantes Gen. 14.5
. Zuzim – os ímpios, coisas errantes Gen. 14.5
. Zazummins – os conspiradores ímpios Deut. 2.20
. Zophim – observadores, anjos que desceram Num. 23, diferente de ‘Observadores Sagrados’ alinhados a Deus
. Sepherim – os muitos …

Por mais de mil anos os Nephilim corromperam a terra e oprimiram a humanidade. A Bíblia declara que os gigantes existiam antes do dilúvio, e mesmo depois daquele tempo, Gen. 6:4. Isso contradiz a tradição, mas é historicamente sustentado por histórias em Êxodo, onde os Nephilim são encontrados em Canaã pelos Israelitas.

O Livro Apócrifo de Enoque, primeiro século A.C., manuscrito extra-bíblico citado por Judas e João, detalha eventos dos anjos caídos. Ele descreve sua punição e até seus nomes. Alguns dos Nephilim pereceram, os seus corpos pelo menos, sob as águas do Dilúvio. Os líderes desse ato de rebelião foram acorrentados até o dia do Juízo Final em vários pontos da terra. Judas e João também relatam essa história. Jó 26.5 diz que “Os mortos tremem debaixo das águas”. Isto parece indicar que homens foram mortos sob as águas do Dilúvio.

O texto original Hebraico relata algo muito mais misterioso. A tradução literal é “Os Rafa se contorcem debaixo da água”. A palavra Rafa só é encontrada nas Escrituras identificando os “anjos caídos”, e nunca é usada para indicar os “mortos humanos” em lugar algum do Velho Testamento. A base histórica para a interpretação de Gen. 6 como uma história de anjos caídos é consistente. Philo, Josepho, Epiphanio, Hilário, são alguns dos muitos exemplos.

O Livro de Jubileus destaca que Jared ou Yeh-red, um patriarca do Velho Testamento, era assim chamado porque em seus dias anjos desceram à terra – Yaw-rad “descer”. É interessante notar que “Jordânia” vem da mesma palavra raiz indicando “descer, ou cair”. – Yar-dane = “o lugar dos caídos”. A Jordânia, “o lugar dos caídos”, está localizada na antiga divisa de Israel.

Israel é atualmente um dos principais locais de avistamento de OVNIS, e dos anjos caídos disfarçados de “extraterrestres”.

O Livro de Enoque explica que os Filhos de Deus desceram primeiramente sobre o monte chamado Hermon que, em Hebraico, significa 'desolação', na terra da Jordânia, o lugar dos caídos. Desolação é exatamente o que Satanás e seus anjos desejavam causar à terra destruindo os descendentes de Adão – desolação tem sido o plano dos anjos rebeldes desde o início.

Foi a infusão desses seres estranhos na classe humana que provocou o Dilúvio de Noé. A inundação foi precedida por quatro gerações de profetas/pregadores advertindo sobre o julgamento por vir: Enoque, Matusalém, Lameque e Noé.

Parece que era parte do estratagema de Satanás corromper a linhagem de Adão para evitar o cumprimento da redenção Messiânica. Noé era aparentemente único no fato de que sua genealogia ainda não estava corrompida.

Os estranhos eventos que levaram ao Dilúvio também são aludidos em antigas mitologias. As lendas dos “Titãs” Gregos – parte terrestres, parte celestiais – englobam essas mesmas lembranças. (A palavra Grega titã está linguisticamente ligada a sheitan no Caldeu e a satan no Hebraico).

Mas, de onde esses pecaminosos anjos “caídos” vieram?

 

Anjos Caídos

“Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro; em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados. Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti. Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; por terra te lancei, diante dos reis te pus, para que olhem para ti. Pela multidão das tuas iniqüidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem. Todos os que te conhecem entre os povos estão espantados de ti; em grande espanto te tornaste, e nunca mais subsistirá.” Ezequiel 28.11-19

“Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!” Isaías 14.12. Jesus disse, “Eu via Satanás, como raio, cair do céu.” Lucas 10.18.“… no monte santo de Deus estavas… “ Ezequiel 28.14.

Isso mesmo, Lúcifer, que se tornou Satanás, foi expulso do Céu e quando saiu, um terço dos anjos saiu com ele. Esses eram os anjos Caídos.

Os estranhos eventos de Gênesis 6 também são citados no Novo Testamento. Pedro se refere aos eventos antecedendo à grande inundação:

“Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo;” II Pedro 2.4

(Pedro usa o termo tartarus, aqui traduzido por inferno. Essa é uma palavra grega para “a escura habitação da aflição, a caverna da escuridão no mundo oculto”. A Ilíada de Homero retrata o Tartarustão abaixo do Hades quanto a terra está abaixo do Céu…”)

Também em Judas, eles são citados:

“E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até ao juízo daquele grande dia; Assim como Sodoma e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregue à fornicação como aqueles, e ido após outra carne, foram postas por exemplo, sofrendo a pena do fogo eterno.” Judas 1.6-7

As Escrituras advertem a respeito de se meter com o mundo espiritual. A punição que sobreveio aos anjos que pecaram serviu para enfatizar a natureza séria da apostasia: seres de uma ordem superior à nossa arremessados em escuro lugar de confinamento onde permaneceram por milhares de anos.

Deus não mudou Sua atitude para com eles; o tempo não mitigou a seriedade de seus pecados. Aos falsos mestres está prescrita condenação.

Então acabou, certo? Não, o Dilúvio não pôs fim à intrusão dos anjos caídos nem os planos de Satanás de torcer os planos de Deus…

 

O Retorno dos Nephilim

“Havia naqueles dias gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus entraram às filhas dos homens e delas geraram filhos; estes eram os valentes que houve na antiguidade, os homens de fama.” Gênesis 6.4

Gênesis 6.4 nos deixa as assombrosas, quase aterrorizantes três palavras: “… e também depois …”. Poderiam os Nephilim ter sobrevivido ao Dilúvio? Poderiam esses seres produzidos a partir da união de anjos caídos com mulheres terrenas, uma raça híbrida chamada Nephilim, ainda estar por aí? Conforme Gênesis 6.4 eles ainda existiam após o Dilúvio.

Após a grande inundação, descobrimos que a Bíblia menciona diversas ocorrências de “gigantes” aparecendo, especialmente a raça gigante de Canaã. Na verdade, a Bíblia menciona várias dessas tribos: os Rephaim, os Emim, os Horim e os Zazummim, que eram gigantes.

“Os emins dantes habitaram nela; um povo grande e numeroso, e alto como os gigantes. Também estes foram considerados gigantes como os anaquins; e os moabitas os chamavam emins. Outrora os horeus também habitaram em Seir; porém os filhos de Esaú os lançaram fora, e os destruíram de diante de si, e habitaram no seu lugar, assim como Israel fez à terra da sua herança, que o Senhor lhes tinha dado.” Deuteronômio 2.10-12

O Reino de Ogue, o rei de Basã, era a “terra dos gigantes”.

“Porque só Ogue, o rei de Basã, restou dos gigantes; eis que o seu leito, um leito de ferro, não está porventura em Rabá dos filhos de Amom? De nove côvados, o seu comprimento, e de quatro côvados, a sua largura, pelo côvado comum.” Deuteronômio 3.11

“Todo o reino de Ogue em Basã, que reinou em Astarote e em Edrei; este ficou do restante dos gigantes que Moisés feriu e expulsou.” Josué 13.12

Também encontramos Arba:

“E antes o nome de Hebrom era Quiriate-Arba, porque Arba foi o maior homem entre os anaquins.” Josué 14.15

Anak e seus 7 filhos, os Anakim, também eram gigantes, assim como Golias e seus quatro irmãos.

“Então saiu do arraial dos filisteus um homem guerreiro, cujo nome era Golias, de Gate, que tinha de altura seis côvados e um palmo. Trazia na cabeça um capacete de bronze, e vestia uma couraça de escamas; e era o peso da couraça de cinco mil siclos de bronze. E trazia grevas de bronze por cima de seus pés, e um escudo de bronze entre os seus ombros. E a haste da sua lança era como o eixo do tecelão, e a ponta da sua lança de seiscentos siclos de ferro, e diante dele ia o escudeiro.” I Samuel 17.4-7

“E Isbi-Benobe, que era dos filhos do gigante, cuja lança pesava trezentos siclos de cobre, e que cingia uma espada nova, intentou ferir a Davi. Porém, Abisai, filho de Zeruia, o socorreu, e feriu o filisteu, e o matou. Então os homens de Davi lhe juraram, dizendo: Nunca mais sairás conosco à peleja, para que não apagues a lâmpada de Israel. E aconteceu depois disto que houve em Gobe ainda outra peleja contra os filisteus; então Sibecai, o husatita, feriu a Safe, que era dos filhos do gigante. Houve mais outra peleja contra os filisteus em Gobe; e El-Hanã, filho de Jaaré-Oregim, o belemita, feriu Golias, o giteu, de cuja lança era a haste como órgão de tecelão. Houve ainda também outra peleja em Gate, onde estava um homem de alta estatura, que tinha em cada mão seis dedos, e em cada pé outros seis, vinte e quatro ao todo, e também este nascera do gigante. E injuriava a Israel; porém Jônatas, filho de Simei, irmão de Davi, o feriu.” II Samuel 21.16-22

De certa forma, a história de “Davi e Golias” recebe uma nova luz quando você descobre que Golias era um Nephilim e que tinha quatro irmãos. Depois que Deus revelou a Abraão que a terra de Canaã lhe seria dada, Satanás teve mais de 400 anos para plantar seu campo minado de Nephilim!

Quando Moisé enviou seus doze espias para reconhecer a Terra de Canaã, eles voltaram com o relato de gigantes na terra. (O termo usado foi Nephilim).

“Também vimos ali gigantes, filhos de Enaque, descendentes dos gigantes; e éramos aos nossos olhos como gafanhotos, e assim também éramos aos seus olhos.” Números 13.33

Seu medo daquelas criaturas aterrorizantes resultou em serem relegados a vagar no deserto por 38 anos.

Quando Josué e a nação de Israel entraram mais tarde na terra de Canaã, foram instruídos a destruir todo homem, mulher e criança de certas tribos.

“E tudo quanto havia na cidade destruíram totalmente ao fio da espada, desde o homem até à mulher, desde o menino até ao velho, e até ao boi e gado miúdo, e ao jumento.” Josué 6.21

Parece que na Terra de Canaã, havia novamente um problema de “herança genética”. Esses Raphaim, Nephilim, e outros parecem terem-se estabelecido como uma guarda avançada para obstruir a tomada por Israel da posse da Terra Prometida.

Terá esse também sido um plano de Satanás?

“E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem.” Lucas 17.26

Então, o que realmente Lucas 17.26 quer dizer?

“E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo porquanto as virtudes do céu serão abaladas.” Lucas 21.25,26

Que coisas estarão vindo sobre a terra? Será possível que a Bíblia está se referindo aos OVNIS e seus ocupantes? Poderia isso ser parte do cenário do Fim dos Tempos chamado “Grande Decepção”? Estarão os Nephilim envolvidos e presentes hoje?

 

Barro de Lodo

“Quanto ao que viste do ferro misturado com barro de lodo, misturar-se-ão com semente humana, mas não se ligarão um ao outro, assim como o ferro não se mistura com o barro.” Daniel 2.43

O famoso sonho de Nabucodonosor em Daniel capítulo 2, parece explanar toda a história gentílica até que Deus finalmente intervenha e estabeleça Seu próprio Reino.

Os vários metais que compõem a imagem no sonho são bem conhecidos pelos estudiosos das profecias. Mesmo a nossa expressão comum “pés de barro”, vem dessa passagem clássica.

Mas o que representa o “barro de lodo” nesta imagem? Parece estar estranhamente misturado – mas não completamente – ao ferro no sonho. O termo “barro de lodo” refere-se a um barro feito de pó, uma expressão idiomática Bíblica que sugere morte. Daniel interpreta isso para nós no verso 43:

“Quanto ao que viste do ferro misturado com barro de lodo, misturar-se-ão com semente humana, mas não se ligarão um ao outro, assim como o ferro não se mistura com o barro.”

Misturar-se com a semente humana! Uma coisa que muitas abduções alienígenas têm em comum, é que seres tentaram “cruzar” com os humanos ou fazer experiências com seus órgãos reprodutivos. A tática de Satanás nos tempos de Noé era tomar o mundo pela força física bruta através do intercruzamento com os humanos e da criação de uma raça de gigantes. Também incluído nesse intercruzamento estava o plano de corromper o código genético humano, para que o Messias não pudesse nascer. O plano quase funcionou. Provavelmente, se não fosse pelo Dilúvio de Noé, a esmagadora população de gigantes teria dominado a terra. Eu sei que isso parece fantástico demais, mas leia o capítulo 6 de Gênesis e tire suas próprias conclusões.

Agora, a tática de Satanás para dominar mudou.

Ele planeja enganar tantos quantos possa. Experiências genéticas são mais encobertas do que então; ao invés de criar gigantes (que se sobressaem), os anjos caídos estão tentando se tornar tão humanos quanto possível (misturar-se).

Quanto mais diluída é a semente humana, mais fácil é possuir, manipular e enganar as pessoas – quanto mais reinos maus no mundo, especialmente em posições de poder.

“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.” Efésios 6.12

“Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência.” Efésios 2.2

O que podemos fazer? Como podemos nos proteger? Como evitar sermos enganados?

“No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.” Efésios 6.10-12

 

Leia também outras teorias a respeito dos Nephilim em: Os Nephilins: Três Teoriais

Se você não tem certeza de que é salvo (não aceitou Jesus como seu Senhor e Salvador), procure conhecer mais a respeito de Jesus! Leia o artigo "O Simples plano de Deus para a Salvação"

Extraído com adaptações de olharprofetico.com.br

Início | Download | Links | Contato
Misso Portas Abertas JMM ANEM
Destino Final Heart Cry Jocum Missao Total Missao Total Projeto Paraguai