Quais são os sinais que antecedem a Volta de Jesus? Pestes

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 21-12-2011

Tag: , , , ,

This entry is part 6 of 8 in the series Quais são os sinais que antecedem a Volta de Jesus?

Por Geração Maranata

 

Em vários sites e blogs, cristãos ou não, lemos a respeito de uma conspiração para dizimar a população mundial.  Sabemos que pelo menos 2/3 da população será dizimada por ocasião da Grande Tribulação e os eventos que ocorrerão serão "permitidos" por Deus, mas não necessariamente causados por Ele.  

Em Apocalipse 6 lemos sobre os Sete Selos e com eles os Quatros Cavaleiros do Apocalipse.  Se atentarmos bem, veremos que alguns versículos dizem que 'foi-lhe dado…', ou seja, foi permitido que alguém faça alguma coisa ou algo.

"…e foi-lhe dada uma coroa…" (Apocalipse 6:2): concessão de autoridade
"…foi dado que tirasse a paz da terra…" (Apocalipse 6:4)
"…e foi-lhes dado poder…" (Apocalipse 6:8)

Compare com o versículo 7 de Apocalipse 13: "Foi-lhe dado poder para guerrear contra os santos e vencê-los. Foi-lhe dada autoridade sobre toda tribo, povo, língua e nação."  Este versículo mostra que o Anticristo terá permissão para guerrar contra os santos e vencê-los.  Também lhe será concedido autoridade sobre o mundo.

A palavra "dado(a)" vem do hebraico διδωμι didomi(*) que também significa 'conceder', 'permitir':
1) dar
2) dar algo a alguém. 
2a) dar algo a alguém de livre e espontânea vontade, para sua vantagem 
2a1) dar um presente 
2b) conceder, dar a alguém que pede, deixar com que tenha 
2c) suprir, fornecer as coisas necessárias 
2d) dar, entregar 
2d1) estender, oferecer, apresentar 
2d2) de um escrito 
2d3) entregar aos cuidados de alguém, confiar 
2d3a) algo para ser administrado 
2d3b) dar ou entregar para alguém algo para ser religiosamente observado 
2e) dar o que é dever ou obrigatório, pagar: salários ou recompensa 
2f) fornecer, doar
3) dar 
3a) causar, ser profuso, esbanjador, doar-se a si mesmo 
3a1) dar, distribuir com abundância 
3b) designar para um ofício 
3c) causar sair, entregar, i.e. como o mar, a morte e o inferno devolvem o morto que foi engolido ou recebido por eles 
3c) dar-se a alguém como se pertencesse a ele 
3c1) como um objeto do seu cuidado salvador 
3c2) dar-se a alguém, segui-lo como um líder ou mestre 
3c3) dar-se a alguém para cuidar de seus interesses 
3c4) dar-se a alguém a quem já se pertencia, retornar
4) conceder ou permitir a alguém 
4a) comissionar
(*) Dicionário Bíblico Strong
 
Dito isso, acho que podemos entender que parte dos eventos que ocorrerão nos Selos do Apocalipse Cap. 6, serão provocados por 'alguém'.  Também entendemos que esse 'alguém' é o homem que vem montado no primeiro Cavalo Branco, que recebe uma coroa (símbolo de autoridade), que saiu vencendo para vencer (ainda que por tempo determinado).  Esse personagem, apesar de  que alguns posicionamentos escatológicos não concordem, para mim não resta dúvida que seja o Anticristo. Quando digo que os eventos serão provocados pelo Anticristo, não quer dizer que ele fará tudo sozinho, pois ele conta com seus 'servos', que são os responsáveis por toda a montagem do palco mundial, como temos percebido ao longo de vários anos. Há um grupo que conspira contra a humanidade para projetar o Homem da Iniquidade. 
 
O segundo Selo fala sobre 'tirar a Paz da Terra com guerras' (é o que mais temos ouvido, com o agravante de que alguns suspeitam que muitas tem sido provocadas, incitadas para um propósito); o terceiro fala sobre fome e crise financeira; o quarto fala sobre uma grande mortandade, cuja a causa provavelmente é o resultado dos selos anteriores: guerras, fome, pestes, animais selvagens; e por último um grande terremoto, que pode ser causado por explosão de bomba nuclear, pois os homens procurarão se esconder em rochas (bunkers) ou pode ser um terremoto de grandes proporções e inclusive fabricado por esse 'alguém', pois muitas pessoas desconfiam que existe uma arma capaz de fabricar catástrofes naturais (Haarp).  
 
Seguindo nesta linha de raciocínio, veja o que saiu nos noticiários de ontem (20-12-2011).  A mortandade pela peste, poderá ou não ser obra de 'alguém'? E a vacina (pois ela irá existir) poderá muito bem ser dada a quem tiver a marca desse 'alguém'.  E isso me faz lembrar do filme "Contágio"…
 
Meus irmãos estejamos prontos, pois o tempo se aproxima, e rápido!
 
 
Maranata!
 
***
 
"E olhei, e eis um cavalo amarelo, e o que estava assentado sobre ele tinha por nome Morte; e o inferno o seguia; e foi-lhes dado poder para matar a quarta parte da terra, com espada, e com fome, e com peste, e com as feras da terra." (Apocalipse 6:8)
 
"Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino (segundo selo), e haverá fomes (terceiro selo), e pestes (quarto selo), e terremotos (sexto selo), em vários lugares." (Mateus 24:7)

 

***

 
Você já observou que, desde que os cientistas decifraram o código genético, a humanidade está sendo afligida por diversas doenças mortais para as quais não existe cura? 
Com a AIDS, Ebola, SARS e a gripe aviária, os cientistas têm a capacidade singular disponível de matar centenas de milhões de pessoas em um período muito curto de tempo. 
Alguns meses atrás, um cientista russo advertiu que até um bilhão de pessoas poderá morrer em decorrência da gripe aviária. 
Sabe-se agora que a SARS é formada por elementos genéticos de vários animais na terra. (www.espada.eti.br)
 
 
Cientistas criam vírus capaz de matar 6 em cada 10 infectados

RIO – Parece um roteiro de Hollywood, mas é bastante real. Cientistas europeus e americanos criaram em laboratório uma linhagem mortal do vírus da gripe aviária, capaz de infectar e matar milhões de pessoas, segundo revelou uma reportagem exclusiva publicada pelo jornal inglês "The Independent". A notícia gerou temores entre especialistas em biossegurança de que as informações caiam nas mãos de terroristas que possam usar o agente como arma biológica de destruição em massa. O governo dos EUA pediu ontem que a sequência genética do vírus alterado não seja revelada na publicação do estudo.

Há o temor também de que um acidente acabe deixando escapar o micro-organismo. Alguns cientistas questionam se esse tipo de pesquisa poderia ter sido feita num laboratório de universidade e não numa instalação militar.

 

— O medo, ao se criar algo tão mortal assim, é que se transforme numa pandemia global, com altas taxas de mortalidade e custos excessivos — explicou um conselheiro científico do governo americano, na condição de anonimato, ao jornalista Steve Connor, do periódico inglês. — O pior cenário nesse caso é muito pior do que se pode imaginar.

 

Pela primeira vez, pesquisadores conseguiram provocar uma mutação na linhagem H5N1 da gripe aviária, tornando-a mais facilmente transmissível pelo ar. A linhagem da gripe aviária matou centenas de milhares de aves, desde que foi descoberta pela primeira vez, em 1996, mas, até agora, infectou apenas cerca de 600 pessoas que tiveram contato direto com as aves doentes.

 

Seis em cada dez infectados morrem

 

O que torna o H5N1 tão perigoso, no entanto, é que ele matou cerca de 60% das pessoas infectadas — tornando-o uma das mais letais formas de influenza na História moderna — uma capacidade de matar moderada apenas por sua inabilidade (até agora) de se espalhar facilmente entre humanos. O vírus alterado em laboratório, no entanto, se transmite facilmente entre os humanos.

 

Cientistas que realizaram a controversa experiência descobriram que é mais fácil do que se imaginava transformar o H5N1 numa linhagem altamente infecciosa de gripe. Eles acreditam que o conhecimento adquirido com o estudo seria vital para o desenvolvimento de novas vacinas e drogas.

 

— Trata-se de uma pesquisa muito importante — afirmou a diretora de políticas científicas do Instituto Nacional de Saúde dos EUA, que patrocinou o estudo, Amy Patterson. — À medida que os vírus evoluem na natureza, queremos estar preparados para saber detectar rapidamente mutações que podem indicar que eles estão $aproximando de uma forma que o torne capaz de cruzar a barreira das espécies mais rapidamente.

 

Mas os críticos dizem que os cientistas colocaram o mundo em risco ao criar uma forma de gripe extremamente perigosa. Cientistas têm poucas dúvidas de que a nova linhagem de H5N1 criada — resultado de apenas cinco mutações em dois genes-chaves — tenha o potencial de causar uma pandemia humana devastadora que poderia matar dezenas de milhões de pessoas. O estudo foi feito em furões, que, quando infectados com influenza, são considerados os melhores modelos animais para se estudar a doença humana.

 

Os detalhes do estudo são considerados tão delicados que foram examinados pelo Conselho Nacional de Ciência para Biossegurança do governo americano, que pediu às revistas "Science" e "Nature", às quais o estudo foi submetido, que não publiquem a sequência genética completa.

 

— Essas são áreas da ciência em que a informação precisa ser controlada — afirmou um cientista do conselho, que falou na condição de anonimato ao "Independent". — Os exemplos mais extremos são, por exemplo, como fazer uma arma nuclear ou qualquer arma que possa ser usada para matar pessoas. Mas as ciências biológicas não tinham se deparado com uma situação dessas antes. É realmente uma nova era.

O estudo foi feito por um grupo de cientistas holandeses coordenado por Ron Fouchier, do Centro Médico Erasmus, em Roterdã; e também por Yoshihiro Kawaoka, da Universidade de Wisconsin-Ma$, nos EUA.

"Descobrimos que isso é, de fato, possível e mais fácil do que se imaginava. No laboratório, foi possível transformar o H5N1 num vírus de transmissão por aerossol que pode se espalhar rapidamente pelo ar", informou Fouchier em comunicado oficial. "Esse processo também poderia ocorrer num ambiente natural."

 

Autor do estudo defende experiência

 

Para justificar a experiência, ele afirmou: "Sabemos por qual mutação procurar no caso de um surto e poderemos, então, interrompê-lo antes que seja tarde. Além disso, a descoberta ajudará no desenvolvimento de vacinas e remédios."

 

Alguns cientistas questionaram se esse tipo de pesquisa deveria ser feito num laboratório de universidade, sem a segurança contra terroristas existente em instalações miltiares. Eles ressaltaram também que vírus experimentais já escaparam acidentalmente de laboratórios aparentemente seguros em outras ocasiões, causando epidemias humanas — caso da gripe de 1977.

 

— Há quem diga que um trabalho como esse não deveria nunca ser feito ou teria de ser em um local onde toda a informação pudesse ser controlada — afirmou uma fonte próxima ao Conselho de Biossegurança. — A tecnologia (de engenharia genética) é hoje comum em muitas partes do mundo. Com a sequência genética, é possível reconstruí-lo. Por isso a informação é tão perigosa.

 

 

Fonte:http://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/cientistas-criam-virus-capaz-de-matar-6-em-cada-10-infectados-3487420.html#ixzz1hBwueTNK

 

 

 

Cientistas afirmam que o filme 'Contágio' é realista. Será isso um aviso?
 
 
ATLANTA – Sim, poderia acontecer. "Contágio", um thriller de Hollywood dirigido por Steven Soderbergh que estreou na semana passada nos Estados Unidos e conquistou o primeiro lugar nas bilheterias com sua narrativa emocionante sobre uma epidemia global de vírus fictício que deixou o público horrorizado com o destino da personagem de Gwyneth Paltrow.
 
Antes de ser lançado, o filme também preocupou pesquisadores de doenças infecciosas da vida real, mas por um outro motivo: eles temiam que o cineasta usasse sua liberdade artística para desvirtuar a ciência e tornar a produção inverossímil.
 
Mas o Dr. Thomas Frieden, chefe do Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Atlanta afirma que o filme é bastante plausível.
 
A equipe que produziu o filme contou com vários consultores especialistas no assunto para garantir que os detalhes científicos fossem precisos.
 
"Contágio" estreia no Brasil no dia 28 de outubro (de 2011).
 
 
 
 
***
 
Leia também:
 
Cinco Grandes Crises Fabricadas  (http://www.espada.eti.br/n2193.asp)
 
 
 
 

Vulcão mais mortal do planeta pode entrar em erupção novamente

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 01-10-2011

Tag: , ,

Por Geração Maranata

 

Tocai a trombeta em Sião, e clamai em alta voz no meu santo monte; tremam todos os moradores da terra, porque o dia do SENHOR vem, já está perto; Dia de trevas e de escuridão; dia de nuvens e densas trevas … E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça. Joel 2:30 (Joel 2:1,2a,30)

E abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço, como fumaça de uma grande fornalha; e com a fumaça do poço escureceram-se o sol e o ar. (Apocalipse 9:2)

 

Associated Press | AP  –  Qua, 19 de setembro de 2011

Indonésios temem nova erupção de vulcão que matou 90 mil pessoas

A última vez que o vulcão mais mortal do planeta explodiu foi em 1815, matando 90 mil pessoas. Ele também foi responsável por um inverno vulcânico que causou a pior fome em todo o mundo no século 19. 

Agora, ele pode explodir novamente.

Seu nome é Monte Tambora e está localizado na ilha de Sumbawa, na Indonésia. Apesar de não ter sido a explosão vulcânica mais poderosa da história, foi a que causou mais mortes diretas e indiretas.

Quando a explosão aconteceu em abril de 1815, Sumbawa foi destruída. A caldeira, em seguida, entrou em colapso, após alguns meses de atividade pesada. A maioria da população da ilha foi morta e sua vegetação foi reduzida a cinzas. Algumas árvores foram arrancadas e empurradas para dentro do mar, juntamente com cinzas, criando 3 quilômetros de jangadas gigantes. Tsunamis foram gerados pela explosão e afetaram as ilhas que ficavam nas proximidades.

A erupção do Tambora deixou uma cratera de 11 quilômetros de largura e um quilômetro de profundidade, espalhando cerca de 400 milhões de toneladas de gases sulfúrico na atmosfera e levando a "ano sem verão" nos EUA e na Europa.  Foi várias vezes mais poderoso do que explosão do Krakatoa em 1883 – segunda pior da história – apesar de não ter a mesma fama internacional, porque a notícia se espalhou através dos barcos nos oceanos, disse o pesquisador Indyo Pratomo.  Em contrapartida, a erupção do Krakatoa ocorreu quando o telégrafo já era popular, transformando-se em primeira notícia global.

O poder de destruição do Tambora afetou o mundo inteiro.  Cinzas subiram em uma coluna que atingiu 43 quilômetros de altura, até a estratosfera. As partículas mais pesadas eventualmente caíram, mas um véu de aerossóis de sulfato permaneceu na estratosfera por anos, escurecendo a luz do sol em toda parte. Isso afetou todo o clima global em grande escala, e iniciou uma cadeia de eventos que matou milhões no Hemisfério Norte. 

Pouco se sabia sobre o impacto global do Tambora, até a década de 1980, quando as amostras de gele da Groenlândia – que através da leitura dos anéis das árvores – revelou uma concentração incrível de camada de enxofre que remonta a 1816, disse o geólogo Jelle de Boer, co-autor de "Vulcões na História Humana: Os efeitos de longo alcance da grande erupção".

Gases tinham combinado com o vapor de água e formaram pequenas gotículas de ácido que permaneceram durante anos na atmosfera, circundando a Terra e alguns refletindo a radiação solar de volta para o espaço.

 

Inverno vulcânico mortal

No ano seguinte à explosão vulcânica não houve verão e as temperaturas desceram uma média de 0,5 grau Celsius. Não parece muito, mas o enxofre liberado pelo vulcão causou estragos em culturas agrícolas e morte da pecuária em todos os lugares. 

Os Estados Unidos experimentaram geadas extremas e neve pesada em pleno mês de Julho (verão nos EUA), arruinando tudo nos campos. O mesmo aconteceu em outros lugares, causando uma grande fome em todo o mundo.

Essa fome ajudou a espalhar uma nova cepa da cólera na Ásia e uma epidemia de tifo no sudeste da Europa e no Mediterrâneo oriental. 

Especialistas estão dizendo agora que o Monte Tambora está pronto para entrar em erupção novamente. Um fluxo constante de terremotos está agitando a ilha. Eram menos de cinco no mês de abril e agora aumentaram para mais de 200.

“Começou a expelir cinzas e fumaça no ar, algo tão alto quanto 1.400 metros. É algo que nunca vi antes”, diz Gede Suantika, do Centro de Vulcanologia do governo indonésio.

Autoridades elevaram o alerta para o segundo nível mais alto há duas semanas e estabeleceram um perímetro de perigo de cerca 3 quilômetros e seus habitantes estão evacuando a área sob as ordens do governo. A maioria das pessoas de lá conhece a história de 1815 e não precisa de qualquer ordem para começar a correr. Na verdade, as pessoas de fora da zona de perigo também estão fugindo por puro medo.

Não se espera uma repetição de 1815 ainda – é preciso muito mais de 200 anos para esse tipo de pressão enorme venha a acontecer novamente, acredita Boer, que leciona na Universidade Wesleyan, em Connecticut.

A atividade atual, segundo o vulcanologista islandês Haraldur Sigurdsson, pode ser parte do nascimento de um “filho” do Tambora, no processo de formação de um novo vulcão. A explicação, porém, pouco conforta os moradores da região.

A verdade é que ninguém sabe ao certo se o Monte Tambora vai explodir com a mesma intensidade de 1815, ou quando vai explodir. Mas sabemos que ele está despertando, o que certamente não é bom.

 

Fontes:

http://gizmodo.com/5842066/the-deadliest-volcano-in-the-planet-is-ready-to-explode-again

http://news.yahoo.com/farmers-flee-worlds-deadliest-volcano-rumbles-100259369.html

http://g1.globo.com/mundo/noticia/2011/09/indonesios-temem-nova-erupcao-de-vulcao-que-matou-90-mil-pessoas.html

http://pt.wikipedia.org/wiki/Monte_Tambora

 

O poder da Desinformação

Filed Under (Artigos, Defesa da Fé) by Geração Maranata on 14-08-2011

Tag: ,

This entry is part 10 of 10 in the series Técnicas para Mudança de Mente e Comportamento

Por: Geração Maranata

"Porque, falando coisas mui arrogantes de vaidades, engodam com os desejos libertinos da carne, e com dissoluções, aqueles que se estavam afastando dos que andam em erro." 2 Pedro 2:18

"O propósito é que não sejamos mais como crianças, levados de um lado para outro pelas ondas, nem jogados para cá e para lá por todo vento de doutrina e pela astúcia e esperteza de homens que induzem ao erro." Efésios 4:14

"Portanto, amados, sabendo disso, guardem-se para que não sejam levados pelo erro dos que não têm princípios morais, nem percam a sua firmeza e caiam." 2 Pedro 3:17

"Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos." 2 Timóteo 4:3

"No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição." 2 Pedro 2:1

"E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós." 1 Coríntios 11:19  

"A Desinformação é o nome técnico que se dá ao engano e à mentira, montados para ocultar, distorcer, ou induzir adversários a erro de julgamento." (Walter Felix)

"A premissa implícita aposta na estupidez do público, e às vezes acerta: se a mulherzinha não fosse mesmo uma peste, não seria tão odiada." (Olavo de Carvalho)

"Hoje em dia, a Desinformação serve para rotular qualquer afirmação que se deseje desmoralizar como inexata ou mentirosa." (Olavo de Carvalho)

"A arte da guerra consiste substancialmente de engodo” (Sun-Tzu)

"A Desinformação baseia-se no interesse do adversário em determinado assunto ou fato. Para ser bem sucedida, o patrocinador precisa estimular o interesse do alvo, alimentando-lhe todas as suposições falsas, para viabilizar o engodo." (Walter Felix)

 

O Poder da Informação Errada (a Desinformação)

O que é Desinformação?  Ato de silenciar ou manipular a verdade, praticado habitualmente nos meios de comunicação de massas.

Informo você sobre alguma coisa. Você está informado.

Eu alimento você com desinformação. Você acredita estar informado.

O objetivo é solidificar uma informação falsa ou incompleta que apóia uma causa ou um interesse.

A Desinformação muda o curso normal da informação, manipulando as pessoas de forma que entendam as situações contrariamente ao que devia ser correto entender.

A Desinformação se utiliza de práticas, recursos e táticas que consistem em manipular e influenciar a opinião pública e elas são empregadas largamente pela mídia.

Todas as notícias são escolhidas previamente e as informações divulgadas são selecionadas e chegam ao público após a aprovação do grupo que detém o poder de propagá-la.

Os fatores relativos a atividade da Desinformação baseam-se em:

• Ánalise da informação
• Ánalise do público alvo
• O uso de uma fonte confiável
• A manipulação por meio da apelação do interesse
• Tramento da mensagem com recurso a inversão
• O momento e o contexto a manipular
• O discurso persuasivo

Então como os leitores podem discernir a verdade nas entrelinhas das reportagens? Identificando as técnicas que são empregadas.

Há várias técnicas que são utilizadas para criar mensagens que sejam persuasivas, sejam elas verdadeiras ou falsas e estratégias de propaganda são associadas às mensagens visando modificar comportamentos, idéias ou sentimentos.

Alguns exemplos de técnicas que são largamente empregadas:

Informar uma grande Mentira e depois fazer uma retratação discreta

A mídia constantemente reporta, na primeira página do jornal ou capa de revista,  matérias de notícias desonestas, mentirosas e sem comprovação; depois, quando são contestadas ou desmascaradas, discretamente se retratam nas páginas internas.  O objetivo é fazer a mentira entrar no consciente coletivo. Uma vez que a mentira seja finalmente exposta, já é tarde demais, e uma grande proporção da população não observará, ou não se interessará em saber quando a verdade aparecer.

Omissão Seletiva

Uma simples informação, ou um item fundamental da verdade pode desencadear toda uma matéria de desinformação, de modo que em vez de comentá-la e tentar analisá-la, simplesmente fingem que ela não existe. Quando o fato é omitido, a mentira pode aparecer totalmente racional.

Distração e a Fabricação da Relevância

Algumas vezes a verdade chega ao conhecimento do público independente do que a mídia faça para enterrá-la. Quando isso acontece, o único recurso deles é tentar modificar o foco do público e, desse modo, distraí-lo da verdade.

Técnica empregada: em detrimento a um fato muito relevante que deveria ser reportado, a mídia pega outro fato pouco relevante e, reporta-o repetidamente até a saturação, fazendo muitas pessoas assumirem que, como a mídia não cessa de falar neste assunto, ele deve ser importante; com isso sobrepõe esse último fato irrelevante sobre o que de fato era importante.

Exemplo disso foi o recente apelo por uma auditoria no Sistema da Reserva Federal, que estava recebendo grande suporte do público, bem como suporte político. Em vez de reportar esse movimento incrível e sem precedentes em favor da transparência do Fed, a grande mídia passou mais de dois meses reportando a morte do cantor Michael Jackson, um ídolo da música Rock que não lançou nenhum álbum decente desde Thriller, praticamente divinizando o mesmo homem que alguns meses antes tinha sido execrado por sua "mão boba" ao lidar com crianças.

Atribuir uma atitude, idéia ou filosofia de vida a uma suposta ampla aprovação

Frases do tipo: "Na manifestação 'tal' compareceram dois milhões de pessoas", levam a crer que a citada manifestação, procissão ou passeata teve uma aceitação ampla. Tendemos então a simpatizar com tal ato, ou opinião, como seres sociais que somos damos mais crédito àquilo que tem aprovação de grande número de pessoas.

A estratégia do Esbatimento (diminuição progressiva de intensidade)

Para fazer aceitar uma medida inaceitável, basta aplicá-la progressivamente, de forma gradual. Exemplo: condições sócio-econômicas novas foram impostas durante os anos 1980 e 1990, como resultado houve desemprego maciço, precariedade, flexibilidade, deslocalizações, salários que já não asseguram um rendimento decente, todas essas mudanças teriam provocado uma revolução se houvessem sido aplicadas brutalmente. Geralmente é deste modo que as modificações sociais são impostas.

Apelo à autoridade

É a citação a uma figura proeminente que declara apoiar um posicionamento, idéia, argumento ou alguma ação em desenvolvimento.

Desaprovação

Técnica usada para desaprovar uma ação ou idéia sugerindo que ela é popular ou assumida em grupos odiados, ameaçadores ou que estejam em conflito com o público-alvo. Assim, se um grupo que apóia uma idéia é levado a crer que pessoas indesejáveis, subversivas ou conflitantes também a apóiam, os membros do grupo podem decidir mudar sua posição.

Efeito dominó

Efeito dominó e vitória inevitável: tenta convencer o público a colaborar com uma ação "com a qual todos estão colaborando" ("junte-se a nós"). Essa técnica reforça o desejo natural das pessoas de estar no lado vitorioso e visa a convencê-las, por exemplo, de que um certo programa é a expressão de um movimento de massa irresistível e que é de seu interesse se juntar a ele. A "vitória inevitável" incita aqueles que ainda não aderiram a um projeto a fazê-lo, pois a vitória é certa. Os que já aderiram se sentem confortados com a idéia de que tomaram a decisão correta e apropriada.

Estereotipificação ou Rotulagem

Essa técnica busca provocar a rejeição rotulando algo que o público tema, desgoste, tenha aversão ou considere indesejável.

Homem comum

O "homem do povo" ou "homem comum" é uma tentativa de convencer o público de que as posições publicadas refletem o senso comum das pessoas.

Racionalização

Indivíduos ou grupos podem usar afirmações genéricas favoráveis para racionalizar e justificar atos e crenças questionáveis. Frases genéricas e agradáveis são frequentemente usadas para justificar essas ações ou crenças.

Testemunho

Testemunhos são citações, dentro ou fora de contexto, efetuadas especialmente para apoiar ou rejeitar uma idéia, ação, programa ou personalidade. Explora-se a reputação ou papel (especialista, figura pública respeitada, etc.) daquele que é citado. O testemunho dá uma sanção oficial de uma pessoa ou autoridade respeitada à mensagem. Isso é feito num esforço de causar no público-alvo uma identificação com a autoridade ou para que aceite a opinião da autoridade como sua própria.

 

"Uma idéia repetida suficientemente se torna verdade". (Argumentum ad nauseam)

 

No dia 06-08-11 a revista Superinteressante publicou uma matéria (que ela mesma deveria ter o cuidado de seguir à risca) que vem ao encontro do assunto tratado neste post:

O poder que uma informação errada tem sobre a sua mente

"Duas pessoas conversam no trabalho:

- Você já conheceu o Artur, aquele cara novo que está trabalhando aqui? Ele parece legal, né?

- Ih, tome cuidado porque ouvi dizer que ele puxou o tapete dos colegas na outra empresa em que trabalhava. Dizem que esse cara é tão manipulador e egoísta que acho até que deve ser um daqueles psicopatas corporativos.

Não era verdade: Artur é gente boa e o segundo interlocutor o havia confundido com outra pessoa. Descoberto o engano, tudo foi esclarecido para não deixar o colega com uma impressão ruim a respeito do novato. Mas o estrago já havia sido feito. Um novo estudo descobriu que, mesmo que você peça para as pessoas ignorarem uma informação errada, isso não apaga a ideia inicial que ela causou.

Na pesquisa, feita pela Universidade da Austrália Ocidental, os psicólogos pediram que estudantes universitários lessem o relato de um acidente envolvendo um ônibus cheio de passageiros idosos. Os alunos foram então informados de que, na verdade, os passageiros não eram idosos. Para alguns alunos, a história acabou ali. Para outros, foi dito que o ônibus estava levando o time de hóquei da faculdade.

Depois, cada um teve que responder algumas perguntas sobre esse fato e o resultado mostrou o poder da desinformação: quem havia sido advertido sobre o engano e ouviu a história até o fim estava menos propenso a errar do que os outros, mas ainda assim acabou concordando com afirmações como “os passageiros tiveram dificuldade para sair do ônibus porque eles eram idosos e frágeis”.

Isso indica que, mesmo que você compreenda, lembre e acredite na correção posterior, a informação que você recebeu inicialmente ainda vai afetar o seu raciocínio e suas conclusões. Para o psicólogo Ullrich Ecker, um dos autores do estudo, tal fato revela um pouco sobre como funciona a nossa memória.

“Apesar de as pessoas terem alguma capacidade de evitar a confiança indevida em informações de má qualidade, isso ainda continua a afetar o seu raciocínio”, explica ele. “Nossa memória está constantemente conectando fatos novos e antigos e amarrando os diferentes aspectos de uma situação em conjunto, de modo que nós aproveitamos, ainda que inconscientemente, fatos que sabemos ser errado para tomar decisões mais tarde”.

Os pesquisadores descobriram que uma advertência específica – dando informações detalhadas sobre o efeito influência da desinformação – conseguiu reduzir a influência das informações iniciais, mas não eliminá-la. E não adianta avisar as pessoas de que as informações nem sempre são checadas antes de serem espalhadas – Ecker disse que isso é ainda menos eficaz.

O lance é sempre checar bem as informações antes de espalhá-las por aí porque, mesmo que você corrija algum eventual erro depois, elas podem ter efeitos duradouros sobre a imagem de algo ou alguém."

Fonte: http://super.abril.com.br/blogs/como-pessoas-funcionam/o-poder-que-uma-informacao-errada-tem-sobre-a-sua-mente/

 

Como a mída produz desinformação: 

Algumas Revistas brasileiras insistem em abordar assuntos que, para elas, são totalmente desconhecidos, como por exemplo: Deus, Jesus Cristo, Bíblia e o próprio Cristianismo.

Percebe-se com facilidade o preconceito e discriminação dessas Revistas para com o Cristianismo e tudo que é relacionado a ele.

Os artigos, em sua maioria, são escritos por pessoas que não sabem e não podem interpretar a Bíblia; que não sabem a diferença entre o Antigo e o Novo Testamento.

"A Bíblia é um livro escrito por revelação e só é possível entendê-la e interpretá-la através da revelação dada pelo Espírito Santo."

Quando chamam ‘especialistas’ para opinar sobre algum assunto, esses, além de serem desconhecidos do público, são escolhidos por serem teólogos liberais, agnósticos ou ateus.

Nota:
Agnósticos: Afirmam que não é possível a razão humana provar – ou não – a existência de Deus.
Teólogos Liberais – Negam a validade de quase todos os fundamentos da fé, como, por exemplo, a inerrância das Escrituras, a divindade de Cristo, a necessidade da morte expiatória de Cristo, seu nascimento virginal e sua ressurreição. Chegam até mesmo a negar que existiu realmente o Jesus narrado nas Escrituras. Para eles, não existe inferno e muito menos o conceito de pecado. O liberalismo é um sistema racionalista que só aceita o que pode ser “provado” cientificamente.
Ateus – Negam a existência de Deus.

Com suas informações tendenciosas e parciais usam de estratégias para manipular a opinião pública e conduzi-la a rejeitar as doutrinas e fundamentos cristãos.

Se quisessem fazer o que propõem – informar com imparcialidade – deveriam entrevistar também líderes cristãos respeitados e conhecidos entre as igrejas Evangélicas. Seria mais honesto trazer a informação sob todos os pontos de vista e deixar o leitor julgar e escolher em que acreditar.

Porém, essa tendência é mundial, pois é necessário que venha a apostasia.

Por esse motivo há tanta literatura, documentários, programas de TV, filmes, vídeos, etc, para que seja discutido, entre outras coisas, quem era Jesus e se ele existiu.

As pessoas são bombardeadas o tempo todo com afirmações do tipo: Deus não existe; Jesus é um mito; Jesus é um plágio; Jesus existiu sim, mas era um homem como qualquer outro; Jesus existiu sim e se casou e teve filhos; a Bíblia está cheia de erros, contradições e seus personagens não existiram; e por aí vai.

Pergunto: Por que gastar tanta energia, tempo e dinheiro para realizar essas matérias? Por que esse empenho de fazer com que as pessoas engulam mentiras, sempre fundamentadas por “autoridades” no assunto?

Primeiro porque eles estão aplicando o 'método de mudança de mente e pensamento', segundo porque as pessoas acreditam em tudo sem buscar informação sobre o assunto e terceiro porque $vende$ muuuiito.

Para se ter uma idéia da quantidade de matérias publicadas que são relacionadas ao Cristianismo, basta ir ao site da revista e colocar no campo ‘busca’ algumas palavras-chaves e teremos como resultado o seguinte:

Revista Superinteressante:

  • 12398 resultados para "Jesus"
  • 12219 resultados para "Bíblia"
  • 10081 resultados para "Deus"
  • 101 resultados para "Espiritismo"
  • 412 resultados para "Islamismo"
  • 107 resultados para "Hinduísmo"

Revista Galileu:

  • Resultados 571 para Jesus
  • Resultados 389 para Bíblia
  • Resultados 800 para Deus
  • Resultados 103 para Espiritismo
  • Resultados 40 para Islamismo
  • Resultados 27 para Hinduísmo

Revista Época:

  • Resultados 393 para "Jesus Cristo"
  • Resultados 411 para Bíblia
  • Resultados 602 para Deus
  • Resultados 134 para Espiritismo
  • Resultados 319 para Islamismo
  • Resultados 66 para Hinduísmo

Revista Isto É:

  • 171 resultados encontrados para "Jesus Cristo"
  • 34 resultados encontrados para Bíblia
  • 1364 resultados encontrados para Deus
  • 35 resultados encontrados para Espiritismo
  • 69 resultados encontrados para Islamismo
  • 3 resultados encontrados para Hinduísmo

Revista Veja:

  • 6281 resultados para Jesus Cristo
  • 2013 resultados para Bíblia
  • 40652 resultados para Deus
  • 182 resultados para Espiritismo
  • 754 resultados para Islamismo
  • 78 resultados para Hinduismo

Dentre esses resultados encontramos alguns exemplos de matérias, a maioria de capa:

Revista Superinteressante:

  • Deus, uma Biografia - Pesquisadores revelam que Javé, o grande personagem da Bíblia, não foi visto sempre como Deus único. Antes do Livro Sagrado, ele era só mais um entre muitas divindades. Saiba como Deus conquistou seu espaço no céu. E na Terra
  • Procura-se Jesus Cristo – Como rastrear a verdade sob o mito
  • Quem foi Jesus? - Ele não nasceu em Belém, teve vários irmãos e sua morte passou quase despercebida no Império Romano. A história e a arqueologia desencavam o Jesus histórico – um homem bem diferente daquele descrito nos evangelhos
  • O evangelho segundo Judas – Por dois milênios, Judas foi apontado como o maior traidor de Jesus. Agora, documentos sugerem que ele pode ser sido o mais fiel de seus seguidores
  • O homem que inventou Cristo - O mundo cristão não seria o mesmo sem a mensagem que São Paulo transmitiu ao Império Romano. Para conquistar fiéis, ele fez concessões que desagradaram aos discípulos de Jesus – e ainda despertam acirradas discussões entre pensadores e religiosos. Afinal, Paulo espalhou ou deturpou a palavra de Cristo?
  • Esse homem chamado Jesus - Perfil de Jesus, o homem que lançou as bases do cristianismo, a religião que possui mais adeptos em todo o mundo.
  • Jesus Cristo teve filhos? – Embora seja uma simples obra de ficção, o best-seller O Código Da Vinci – maior sucesso editorial do ano – se apóia em teses aceitas por muitos conspirólogos, que afirmam: Jesus se casou com Maria Madalena e teve dois filhos
  • A Bíblia passada a limpo – Novas descobertas arqueológicas indicam que as histórias narradas no livro sagrado estão mais para lendas do que para verdades históricas.
  • Um outro Jesus - Os evangelhos apócrifos provocam polêmica ao revelar um Cristo que não está na Bíblia. Conheça esses textos que já foram sagrados e depois acabaram proibidos e perseguidos pela Igreja.
  • A história secreta do cristianismo – Os apócrifos revelam que o Novo Testamento não nasceu pronto e acabado e que os textos que servem de base para a atual doutrina cristã passaram por um complicado processo de “edição”.
  • A fraude de São Paulo – Embora não esteja entre os evangelistas e nem sequer tenha sido um dos 12 apóstolos, Paulo de Tarso é tido como um dos maiores intérpretes do cristianismo.
  • Judas Iscariotes: de traidor a herói – Documentos históricos questionam a imagem de vilão do apóstolo acusado de trair Jesus Cristo
  • Jesus era um astronauta? - A origem extraterrestre de Cristo, sugerida em trechos da Bíblia, estaria sendo escondida para não destruir as antigas religiões do planeta.
  • Teriam existido cristãos antes de Cristo? Cientistas de todo o mundo poderão estudar os documentos dos essênios, uma seita religiosa anterior a Cristo, que tinha doutrina semelhante à dos cristãos.
  • Quem escreveu a Bíblia? – A história de Deus foi escrita pelos homens. Mas quem é o autor do livro mais influente de todos os tempos? As respostas são surpreendentes – e vão mudar sua maneira de ver as Escrituras
  • Que reis foram estes? – Diz a Bíblia que "uns magos", guiados por uma estrela, vieram do Oriente à procura de um recém-nascidoo rei dos judeus. Mas não diz quantos eram, de onde vinham exatamente nem se eram mesmo reis.
  • Jesus não tivesse sido crucificado? – Sem essa mística, talvez o Império Romano não viesse a adotar o Cristianismo como religião oficial três séculos depois.
  • O segredo de Leonardo – Saiba o que há por trás das teorias conspiratórias e das supostas verdades históricas do livro de Dan Brown.
  • As primeiras palavras de Deus – Há cinqüenta anos, dois beduínos encontravam centenas de pergaminhos enterrados no deserto. Hoje, setenta cientistas estão prestes a terminar a tradução dos Manuscritos do Mar Morto, os mais antigos textos bíblicos conhecidos.
  • Quem é o anti-Cristo? – O presidente George W. Bush, o bilionário Bill Gates e o ator-governador Arnold Schwarzenegger são alguns dos suspeitos de serem a moderna encarnação do Capeta. Segundo a organização Anti-Christ Watch, é bom ficar de olho neles.
  • Traduzindo a palavra de Deus –  A tradução das escrituras sagradas é um desafio tão grande que merecia uma ajuda divina. O que fazer quando não se pode contar com ela?
  • A bíblia como ela é – E se Moisés morasse em Nova York? Um jornalista americano decidiu passar um ano inteiro seguindo as leis bíblicas ao pé da letra
  • O que matou Jesus? – O médico israelense Benjamin Brenner formulou uma nova hipótese para a morte de Cristo: embolismo pulmonar.
  • Abraão – Primeiro dos patriarcas, ele moldou a fé monoteísta e estendeu sua influência até os dias de hoje. Mas apesar de toda essa importância, a ciência acredita que ele jamais tenha existido.
  • Procura-se Deus – Em pleno século 21, a humanidade continua tentando conciliar fé e razão. Mas será que algum dia a ciência terá condições de provar que foi mesmo Deus (ou alguma outra entidade superior) quem criou o Universo e determinou os rumos da evolução?
  • Deus existe? - Há 100 anos, a ciência tinha certeza de que descobriria sozinha os mistérios do universo. Hoje, ela busca na religião respostas para grandes questões.
  • Deus é bom? – Nem sempre. Em mitologias de todas as épocas e culturas é possível encontrar uma faceta bem diferente do deus amoroso e compreensivo tão valorizado no ocidente.
  • Deus é coisa da sua cabeça – Com a ajuda de tomografias computadorizadas,o médico Andrew Newberg pesquisa os mistérios da manifestação religiosa no cérebro.

Revista Época

  • Sete mitos sobre Deus
  • Textos rejeitados pela Igreja dizem que o avô de Cristo era um rico comerciante de gado, a avó era estéril e que Maria teve outros filhos
  • À luz da Bíblia
  • O livro sagrado está vendendo como nunca. E continua sendo reescrito pelas várias correntes do cristianismo
  • A Bíblia, reescrita pela ciência
  • Pesquisas arqueológicas criam polêmica ao desmentir as versões mais aceitas dos relatos bíblicos
  • O julgamento de Jesus
  • A companheira de Jesus
  • Discípula ou amante, apóstola ou esposa? Historiadores e teólogos discutem o papel de Madalena no cristianismo
  • Os divulgadores de Cristo – Um novo livro sobre os Evangelhos afirma que, na falta de fatos, as várias versões da vida de Jesus foram escritas para conquistar plateias diferentes
  • Tiago, filho de José, irmão de Jesus - Uma urna mortuária descoberta em Jerusalém pode ser a mais antiga evidência material da existência de Cristo
  • Entenda a polêmica em torno do livro O Código Da Vinci
  • Jesus na boca do povo – O Jesus Cristo histórico dos textos apócrifos rejeitados pela Igreja Católica começa a ocupar o lugar do Messias descrito nos Evangelhos.
  • Apocalipse
  • A família oculta de Jesus – Textos não autorizados ajudam a compor um perfil surpreendente dos ancestrais do Messias e do ambiente familiar no qual Ele viveu. Neles, o avô de Cristo era um rico comerciante de gado, a avó era estéril e que Maria teve outros filhos.
  • A Bíblia, reescrita pela ciência – A arqueologia traz à tona descobertas sobre os fatos narrados no Antigo Testamento, enquanto a busca pelo Jesus histórico ainda engatinha.
  • A construção de Cristo – Como as palavras de um profeta pouco conhecido em seu tempo deram origem à maior religião do mundo.
  • Religião: Jesus teria usado maconha para curar leprosos
  • Textos não autorizados ajudam a compor um perfil surpreendente dos ancestrais do Messias e do ambiente familiar no qual Ele viveu
  • O Evangelho Segundo Judas – O que levou o último dos apóstolos a trair Jesus? A resposta pode estar em manuscritos inéditos, que trazem a versão do traído.
  • Trechos da Bíblia que geram polêmica
  • A ciência dos milagres – Físicos, astrônomos, epidemiologistas e oceanógrafos criam teorias para explicar os acontecimentos da Bíblia
  • Uma releitura da Bíblia – ÉPOCA entrevistou o escritor americano David Plotz, que fez uma crítica da Bíblia como se fosse um livro “comum”

Revista Galileu

  • O que Jesus disse e o que não disse
  • Reconstruindo Jesus
  • CSI Jesus - Novas descobertas trazem à tona um homem simples, talvez analfabeto, difícil de ser rastreado e longe de se sentir uma entidade poderosa e onisciente. Como ficam as crenças cristãs diante desse Jesus histórico?
  • Mais Velhos que Jesus Cristo
  • De Jesus a Cristo
  • A Nova Fé
  • Dossiê
  • Essênios – Elo com Jesus está perdido
  • Evangelhos apócrifos
  • O outro Judas
  • Saindo das sombras – Judas e Jesus são tema de livro de escritor francês
  • A cruz na história
  • Quanta besteira!
  • A face feminina de Deus
  • É tudo ficção
  • A estrela de Belém
  • É tudo verdade – Zeitgeist
  • O Manto insolúvel
  • Adão foi bissexual e a Bíblia é escravagista
  • Quem é o diabo
  • Antes de Cristo − Pesquisador diz ter achado refúgio de São João Batista, precursor (e, Talvez, mentor) de Jesus
  • Jesus: um rebelde Para pesquisador americano, Cristo era líder de um movimento pacífico contra o império romano
  • A bíblia na prática – dá para viver segundo a bíblia hoje ?
  • A Bíblia dá razão a Darwin? - Etnógrafo americano se debruça sobre passagem de adultério envolvendo o Rei David e extrai dali uma aula de evolução humana em forma literária
  • Acredite se quiser – Museu criacionista nos EUA defende a criação do mundo de acordo com a Bíblia
  • Deus está morto? Livro e filme recém-lançados engrossam o coro dos neoateístas e juntam novos argumentos contra a fé religiosa
  • Criacionismo – A religião contra-ataca
  • Os genes de Deus

Leia também:

Informação e Desinformação:  http://www1.webng.com/curupira/desinf.html

A Mídia com o Poder de Informação e Desinformação: http://artigosenotas.blogspot.com/2007/04/mdia-como-poder-de-informao-e.html

Jesus e os Eruditos: http://www.chamada.com.br/mensagens/jesus_eruditos.html

Desinformação: http://www.midiasemmascara.org/index.php?option=com_content&view=category&id=8:desinformacao&Itemid=14

 

Fontes pesquisadas:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Contrainforma%C3%A7%C3%A3o

http://pt.wikipedia.org/wiki/Propaganda

http://www.midiasemmascara.org/

http://www.criacionismo.com.br/2011/08/o-jornalismo-oculto-da.html

http://gospelbrasil.topicboard.net/t5059-regras-da-desinformacao

http://juizofinal.wordpress.com/2010/09/03/manipulacao-as-10-estrategias-que-sao-utilizadas-pela-midia-na-populacao/

http://perso.wanadoo.fr/metasystems/Manipulations.html

**Geração Maranata** – Se for copiar cite a Fonte! Deus te abençoe.

Crescimento do Himalaia aumenta temor por forte terremoto

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 28-05-2011

Tag: , ,

A neve no topo do Himalaia parece eterna e adormecida, mas não está: cresce a um ritmo anual de quatro milímetros devido à pressão das placas tectônicas, o que aumenta no Nepal o temor por um terremoto. O fenômeno escapa ao olho humano, mas data de milhões de anos. A placa indiana desliza com lentidão sob a placa eurasiática, e essa pressão levanta pouco a pouco as montanhas mais altas da terra.

“O subcontinente indiano está situado sobre a placa tectônica indo-asiática, que empurra a europeia a cada ano em direção ao norte”, disse à Agência Efe o geólogo Sudhir Rajouria, do Departamento de Minas e Geologia do governo do Nepal.

Há centenas de milhões de anos, o subcontinente indiano estava situado, segundo os geólogos, onde hoje está a ilha africana de Madagascar, e desde este local iniciou sua viagem para o nordeste pelo movimento da litosfera terrestre.

“Há 50 ou 55 milhões de anos, o subcontinente bateu na placa eurasiática, na qual está o Tibete”, explicou Rajouria. O impacto entre as duas gigantescas massas terrestres deve ter sido intenso, afinal criou a cordilheira mais alta da terra: o Himalaia, uma fileira de 2.200 quilômetros de montanhas, onde estão o Everest e grande parte dos picos mais procurados pelos alpinistas.

A ação das placas pode ser sentida: a cordilheira, segundo Rajouria, cresce por ano 4 milímetros para o alto, porque a placa indiana segue deslizando entre 2 e 2,5 centímetros anuais sob a eurasiática.

Na superfíce, a queda-de-braço entre as duas placas tem consequências potencialmente aterrorizantes no Nepal, onde os especialistas preveem um “grande terremoto” e a população reage aterrorizada a qualquer notícia de sismos em outros lugares.

Do turismo associado ao Himalaia, o Nepal obtém uma de suas principais fontes de receita, mas, ao mesmo tempo, sua situação geográfica na confluência das duas placas faz com que seja inevitável sofrer algum grande terremoto ocasionalmente.

“Um avanço acumulado da placa entre 3 e 5 metros é suficiente para causar um grande terremoto. Se o empurrão acumulado é de 2,5 centímetros ao ano, em 100 anos o avanço é de 2,5 metros”, declarou à Efe o geólogo Amod Mani Dixit.

Na última década aconteceram dois grandes terremotos associados ao movimento da placa indo-asiática: um na região indiana de Gujarat em 2001, e outro que causou a morte de 75 mil pessoas no território da Caxemira, repartido entre a Índia e Paquistão.

O último grande tremor no Nepal ocorreu em 1934, deixando mais de 20 mil mortos no leste do país, mas o oeste não sofreu sismos significativos nos últimos 500 anos, ressaltou Dixit, diretor da Sociedade Nacional de Tecnologia de Terremotos (NSET).

Diferentes estudos identificaram no Nepal um total de 95 falhas ativas que poderiam funcionar como possíveis epicentros de terremotos e ter consequências catastróficas; um terremoto de 8 graus na escala Richter causaria 100 mil mortos e 300 mil feridos em Katmandu e destruiria 60% das casas, pontes e instalações elétricas, segundo um estudo da NSET.

“A preparação para os terremotos é de pouca prioridade para os políticos. Existem 28 agências diferentes implicadas e, quando for necessário, a coordenação entre elas será difícil”, afirmou Dixit.

De acordo com o geólogo, o Nepal, um dos países mais pobres do mundo, precisa de uma resposta integrada para os sismos, e não tem ferramentas eficazes nem para prevenir a catástrofe nem para enfrentar suas possíveis consequências.

O governo aprovou em 2009 uma iniciativa de prevenção batizada como Estratégia Nacional para a Gestão de Riscos de Desastres, mas ainda não fez nada para aplicá-la.

Apesar do medo de terremotos, o Nepal também reconhece que a magia da atividade tectônica está relacionada à sua própria existência. “O Nepal não existiria sem esse movimento. Provavelmente seríamos parte da Índia ou da China”, reconheceu o especialista.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5152491-EI238,00-Crescimento+do+Himalaia+aumenta+temor+por+forte+terremoto.html

 

Preparando-se para o Fim-do-Mundo – Guia contra ataques

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 23-05-2011

Tag: ,

This entry is part 2 of 3 in the series Preparando-se para o Fim-do-Mundo
por Geração Maranata
Atualizado em 06/04/2012
Parece mentira e bizarro ao mesmo tempo

Uma empresa polonesa projetou uma casa à prova de zumbis e agora o governo americano criou um órgão chamado CDC – Centers for Disease Control and Prevention, onde entre outras coisas, pretende preparar as pessoas para um possível ataques de zumbis (isso mesmo! mortos-vivos ou alienígenas como alguns estão sugerindo).

Muita gente acredita mesmo que o mundo vai acabar em 2012 e que em breve podemos receber visitas de extraterrestres (zumbis?).

Pensando nisso, os Estados Unidos publicou oficialmente um guia de sobrevivência em caso de um possível ataque.

Matéria publicada no R7:

Campanha e Kit de sobrevivência

Governo dos EUA divulga guia contra ataque de zumbis

Saiba o que você precisa ter e o que deve fazer, caso os mortos-vivos ataquem

Muita gente acredita que o mundo vai acabar em 2012. O CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos Estados Unidos tem um palpite de como esse fim se dará: por uma infestação de zumbis.

Não, você não leu errado. Foi publicado oficialmente pelo governo americano um guia de sobrevivência, para um possível apocalipse causado por mortos-vivos.

O manual começa dizendo que podemos nos preparar para diversas emergências, entre elas uma dominação de comedores de carne humana rastejantes que ficaram famosos em filmes, seriados e quadrinhos.

- Você pode rir agora, mas, quando acontecer, você ficará feliz de ter lido isso. Talvez você aprenda uma coisa ou duas sobre como se preparar para uma emergência real.

Há também um kit, fundamental para que as pessoas sobrevivam à essa situação – ou a qualquer outra catástrofe que aconteça. Seus itens são: um galão de água por pessoa por dia, comidas não perecíveis, medicamentos e produtos de primeiros-socorros, documentos importantes (passaporte, identidade), produtos de higiene (sabão, detergente, toalha), cobertor e pelo menos uma troca de roupa para cada membro da família.

Além disso, o texto ainda dá dicas de como traçar planos de emergência. Entre as sugestões, estão identificar tudo que possa ser perigoso no local onde você mora, escolher um ponto de encontro caso você se perca de sua família e planejar rotas de fuga.

- Todos esses planos ajudam na fuga de uma enchente, terremoto ou furacão.

Segundo o tabloide britânico Metro, o site do manual recebeu tantas visitas que saiu do ar. Um porta-voz do CDC contou que a campanha é uma espécie de brincadeira, mas com dicas úteis para pessoas que estejam preocupadas com casos como os tsunami e terremotos que aconteceram este ano no Japão, por exemplo.

No fim do documento, o CDC afirma que, caso os zumbis tomem mesmo conta das ruas, o órgão estará pronto para providenciar assistência a quem precisar, até mesmo para outros países.

Portanto, não precisa de pânico. Monte o kit e fique sossegado.

http://noticias.r7.com/esquisitices/noticias/governo-dos-eua-divulga-guia-contra-ataque-de-zumbis-20110519.html?question=0

O que diz o CDC:

Zombie Apocalypse – Para ler na íntegra acesse o site: http://emergency.cdc.gov/socialmedia/zombies_blog.asp

 

Uma empresa na Polônia criou uma casa à prova de zumbis.  Estão levando à sério o ataques de zumbis ou alienígenas.

O fato é muitas pessoas acreditam que algo vai acontecer e não sabem bem o que, por isso tentam se antecipar aos acontecimentos criando mecanismos de proteção.

"Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela." (Salmos 127:1)

Arquitetos criam casa-fortaleza contra o apocalipse e à prova de zumbi

Esquema de Segurança da casa

Empresa polonesa é responsável pelo projeto totalmente protegido contra ameaças deste ou do outro mundo.

Se não está preparado para enfrentar uma invasão alienígena, ou se tem paranóia da segurança, então, esta casa é para você!

A empresa polonesa KWK Promes projetou e construiu uma casa totalmente à prova de zumbis. Depois de dois anos de projetos e quatro anos de construção, a “Safe House” ganhou, literalmente, vida em uma cidade situada aos arredores de Varsóvia, capital da Polônia.

Edificada em uma ampla área de 2,5 mil m², a residência de dois andares tem paredes de concreto móveis, capazes de subir e descer de acordo com a vontade — ou o medo — do dono da casa. Ou seja, um belo dia de sol pode ser aproveitado sem problemas pela família, enquanto os perigos da noite podem ser barrados pelas espessas camadas de cimento e pedras que envolvem a construção.

Modo antizumbi: ON

A mansão foi planejada para dar a sensação de máxima segurança aos seus moradores. Com as muralhas fechadas, o mausoléu se torna um imponente forte, praticamente impenetrável por seres humanos ou zumbis. Nesse modo, a única passagem para dentro do ambiente fica localizada no segundo andar e é acessada por uma ponte.

Já dá para imaginar: o alto da ponte é um ponto estratégico para empunhar qualquer tipo de arma e disparar uma avalanche de tiros nas hordas de zumbis. Se isso não for suficiente, um lança-chamas posicionado bem na entrada de acesso à casa pode reduzir a pó qualquer tipo de esperança dos mortos-vivos.

Graças à forma robusta, semelhante a um bloco retangular, quaisquer imprevistos podem ser evitados — nada de invasores chegando pelo telhado ou ameaças escondidas se hospedando no porão.

Modo antizumbi: OFF

Por trás de toda a frieza do concreto, há um design interno bastante sofisticado, cheio de luxo e conforto. Desenvolvida independentemente pela decoradora Magdalena Radalowicz, a arquitetura interior é elegante, com direito a piscina e um área útil de 556 m².

E a inteligência da casa não fica apenas na segurança. Um sistema híbrido de aquecimento se utiliza de energia solar e bombas de calor, garantindo o controle de temperatura da casa tanto com as muralhas abertas quanto fechadas. A eletricidade também é proveniente em sua maioria de fontes sustentáveis.

Sem zumbis à vista, as crianças podem brincar livremente no gramado que, de tão enorme que é, comporta até um campinho de futebol improvisado. Atrás das cortinas de concreto, a região lateral externa do primeiro andar conta com um charmoso deck, inspirador para cafés da manhã em família nos dias de paz.

Esconderijo para 2012?

As teorias sobre o fim do mundo não são novidade e, após o marco de passagem do milênio, a data de 12/12/2012 virou o principal alvo de hipóteses conspiratórias, seitas apocalípticas e adeptos do misticismo — isso sem esquecer, claro, os entusiastas de zumbis.

Durante a Segunda Guerra Mundial e em tempos de Guerra Fria, vários países construíram bunkers impenetráveis, muitos dos quais continuam em pé até hoje.

As ameaças de bomba nuclear motivaram a construção dessas fortalezas militares em locais de importância tática, normalmente onde ocorriam testes e desenvolvimento de armas, além de reuniões de planejamento do alto escalão da inteligência.

Após a queda do muro de Berlim, as paranoias diminuíram e o mundo adentrou em uma era mais tranquila. Mas, eis que…Surge a internet, que ajuda a disseminar inúmeras histórias e mitos sobre como o planeta pode acabar de um dia para o outro, seja por causa de aliens, zumbis, cometas, mercenários da tecnologia ou gripes inéditas.

Com tudo isso em mente, serão os dias de hoje a época perfeita para se adquirir uma Safe House e morar nela junto com a família?

Aplicações reais

Para além da ficção, a Safe House pode representar uma escolha conveniente de segurança para edificações de alto padrão que exigem um esquema extra de proteção. Museus, galerias, centros de convenções, joalherias e qualquer outro estabelecimento com pertences valiosos poderia usar o sistema de paredes móveis para intimidar possíveis assaltantes.

site da empresa: http://www.kwkpromes.pl/

 

Cidade inglesa admite estar despreparada para ataque de zumbis

A Prefeitura da cidade inglesa de Leicester admitiu estar despreparada para um eventual ataque de zumbis.

A admissão ocorreu devido ao pedido de um morador que se identificou como "cidadão preocupado".

Ele enviou uma carta à Prefeitura afirmando que um ataque do gênero seria uma possibilidade para a qual as autoridades deveriam estar preparadas.

"Os senhores poderiam por favor me informar quais as medidas adotadas em caso de uma invasão de zumbis?", escreveu o cidadão.

"Tendo visto vários filmes, está claro que as preparações para um evento deste são falhas, e as prefeituras do reino deveriam se precaver. Por favor, forneçam qualquer informação que vocês possuam", completou.

Prédios mal-assombrados

"Já tivemos alguns (pedidos) extravagantes antes, mas este provocou risos", disse a responsável pelo departamento de Comunicação da Prefeitura, Lynn Wyeth

Ela disse ter respondido que não estava ciente de nenhum preparativo específico para um ataque de zumbis, mas afirmou que alguns elementos presentes nos planos emergenciais da prefeitura poderiam ser adaptados caso a situação ocorra.

Segundo ela, a Prefeitura já teve outras solicitações estranhas, como pedidos de informações sobre quais seriam os prédios mal-assombrados da cidade e sobre a ocorrência de atividades paranormais em Leicester.

"Isto pode parecer frívolo e uma perda de tempo (…) mas para alguns tem significado. Todos têm seus interesses e motivos para fazer este tipo de perguntas", afirmou Wyeth.

Fonte: BBC

 

Matemáticos calculam possibilidade de Humanidade sobreviver a 'ataque de zumbis'

Um grupo de cientistas das Universidades de Carleton e Ottawa, no Canadá, publicou um estudo que usa rigor matemático para responder a uma pergunta que faz sentido apenas na ficção: a Humanidade conseguiria sobreviver a um ataque de zumbis?

Intitulado "Quando zumbis atacam!: Criando um Modelo Matemático de um Surto de Infecção por Zumbis", o estudo foi publicado no livro científico "Pesquisa sobre Modelos de Progressão de Doenças Infecciosas".

O exercício matemático considera várias opções e cenários, incluindo quarentenas bem e mal sucedidas de infectados, assim como a possibilidade de alguns humanos sobreviverem, mas terem que co-existir com zumbis

Os autores afirmam que um ataque de zumbis poderia acabar com a civilização a não ser que a reação fosse "rápida e bastante agressiva". Mas advertem:

“Se a escala do surto aumentasse, então, o resultado seria o do juízo final: um surto de zumbis resultaria no colapso da civilização, com todos os humanos infectados, ou mortos. Isso porque nascimentos humanos e mortes dariam aos zumbis um suprimento infinito de novos corpos para infectar, ressuscitar e converter", afirmam os autores.

Para dar aos vivos uma chance de lutar, entretanto, os pesquisadores escolheram zumbis “clássicos”, que se locomovem lentamente, em vez de criaturas mais inteligentes e ágeis mostradas em alguns filmes recentes.

O professor Robert Smith? (o ponto de interrogação faz parte do nome dele, para diferenciá-lo do cantor homônimo da banda The Cure) e seus colegas explicaram como o estudo foi feito:

“Nós criamos um modelo de ataque de zumbis usando suposições biológicas baseadas em filmes de zumbis. Nós introduzimos um modelo básico para infecções de zumbi e ilustramos o resultado com soluções numéricas.”

Fonte: BBC

 

Data: 04-04-2012

 

Rússia trabalha em arma para transformar pessoas em zumbis
 
Parece brincadeira de 1º de abril, mas o presidente da Rússia confirmou o projeto de uma arma capaz de controlar a mente das pessoas.
 
De acordo com o jornal Herald Sun, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, confirmou que o país vem testando uma arma psicotrônica capaz de controlar a mente das pessoas. O equipamento futurista, que atinge o sistema nervoso central das vítimas, está sendo desenvolvido por cientistas e poderá ser usado contra nações inimigas e até mesmo dissidentes políticos que enfrentam o atual governo.
 
Putin descreveu a arma como um instrumento novo que pode servir para atingir objetivos políticos e estratégicos. Até mesmo alguns detalhes da “controladora de mente” foram divulgados. É sabido, por exemplo, que ela dispara radiação eletromagnética de maneira semelhante aos fornos de micro-ondas, causando um grande desconforto em suas vítimas.
 
"Você está sob o meu controle!"
 
O ministro da defesa Anatoly Serdyukov disse que, em testes recentes, a arma foi usada para dispersar multidões. De acordo com relatos, a pessoa que recebeu a radiação da arma sentiu que a temperatura do seu corpo aumentou rapidamente. Apesar de alguns segredos de funcionamento não terem sido divulgados, o jornal alega ser conhecido o fato de que ondas de baixa frequência podem afetar células do cérebro, alterar o estado psicológico e até mesmo transmitir sugestões e comandos diretamente para o pensamento de alguém, como se fosse telepatia.
 
Apesar de a notícia parecer roteiro de filme B, talvez agora você tenha motivos para prestar atenção naquele infográfico sobre como sobreviver a um ataque zumbi.

Fonte: http://www.tecmundo.com.br/tecnologia-militar/21718-russia-trabalha-em-arma-para-transformar-pessoas-em-zumbis.htm#ixzz1rBWtHYZ0

Original: http://www.heraldsun.com.au/technology/sci-tech/russia-working-on-electromagnetic-radiation-guns/story-fn5iztw3-1226317396841

 

Leia também: http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/e-se-sofressemos-um-ataque-de-zumbis-19082009-8.shl

Fontes pesquisadas:

http://oglobo.globo.com/blogs/moreira/posts/2011/05/09/arquitetos-criam-casa-fortaleza-contra-zumbis-apocalipse-379315.asp

http://www.tecmundo.com.br/10052-projetada-primeira-casa-a-prova-de-zumbis.htm

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2011/06/110610_zumbis_leicester_rc.shtml

http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/2009/08/090818_zumbisinfeccao_ba.shtml

Autor: **Geração Maranata** Se for copiar cite a Fonte!

Preparando-se para o Fim-do-Mundo – A nova Arca de Noé

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 10-05-2011

Tag: , ,

This entry is part 3 of 3 in the series Preparando-se para o Fim-do-Mundo

Atualizado em 15/07/2011

Mais um preparativo para um possível evento apocalíptico.

 

A Arca pode se manter flutuando indefinidamente e manter seus habitantes de forma autônoma.

 

Preparados para um possível "apocalipse ambiental", arquitetos russos criaram um hotel-barco que abriga uma fortaleza ecológica autossuficiente.

Seu nome e formato lembra uma tradicional história bíblica: Ark Hotel (Hotel Arca, em português).

Essa espécie de 'Arca de Noé' moderna está preparada para superar tragédias naturais, como terremotos e maremotos, uma vez que tem pesos equilibrados em suas extremidades. Ela foi criada principalmente para resistir a inundações causadas pela elevação dos níveis do mar.

O superbarco foi desenvolvido pela companhia russa RemiStudio com a ajuda do programa 'Arquitetura de Catástrofes da União Internacional dos Arquitetos'.

O projeto também é sustentável: está totalmente equipado com painéis solares, tem uma casca de vidro para uso de luz natural e coletores de água da chuva. A vegetação conservada no espaço ainda é variada e capaz de oferecer até alimentos aos ocupantes.

Enchentes, tsunamis e mares em elevação não serão problema para os habitantes da Arca.

A Arca

Criada para atender à "Arquitetura de Auxílio contra Desastres", um programa lançado pela União Internacional de Arquitetos.

O projeto visa fornecer aos moradores tudo o que é necessário para que eles sobrevivam a um desastre natural, inclusive flutuar no caso de uma "repentina elevação do nível dos oceanos".

Segundo seus criadores, a Arca pode ser construída tanto em terra quanto como um barco.

Talvez não dê para levar um casal de cada animal da Terra, mas há espaço de sobra para muita gente: são 14.000 metros quadrados de área útil total.

A Arca contém um sistema independente de suporte de vida, incluindo elementos que permitem assegurar o funcionamento de um ciclo fechado, mantendo a atmosfera interior isolada do exterior.

Como na "original", a madeira é um elemento importante dessa Arca futurista: "A solidez estrutural é garantida pela capacidade de compressão dos arcos de madeira e da flexibilidade das cordas de aço," afirmam seus projetistas.

 

Embora nem estivesse chuviscando quando Noé começou a construir sua Arca, agora os módulos pré-fabricados permitirão a construção rápida de frotas de arcas.

Autolimpante

A cobertura externa deve ser construída com uma película especial de ETFE (Etil tetrafluoretileno), um material forte e altamente transparente, autolimpante, reciclável e mais durável, mais econômico e mais leve do que o vidro.

As películas são fixadas à estrutura principal por perfis metálicos especiais, que servem simultaneamente como coletores termossolares, para aquecimento de água, e como calhas para captar água da chuva. Coletores solares tradicionais, fotovoltaicos, são colocados dentro do edifício.

Segundo seus projetistas, o formato de cúpula com um rolamento central na forma de um tubo permite obter uma relação ótima entre o volume do edifício e sua superfície exterior, economizando materiais e garantindo eficiência no uso de energia.

O projeto prevê a produção de quadros pré-fabricados, permitindo construir uma frota de Arcas rapidamente.

O projeto energético da Arca prevê o aproveitamento do calor externo, com sistemas adaptáveis a diferentes climas e estações.

Sistema de suporte de vida

A forma da cúpula garante a acumulação do ar aquecido na parte superior do edifício. Esse calor é coletado em acumuladores de calor e em acumuladores elétricos e de hidrogênio, a fim de proporcionar um fornecimento ininterrupto de energia para todo o complexo, quaisquer que sejam as condições do ambiente externo.

O calor do meio ambiente externo – do ar, da água ou do solo – também é utilizado. Em tempos menos cataclísmicos, o edifício pode produzir energia extra a ser fornecida para casas adjacentes e para meios de transporte "verdes".

Segundo os projetistas, a Arca pode ser construída em diferentes zonas climáticas e em regiões sujeitas a terremotos, porque a estrutura inferior tem a forma de uma concha, sem bordas ou ângulos. Em caso de terremoto, a estrutura flexível de arcos e cordas permite distribuir a carga ao longo de todo o edifício.

O projeto já contém uma seleção de plantas para garantir beleza aos jardins, eficiência na manutenção do clima interno e produção de alimentos.

Flutuante

Mesmo sendo construído em terra, a estrutura do prédio lhe permite flutuar no caso de enchentes ou de uma elevação cataclísmica do nível dos oceanos. A Arca, como seria de se esperar, pode se manter flutuando indefinidamente e manter seus habitantes de forma autônoma.

Todos os resíduos são utilizados no interior do edifício por queima ou por pirólise livre de oxigênio.

Para uma vida totalmente sustentável não poderiam faltar as plantas. O projeto já contém uma seleção de plantas para garantir beleza aos jardins, eficiência na manutenção do clima interno e produção de alimentos.

E, caso o cataclisma final não venha, os projetistas afirmam que o edifício pode ser facilmente adaptado a diferentes funções.

 

 

Fontes pesquisadas:

www.inovacaotecnologica.com.br/

www.veja.abril.com.br/…/russos-criam-uma-arca-de-noe-moderna

www.super.abril.com.br/…/contra-apocalipse-ambiental-russia-cria-arca-de-noe-moderna-e-sustentavel/

Autor: **Geração Maranata** Se for copiar cite a Fonte!

Preparando-se para o Fim-do-Mundo – Bunkers

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 22-04-2011

Tag: , ,

This entry is part 1 of 3 in the series Preparando-se para o Fim-do-Mundo

por Geração Maranata

Atualizado em 06-10-2012

 

"Então os homens entrarão nas cavernas das rochas, e nas covas da terra, do terror do SENHOR, e da glória da sua majestade, quando ele se levantar para assombrar a terra." Isaías 2:19

"E entrarão nas fendas das rochas, e nas cavernas das penhas, por causa do terror do SENHOR, e da glória da sua majestade, quando ele se levantar para abalar terrivelmente a terra." Isaías 2:21

"Assim lhes dirás: Assim disse o Senhor DEUS: Vivo eu, que os que estiverem em lugares desertos, cairão à espada, e o que estiver em campo aberto o entregarei às feras, para que o devorem, e os que estiverem em lugares fortes e em cavernas morrerão de peste." Ezequiel 33:27

"Quanto à tua terribilidade, enganou-te a arrogância do teu coração, tu que habitas nas cavernas das rochas, que ocupas as alturas dos outeiros; ainda que eleves o teu ninho como a águia, de lá te derrubarei, diz o SENHOR." Jeremias 49:16

"E os reis da terra, e os grandes, e os ricos, e os tribunos, e os poderosos, e todo o servo, e todo o livre, se esconderam nas cavernas e nas rochas das montanhas… Pois chegou o grande Dia da sua ira. E quem poderá ficar de pé?" Apocalipse 6:15,17

 

Observamos nos noticiários um crescimento do número de abrigos subterrâneos, os chamados "bunkers", construídos em várias partes do mundo.

Vários são os motivos alegados: proteção de sementes, de discos de computadores, livros, mudanças climáticas, medo da profecia maia sobre 2012, etc, etc.

As pessoas acham mais fácil se esconder em 'cavernas' do que se arrepender e se voltar para Deus.  Ninguém pode se esconder do Senhor.

"Para onde me ausentarei do teu Espírito? Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também." (Sl 139:7-8)

Separei algumas reportagens sobre esse assunto e estarei atualizando conforme forem surgindo novas informações.

 

Empresa de pornografia constrói “bunker apocalíptico”

À frente de produções de entretenimento adulto, a Pink Visual decidiu construir um esconderijo subterrâneo que ficará pronto em setembro de 2012

10/09/2011

São Paulo – O calendário maia crava o fim do mundo para o fim de 2012. Enquanto os mais temerosos estocam alimentos e até armas, uma empresa de entretenimento adulto está construindo um bunker subterrâneo com bares completamente abastecidos, palco com plataforma rotatória e estúdio para produções audiovisuais.

Segundo reportagem da CNBC, a Pink Visual inicialmente planejou erguer uma espécie de fortaleza apenas para a equipe da empresa, amigos e familiares. Mas a ideia ganhou novas proporções e alguns fãs também devem ser agraciados com um ticket de entrada no bunker, que ficará pronto em setembro do ano que vem. Os que quiserem garantir seu lugar ao sol – ou melhor, embaixo da terra – deverão passar por um processo seletivo que irá combinar mérito e sorte.

“Nosso objetivo é sobreviver ao apocalipse com conforto e luxo”, disse o porta-voz da Pink Visual, Quentin Boyer, que afirmou que o exercício de profissões específicas, como a medicina, deverá favorecer alguns candidatos. Os demais ingressos serão divididos entre fãs, clientes e seguidores da produtora no Twitter.

Ainda não foi decidido se o acesso ao bunker será cobrado. Para Boyer, “o dinheiro pode simplesmente não ter valor intrínseco no mundo pós-apocalíptico”. A localização do esconderijo subterrâneo não foi divulgada “por motivos de segurança”.

Fonte: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/empresa-constroi-bunker-porno-para-o-fim-do-mundo

 

Cofre do Fim-do-Mundo –  abrigo de sementes do juizo final

A caverna (ou abrigo ou bunkers) de sementes do juízo final situa-se numa ilha norueguesa no Oceano Ártico aberto em 2008, criando um banco de mais de 100 milhões de sementes representando todas as principais culturas alimentares na Terra.

É nesta ilha esquecida por Deus, que Bill Gates está investindo dezenas dos seus milhões em conjunto com a Fundação Rockefeller, a Monsanto Corporation, a Fundação Syngenta e o governo da Noruega, entre outros, naquilo que é chamado de 'Banco de Sementes do Fim do Mundo'. Oficialmente o projecto chama-se a Caverna Global de Sementes Svalbard (Svalbard Global Seed Vault) na ilha norueguesa de Spitsbergen, no arquipélago de Svalbard.

Trata-se então de uma gigante Arca de Noé com a finalidade de preservar a nossa flora, por milhares de anos. Se a espécie humana for ameaçada por guerras, doenças ou até mesmo pelo aquecimento global, poderão ser reabastecidas a partir destas sementes, que estão protegidas a 400 pés montanha abaixo, com todo o tipo de proteção para conservar nossas sementes.
O local é constantemente protegido por guardas armados, pode suportar terremotos de magnitude 7 e também resiste a um ataque nuclear. Há também um gerador instalado capaz de fornecer energia por mais de 200 anos.

Os contribuintes:

  • Austrália (AusAID)
  • Brasil (EMBRAPA)
  • Fundação Bill & Melinda Gates / Fundação das Nações Unidas
  • Canadá (CIDA)
  • Centros do CGIAR
  • Colômbia (Ministério da Agricultura)
  • DuPont / Pioneer Hi-Bred
  • Egito (Ministério da Agricultura)
  • Etiópia
  • Gatsby Charitable Foundation
  • Alemanha
  • Gordon e Betty Moore Foundation
  • J. Gordon Hammersley Fundação
  • Grãos de Pesquisa e Desenvolvimento Corporaçõ
  • Índia (Ministério da Agricultura)
  • Federação Internacional de Sementes
  • Irlanda (Ajuda Irlandesa)
  • Itália (Ministério dos Negócios Estrangeiros)
  • Lillian Goldman Charitable Trust
  • Nova Zelândia (Ministério da Agricultura e Florestas)
  • Noruega (Ministério dos Negócios Estrangeiros)
  • Fundação Rockefeller
  • Sam Spiegel Fundação
  • Espanha
  • A Suécia (Sida)
  • Suíça (SDC)
  • Syngenta AG
  • Fundação Syngenta para Agricultura Sustentável
  • Systemwide Programa de Recursos Genéticos
  • Reino Unido
  • Fundação das Nações Unidas
  • Estados Unidos da América (USAID)
  • Banco Mundial – CGIAR

Leia também: http://www.atinachile.cl/content/view/646749/El-arca-de-Noe-del-siglo-XXI-Boveda-Global-de-Semillas-de-Svalbard.html

Fontes:

http://en.wikipedia.org/wiki/Svalbard_Global_Seed_Vault

http://noticias.sapo.pt/magazine/982016.html

 

Grã-Bretanha move todos os livros raros para mina de sal

Biblioteca Central Manchester

Um milhão de livros da Biblioteca Central Manchester – incluindo os volumes valiosos que datam do século 15 – serão temporariamente armazenados no subterrâneo das minas de sal de Cheshire.

Obras de referência da biblioteca da cidade serão armazenados nas minas, centenas de metros abaixo do solo, para os próximos três anos, enquanto o marco local do centro da cidade passa por uma renovação maciça para salvá-la da ruína.

Especialistas dizem que as cavernas da mina – o tamanho de 700 campos de futebol – proporcionam o ambiente perfeito para a preservação dos manuscritos, que incluem as obras de importantes acadêmicos.

O progressivo fechamento da biblioteca do St Peter's Square começará no próximo mês, até o local fechar as suas portas em junho. O Teatro de biblioteca, que provavelmente irá deslocar-se para o histórico Theatre Royal, fechará no mês seguinte, com um show comemorativo intitulado Last Night at the Library.

Uma biblioteca temporária da cidade será aberta em Elliot House, em Deansgate, onde a equipe também será capaz de prover o acesso a algumas obras de referência raras que não estarão disponíveis no resto do país. Todos os outros serão armazenados nas minas de sal, de onde serão catalogados digitalmente, mas estarão inacessíveis pela duração da renovação.

Mais de 22 quilômetros de prateleiras e um milhão de livros – incluindo mais de 30 obras que datam do século 15 e 44.000 publicados antes de 1850 – serão transferidos para as minas, Elliot House e outros locais temporários, incluindo a Royal Northern College of Music. O projeto faz parte do multi-milionário plano para transformar e modernizar a Praça de São Pedro e da Câmara Municipal Complex, trazendo serviços e instalações até à data e a realização de obras vitais para a restauração dos prédios listados.

A Biblioteca Central reabrirá em 2013 (humm!) como um novo estado-da-biblioteca de empréstimo da arte, catálogo electrónico e centro de arquivos. Um ponto central de serviços ao cliente também será criado no piso térreo do prolongamento da Câmara Municipal.

Desde abril, cerca de 1.800 funcionários do Conselho serão movidos para First Street, na entrada sul do centro da cidade, por quatro anos, enquanto o trabalho de restauração acontece. Um ponto de cliente temporário dos serviços será aberto ao público, lá no início do verão.

A Biblioteca Companhia de Teatro terá temporariamente por base o Zion Arts, em Stretford Road, palco e atuações regulares no Lowry.

Coun Mike Amesbury, porta-voz do Manchester para a cultura e lazer, disse: "Reconhecemos que o Manchester Biblioteca Central é um dos mais belos edifícios da cidade e uma das melhores bibliotecas do país. Esta remodelação e restauro é absolutamente necessário para garantir que o Biblioteca podem continuar a ser uma jóia na coroa de Manchester. "

Chefe dos serviços de biblioteca, Neil MacInnes, acrescentou: "Quando a Biblioteca Central reabrir, será uma unidade de classe do mundo real que o Manchester poderá se orgulhar, completamente de acordo com sua história e do património".

Fonte: http://menmedia.co.uk/manchestereveningnews/news/s/1190824_a_million_library_books_to_be_sent_down_the_mines

 

Suíça aluga antigos bunkers militares nos Alpes

Os "bunkers" são relíquias da Guerra Fria.

A montanha não parecia correta. De perto, sua face rochosa era a dica, com uma maquiagem desbotada de tinta camuflada que parecia não ser retocada desde a Guerra Fria. O guarda também parecia deslocado, em alerta, com seu uniforme negro numa tranquila clareira perto desta estação de esqui na Suíça _ mais conhecida por seus bilionários.

A esquisitice estava apenas começando. O guarda apertava alguns botões, e uma velha escotilha se abria na montanha. Dentro, no final de uma estreita passagem, havia uma segunda porta que se abria a uma terceira, esta com 3,5 toneladas e parecendo como se guardasse o cofre de um banco.

"Se colocar sua mão aqui, você consegue sentir uma entrada de ar", disse Christoph Oschwald, esticando a palma sobre uma fenda na escotilha fechada. "Assim, qualquer ataque com gás é impossível".

Oschwald conduzia uma visita ao que ele chamava de Forte Knox Suíço, um dos dois bunkers militares nos Alpes que foram alugados por Oschwald e seu sócio, Hanspeter Baumann. Onde oficiais antigamente se preparavam para defender o país, Oschwald e Baumann hoje alegam operar alguns dos centros de servidores mais seguros do mundo, protegendo terabytes de empresas multinacionais e cidadãos individuais.

Se apenas os militares pudessem encontrar mais inquilinos como Oschwald.

Ao custo de dezenas de milhões de dólares anualmente, o exército suíço mantém um sistema de aproximadamente 26 mil bunkers e fortificações ao longo dos Alpes Suíços, construídos para deter exércitos inimigos. Mas hoje, como um país neutro sem ameaças imediatas a suas fronteiras, a Suíça vem conduzindo uma extensa revisão do papel de suas forças armadas, incluindo a necessidade do sistema de bunkers.

No último outono, o ministro da defesa Ueli Maurer sugeriu que seria hora de ter um "debate honesto" sobre fechar a maioria dos bunkers, ou arrendá-los a outros usuários.

Durante a Guerra Fria, os bunkers _ contendo de tudo, de armas antiaéreas a postos de comando _  foram mantidos e modernizados. Outros foram construídos, muitas vezes com extraordinários esforços de encobrimento. Hoje, um visitante dificilmente sai para uma caminhada sem cruzar com uma porta misteriosa na montanha, similar a um acesso à Batcaverna.

De volta às montanhas de Gstaad, Oschwald, um ex-soldado da força aérea, de 54 anos, conduzia um visitante pelo tipo de reciclagem que o ministro da defesa poderia adotar: um bunker subterrâneo resistente a explosões nucleares, onde as empresas de Oschwald investiram milhões em reformas para servir como um conjunto reforçado de servidores de computador. O local foi inaugurado em 1996.

Suas empresas também alugaram parte de um segundo bunker que, segundo ele, foi completamente protegido contra os pulsos eletromagnéticos que poderiam devastar servidores. Este segundo abriu em 2003, mas, por ainda ser de propriedade do exército suíço, o local não pode ser visitado por jornalistas, entre outros.

Oschwald apontou para uma rede de canos, passando por um lençol subterrâneo de água glacial para gerar o resfriamento tão crucial aos servidores. Ele parou numa sala com uma enorme máquina, que filtrava o ar de entrada.

"Isso aqui é uma versão grande de uma máscara de gás _ atômica, biológica, química", disse ele.

Conforme a visita prosseguia, os passos de Oschwald ecoando pelos corredores gelados poderiam ser a trilha sonora da própria Guerra Fria. "Muitas pessoas dizem se sentir num filme do James Bond", contou ele.

Numa outra sala, por trás de uma porta trancada, havia quatro grandes cofres. Em um deles _ "Não vou lhes dizer em qual", disse ele _ ficava o "genoma digital", um tipo de Pedra de Roseta, criado por diversos acadêmicos europeus para que as gerações futuras fossem capazes de ler dados armazenados em formatos obsoletos, como disquetes.

E, obviamente, por trás de mais portas trancadas, estavam fileiras de servidores, piscando silenciosamente.

* Os grifos são meus

Fonte: http://br.noticias.yahoo.com/su%C3%AD%C3%A7a-aluga-antigos-bunkers-militares-nos-alpes-20110131-134400-114.html

 

 

Cofres secretos da Igreja Mórmon

Granite Mountain Records Vault

Trata-se de um gigantesco cofre da Igreja Mórmon, usado para armazenar genealogia e outros registros históricos. A sua localização exata não é conhecida. O abrigo é capaz de suportar terremotos, e ataques nucleares, o interior é totalmente climatizado e o ar é trocado a cada 6 horas, para poder limpar qualquer partícula sólida que esteja presente. Também é a prova de fogo e enchentes. Dentro dele e por fora estão espalhados inúmeros sensores térmicos, infravermelhos e também de detecção de movimento e pressão, para frustar qualquer tentativa de roubo ou acesso ao local.

A Igreja Mórmon mantém um arquivo com quase 5 bilhões de documentos históricos com informações sobre famílias de todas as partes do globo.

Desde 1894, os mórmons vêm recolhendo informações em cartórios, igrejas católicas e protestantes e arquivos públicos. Todo esse material é microfilmado e colocado à disposição do público em geral.

Estima-se que hoje a Igreja possua mais de 280 milhões de cópias de documentos referentes a famílias brasileiras. Todo esse arquivo permanece guardado à “sete chaves” em um cofre à prova de armas nucleares instalado numa caverna climatizada da Montanha de Granito, no Estado norte-americano de Utah.

A SUD mantém 4.500 centros de história da família (CHFs) em diversos lugares do mundo, inclusive no Brasil. Nesses locais, qualquer pessoa (fiel ou não) tem condições de consultar os documentos históricos.

Bauru conta com um CHF desde o início dos anos 90. O centro – que é composto, basicamente, por algumas máquinas leitoras de microfilme, além de dois computadores – está instalado em uma pequena sala na capela da rua Aparecida, no Jardim Santana (próximo ao terminal rodoviário).

Apesar de se tratar de uma estrutura bastante simples, o CHF permitiu que Luiz Polito pudesse agilizar seu trabalho de busca. “Antes eu tinha de vasculhar cartórios e paróquias católicas para obter informações”, afirma.

O interesse dos mórmons pelos ancestrais não é gratuito. Os membros da SUD acreditam que quando montam sua árvore genealógica, estão ajudando a aproximar os familiares do passado aos do presente.

“Se esse laços são mantidos, a família terá condições de permanecer unida na ‘morada eterna’”, explica o empresário João Xavier, membro do sumo conselho para assuntos públicos da SUD em Bauru.

Baseados nesse preceito, os mórmons fazem questão de conhecer a própria genealogia. Luiz, por exemplo, começou a se interessar pela história de seus antepassados depois que passou a fazer parte da SUD.

Isso não quer dizer, porém, que todos os freqüentadores do CHF de Bauru sejam mórmons, muito pelo contrário. “Pelo menos 70% de nossos usuários não têm qualquer tipo de ligação com a Igreja”, garante Luiz.

Para ter acesso ao material do banco de dados Mórmon, as pessoas têm de pagar uma taxa simbólica de R$ 3,00 por microfilme utilizado. “É um preço tão baixo que não cobre nem o valor da postagem desse material de São Paulo para cá”, diz João Xavier.

Fontes:

http://www.overbo.com.br/mormons-detem-banco-de-dados-para-fazer-arvore-genealogica/

http://en.wikipedia.org/wiki/Granite_Mountain_(Utah)

http://www.lightplanet.com/mormons/daily/family_history/granite_mountain_eom.htm

 

Casa de luxo com um porão/bunker

O Silohome é talvez uma das áreas residencial mais seguras, principalmente pelo porão/bunker criado contra mísseis nucleares, armas biológicas e tudo que se tem direito para enfrentar o Apocalipse com comodidade. Situada perto do norte do estado de Nova York , a casa inteira tem 3 metros de paredes de aço, e é superprotegida por uma porta altamente tecnológica e possui diversos

Fontes:

http://www.uphaa.com/blog/index.php/most-impenetrable-places/

http://www.missilebases.com/adironback

 

Espanhóis criam bunkers para se proteger do 'fim do mundo'

Os refúgios nas montanhas têm geradores elétrico e dispensas para mantimentos

Grupo acredita na profecia maia de que mundo vai acabar em 2012, mas afirmam estar protegidos de outros problemas caso ela falhe.

Um grupo de pessoas na Espanha se juntou para construir abrigos em diferentes pontos do país para se proteger do que eles acreditam que será o fim do mundo, na data profetizada pelos maias, 2012.

Não importa se a profecia falhar: eles têm certeza de que diante das mudanças climáticas, dos desastres naturais, da instabilidade das manchas solares e da ameaça nuclear, convém ter um refúgio.

"Não somos apocalípticos, mas queremos evitar os riscos. Um país como a Espanha, que tem centrais nucleares que são alvo da al-Qaeda, não conta com um nível de segurança muito alto diante de uma grande catástrofe", explicou à BBC o presidente do Grupo de Sobrevivência da Espanha 2012 (GSE), Jonatan Bosque.

"Na Suíça, toda nova construção vem com seu bunker. Aqui, quem tem este tipo de refúgio são pessoas endinheiradas. Somos uma organização não-lucrativa e o que queremos é que os bunkers estejam ao alcance de todos", acrescentou.

Três anos em um bunker

Os refúgios têm geradores e sistema de refrigeração

O GSE conta com 180 sócios e vários projetos nas serras de Madri, Granada e Aragão. Os bunkers, subterrâneos e construídos como cavernas nas montanhas, estão protegidos por uma capa de 60 centímetros de concreto e contam com filtros de partículas radioativas para evitar a infiltração de resíduos tóxicos ou a passagem de radiação ou bactérias.

Além disso, os refúgios têm geradores elétricos que funcionam a diesel, sistemas de refrigeração e dispensas para mantimentos, sementes e plantas.

"É possível permanecer até três anos em seu interior respirando ar puro, mas tudo depende da capacidade de gestão dos ocupantes, dos alimentos. Você não vai encontrar iogurtes desnatados te esperando", ressaltou Bosque

"A questão é que se você está diante de uma catástrofe, como a explosão de Chernobyl, você não vai poder sair durante vários anos."

Preços

O catálogo dos bunkers inclui um inspirado no metrô de Londres, que é vendido nas versões família (54 metros para 24 pessoas) e comunitária (600 metros para 150 pessoas). Os bunkers são projetados para serem cravados na montanha, como se fossem os quartos de um barco que vai enfrentar uma grande inundação.

"Os bunkers grandes podem custar por volta de US$ 150 mil (cerca de R$ 275 mil) e os pequenos por volta de US$ 4 mil (R$ 7,3 mil). Com um montante entre US$1,8 mil (cerca de R$ 3,3 mil) e US$ 3 mil (cerca de R$ 5,5 mil) por pessoa pode-se ser proprietário de um bunker", explicou o responsável do grupo.

"Porém, não é uma casa. Seu uso é para emergências. Para ter acesso aos bunkers é preciso pertencer à cooperativa, assim evitamos especulações com os preços."

Neste sentido, o GSE 2012 planeja arrecadar dinheiro de empresas para que este tipo de refúgio tenha acesso público e seja financiado pelo Estado.

A profecia maia

Depois de ver o filme "2012", sucesso de bilheteria e que foi inspirado nas profecias maias, que mostra um mundo de cidades destruídas e mares revoltos, Bosque saiu convencido de que tinha visto uma comédia.

"É muito exagerado, mas acreditamos que há um aumento dos desastres naturais como consequência da atividade das manchas solares", afirmou.

"A própria Nasa anunciou uma tormenta solar sem precedentes para 2012. Provavelmente ficaremos sem luz e nosso estilo de vida vai entrar em colapso, mas também existem vozes, como a do escritor holandês Patrick Geryl, que falam em uma inversão dos pólos magnéticos da terra, com consequências geológicas drásticas", explicou Bosque.

"Não é para construir um bunker para se sentir seguro. Tem de se desenvolver protocolos de atuação para todo tipo de catástrofe, por mais remotas que elas pareçam, como as tormentas solares."

"Há pouco tempo a província de Gerona, na Catalunha, ficou sem luz por causa de uma nevasca. Eles sabiam que o cabeamento elétrico tinha de ser trocado porque estava obsoleto, mas não o fizeram." BBC Brasil – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Fontes:

http://jornale.com.br/portal/tecnologia/133-01-tecnologia/4307-espanhois-criam-bunkers-para-se-proteger-do-qfim-do-mundoq.html

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2010/05/100528_bunkers_fimdomundo_aw.shtml

 

Abrigo Subterrâneo para quem quer se proteger do Apocalipse com luxo

O Grupo Vivos está vendendo pontos em abrigos apocalípticos que se parecem com rodas de bicicleta gigante

O Terra Vivos é um complexo de abrigo subterrâneo com capacidade para 4.000 pessoas em 20 localidades em todo o país. Um ano de sobrevivência autônoma e seguro de vida, totalmente abastecido, prova de catástrofe, ataque terrorista, ataque nuclear, etc.

Robert Vicino está vendendo abrigos subterrâneos em preparação para um possível futuro apocalíptico. Cada abrigo sai por US $ 10 milhões e pode abrigar até 200 pessoas.

O Promotor imobiliário Robert Vicino construiu um abrigo subterrâneo de luxo em um local não revelado no deserto da Califórnia, com planos de construir mais abrigos em todo o país.

Comprando o seu próprio quarto na Terra Vivos custará cerca de $ 50.000 ou $ 25.000 para crianças.  Não é barato, mas o conforto é bom, e estamos a menos de dois anos a partir do Apocalipse Maia em 2012.

Quem comprar um bilhete para sobreviver no Juízo Final?

Cada abrigo estaria localizado dentro de um raio de 150 quilômetros de uma área metropolitana importante, e a primeira será construída perto de Barstow, Califórnia, uma comunidade perto de Los Angeles e San Diego.

"Nós estamos adaptando de um abrigo existente – um bunker do governo da época da Guerra que está em perfeitas condições,"  diz Vicino, acrescentando que é de apenas 13.000 metros quadrados, e espaço para apenas 132 pessoas.

"E nós estamos quase lá", diz ele, referindo-se ao número de espaços que já vendeu até agora.

Vicino diz que 30% são pessoas da área médica, como médicos, enfermeiros, psicólogos e técnicos de emergência. Outros 30% são pessoas da Lei ou militares.

"Essas pessoas vêem desastres todos os dias", diz ele.

O restante vem de todas as esferas, e sua empresa procura compradores para equilibrar com base na ordem de compra e o conjunto de habilidades específicas (profissões).

Vinte abrigos apocalípticos estão previstas os EUA, e os compradores terão alimento suficiente, água e roupas por um ano.

Embora os compradores podem visitar as casas após a compra, elas não são casas de veraneio. Para muitas pessoas, 50.000 dólares pode ser alto para algo que talvez nunca será usado, mas Vicino não vê isso como uma barreira.

"Não fique chateado se você comprar um extintor de incêndio e nunca usá-lo", diz ele. "Este é um investimento imobiliário que pode ser transmitida de geração em geração, sempre que houver necessidade de um abrigo."

Fontes:

http://www.aolnews.com/2010/05/21/doomsday-shelters-make-a-comeback-in-time-for-2012/

http://www.businessinsider.com/terra-vivos-luxury-shelter-2010-10

http://www.terravivos.com/

 

Japoneses criam casa móvel à prova de apocalipse nuclear

Módulo EDV-01 tem energia solar e comunicação via satélite. Equipamento pode ser transportado por caminhão ou helicóptero

A Daiwa House, empresa japonesa especializada em casas pré-fabricadas, apresentou o conceito de uma residência móvel construída para sobreviver a catástrofes naturais e a situações extremas como uma hecatombe nuclear.

Batizado de EDV-01, o Veículo de Emergência para Desastres tem dois andares, banheiro, cozinha, camas, chuveiro, geladeira, iluminação por LED e sistema de transmissão de dados via satélite.

A módulo, com medidas de 6,5 m de comprimento por 2,5 m de largura e profundidade, pesa cerca de 10 toneladas, e é alimentado por painéis que captam a luz solar e células de combustível. O formato permite que ele seja acoplado a caminhões e até helicópteros de transporte de carga pesada.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/tecnologia/conteudo.phtml?tl=1&id=1088252&tit=Japoneses-criam-casa-movel-a-prova-de-apocalipse-nuclear

 

Bunkers para todos

Uma imagem familiar para qualquer suíço: a entrada de um abrigo nuclear (RDB)

A Suíça é o único pais do mundo com abrigos nucleares, capazes de acomodar toda sua população, caso um dia isso seja necessário.

"Mas porque seria necessário uma porta blindada na entrada da adega de seu apartamento?" Dá para compreender o espanto do amigo italiano ao visitar o edifício. Ele nunca havia entrado em local semelhante.

Adega? Bem, o espaço está meio cheio de garrafas de vinho, livros velhos, um freezer e roupas usadas … mas, isto não é uma adega. Nosso amigo simplesmente se viu, pela primeira vez, diante do que é nosso abrigo atômico.

Com uma grossa porta blindada, um sistema próprio de ventilação e filtro contra gases, os cerca de 25 condôminos de nosso prédio sobreviveriam, mesmo que acontecesse algo terrível como uma explosão nuclear.

Esses suíços! Paranóicos e obcecados por segurança! – é o que nosso amigo deve ter pensado. E provavelmente há um fundo de verdade nessa sua maneira de pensar. Basta dizer que o suíço gasta mais do que qualquer outra nação no mundo (mais de 20% de seu orçamento) para se garantir contra tudo e contra todos. Além disso, há outra razão bem mais simples: trata-se de uma exigência legal.

Espaço para toda a população

"Da mesma forma que cada cidadão deve ter um abrigo, que, de sua residência, possa ser alcançado rapidamente", os "proprietários de apartamentos são obrigados a construir refúgios em todos os novos edifícios", de acordo com os arts. 45 e 46, da Lei Federal Suíça sobre Proteção Civil.

Esta é a razão pela qual a maioria dos edifícios construídos a partir da década de 60 (a primeira lei sobre o assunto foi aprovada em 4 de outubro de 1963) já possui abrigo atômico. Em 2006, havia 300 mil abrigos em residências, instituições e hospitais, bem como 5.100 abrigos públicos, proporcionando proteção para um total de 8.6 milhões de cidadãos – um grau de cobertura de 114%.

Campeões Mundiais

Se construir abrigos atômicos fosse uma prova olímpica, a Suíça, com certeza, ganharia medalha de ouro. Basta dar uma rápida olhada, mundo a fora, para se ter certeza de que ninguém rivaliza com ela nesse aspecto.

Os mais próximos competidores são a Suécia e a Finlândia. Mas, com 7,2 e 3,4 milhões de lugares protegidos respectivamente (representando uma cobertura de aproximadamente 81% e 70%, respectivamente), conseguiriam no máximo uma medalha de prata.

A situação nos outros países europeus não chega aos pés da Suíça. Na Áustria, por exemplo, a cobertura é de 30 por cento, mas a maioria dos abrigos não têm um sistema de ventilação. Na Alemanha, o nível nacional de cobertura não passa de três por cento.

Em áreas fora da Europa, abrigos são comuns na China, Coréia do Sul, Cingapura, Índia… e alguns outros países. Mas em índices de cobertura não ultrapassam os 50 por cento.

Em Israel, existem abrigos para dois terços da população, porém, em muitos casos, estas estruturas são simplesmente proteções em concreto com aberturas. Portanto, sujeitas a chuva radioativa.

Idade de ouro

A construção sistemática de abrigos atômicos na Suíça, durante a segunda metade da década de 60, foi provocada pelo receio generalizado de um ataque nuclear e pelo fantasma de uma invasão soviética. "A neutralidade não dá garantias contra a radioatividade", era um dos slogans da campanha na época.

A construção de abrigos atingiu seu pico em meados da década de 70, com uma média anual entre 300 mil e 400 mil lugares protegidos. Atualmente, esse volume gira em torno dos 50.000 anuais.

Durante alguns anos, a Suíça ostentou, orgulhosamente, a marca de possuir o maior projeto da proteção civil em todo o mundo: No túnel de Sonnenberg, em Lucerna, era possível abrigar até 20.000 pessoas.

Nos sete níveis acima do túnel, inaugurado em 1976, havia um hospital, um teatro operacional, um estúdio de radio, um centro de comando … Entretanto, essa infra-estrutura, abandonada em 2006, era deficiente sob vários aspectos. As portas, por exemplo, tinham 1,5 metros de espessura e pesavam 350 mil quilos, mas não fechavam hermeticamente.

E os construtores não levaram em conta um outro dado muito simples: os grandes problemas psicológicos e de logística, diante de uma enorme concentração de pessoas.

Políticas inalteradas

Com o fim da Guerra Fria e uma nova situação, na política de segurança, muitos países introduziram mudanças radicais na sua filosofia de proteção. Por exemplo, na Noruega, em 1998, as autoridades revogaram legislação relativa à construção de abrigos atômicos.

Mas, na Suíça, não houve mudanças. Em 2005, um parlamentar (Pierre Kohler) apresentou projeto suspendendo a obrigatoriedade de construir abrigos em residências particulares. Ele salientou a inutilidade dessas "relíquias do passado", as quais, certamente, aumentariam os custos de construção de residências.

No entanto, após análise da situação, o governo concluiu que eles ainda eram úteis, não só em caso de conflito armado, mas também no enfrentamento de um possível ataque terrorista com "armas perigosas", acidentes químicos e as catástrofes naturais. Portanto, os abrigos atômicos continuarão a ter um futuro brilhante na Suíça.

Fonte: http://www.swissinfo.ch/por/especiais/a_suica_dos_recordes/recordes_mundiais/Bunkers_para_todos.html?cid=7488246

 

Bunkers de US$ 2 mi viram mania entre ricaços brasileiros

Os bunkers não são apenas privilégio de personagens históricos como Adolf Hitler e locais de proteção para presidentes americanos. No Brasil, o medo da violência e a insegurança fizeram com que pelo menos 110 famílias – 82 só no Estado de São Paulo – adotassem o abrigo subterrâneo normalmente usado em tempos de guerra para dormirem mais tranqüilas.

Cada abrigo pode custar de US$ 50 mil a US$ 2,5 milhões e resiste a tudo: tiros de fuzil, incêndios e desabamentos. Os criminosos podem cortar o abastecimento de água, desligar o telefone, colocar fogo na casa, e nada acontecerá a quem estiver no bunker. As paredes são feitas de concreto usado na construção de viadutos e entrelaçadas com ferro. No meio, há uma barra de aço – a espessura varia de 40 cm a 1 metro.

Os bunkers são como casas: têm suítes, sala, cozinha e banheiro. São construídos antes da residência, mas podem se adaptar a edificações já erguidas. Segundo Ricardo Chilelli, 49 anos, diretor da RCI Consultoria e especialista em segurança, os abrigos de hoje estão longe de ser sombrios e desconfortáveis como os usados durante a 1ª e 2ª Guerra Mundial. Agora, são decorados com móveis e artigos de luxo, para se parecerem o máximo possível com uma casa. Já tivemos que fazer uma maquete de tamanho real para que um decorador pudesse trabalhar. Depois colocamos tudo lá dentro. Ninguém pode ter acesso ao local, diz.

Até hoje, apenas duas famílias acionaram os abrigos no Brasil, mas eram alarmes falsos. Segundo Chilelli, só 20% desses bunkers são realmente necessários. Freqüentemente as pessoas que pedem bunkers moram no Morumbi, estão perto da polícia. Mas só são indicados para quem está em casas afastadas, longe do resgate. Mas eles insistem, diz.

Cada bunker fica a pelo menos três metros do solo e pode demorar até um ano para ficar pronto, dependendo de sua complexidade. Durante a construção, equipes se revezam para construir cada parte do projeto, de forma a não terem idéia do todo. Se a informação vazar, toda a eficácia do abrigo é colocada em xeque, afirma Chilelli. O bunker é capaz de abrigar uma família inteira por 30 dias, com água, luz e comida abundante.

Segundo Chilelli, o abrigo deve ser o último recurso usado na segurança, depois que todos os outros – como portas, janelas e arquitetura blindadas, câmeras e acesso por biometria – foram aplicados. Não adianta ter um bunker e não ter o controle de tudo o que acontece na casa por monitoramento, diz.

Chilelli é dono da consultoria sediada em Miami (EUA) que coordenou – entre outros projetos – a segurança do casamento do jogador Ronaldo com a modelo e apresentadora Daniela Cicarelli. Ele também é responsável pela cantora Madonna em suas viagens à América Latina e pela segurança de 54 de famílias de grandes empresários brasileiros.

O maior bunker construído por Chilelli está localizado abaixo de um campo de golfe em Indaiatuba, 102 km a noroeste de São Paulo, na propriedade do dono de uma grande construtora brasileira. O abrigo de 180 metros quadrados custou US$ 1 milhão.

O empresário explica que o Brasil é um dos países da América Latina com mais bunkers. O ranking é liderado pela Colômbia (1 mil abrigos domésticos), que enfrenta há décadas o problema das guerrilhas armadas. O maior do mundo é de um grande empresário mexicano e tem 300 metros quadrados. Ao custo de US$ 2,5 milhões, conta com quatro suítes.

O próprio Chilelli admite que implantar bunkers domésticos é um exagero na maioria dos casos, já que é pouco provável que eles sejam algum dia utilizados. "O maior risco para pessoas visadas continua sendo a rua, os locais públicos", explica. Ele salienta que grande parte dos milionários teme a possibilidade de se tornar refém. Contra esse temor, vale tudo, mesmo que seja apenas para dormirem tranqüilos.

http://economia.terra.com.br/noticias/noticia.aspx?idNoticia=200704021553_RTR_31150880

 

Página de notícias do site Bunkerbr.com:

Embora os efeitos das ameaças convencionais, como terremotos, tempestades, EMP, sobre-pressão Blast e armas químicas, radiológicas e biológicas sejam bem conhecidas e facilmente mitigadas por nossa Equipe e também por muitas outras equipes estrangeiras atuantes nesta área, os possíveis efeitos do cenário e ameaças previstas, para acontecerem entre os anos de 2013 e 2014, criaram a necessidade para todos nós de expandir teoricamente novas análises para a identificação da antecipação de ameaças e as medidas de mitigação.

É importante notar que em nenhum lugar, bem como que nenhuma das profecias Maias diga incondicionalmente que o próprio mundo vá acabar em 21/12/2012. O que os Maias fizeram, foi dizerem que o mundo como nós conhecemos, entrará em um momento de mudança nesta data e que 21 de dezembro de 2012 é a data final do ciclo de 13 baktun da longa contagem no calendário Maia, que na filosofia Maia equivale a um ano na Idade Mundial. Como nós respondermos a essa mudança irá definir como experimentaremos nossas vidas na próxima época de existência. Poderia muito bem ser o início de mil anos de paz na Terra ou um momento de catástrofes sem precedentes, ou talvez uma mistura de ambos.

Com a utilização do telescópio espacial através de Fermi da NASA, os cientistas descobriram no ano de 2010 um fenômeno no centro de nossa galáxia de grande liberação de energia de raios gama nunca antes visto. Entre tantas anomalias ocorridas nos últimos anos e as perspectivas para um futuro próximo registradas pela NASA e por muitos outros cientistas, reforça-se o alerta de grandes mudanças em nosso planeta. Um dos eventos esperados pelos cientistas e NASA com grande probabilidade de ocorrer a partir desta data, são intensas Erupções Solares ou pulso eletromagnético e geomagnético(EMP). Uma tempestade solar pode produzir tempestades geomagnéticas quando combinada com ejeções de massa coronal(CME).

A Terra é protegida dos efeitos nocivos da radiação solar por seu campo magnético chamado de magnetosfera. Grandes rachaduras no campo magnético foram descobertas em 2003 pela NASA e a Agência Espacial da Europa. A tempestade geomagnética mais intensa da qual se tem registro foi denominada Evento Carrington e ocorreu entre agosto e setembro de 1859 quando a dependência tecnológica da época era apenas sinais de telégrafos. Com o grande aumento tecnológico, se um evento de CME da dimensão e intensidade que ocorreu em 1859 ocorresse hoje, estima-se que a rede elétrica teria entre quatro meses a um ano para ser restaurada, surtindo os seguintes efeitos:

A água municipal acabará em 48 horas;

Sistemas de esgoto vão deixar de operar dentro de nove dias;

Refrigeração cessará imediatamente;

Falta de medicamento em seis dias

Comida acabará nos supermercados em quatro dias;

97% de toda a produção cessarão;

Cultivo vai diminuir em 80%;

Distúrbios alimentares e distúrbios civis irão ocorrer dentro de oito dias

De nossa perspectiva como arquitetos, engenheiros, físicos e gestores de programas de construção, não vemos o fenômeno de 2012 como uma questão de precisão, mas como um problema de otimização no projeto do abrigo sob severas restrições. Nesta perspectiva, olhamos para os possíveis efeitos previstos e as medidas necessárias para mitigar esses efeitos. Este esforço exige a geração de um novo futuro de digitalização, funções e trabalhos teóricos na área de análise de antecipação para o desenvolvimento de estratégias de adaptação e resistência Nuclear, Biológica, Química, Climática, Sísmico e EMP.

Fonte: http://www.bunkerbr.com/news.html

 

Empresa americana vende abrigos para o “fim do mundo”

 

O medo de catástrofes naturais, profecias apocalípticas e mesmo guerras mundiais tem levado muitos a procurarem alternativas que os protejam de um possível cataclisma universal.
 
O temor já tem levado empresas a desenvolverem abrigos para a sobrevivência em situações extremas. A empresa norte-americana Atlas (http://www.atlassurvivalshelters.com/oferece diversos modelos de “bunkers” para família de vários tamanhos e finalidades diferentes, como tornados e mesmo guerras.
 
Ao preço de 18 e 78 mil dólares, a oferta já tem despertado grande interesse por oferecer diversas utilizações e configurações, da mais simples à mais luxuosa. Alguns chegam a conter banheira de hidromassagem, móveis de última linha, detectores de radioatividade e baterias solares.
 
Os abrigos são projetados para serem enterrados a vários metro abaixo do solo e tem formato tubular semelhante a um container.
 
“Vocês terão uma fortaleza subterrânea com design exclusivo”, diz o site da empresa. Os abrigos são ainda classificados em proteção nuclear, biológica e química.
 
A empresa ainda sugere que os abrigos podem ser usados como “uma segunda casa” ou mesmo uma cabana de caça nos fins de semana com “quase todo o conforto de uma casa contruída sem que sua integridade seja comprometida”.

Fonte :http://noticias.gospelmais.com.br/empresa-americana-vende-abrigos-fim-mundo-43473.html

**Geração Maranata** Se for copiar cite a Fonte!

 

Israel e a criação do Estado Palestino

Filed Under (Alianças Bíblicas) by Geração Maranata on 09-03-2011

Tag: , ,

por Geração Maranata

Atualizado em 17/03/2014

Estamos cada vez mais vendo as profecias se cumprindo.  A Bíblia afirmou em Zacarias que Jerusalém seria um "cálice de tontear e um peso para todos os povos". Toda semana Jerusalém é notícia em jornais, revistas, tvs, etc.

Acredito que somos a geração que verá as profecias finais se cumprirem. Não quero entrar no mérito se estaremos aqui para ver tudo acontecer ou não.   Temos estudos abordando várias teorias neste sentido.

O importante é estar preparado para "ser digno de estar diante do Trono e do Cordeiro" (ver Ap 7:9 e comparar com Lc 21:36), seja antes, durante ou após a Tribulação.

Qual é a questão sobre a possível criação do Estado Palestino? a divisão de Jerusalém.

Em 1980, uma lei israelita declarou Jerusalém como capital eterna e indivísivel de Israel. Porém a ocupação de Jerusalém Oriental é considerada ilegal do ponto de vista do direito internacional e na época foi condenada por uma resolução das Nações Unidas.

A maioria dos países não reconhecem Jerusalém (a parte Oriental) como parte da capital de Israel. A Inglaterra, por exemplo, não reconhece a anexação de Jerusalém em 1967 e mantém apenas um consulado na cidade, que não se relaciona com o governo de Israel. A Bolívia e o Paraguai mantém suas representações em um subúrbio de Jerusalém – Mevasseret Zion. Costa Rica e El Salvador eram os únicos países que tinham embaixadas em Jerusalém, no entanto, em Agosto de 2006, o presidente da Costa Rica declarou sua intenção de transferí-la para Tel-Aviv e El Salvador fez o mesmo nove dias depois.

Em seu início de governo, Barack Obama declarou em um de seus discurso que iria trabalhar pela existência de um Estado palestino que conviva pacificamente com Israel.  "Deixe-me ser claro: a segurança de Israel é sacrossanta. É não-negociável. Os palestinos precisam de um Estado que seja contíguo e coeso, e que lhes permita prosperar. Mas qualquer acordo com o povo palestino deve preservar a identidade de Israel como Estado judeu, com fronteiras seguras, reconhecidas e defensáveis" disse Obama e acrescentou que  "Jerusalém continuará como capital de Israel, e deve permanecer sem ser dividida".

Em Setembro de 2010, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, através de um assessor, afirmou que Jerusalém deverá continuar sendo a "capital indivisível de Israel", esclarecendo a postura de Israel depois das declarações de seu ministro da Defesa, Ehud Barak, que sugeriu que a divisão era uma possibilidade. Barak sugeriu que Jerusalém Oeste e 12 bairros judeus, onde vivem 200 mil pessoas, permaneceriam sob o domínio de Israel e os bairros árabes, onde vivem cerca 250 mil pessoas, poderiam pertencer ao Estado Palestino.
Netanyahu e o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas junto com o presidente americano Barack Obama, estão se aproximando para tentar uma negociação de paz.
 

 

Uma análise dos países de Ezequiel 38:

"Filho do homem, dirige o teu rosto contra Gogue, terra de Magogue, príncipe e chefe de Meseque, e Tubal, e profetiza contra ele. E dize: Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu sou contra ti, ó Gogue, príncipe e chefe de Meseque e de Tubal; E te farei voltar, e porei anzóis nos teus queixos, e te levarei a ti, com todo o teu exército, cavalos e cavaleiros, todos vestidos com primor, grande multidão, com escudo e rodela, manejando todos a espada; Persas, etíopes, e os de Pute com eles, todos com escudo e capacete; Gomer e todas as suas tropas; a casa de Togarma, do extremo norte, e todas as suas tropas, muitos povos contigo." (Ez 38:2-6)

"Sebá e Dedã, e os mercadores de Társis, e todos os seus leõezinhos te dirão: Vens tu para tomar o despojo? Ajuntaste a tua multidão para arrebatar a tua presa? Para levar a prata e o ouro, para tomar o gado e os bens, para saquear o grande despojo?" (Ez 38:13)

Filhos de Noé

1) Os filhos de Jafé são: Gomer, Magogue, Madai, Javã, Tubal, Meseque e Tiras

Filhos de Jafé: Esta expressão designa os povos situados ao norte e a nordeste do território ocupado pelos semitas. A expressão hebraica filho de… não se refere somente à filiação em sentido estrito, mas também pode designar a filiação a um grupo ou a uma categoria. Este versículo menciona os Cimérios (Gomer) da região do Cáucaso, os Lídios (Magogue) da Ásia Menor, os Medos (Madai) da região montanhosa a noroeste do Irã, os Gregos da Jônia (Javã), na costa ocidental da Ásia Menor e ainda povos que habitavam a região do mar Negro (Tubal e Meseque). Tiras, provavelmente, seja o nome bíblico dos Tirrenos, piratas do mar Egeu e antepassados dos Etruscos.

2) Os filhos de Gomer são: Asquenaz, Rifate e Togarma

Asquenaz: São os Citas, que, desde a costa do mar Negro, se expandiram para várias regiões da Ásia Menor e do Oriente Próximo. Rifate: Povo ainda não identificado. Togarma: A oeste da Armênia.

3) Os de Javã são: Elisá, Társis, Quitim e Dodanim

Elisá: Na costa oriental de Chipre (Ez 27.7). Társis: (Sl 48.7). Quitim: A ilha de Chipre e outras ilhas e costas do Mediterrâneo oriental (Ez 27.6). Dodanim: Ou Rodanim, nome que designa os habitantes da ilha de Rodes, no mar Egeu.

4) Os filhos de Cam: Cuxe, Mizraim, Pute e Canaã.

Cuxe, Mizraim, e Pute: Etiópia, Egito e o território da costa africana ao sul do mar Vermelho. Canaã é mencionado aqui por ter estado muito tempo sob o domínio egípcio. Os filhos de Cam: Os povos situados ao sul da Palestina e do território habitado pelos filhos de Sem.

5) Os filhos de Cuxe: Sebá, Havilá, Sabtá, Raamá e Sabtecá; e os filhos de Raamá: Sabá e Dedã.

Sebá: Ver Sl 72.10. Havilá: Região da Arábia. Sabtá, Raamá e Sabtecá: Ao sul da Arábia, em direção ao Iêmen. Dedã: A noroeste da Arábia.

 

Gogue = significa “montanha” – príncipe profético de Rôs, Meseque e Tubal, e Magogue, rei da terra de Magogue que virá do norte e atacará a terra de Israel.

Magogue – provavelmente se entende serem os Cítios ou Tártaros, assim chamados pelos escritores árabes e sírios, e especialmente os turcos, que se originaram de Tártaro.

Magogue é a “terra de Gogue”:

1) o segundo filho de Jafé, neto de Noé, e progenitor de diversas tribos ao norte de Israel.

2) a região montanhosa entre a Capadócia e a Média e habitação dos descendentes de Magogue, filho de Jafé e neto de Noé.

Magogue significa: "o que transcende, encobre”

1) região ao norte de Israel da qual o rei de Gogue virá para atacar a Israel

Meseque = significa “escolhido”

1) filho de Jafé, neto de Noé, e progenitor dos povos do norte de Israel

1a) descendentes de Meseque freqüentemente são mencionados em conexão com Tubal, Magogue, e outras nações do norte incluindo os Moschi, um povo localizado nas fronteiras da Cólquida e Armênia

Tubal = significa “tu serás trazido”

1) filho de Jafé e neto de Noé

2) uma região na parte oriental da Ásia Menor

2a) talvez quase idêntica à Capadócia

Tubalcaim - significa "Aquele Que Faz Forjas" – artífice que trabalhou com bronze e ferro (Gn 4.22).

Persas - País hoje chamado de Irã

Etíopes/CuxePaís que ficava ao sul do Egito e que incluía a Núbia, o Sudão e o norte da Etiópia dos tempos modernos. Em hebraico esse país se chamava Cuxe, nome de um dos filhos de CAM. Israel teve alguns contatos com a Etiópia (Nm 12.1; 2Cr 12.3; 14.9-13; 2Rs 19.9). Os profetas a mencionaram (Is 11.11;18.1; 20.3-5; Jr 46.9; Ez 29.10; 30.4-9; Na 3.9; Sf 3.10). No NT relata-se o batismo de um alto funcionário da Etiópia (At 8.26-40).

Pute - Líbia  (Pute e os líbios) – nação e povo da África do Norte; provavelmente os Líbios, país localizado no norte da África, a oeste do Egito (Na 3.9; At 2.10)

Gomer = significa “completo”

1) o filho mais velho de Jafé e neto de Noé; o progenitor dos antigos cimerianos e outros ramos da família céltica

2) a esposa infiel do profeta Oséias; o relacionamento de Oséias com ela era um simbolismo do relacionamento de Deus com a desobediente Israel

Togarma = significa “tu a quebrarás”

1) filho de Gômer, neto de Jafé, e bisneto de Noé

2) território ocupado pelos descendentes de Togarma

2a) provavelmente a região conhecida como Armênia

Rôs = significa “cabeça”

1) um filho de Benjamim

2) Russos, descendentes dos antigos habitantes junto ao rio Araxes

 

Para saber mais: leia o post 'Um Olhar Aprofundado nos Equivalentes Modernos aos Nomes Bíblicos em Ezequiel 38', onde é identificado alguns países que farão parte da coalizão que invadirá Israel no futuro.
 
Postarei algumas notícias divulgadas pela Mídia sobre o assunto, que serão realimentadas conforme a evolução do acordo de paz e a criação do Estado Palestino.
 
 
Notícias 2014:
 
12 de março de 2014: Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,israel-aprova-exigencia-de-referendo-sobre-jerusalem,1140026,0.htm
 
Israel aprova exigência de referendo sobre Jerusalém
 
O Parlamento de Israel aprovou uma lei que exige um referendo nacional para aprovar qualquer proposta de retirada de território de Jerusalém Oriental, acrescentando uma nova barreira na negociação de um acordo de paz com os palestinos.
 
O destino de Jerusalém Oriental, que abriga vários locais de importância religiosa, é a questão mais preocupante das negociações de paz. Israel assumiu a área em 1967 e diz que ela faz parte de sua capital eterna. Os palestinos querem Jerusalém Oriental como sua capital.
 
A lei, aprovada por 68 votos a zero nesta quarta-feira, exige que seja realizado um referendo sobre qualquer cessão ou retirada de território "soberano" israelense. Parlamentares da oposição boicotaram a votação.
 
Essa votação encerrou uma série de votações polêmicas pelo Parlamento israelense. Também nesta quarta-feira, foi aprovada lei que permite a Israel convocar homens judeus ultraortodoxos para as Forças Armadas. A polêmica das exceções ao serviço militar começou com o estabelecimento de Israel como Estado em 1948, quando o governo permitiu que estudantes de desempenho exemplar deixassem de servir às Forças Armadas para realizar estudos religiosos. Ao longo dos anos, o número de exceções cresceu, com milhares de jovens religiosos escapando do serviço militar para estudar religião, enquanto a maioria dos outros homens judeus era obrigada a se submeter a três anos de serviço militar obrigatório.
 
As exceções provocavam ressentimento ante os ultraortodoxos e foram tema central nas eleições do ano passado. "A mudança começa amanhã e deve transformar a face da sociedade israelense", afirmou Yaakov Peri, ministro de gabinete de Yesh Atid, que ajudou a formular o projeto. A lei não impõe o recrutamento universal. Em vez disso, o Exército será obrigado a convocar um crescente número de judeus ultraortodoxos a cada ano, com o objetivo de recrutar 5,2 mil soldados ultraortodoxos em 2017. O país concederá incentivos financeiros para escolas religiosas que enviem seus alunos para o exército. Se a comunidade ultraortodoxa não atender a esse contingente, a legislação prevê serviço obrigatório para os judeus ultraortodoxos e sanções penais para os que não atenderem à convocação.
 
Na terça-feira, o Parlamento já havia aprovado uma polêmica lei eleitoral que eleva o porcentual de votos necessários para que um partido possa ser representado na casa legislativa. Os defensores a consideram necessária em nome da governabilidade. Os setores contrários consideram a medida antidemocrática e projetada especificamente para dificultar a eleição de políticos árabes israelenses. O projeto de lei foi aprovado com 67 votos a favor e nenhum contra no Parlamento de 120 cadeiras. A bancada de oposição retirou-se da votação.
 
O texto eleva de 2% para 3,25% o número de votos necessários para que um partido eleja uma bancada. Israel possui um sistema de representação proporcional. Os eleitores votam em listas apresentadas pelos partidos, e não em um político específico. Pela nova lei, calcula-se que um partido precisará ganhar pelo menos quatro cadeiras para superar a cláusula de barreira.
Fonte: Associated Press. 
 

 
 
Notícias 2013:
 
 
Israel e palestinos estabelecem prazo de nove meses para alcançar acordo de paz
 
Secretário de Estado dos EUA anuncia que nova rodada de negociações ocorre em duas semanas no Oriente Médio
 
O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, anunciou nesta terça-feira que os negociadores israelenses e palestinos concordaram em se encontrar novamente em duas semanas para continuar negociações substantivas para um até agora distante acordo de paz. Ele afirmou que os lados estabeleceram como objetivo um prazo de nove meses (Abril/2014) para alcançar o pacto. [Nota: Pode ser coincidênica, mas neste mês/ano está previsto um grande sinal no céu (tetrad) que ocorrerá na Festa Judaica da Páscoa, leia mais aqui].
 
 
Segunda: Israel e palestinos retomam negociações de paz.
 
Falando depois de os dois lados terem terminado a primeira rodada de negociações nesta terça, Kerry disse que eles estavam comprometidos com um diálogo "sustentado, contínuo e substantivo nas questões centrais" que os dividiam. Ele disse que a próxima rodada marcará o início formal das negociações e acontecerá em Israel ou nos territórios palestinos.
 
"Eles estão à mesa com um único objetivo: uma visão para pôr fim ao conflito, pôr fim a todas as reivindicações", disse Kerry ao fim de dois dias de negociações em Washington. Ele fez as declarações ao lado dos negociadores-chefe dos dois lados que fizeram pronunciamentos breves sobre a necessidade de resolver o conflito de longa data.
 
Obama em apelo por paz em Israel: 'Coloque-se no lugar dos palestinos'
 
Antes do anúncio, o presidente dos EUA, Barack Obama, reuniu-se na Casa Branca com os negociadores israelense e palestino – a ministra da Justiça de Israel, Tzipi Livni, e o negociador-chefe palestino, Saeb Erekat.
 
"Sei que o caminho é difícil. Não há uma ausência de céticos apaixonados. Mas com negociadores capazes e respeitáveis estou convencido de que conseguimos chegar lá", disse Kerry. Ele informou que os encontros em Washington foram "construtivos e positivos".
 
Dia 19: Israel e palestinos acertam bases para nova negociação, diz Kerry
 
Além disso, Kerry elogiou a "liderança corajosa" mostrada pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, para chegar a esse ponto. 
 
Na mesma coletiva, Erekat disse estar "feliz" que todos os assuntos seriam discutidos. "Os palestinos já sofreram o suficiente. É o momento de os palestinos viverem em paz, com liberdade e dignidade dentro de seu próprio Estado soberano."
 
Livni disse que, depois de anos de impasse, ela se sentia esperançosa – apesar de não ser ingênua: "É nossa tarefa trabalhar juntos para que possamos transformar a chama de esperança em algo real e duradouro. Acredito que a história não é feita por cínicos. É feita por realistas que não têm medo de sonhar. E que sejamos essas pessoas."
 
Domingo: Israel aprova libertação de árabes para reiniciar negociações
 
As negociações de paz entre os dois lados começaram na segunda-feira após três anos de hiato, um dia depois que Israel aprovou a libertação de mais de cem prisioneiros palestinos . O gabinete israelense deu sinal verde para a soltura de 104 prisioneiros palestinos de longa data em quatro estágios durante vários meses, vinculados ao progresso que for obtido no processo de paz.
 
As identidades dos presos não foram publicadas, mas, de acordo com informações, incluiriam aqueles que mataram israelenses ou informantes palestinos. O gabinete israelense também aprovou o esboço de um projeto de lei requerendo um referendo para qualquer acordo de paz com os palestinos que envolva concessões territoriais.
 
2012: ONU reconhece de forma implícita Estado Palestino
 
Entenda: O que significa o novo status palestino na ONU?
 
Nos últimos cinco meses, Kerry fez seis visitas oficiais ao Oriente Médio em um esforço para reiniciar as negociações. O ex-embaixador dos EUA em Israel Martin Indyk foi nomeado enviado especial dos EUA para o diálogo. O diplomata desempenhou um papel-chave nas negociações de Camp David em 2000, sob o ex-presidente Bill Clinton (1993-2001).
 
A questão da construção dos assentamentos paralisou as negociações diretas em setembro de 2010 . As construções são consideradas ilegais sob a lei internacional, apesar da constestação de Israel.
 
 
Notícias 2012:

 
29/11/2012 – http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/11/121127_palestinos_onu_pai.shtml
 
ONU aprova pedido da Autoridade Palestina para virar Estado observador
 
Por 138 votos a nove, a Assembleia Geral da ONU aprovou nesta quinta-feira uma ascensão do status dos palestinos nas Nações Unidas, de "entidade observadora" a "Estado observador não-membro". A importância é muito mais simbólica, já que a ONU não tem poder para reconhecer um estado palestino.
 
O Brasil está entre os países que votaram a favor da medida, que precisava apenas de maioria simples para ser aprovada. A maior oposição veio de EUA e Israel, que estão entre os nove membros que votaram contra. Os países que se abstiveram somam 41.
 
O pleito se segue a uma fracassada tentativa dos palestinos de integrar a ONU como membros permanentes, em 2011, quando não obtiveram apoio do Conselho de Segurança da ONU. O presidente palestino Mahmoud Abbas disse mais cedo que essa seria a "última chance" de uma solução para o conflito com Israel. Ele havia solicitado que a comunidade internacional desse uma "certidão de nascimento" para a Palestina.
 
Que impactos essa mudança – cujo caráter é majoritariamente simbólico – deve ter nas relações entre israelenses e palestinos e no pleito destes por um Estado próprio?
Entenda no guia abaixo:
 
 
O que a mudança de status significa?
 
A decisão desta quinta dá aos palestinos o status de "Estado observador não-membro", semelhante ao do Vaticano perante a ONU.
 
O novo status é principalmente simbólico, mas a liderança palestina argumenta que ele ajudará a delimitar o território que quer para seu Estado próprio – gradativamente tomado pelo avanço dos assentamentos israelenses. Também pode ajudar que essa delimitação de território ganhe reconhecimento formal.
 
O embaixador palestino na ONU, Riyad Mansour, havia dito que a aprovação é "um passo muito importante para salvar a solução de dois Estados".
 
A mudança também significa que palestinos poderão participar dos debates da Assembleia Geral da ONU, aumentando suas chances de de integrar agências e entidades ligadas à ONU.
Talvez o maior temor de Israel seja o de que palestinos usem seu novo status para entrar no Tribunal Penal Internacional e tentar acionar Israel judicialmente por supostos crimes de guerra cometidos em territórios ocupados, como na Cisjordânia.
 
Israel classifica a iniciativa palestina de uma violação dos Acordos de Oslo (1993), que traçam caminhos para a negociação bilateral (atualmente interrompida) de paz.
 
 
Quem ganha politicamente?
 
A aprovação do novo status na ONU é uma vitória diplomática de Mahmoud Abbas, o líder da Autoridade Palestina e principal força política na Cisjordânia.
 
A vitória lhe dá cacife num momento em que o líder estava escanteado diante do fortalecimento político e militar do rival Hamas (grupo islâmico que controla a Faixa de Gaza) entre os palestinos, enquanto Abbas tinha pouco a comemorar com suas políticas mais moderadas.
 
No entanto, mesmo com a vitória desta quinta, Abbas precisará de muito mais para obter o Estado palestino. Quando acabarem as comemorações do novo status, o líder terá que rever sua estratégia política para colocar em prática o anseio por um Estado palestino.
 
 
O que querem os palestinos?
 
Os palestinos tentam há tempos estabelecer um Estado soberano na Cisjordânia, que inclua Jerusalém Oriental e a Faixa de Gaza, seguindo o traçado de antes da Guerra dos Seis Dias (em 1967, quando Israel ocupou territórios reivindicados pelos palestinos).
 
Os Acordos de Oslo, entre a OLP (Organização pela Libertação da Palestina) e Israel, levaram ao reconhecimento mútuo. No entanto, duas décadas de conflitos intermitentes desde então e a ausência de consenso em temas-chave impediram um acordo permanente. A última rodada de negociações terminou em 2010.
 
Com o impasse nas negociações, a liderança palestina passou a buscar o reconhecimento individual dos países de um Estado palestino. Essa é a principal razão por trás do atual pleito na ONU.
Em setembro de 2011, Abbas tentou obter o status de membro pleno da ONU, mas a tentativa não passou pelo crivo do Conselho de Segurança do órgão. Abbas tentou, então, um status menor, o de não-membro observador.
 
 
Quais são as divergências?
 
O reconhecimento diplomático palestino dá força simbólica ao pleito por um Estado que siga o traçado pré-1967 e às negociações de paz com Israel.
 
No entanto, o premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, rejeita essa noção territorial como base para as negociações, descrevendo-as como "não realistas", já que grande parte dos territórios hoje reivindicados concentram grande população de judeus em assentamentos (considerados ilegais sob a lei internacional).
 
Outros temas-chave sobre os quais não há acordo entre israelenses e palestinos são o status de Jerusalém Oriental e o retorno de refugiados palestinos.
 
Para Israel, o novo status palestino na ONU é uma medida "unilateral" que viola os termos dos Acordos de Oslo.
 
 
Quem deve apoiar ou rejeitar o novo status palestino?
 
A reivindicação por um novo status na ONU não engajou os palestinos da mesma forma que em 2011. O novo status tem o apoio do Fatah, movimento secular que, com a Autoridade Palestina, administra a Cisjordânia.
 
A proposta foi inicialmente criticada por líderes do Hamas. No entanto, após os oito dias da recente ofensiva israelense em Gaza, o líder político do Hamas, Khaled Meshaal, elogiou a iniciativa do rival Fatah.
 
Em âmbito mais amplo, os 22 países da Liga Árabe também apoiaram a Autoridade Palestina.
 
A maior oposição vem de Israel, que tentou dissuadir Abbas ameaçando-o com a suspensão da coleta de impostos na Cisjordânia. Um documento vazado da Chancelaria de Israel sugere que se discutiu inclusive a derrubada de Abbas – mas a medida é considerada improvável por analistas, a não ser que o líder palestino use o novo status para tomar passos mais drásticos, como pressionar Israel no Tribunal Penal Internacional.
 
Nos últimos dias, autoridades israelenses indicaram que colocariam em vigor sanções contra os palestinos.
 
Os EUA, principais aliados de Israel mas também doador à Autoridade Palestina, também pode impor alguma sanção financeira.
 
Na Europa, outras nações que também financiam a AP também temem os desdobramentos da estratégia palestina. Só 9 dos 27 países-membros da União Europeia reconhecem a Palestina bilateralmente.
 
Notícias 2011:

 

Unesco concede status de membro pleno a palestinos e Israel alerta que decisão ameaça negociação de paz

JERUSALÉM e PARIS – A Unesco concedeu nesta segunda-feira (31-10-2011) status de membro pleno aos palestinos no organismo, que se torna o primeiro das Nações Unidas a adotar tal decisão desde que o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, fez, em setembro, seu histórico discurso na Assembleia Geral pedindo o reconhecimento do Estado palestino. O governo de Israel reagiu minutos depois, advertindo que o resultado da votação na Unesco ameaça a retomada das negociações de paz com os palestinos.

 

"Essa é uma manobra palestina unilateral que não vai trazer mudança na prática, mas remove a possibilidade de um acordo de paz", disse em comunicado o ministério das Relações Exteriores israelense. "Essa decisão não vai transformar a Autoridade Nacional Palestina em um Estado e coloca obstáculos desnecessários na rota da renovação das negociações", completa a nota.

Na sede da Unesco em Paris, delegados de diversos países comemoraram quando foi anunciada a "vitória" dos palestinos, que conseguiram apoio de 107 Estados. Apenas 14 votaram contra, e 52 se abstiveram. Para que a adesão plena fosse concedida, eram necessários 81 votos entre os 173 membros do organismo.

Durante a reunião da Unesco em Paris para avaliar o pedido palestino, Estados Unidos, Canadá e Alemanha votaram contra a mudança de status dos palestinos. Brasil, China, Índia, África do Sul e França votaram a favor. O Reino Unido se absteve. O resultado entra em vigor assim que a Autoridade Nacional Palestina assinar a carta da Unesco.

Os EUA, que já prometeram vetar no Conselho de Segurança a reivindicação palestina de ter uma cadeira na ONU, eram também os principais opositores, junto com Israel, aos pedidos de que os palestinos fossem membros plenos da Unesco e de outros organismos das Nações Unidas.

Congressistas americanos ameaçavam cortar o financiamento dos EUA à agência em caso de aprovação do status pleno para palestinos. A contribuição americana, de cerca de US$ 80 milhões por ano, representa 22% da verba total da Unesco.

Pelas regras da ONU, os palestinos poderiam integrar a agência independentemente do seu status dentro das Nações Unidas, onde atualmente eles são classificados como "entidade observadora".

O governo americano se opunha ao pedido palestino sob o argumento de que isso não ajudaria nos esforços para reativar as negociações de paz com Israel, que sofreram um colapso no ano passado.

Já Israel afirmava que o pedido palestino é uma politização da agência e que minaria a capacidade de cumprir seu mandato.
 

 

17/09/2011 – Fonte: http://www.dgabc.com.br/News/5914137/abbas-anuncia-que-buscara-status-pleno-para-palestina.aspx

Abbas anuncia que buscará status pleno para Palestina

Apesar da oposição de EUA e Israel, a Autoridade Palestina buscará a admissão do Estado palestino como membro pleno da Organização das Nações Unidas (ONU) na próxima sexta-feira, durante a Assembleia-Geral em Nova York. A iniciativa não conta com o apoio do Hamas e foi anunciada pelo presidente Mahmoud Abbas em Ramalla (Cisjordânia).

A decisão põe os palestinos em rota de choque com Washington. Para ser um membro pleno da ONU, é preciso a aprovação do Conselho de Segurança e de dois terços dos votos dos 193 países da Assembleia-Geral. O problema é que a Autoridade Palestina não conseguirá passar da etapa do conselho, onde os americanos usarão o poder de veto, conforme anunciado pelo presidente Barack Obama.

Nesse caso, os palestinos pedirão um reconhecimento como Estado não membro na assembleia, pois, para tal status, não há necessidade de aprovação no Conselho de Segurança. Por isso, analistas dizem que o objetivo da Autoridade Palestina seria ter uma vitória simbólica, mostrando ter o apoio da comunidade internacional, isolando EUA e Israel. Além disso, seria possível tentar processar os israelenses por crimes na justiça internacional.

"Precisamos ser membros plenos da ONU. Precisamos de um Estado, de um assento nas Nações Unidas. É um direito legítimo", disse Abbas, acrescentando que o objetivo não será isolar Israel, mas para enfatizar a questão "da ocupação da Cisjordânia" e aumentar o poder de negociação dos palestinos. "Será de Estado para Estado a partir de agora", disse. No discurso, Abbas defendeu um Estado tendo como base as fronteiras pré-1967 e Jerusalém Oriental como capital. Ele não falou da questão dos refugiados.

O Departamento de Estado dos EUA disse ainda estar tentando encontrar uma saída para evitar uma crise. O veto deve prejudicar a imagem americana nos países árabes num momento considerado crítico. A União Europeia, ainda dividida sobre que rumo tomar, também tenta encontrar uma solução para evitar a ida dos palestinos para o conselho.

O gabinete do premiê de Israel, Binyamin Netanyahu, divulgou comunicado dizendo que a "paz apenas pode ser alcançada por meio de negociações". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

 

17/06/2011 - Fonte: http://www.cafetorah.com/Europa-busca-mais-uma-iniciativa-de-paz-para-Oriente-Medio

Europa busca mais uma iniciativa de paz para Oriente Médio – Por quê? E por que agora?

As fronteiras de "1967 são de comum acordo" e o compromisso de "garantias de segurança" são os princípios básicos da iniciativa européia nova de paz no Oriente delineada pelo discurso do presidente dos EUA, Barack Obama, realizado no Departamento de Estado em maio deste. O "Alto Representante da União para os Negócios Estrangeiros e da Política de Segurança", Catherine Ashton, pediu uma convocação de urgência do chamado Quarteto (EUA, UE, ONU, Rússia) em uma carta que ela escreveu a Secretária dos EUA, Hillary Clinton, ao Secretário Geral da ONU, Ban KiMoon e Sergei Lavrov, o ministro russo dos Negócios Estrangeiros.

"Os acontecimentos dramáticos de todo o mundo árabe", diz o facto de Ministro dos Negócios Estrangeiros da UE, tornam "ainda mais urgente encontrar uma solução duradoura para o conflito israelo-palestino".

"A construção de assentamentos e o fato de que o muro não está nas fronteiras de 1967" é a resposta seca de um político do alto escalão alemão para a questão de saber o principal obstáculo ao processo de paz no Médio Oriente.

O Primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu argumenta: "Não é você dar mais um quilômetro e resolverá a paz". A raiz do conflito, afirma, é que os palestinos não querem reconhecer o direito de existência de Israel como um Estado judeu no Oriente Médio.

O que deve vir desta nova iniciativa, que não contém nada de substancialmente novo? E por que agora? O que é diferente de agora ou um, três, cinco ou dez anos atrás? É o West nervoso por causa da votação da ONU ameaçou os palestinos têm agendada para Setembro? Você sabia que apesar de tão cedo, em 1947 um Estado árabe tinha sido declarado no Mandato Britânico na Palestina, mas foi rejeitado por unanimidade pelos árabes, e ratificaram isto novamente em 1988 pelos palestinos?

Netanyahu exala uma sensação de que o conflito no Oriente Médio é insolúvel. É por isso que o chefe de governo israelense faz tudo o que ele pode controlá-lo como habilmente possível. Seu ministro das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, é visto no exterior como um racista.

Entre os imigrantes russos e beduínos israelenses, ele é visto como portador de esperança para a igualdade dos não-judeus no Estado judeu. Ele descreve o plano da União Européia de certa forma como ingênuo. Os desenvolvimentos na Síria, Líbia e Iêmen, Sudão, Paquistão e Irã por último não são menos importante dos desafios atuais, mas não tem nada a ver com o Estado judeu, diz diplomata-chefe de Israel.

Perguntei ao político do alto escalão alemão em particular, se ele realmente acreditava que o muro e os assentamentos foram obstáculos para a paz no Oriente Médio. Ele olhou-me impotente nos olhos e confessou: "Não, mas agora não sabemos o devemos fazer" "Com uma declaração como essa você não vai ganhar a eleição", disse. "Exatamente", confirmou. Pode-se também optar por ficar em silêncio se não saber algo, esta é uma opção que eu não ousou usar naquele momento. Segurar a língua de uma pessoa não é fácil quando os políticos são eleitos ou jornalistas são pagos. Por esta razão, os jornalistas vão continuar a falar muito, mesmo quando eles realmente não sabem muito, e os políticos continuarão a exercer pressão sobre aqueles que reagem a eles, mesmo se eles estiverem errados.

 

19/05/2011 - Fonte: http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2011/05/19/obama-defende-estado-palestino-com-fronteiras-de-1967-924494052.asp#ixzz1MphB87JX

Obama defende Estado palestino com fronteiras de 1967

WASHINGTON – O presidente dos EUA, Barack Obama, defendeu em discurso nesta quinta-feira (19/05) a criação de um Estado palestino de acordo com as fronteiras anteriores à Guerra dos Seis Dias, em 1967, uma reivindicação chave da causa palestina. A defesa marca uma significativa mudança na política dos Estados Unidos e deve despertar, quase certamente, a ira de Israel.

Obama incitou Israel a aceitar que nunca se pode ter uma nação verdadeiramente pacífica baseada na "ocupação permanente ". Israel defende que endossar as fronteiras de 1967 – quando o país ocupou o leste de Jerusalém, a Cisjordânia e Gaza – prejudicaria as negociações de paz.

Enquanto o presidente discursava, porém, o Comitê de Planejamento e Construção de Jerusalém aprovou a construção de mais 1.550 casas no leste da cidade. Segundo o jornal israelense "Yediot Ahronot", as unidades serão erguidas nos bairros de Har Homa e Pisgat Zeev.

Obama diz que o futuro dos EUA está ligado ao Oriente Médio e ao Norte da África

Obama disse ainda que o futuro do país está ligado ao Oriente Médio e ao Norte da África. Em discurso do Departamento de Estado sobre os novos planos do seu governo para o mundo árabe, em Washington, o líder da Casa Branca afirmou que, após a queda de dois líderes (na Tunísia e no Egito), outros devem seguir o mesmo caminho. O presidente anunciou que os EUA lançarão um "amplo plano de comércio e investimentos" na região.

- De forma pacífica, o povo (da região) conseguiu mais mudanças em seis meses do que os terroristas em décadas – declarou Obama.

O presidente disse ainda que a prioridade do país na região é promover reformas:

- Temos uma oportunidade histórica. Temos uma chance de mostrar que a América valoriza mais a dignidade de um vendedor de rua da Tunísia do que o poder de um ditador.

Obama criticou que o poder na região esteja concentrado nas mãos de poucas pessoas e disse, ainda, que Washington vai apoiar a transição para a democracia nos países e deve "usar todos os seus recursos para encorajar a reforma no Oriente Médio e no Norte da África".

- Os EUA apoiam direitos e princípios universais, como o livre discurso e a igualdade entre homens e mulheres – comentou.

O presidente criticou durante os "opressores" regimes de Muamar Kadafi, na Líbia, e de Bashar al-Assad, na Síria, por sufocarem os anseios da população com grande violência. Diretamente para Assad, Obama afirmou que ou o presidente sírio lidera a transição para a democracia ou deve deixar o poder.

Bin Laden

Durante o discurso, Obama voltou a falar da morte de Osama bin laden. Segundo o presidente, a visão de destruição propagada por Bin Laden já estava desaparecendo mesmo antes de as forças americanas matarem o líder máximo da al-Qaeda. O chefe da Casa Branca ressaltou que "Bin Laden não é mártir".

Ajuda ao Egito

O país será um dos mais beneficiados pelo plano do governo americano. Obama anunciou que os EUA vão aliviar US$ 1 bilhão da dívida egípcia e realizar grandes investimentos no país até poucos meses governado pelo ditador Hosni Mubarak.

Brasil

O presidente citou o Brasil como um dos países que mostrou um impressionante progresso nos últimos anos.

"Os eventos nos últimos seis meses nos mostram que as estratégias de repressão e desvio não funcionam mais. Televisão por satélite e a Internet fornecem uma janela para um mundo mais amplo – um mundo de progressos impressionantes em lugares como a Índia, Indonésia e Brasil."

 

Abu Mazen e Khaled Mashaal pressionam por independência palestina

Revolta dos povos egípcio e tunisiano restauraram onfiança dos palestinos no seu futuro. Israel não aceitará solução imposta

06/03/2011

Duas vozes ameaçam Israel. Abu Mazen, como é conhecido no Brasil o presidente da Autoridade Palestina Mahmud Abbas, declarou ao presidente chileno, em visita a Ramallah, que chegou a hora "de a Palestina se transformar em um membro permanente das Nações Unidas". Ele reiterou à oposição de seu governo e partido a ideia de um Estado com fronteiras temporárias, atribuída aos israelenses. E expressou a Sebastián Piñera, presidente do Chile, que é esperança de declarar o Estado palestino indepentende nas linhas fronteiriças de 1967 no setembro próximo. E culpou Israel pelo atual impasse nas negociações de paz.

Khaled Mashaal, líder político da Frente de Resistência Islâmica (o Hamas), exilado em Damasco, na Síria, clamou na conferência sobre Jerusalém que tem lugar na capital do Sudão, Cartum, que o primeiro passo para a liberação da cidade da ocupação por Israel será a reconciliação entre o partido Fatah, de Abu Mazen, e o Hamas, cuja posição é de "jihad" – guerra santa. O atual status da parte oriental de Jerusalém, conquistada em 1967 pelos israelenses e unificada com a parte ocidental, é de “capital unida e única de Israel”.

E é bom lembrar que o presidente Mubarak, do Egito, recentemente derrubado do poder, tentou por todos os meios, políticos e diplomáticos, promover a reconciliação entre os grupos palestinos e a retomada das negociações com Israel, interrompidas em setembro do ano passado. Fracassou.

O presidente do Sudão (Cuxe bíblico), que hospeda a 8a conferência sobre Jerusalém, financiada pelo Irã (Persa bíblico), declarou hoje (06/03/2001), domingo, seu apoio ao povo palestino. Omar al-Bashir, reiterou que "o que está acontecendo agora na região é o prelúdio da 'batalha' por Jerusalém”. O que é mais preocupante para os israelenses é que al-Bashir afirmou que o acordo de paz com o Egito, de 1979, "foi um choque que o povo árabe não esqueceu até agora", insinuando a intenção de promover o fim do entendimento. Ficou implícito que serão desenvolvidas pressões para que também a Jordânia suspenda seu acordo com Israel.

O governo provisório do Egito, porém, declarou que pretende respeitar todos os compromissos do país, inclusive o acordo de paz com Israel. Piñera, do Chile, esteve com o primeiro-ministro de Israel Bibi Netanyahu antes de ir ao encontro de Abu Mazen em Ramallah. O Chile foi um dos países latino-americanos que reconheceu o Estado palestino. E seu presidente afirmou que sempre apoiou a existência de Israel dentro de fronteiras reconhecidas e que defende "que os palestinos têm o mesmo direito a seu próprio Estado democrático e independente".

Netanyahu terá declarado ao visitante chileno que Israel está preparado para sentar com Abu Mazen e negociar a paz. Mas, disse, “os palestinos sempre encontram motivos para não voltarem a negociar". Para Bibi, o líder palestino considera que tem o apoio majoritário da comunidade internacional. E seus porta-vozes insistem que em setembro próximo contarão com o voto de 150 países, o bastante para a proposta palestina ser aprovada com maioria a Assembleia Geral das Nações Unidas. Abu Mazen vem apelando ao Quarteto (EUA, ONU, Rússia e UE), para "forçar Israel a acabar com sua agressão e ocupação das terras palestinas".

Em Cartum, o líder político do Hamas declarou que a revolta dos povos egípcio e tunisiano restauraram a alta confiança dos palestinos no seu futuro. A queda de Mubarak foi muito comemorada pelo Hamas, que administra a Faixa de Gaza, bloqueada nos últimos anos de um lado por Israel e, de outro, pelo Egito.

Netanyahu já repetiu inúmeras vezes que só é possível uma solução da questão palestina em negociações diretas entre a delegação palestina e Israel. Ambos os lados sabem que terão que realizar sérias e dolorosas concessões só definíveis em negociações. Israel não aceitará solução imposta, sejam quais forem suas origens.

 

Israel avalia acordo provisório de longa duração com os palestinos

02/03/2011

JERUSALÉM — O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, trabalha com a possibilidade de propor um acordo provisório de longa duração com os palestinos, ao invés de tentar retomar as negociações de paz, indicou nesta quarta-feira a imprensa israelense.

Israel optou por não enviar delegados a Bruxelas, onde negociadores palestinos se reuniram nesta quarta-feira com representantes do Quarteto para o Oriente Médio (ONU, Estados Unidos, UE e Rússia) para tentar retomar o processo de paz.

"Os palestinos não querem estabelecer negociações sérias, por isso é preciso examinar a ideia de um acordo provisório em longo prazo", declarou uma fonte do gabinete de Netanyahu ao jornal israelense Hayom, considerado próximo a Netanyahu.

Esse plano poderá prever a criação de Estado palestino com fronteiras provisórias, enquanto se prosseguirá conversando sobre os principais pontos de um possível acordo final, afirma o Haaretz.

Michael Mann, porta-voz da chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, confirmou nesta quarta-feira que um encontro foi realizado em Bruxelas a portas fechadas entre representantes do Quarteto e negociadores palestinos.

 

UE espera aprovação do Estado Palestino até setembro

15/02/2011

A chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, disse hoje que a comunidade internacional ainda espera um acordo de paz e a criação de um Estado Palestino até setembro, mesmo com os distúrbios políticos na região.

Apesar do impasse no qual se encontram as negociações de paz entre Israel e os palestinos, e da renúncia do gabinete palestino, bem como do negociador-chefe Saeb Erekat, Ashton disse que o objetivo ainda pode ser alcançado. "Eu acho que temos de tentar chegar a este objetivo", disse ela, admitindo que será "desafiante".

Ashton faz uma visita de um dia com o objetivo de estimular os dois lados a retomar as negociações, que chegaram a um impasse no final de setembro e que aparentemente não serão retomadas em breve. O prazo para um acordo de paz foi estabelecido inicialmente pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, quando ele lançou as conversações diretas entre palestinos e israelenses em 2 de setembro. Mas o processo foi suspenso três semanas mais tarde.

O Quarteto para o Oriente Médio, formado pela União Europeia, Estados Unidos, Rússia e Nações Unidas, reiterou no início do mês seu apoio para que as "negociações sejam concluídas até setembro de 2011".

Ashton reuniu-se com o chanceler israelense Avigdor Lieberman antes de se dirigir para Ramallah, onde se encontrou, na tarde de hoje, com o ministro de Relações Exteriores palestino, Riyad al-Malki.

A rádio pública israelense informou que Lieberman disse que a comunidade internacional deve encontrar uma forma de impedir as ambições nucleares iranianas antes de pedir a Israel que faça concessões aos palestinos. Depois das negociações em Ramallah, Ashton retorna a Jerusalém para uma reunião com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

As informações são da Dow Jones.

 

Jerusalém Oriental: Israel destrói hotel para construir casas para colonos

09-01-2011 – Medida já foi censurada pelo presidente palestino Mahmud Abbas

Máquinas israelitas destruíram um hotel em Jerusalém Oriental – onde os palestinos pretendem implementar a sua futura capital – para construir 20 casas para colonos judeus.

De acordo com a BBC, este ato foi recebido com repúdio parte do presidente palestino, Mahmud Abbas, que disse que Israel está destruindo qualquer tipo de possibilidade de regressar às conversações de paz.

Por sua vez, as autoridades judaicas responderam que têm o direito de construir novas habitações em qualquer parte da cidade.

«Isto é algo que qualquer país faz nos seus domínios sem necessidade de prestar qualquer esclarecimento a outros governos», disse o ministro das Infra-estruturas, Uzi Landau.

A construção dos colonos é considerada ilegal em territórios palestinos ocupados. Desde 1976, Israel implementou mais de uma centena, onde vivem quase meio milhão de colonos.

O hotel Shepherd foi construído na década de 1930 e chegou a ser casa de Amin al-Husseini, o grande mufti de Jerusalém

Fonte: www.tvi24.iol.pt/internacional/jerusalem-jerusalem-oriental-israel-palestina-medio-oriente-tvi24/1224457-4073.html

 

Histórico hotel Shepherd, em Jerusalém Oriental, tem ala demolida

Máquinas israelenses de uma empresa privada começaram neste domingo a demolição de uma das alas do histórico hotel Shepherd para preparar o terreno para implantação de um novo bairro judaico, na parte leste de Jerusalém.

Situado no bairro de Sheikh Jarrah, território ocupado por Israel na Guerra dos Seis Dias de 1967, a demolição de uma parte do hotel e a criação do novo bairro foi alvo de duras críticas internacionais.

Nesta manhã, testemunhas disseram à Agência Efe que as máquinas chegaram ao local sob forte esquema de segurança e, logo em seguida, iniciaram a demolição.

O hotel em si ficará intacto. O que será destruído é uma ala que data do período em que a Jordânia controlava o leste de Jerusalém e toda a região da Cisjordânia, entre 1948 e 1967.

Ao todo, o complexo abrigará 20 casas, um estacionamento de três andares e uma estrada de acesso.

Construído no tempo mufti Hajj Amin al-Husseini, o recinto foi comprado em 1985 pelo empresário judeu americano Irving Moskowitz por US$ 1 milhão, informa o jornal "Ha'aretz", e no ano passado obteve a permissão do Comitê de Planejamento Urbano de Jerusalém para levantar um bairro judaico.

Além de estar em área ocupada, o hotel está cercado de população palestina, o que provocou uma onda de críticas por parte da ANP (Autoridade Nacional Palestina) e a comunidade internacional, que condenaram Israel por alterar o 'status quo' em uma zona cujo futuro depende de um acordo de paz.

Moscowitz é um conhecido multimilionário vinculado à direita israelense e ao movimento colonizador, e há anos financia iniciativas judias nos assentamentos.

Fonte: www1.folha.uol.com.br/mundo/857072-historico-hotel-shepherd-em-jerusalem-oriental-tem-ala-demolida.shtml

 

Notícias 2010:

04/2010 - ANP prevê Estado palestino em 2011

O primeiro-ministro da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Salam Fayyadm(*), afirmou em uma entrevista publicada em um jornal israelense Haaretz que haverá um Estado palestino junto ao de Israel em 2011. “O nascimento de um Estado palestino será comemorado como um dia de regozijo por toda a comunidade de nações”, declarou Fayyad.     “Chegará o momento em que este bebê nascerá. E calculamos que será em 2011. Essa é a nossa visão e reflexo de nossa vontade de pôr em prática o direito de viver em liberdade e dignidade em um país onde nascemos, junto ao Estado de Israel em completa harmonia”, previu o primeiro-ministro palestino.

Fayyad, cujo governo controla a Cisjordânia, pois a Faixa de Gaza é dominada desde junho de 2007 pelo movimento islamita Hamas, espera que os israelenses também participem das celebrações do estabelecimento do futuro Estado palestino.

O primeiro-ministro da ANP deu as boas-vindas à recente decisão do "Quarteto para o Oriente Médio":Estados Unidos, União Europeia, ONU e Rússia, de apoiar o plano promovido por ele desde agosto de 2009 que tem como principal objetivo a criação do Estado palestino em 24 meses.

Segundo Fayyad, os palestinos desejam um Estado independente e soberano e descartou “um Estado de retalhos”.

O primeiro-ministro e seus assessores na Organização para a Libertação da Palestina (OLP) querem que o futuro Estado seja criado "durante o mandato do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama". “Se por alguma razão ou outra, em agosto de 2011, o plano fracassar, acho que teremos acumulado crédito na forma de atos positivos no terreno. A realidade vai se impor ao processo político para que se produza resultados”, sustentou.

Fayyad diz que em dois anos a sociedade palestina terá alcançado “grau de maturidade” que lhe permitirá “iniciar um processo de transformação de um conceito em uma possibilidade, em uma realidade”.

Para Fayyad, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, sucumbiu aos colonos judeus, que, segundo o palestino, não refletem a visão da maioria dos israelenses. O primeiro-ministro da ANP reconhece, no entanto, que 250 mil colonos que residem nos territórios ocupados exercem uma grande pressão sobre o governo israelense.

Fayyad também afirmou que a espinhosa questão de Jerusalém não deve ser deixada para um estágio final em eventuais negociações de paz, mas “deve ser tratada desde o princípio”. “Vemos isto de forma política. Politicamente, sentimos o direito de ter um estado da Palestina na terra que foi ocupada em 1967, incluindo Jerusalém Oriental”, argumentou.

(*) Salam Fayyadm foi ex-economista do Fundo Monetário Internacional.

Set/2010 – Obama defenderá estado palestino como membro da ONU até 2011

Presidente americano concentra esforços nas negociações de paz com Israel

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, vai usar seu discurso na abertura da 65ª Assembleia Geral da ONU nesta quinta-feira para apelar "ao melhor que há em nós", no intuito de convencer israelenses e palestinos a aproveitar a "oportunidade única" que representam as atuais negociações – retomadas em Washington no início do mês – e chegar à paz.

"Desta vez, não deixaremos que o terror, a confusão, os gestos para a plateia ou políticos se interponham às negociações" (Barack Obama)

Obama ainda defenderá que é possível chegar a um acordo que permita a entrada de um novo membro na ONU dentro de um ano: "o estado independente da Palestina, que viva em paz com Israel", descreve. "Desta vez, não deixaremos que o terror, a confusão, os gestos para a plateia ou políticos se interponham", diz um trecho de sua fala divulgada antecipadamente pela Casa Branca.

Ele reconhece que "muitos são pessimistas sobre o processo" e opinam que a paz "simplesmente não é possível", mas manda um recado aos céticos e opositores da negociação, que tentarão dinamitá-la com "palavras e bombas": "É preciso lembrar que, se um acordo não for alcançado, os palestinos nunca conhecerão o orgulho e a dignidade de ter um estado próprio, e os israelenses nunca conhecerão a certeza e a segurança de uma vizinhança estável e soberana, comprometida com a coexistência".

Barack Obama ainda enfatiza que todos são responsáveis pelo sucesso das negoiciações. "Nós, que somos amigos de Israel, devemos entender que a verdadeira segurança do estado judeu passa por um território independente, que permita aos palestinos viver com dignidade e oportunidades."

Programação – O presidente americano é o segundo a falar na 65ª rodada de debates da Assembleia Geral da ONU, que começou nesta quinta. Como é tradição, o Brasil abre os discursos. Nesta ocasião, e pela primeira vez desde que assumiu o poder em 2002, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não está presente, e é representado pelo ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim. Além do acordo de paz entre israelenses e palestinos, outros temas que serão discutidos são os programas nucleares da Coreia do Norte e do Irã, as últimas tensões entre China e Japão, a guerra no Afeganistão e a mudança climática.

Out/2010 - Estado Palestino será criado em 2011, diz premiê

O primeiro-ministro palestino, Salam Fayyad, declarou nesta quinta-feira que o Estado Palestino será fundado em 2011 e que está preparando a infraestrutura para possibilitar sua criação.

"Agosto de 2011 será o prazo final da ocupação israelense" nos territórios palestinos e "no próximo verão (no hemisfério norte, inverno no hemisfério sul) os palestinos vão festejar o nascimento de seu Estado", disse Fayyad.

No entanto, analistas se dizem céticos sobre as promessas, a menos que sejam firmados acordos com Israel e com o grupo islâmico Hamas. O governo de Fayyad não tem controle algum sobre a Faixa de Gaza, dominada pelo Hamas desde 2007 e onde moram 1,5 milhão de palestinos.

Fayyad, que assumiu o cargo de premiê em 2007, é um economista respeitado internacionalmente que trabalhou no Banco Mundial durante 8 anos.

Desde que foi nomeado primeiro-ministro pelo presidente palestino, Mahmoud Abbas, Fayyad vem se dedicando a construir a infraestrutura de um futuro Estado Palestino, consolidando a economia, as instituições e as forças de segurança na Cisjordânia.

Israel

O primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, já declarou que o país "não aceitará medidas unilaterais" por parte dos palestinos.

O ministro das Relações Exteriores, Avigdor Lieberman, instruiu nesta semana o departamento de planejamento do Ministério a elaborar um estudo sobre a possibilidade de que os palestinos declarem um Estado de maneira unilateral e obtenham o apoio da ONU.

"Temos que estar prontos para essa eventualidade", afirmou Lieberman.

Em suas declarações desta quinta-feira, Salam Fayyad também criticou Netanyahu e disse que "se o premiê israelense tem intenções sérias de fazer a paz, deve prender os colonos que envenenaram as oliveiras dos palestinos".

Fayyad se referiu a um incidente ocorrido nesta semana na Cisjordânia quando colonos do assentamento de Alon Moreh, nas proximidades da cidade de Nablus, contaminaram mais de 600 oliveiras da aldeia palestina de Dir Hatab com águas de esgoto.

Ele declarou também que Netanyahu "permite que os colonos façam atos de terrorismo contra os palestinos".

Negociações

Ainda nesta quinta-feira, o ministro das Relações Exteriores do Egito, Ahmed Aboul Gheit, e o ministro da Inteligência egípcio, Omar Suleiman, se reúnem em Ramallah com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, para discutir a possibilidade de retomada das negociações diretas entre israelenses e palestinos.

Abbas suspendeu as negociações no dia 26 de setembro, quando o premiê Netanyahu se negou a prolongar o congelamento da construção dos assentamentos israelenses na Cisjordânia.

Netanyahu declarou que quer negociar "sem condições prévias", mas Abbas afirmou que não retomará as conversas "se os israelenses continuarem construindo os assentamentos".

Dez/2010 – UE prevê reivindicar avanços para criação de Estado palestino

BRUXELAS (AFP) – A UE prevê reivindicar, na segunda-feira (no caso 12/12/2010), "progressos urgentes" para a criação de um Estado palestino, mas não endurecerá sua política com Israel pela colonização na Cisjordânia, apesar da requisição neste sentido de 26 ex-encarregados europeus.

"São necessários progressos urgentes em vista de uma solução de dois Estados no conflito israelense-palestino", destaca o projeto de conclusões de uma reunião dos chefes da diplomacia europeia, prevista para segunda-feira em Bruxelas e do qual a AFP obteve uma cópia.

Esta nova declaração favorável a uma solução para o conflito fica restrita quando comparada com o apelo dos 26 ex-encarregados europeus a favor de endurecer a política com Israel por prosseguir com a colonização na Cisjordânia.

Em carta dirigida à chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, os signatários, entre eles o antecessor, Javier Solana, reivindicam condicionar as relações com Israel a que detenha a construção de assentamentos, dando-lhes um ultimato até abril de 2011.

Do contrário, propõem enviar o caso à ONU, segundo a carta datada de 2 de dezembro e assinada também pelo ex-chanceler alemão Helmut Schmidt e por Romano Prodi, ex-presidente da Comissão Europeia.

O presidente palestino, Mahmud Abbas, também reivindicou esta semana aos 27 uma maior determinação no processo de paz, esperando que "chegue logo o momento em que a UE cumprirá um papel junto aos Estados Unidos".

Enquanto Brasil e Argentina reconheceram o Estado palestino e o Uruguai informou que o fará em 2011, à margem das negociações de paz, estas sofreram um novo revés na terça-feira, com o abandono de Washington de sua ideia de obter uma suspensão da colonização israelense para reativar o diálogo.

Abbas informou que os palestinos "não aceitarão negociações" com Israel "enquanto continuar a colonização".

Em seu projeto de conclusões, passível de modificação, os chefes da diplomacia têm previsto reiterar na segunda-feira o caráter "ilegal" das colônias israelenses, segundo o direito internacional, e o apelo para que Israel se torne a "futura capital dos dois Estados".

"A legitimidade do Estado de Israel e o direito dos palestinos a um Estado não devem ser postos em dívida jamais", diz o texto.

18/12/2010 –  Premier palestino não prevê declarar futuro Estado unilateralmente

O premier palestino, Salam Fayad, declarou à TV israelense Channel Two que não prevê declarar unilateralmente a criação de um Estado palestino, por considerar que se continuar a ocupação israelense não seria mais que um "Estado Mickey".

"O que procuramos (…) é um Estado da Palestina. Não procuramos uma declaração de independência suplementar", disse Fayad em entrevista gravada esta semana em Washington e difundida no sábado em Israel.

O primeiro-ministro, que havia fixado o verão (boreal) de 2011 como objetivo para a criação de um Estado palestino, assegurou que o estabelecimento de instituições seguia seu curso, mas a soberania dependia do consentimento de Israel.

"A realidade de um Estado pode existir em termos de instituições funcionais, mas se o exército israelense continuar no nosso território, não é um Estado soberano, é um Estado Mickey", insistiu.

"Não queremos um Estado Mickey, mas não queremos uma forma de autorregulação, queremos um Estado soberano da Palestina, onde os palestinos possam viver como homens livres", acrescetnou Fayad.

Os palestinos, exasperados pela ineficácia dos esforços americanos para reativar a paz, têm afirmado com frequência que proclamariam seu Estado de forma unilateral ou que pediriam o reconhecimento da ONU.

Brasil, Argentina, Uruguai e Bolívia apoiaram esta perspectiva, ao reconhecer a Palestina como "um Estado independente e soberano" dentro das fronteiras anteriores à ocupação israelense de 1967.

A União Europeia e os Estados Unidos reiteraram a intenção de agir em favor da criação de um Estado palestino, mas mediante uma solução negociada.

 

Conclusão

O que me preocupa é o Brasil estar entrando neste "barril de pólvora". Zacararias, em sua profecia, afirmou que todos os povos que vierem contra Jerusalém, sofrerão conseqüências.
Como Cristãos devemos orar pela Paz em Israel e pedir misericórdia a Deus sobre o nosso país.
 
"Eis que eu farei de Jerusalém um cálice de tontear para todos os povos em redor e também para Judá, durante o sítio contra Jerusalém.
 
Naquele dia, farei de Jerusalém uma pedra pesada para todos os povos; todos os que a erguerem se ferirão gravemente; e, contra ela, se ajuntarão todas as nações da terra.
 
Naquele dia, porei os chefes de Judá como um braseiro ardente debaixo da lenha e como uma tocha entre a palha; eles devorarão, à direita e à esquerda, a todos os povos em redor, e Jerusalém será habitada outra vez no seu próprio lugar, em Jerusalém mesma.
 
Naquele dia, o SENHOR protegerá os habitantes de Jerusalém; e o mais fraco dentre eles, naquele dia, será como Davi, e a casa de Davi será como Deus, como o Anjo do SENHOR diante deles.
 
Naquele dia, procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém (Zac 12: 2-3,6–9)
 

Fontes:

www.haaretz.com/print-edition/news/palestinian-pm-to-haaretz-we-will-have-a-state-next-year-1.283802

www.noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2010/09/01/assessor-de-netanyahu-jerusalem-e-capital-indivisivel-de-israel.jhtm

www.noticias.uol.com.br/ultnot/reuters/2008/06/04/ult27u66258.jhtm

www.jb.com.br

www.noticias.terra.com.br/mundo

www.bbc.co.uk

www.veja.abril.com.br/tag/onu/

www.colunas.epoca.globo.com

 

Mudança de Mente e Comportamento – Legalização da Maconha

Filed Under (Apostasia) by Geração Maranata on 15-11-2010

Tag: ,

This entry is part 7 of 10 in the series Técnicas para Mudança de Mente e Comportamento

por Geração Maranata

A Legalização da Maconha  é mais um dos temas que se encaixa na teoria "Técnicas para Mudança de Mente e Comportamento" (Leia o artigo).

É só ver os noticiários, as opiniões de especialistas, autoridades, políticos, artistas e pessoas de vários segmentos da sociedade, que defendem a legalização.

Parece coisa de teoria da conspiração, mas não é.  É fato.

 

Condicionamento para aceitar a legalização das drogas

I – Algo muito ofensivo, que nem deveria ser discutido em público, é defendido por um especialista respeitado em um foro respeitável:

- Em 1988, o ex-Secretário de Estado George Schultz, servindo na Administração Reagan (EUA), chocou o mundo quando propôs a legalização das drogas.

- No Brasil:   O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da seccional do Rio de Janeiro, Wadih Damous, defendeu a legalização das drogas. Para ele, a proposta apresentada pelo governador Sérgio Cabral é válida para tentar coibir a ação de traficantes. Wadih garantiu ainda que a idéia será debatida em breve na seccional da ordem de seu Estado. Na opinião do presidente da OAB, descrimalizar o consumidor e endurecer as regras para o tráfico seria um duro golpe para os traficantes. "Se eu quero consumir e posso adquirir a droga legalmente, não tem porque comprar drogas ilegalmente com traficantes. Por isso, acho a proposta muito interessante e merece ser debatida" (grifo meu), disse o presidente da instituição.Wadih fez questão de lembrar que esta é uma posição pessoal sua, e não oficial da Ordem do Estado. "A proposta desafia um grande debate e será debatida no Rio. É uma contribuição importante que o governador Sérgio Cabral está dando para esse debate, como combate inteligente a criminalidade", finalizou. (Fonte: Redação Terra)

Quem mais defende: Além do presidente da OAB e o Governador do Rio de Janeiro:

- Fernando Gabeira (político) – dispensa fonte

- Fernando Henrique Cardoso (ex-presidente) – FHC e intelectuais pedem legalização da maconha. Matéria da Revista Época: "Maconha: é hora de legalizar?"

- Três ex-presidentes latino-americano e ex-professores universitários, que encabeçam uma comissão de 17 especialistas e personalidades: o sociólogo Fernando Henrique Cardoso, do Brasil e os economistas César Gaviria, da Colômbia e Ernesto Zedillo, do México. (Fonte: Revista Época)

- José Padilha, cineasta e diretor do Filme 'Tropa de Elite'. (Fonte: Folha Online – Padilha se diz a favor da legalização da Machonha)

- Carlos Minc – Ministro do Meio Ambiente (Fonte: oglobo.globo.com – minc-compara-maconha-ao-cigarro-defende-legalizacao)

- Wagner Moura, ator – o Comandante Nascimento do filme 'Tropa de Elite". (Fonte:  gazetaonline.globo.com " Eu sou a favor da legalização das drogas, a começar pela maconha”)

- Gilberto Gil, ex-ministro. (Fonte: oglobo.globo.com/blogs/sobredrogas)

- Sting, cantor. (Fonte: celebridades.uol.com.br "Sting pede liberação da maconha" )

- Bill Maher – ator e apresentador. (Fonte: diversao.terra.com.br – "Ator de 'Se Beber Não Case' fuma maconha em entrevista".

- George Soros, multimilionário. (Fonte: ultimosegundo.ig.com.br – Soros doa US$ 1 milhão para campanha de legalização da maconha)

- Jeffrey Miron,  economista da Harvard University. (Fonte: epocanegocios.globo.com "Economista de Harvard: cinco motivos para legalizar a maconha")

- Stevens Rehen, especialista em células-tronco. (Fonte: veja.abril.com.br "'Não há justificativa científica para proibir a maconha")

- etc, etc, etc

 
II e III –  O Público: de chocados para o Debate:

Vários especialistas renomados nas mais diversas áreas começam a debater. Grupos podem ser criados e organizados, uns de apoio e outros de oposição.

Exemplo de segmentos favoráveis e contra:

A favor:

- A organização não-governamental estadunidense Norml (http://norml.org), que defende a legalização da maconha, passará a ter sede no Brasil a partir das próximas semanas. A intenção do grupo é pressionar o Congresso pela legalização da droga. As informações são do jornal O Estado de São Paulo. Em depoimento ao jornal, um dos gerentes da Norml, Ross Belvilly, 42 anos, falou sobre como a ONG pretende atuar: "Nossas ações serão, basicamente, acompanhar o noticiário sobre maconha no País, organizar eventos e protestos, além de pressionar os legisladores para aprovar a legalização da maconha", disse, acrescentando que espera firmar contatos em outras cidades, já que a Norml terá sede no Rio de Janeiro. O discurso da Norml deverá ser voltado não para o uso medicinal da maconha, mas para a violência causada pelo tráfico e a venda ilegal. Além disso, a ONG deverá ter atuação filantrópica. (Fonte: noticias.terra.com.br)

- Luiz Eduardo Soares, que foi secretário nacional de Segurança, no início do primeiro governo Lula: “Nosso problema não são as drogas; é o tráfico – e só existe por causa da penalização”.

- Conselho Municipal de Zurique aprovou a distribuição controlada de maconha para uso recreativo.

- Comissão Latino Americana sobre Drogas e Democracia pede leis mais brandas. Obs: essa Comissão foi criada pelos ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso do Brasil, César Gaviria da Colômbia e Ernesto Zedillo do México e integrada por 17 personalidades independentes.

- O Reino Unido rebaixou a maconha da categoria “B” para a categoria “C”, drogas mais leves, que inclui anestésicos, tranquilizantes e estimulantes, levando a uma descriminalização na prática.

- Portugal aprovou uma lei que descriminalizou o uso de todas as drogas. Quem é pego com pequenas quantidades (até dez doses) recebe uma multa e tem a droga confiscada mas não fica com fichado.

- Austrália do Sul descriminalizou o uso da maconha

- www.cannabismedicinal.org.br

- www.marchadamaconha.org

- L.E.A.P. (Law Enforcement Against Prohibition) é uma das mais fortes organizações defendendo a mudança na política de proibição de drogas nos EUA, principalmente a de drogas leves como a maconha.

- www.legalizecannabis.ning.com

- www. cannabis.com

* cannabis sativa é o nome científico da maconha.

Contra:

- É um erro, diz Juan Gabriel Tokatlian, talvez o maior especialista latino-americano no assunto, professor da Universidade argentina de San Andrés. “Depois de muito tempo creio que é essencial superar em primeiro lugar o debate, estéril e ideológico, entre proibição e legalização”.

- O dinamarquês Bo Mathiasen, representante para o Brasil e o Cone Sul do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime: “A aparente contradição entre legalização ou não legalização tende a tirar a discussão do foco realmente fundamental e que, em última análise, revela muito mais convergências do que divergências: a busca por uma abordagem equilibrada entre as ações de prevenção, de tratamento e de repressão ao crime organizado”.

-  Lucía Dammert, doutora em Sociologia – "no mundo todo, os mortos por uso de drogas são 200 mil. As vítimas do tabaco – legalizado há muito tempo – são cinco milhões ou 25 vezes mais.  Legalizar as drogas, como é legalizado o tabaco (e, de quebra, o álcool), não levaria a uma explosão de consumo?" (Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/pensata/clovisrossi/ult10116u620386.shtml)

- Religiões Cristãs

 

IV – Repetição prolongada do assunto; V – As pessoas não ficam mais chocadas com o assunto; VI – As pessoas começam a debater posições;

Conflitos em todas as áreas começam a acontecer é necessário chegar a um consenso. Dependendo do assunto, pode-se propor uma assembléia formada por representantes da sociedade.

Pesquisando sobre a "legalização da maconha" no Google, encontrei 757.000 resultados, alguns são formadores de opinião, como as revistas Época e Galileu:

- Arizona libera maconha para fins medicinais – Estadão

- Arizona se torna 15º estado americano a autorizar uso medicinal da maconha – O Globo

- Legalização da maconha suscita divergências na política alemã? – DW-World Brazil

- Americanos têm muito para decidir (sobre o plebiscito da Legalização da Maconha)- R7

- Quase metade dos EUA apóia legalização da maconha – noticias.terra.com.br

- Justiça garante realização da Marcha da Maconha – O Globo

- 'Maconheiras de salto alto' lutam pela legalização na Califórnia – G1

- Maconha: é hora de legalizar? – Revista Época

- Legalização da Maconha no Brasil – Revista Galileu

- Debate internacional avança sobre uso descriminalizado da maconha – operamundi.uol.com.br

- Por uma Agência Brasileira de Cannabis Medicinal – Primeiro Simpósio internacional para a discussão sobre os benefícios de criar uma Órgão que administre o uso medicinal da Cannabis Sativa no Brasil – cannabismedicinal.org.br

- Estudo publicado em janeiro reabre discussão sobre legalização da maconha no cenário internacional – publicação do estudo Cannabis Policy – Moving Beyond Stalemate (Política para a Cannabis – Superando o Impasse) pela Fundação Berkeley e a Oxford University Press reabriu o debate sobre a legislação internacional e o uso da maconha.

Redes Sociais:

Twitter:

- Campanha Para Legalização da Maconha É Trend Topic No Twitter. Últimos Twitters sobre o assunto:

- RT @Girls420Brasil: #LegalizeCannabis @menteagussada @legalize_jaa @CannabisCulture @cultivo_natural @legalizabrasil @nmirito @RadioLegalize #LegalizeCannabis

- RT @Girls420Brasil: #LegalizeCannabis @menteagussada @legalize_jaa @CannabisCulture @cultivo_natural @legalizabrasil @nmirito @RadioLegalize #LegalizeCannabis

- RT @hempadao: A polícia registra saldo positivo no combate ao tráfico? Mais apreensão quer dizer maior fluxo! Política de enxugar gelo.. #LegalizeCannabis

-  Ajude a por o #LegalizeCannabis entre os TT's, add a marca ao seu avatar! – http://twb.ly/cnm2Wz

- RT @Ber13_ @TioCircus Sem hipocrisia…sem mentira… sem MASCARAS… eh nois pela liberdade de ESCOLHA! #LegalizaBrasil #LegalizeCannabis

Orkut:

Encontrei 470 Comunidades só com a palavra 'Cannabis', todas à favor da legalização.

 

O que se diz sobre o uso da Maconha ?

O próprio 'Cannabis Policy' deixa claro que "a maconha causa perda cognitiva, piora o rendimento e aumenta a evasão escolar. Também aumenta as chances de surtos psicóticos, esquizofrenia e infarto em pacientes com condições pré-existentes."

Fica a pergunta: Como falar em legalização de uma droga, que o próprio Órgão defensor admite que é nociva ?

"Está provado que a droga não aumenta a sensibilidade do tato, ouvidos e vista, como se pensava. Ela não é usada na medicina, pois para um benefício, apresenta 10 (dez) efeitos nocivos. A maconha provoca perda da memória, alteração da concepção do tempo, diminui a atenção, reduz o tempo da reação, a capacidade de aprender, afeta a percepção e a coordenação dos movimentos. Os efeitos imediatos para quem fuma maconha: olhos lacrimejantes e vermelhos, hiportemia, garganta e boca secas e aceleração da batida do coração. Usada em doses mínimas podem surgir sensações de euforia, relaxamento, alteração na identidade e acesso de riso. A maconha pode provocar reações de pânico e ansiedade depois de fumada e esses sintomas só desaparecem depois de várias horas. Seu uso contínuo pode desenvolver uma tolerância psíquica à droga. Pesquisas científicas demonstram no homem as seguintes alterações a nível de espermatozóides: redução do seu número, diminuição de mobilidade e aparecimento de exemplares de formato anormal. Outras pesquisas evidenciam que a maconha pode reduzir a produção de hormônio masculino (testoterona) . Afeta ainda o crescimento nas pessoas jovens. Outro grande perigo que pode representar esta droga é estar contaminada com o fumo " aspergillus fumigatuz", capaz de provocar micose a nível de epiderme e tumores no pulmão, fígado, meninge e coração. A maconha reduz a defesa do organismos às doenças. Mesmo consumida em doses mínimas, prejudica a capacidade de dirigir veículos motorizados, pois ataca a concentração, atenção, diminuindo as faculdades de percepção e movimento. A legalizado em 1976 na holanda, o consumo creceu de 3% para 12% em 1991. Nos EUA, onde a repressão aumentou, o consumo subiu muito mais. Chegou a 50% dos alunos de 2o grau". (Fonte: drashirleydecampos.com.br)

"Usuários de maconha têm duas vezes mais problemas mentais – Um estudo realizado na Holanda, onde o uso da maconha é descriminalizado, aponta que usuários da droga têm o dobro do potencial de adquirir problemas mentais do que pessoas que não fumam o entorpecente.O estudo, que foi realizado entre 2007 a 2009, com 18,5 mil pessoas, constatou que 20% dos usuários de maconha do sexo masculino se queixaram de problemas mentais, comparados a 10% entre os não usuários. Os fumantes da maconha se queixaram de problemas como ansiedade, tristeza, melancolia e impaciência. A proporção foi a mesma para as mulheres – 28% das usuárias se queixaram de problemas mentais, comparados a 14% entre as não usuárias. O estudo constatou que 4% das pessoas com idades entre 15 e 65 anos haviam fumado maconha pelo menos uma vez nos últimos 30 dias. A Holanda descriminalizou o consumo e posse de menos de cinco gramas de maconha em 1976 com uma política de "tolerância" oficial". (Fonte: R7)

 

A Holanda e o conceito de "liberação contida"

O uso de entorpecentes cresceu exponencialmente após a adoção de medidas liberalizantes. Já na Suíça foi um desastre os tais territórios autorizados de consumo de drogas. Apesar do desenho estratégico e do rigoroso controle social do Estado nesses países, as tentativas fracassaram.

Os cafés holandeses não podem vender por dia mais do que cinco gramas de maconha por pessoa. O estoque desses estabelecimentos não pode ultrapassar 500 gramas. As drogas não podem ser vendidas a menores de 18 anos e apenas maconha e haxixe são permitidos no interior das lojas. A Holanda não legalizou formalmente as drogas, mas, pelas diretrizes do governo, a posse de pequenas quantidades de certas drogas leves não é crime.

O resultado na Holanda não foi dos mais promissores. Cerca de 5 mil dos 25 mil dependentes lá existentes são responsáveis pela metade dos crimes leves. O uso da maconha subiu 400% em razão da liberação.

Além dos mais, no âmbito econômico a experiência da Holanda demonstra que a liberação da maconha é imprudente, isso porque, com a liberação do comércio de drogas, Amsterdã atraiu “os turistas de entorpecentes”. Isso fez proliferar o narcotráfico nas ruas do bairro boêmio. O preço da cocaína, da heroína e do ecstasy na capital holandesa está entre os mais baixos da Europa.

A Revista Veja, edição 2050, de 05 de março de 2008, publicou o sugestivo título: “Mudanças na Vitrine: Farta de ser tolerante Amsterdã troca bordéis em bairro degradados por lojas e ateliês de arte”.

A Holanda descriminalizou o consumo de maconha em 1976 e legalizou a prostituição em 2000. O resultado foi a degradação da capital do país:

- Amsterdã tem 14 prostitutas para cada 1.000 habitantes, quatro vezes mais que em Paris

- O tráfico de mulheres aumentou 260% nos primeiros três anos da legalização dos bordéis

- As prisões por posse ou comércio de cocaína, heroína e ecstasy (drogas proibidas na Holanda) cresceram 21% entre 2002 e 2006

- 67% da população de Amsterdã é a favor de medidas para restringir a prostituição

(Fonte: http://transitoeconhecimento.wordpress.com)

 

Conclusão

"Três consequências advirão de tal permissividade: a diminuição do estigma social, a redução do preço e o aumento do consumo. Uma porção de maconha custará o mesmo que um saquinho de chá e em qualquer esquina ou no pátio de uma escola não haverá problema em fumar um baseado. Imaginem um piloto de avião que resolve, antes do voo, fazer uso de maconha ou cheirar cocaína?

Liberar a droga significa escancarar, ainda mais, a perigosa porta de entrada para o caminho da destruição, por onde ingressarão mais e mais jovens." (Milton Corrêa é tenente coronel da PMERJ na reserva)

 

Para saber mais:

http://www.ensinodominical.com.br/a-liberacao-da-maconha-no-brasil

http://oglobo.globo.com/opiniao/mat/2008/04/16/maconha_perigosa_passeata-426868366.asp (artigo de Milton Corrêa)

http://www.aggio.jor.br/jornal23/drogas.htm

http://www.areaseg.com/toxicos/maconha.html

 

**Geração Maranata** Se for copiar cite a Fonte!

 

O Código da Vinci

Filed Under (Apostasia) by Geração Maranata on 15-11-2010

Tag: , ,

This entry is part 5 of 10 in the series Técnicas para Mudança de Mente e Comportamento

Desde sua publicação, em abril de 2003, O Código da Vinci vendeu mais de 40 milhões de exemplares nos Estados Unidos. Ele foi traduzido em 45 idiomas e é um sucesso de vendas em 150 países.

Ficou na lista dos mais vendidos do jornal The New York Times por dois anos, e esteve no topo, ou perto do topo, por 50 semanas.

O livro diz que os cristãos primitivos não criam na divindade de Cristo, que a ressurreição nunca ocorreu, que nossa Bíblia é o resultado de uma luta política do imperador romano Constantino e que os cristãos primitivos adoravam o "divino feminino". Essas afirmações são feitas por um afável especialista, um professor da Universidade de Harvard que (no contexto do livro) parece ser uma pessoa com credibilidade e autoridade.

Talvez você diga: "Nenhuma pessoa racional levaria esse tipo de coisa a sério." Isso era exatamente o que um líder evangélico pensava – até que começou a conversar com pessoas que tinham lido o livro. Ele descobriu que o livro endurece a descrença daqueles que não são cristãos e leva os buscadores honestos para longe do cristianismo. O livro chegou a fazer alguns cristãos se tornarem confusos e desiludidos.

De acordo com O Código Da Vinci, Jesus era apenas um homem comum que não era divino, não morreu pelos nossos pecados e não ressuscitou. Em vez disso, ele se casou com Maria Madalena e teve pelo menos um filho com ela. No livro o "cálice" é Maria Madalena, mitologizada e sexualizada como se fosse a amante ou esposa de Jesus Cristo.

O livro conta uma que há uma antiga sociedade secreta chamada 'Priorado de Sião' que preservou as informações sobre Jesus e Maria Madalena e seus descendentes. Ele afirma que Leonardo Da Vinci foi um grão-mestre do Priorado de Sião, e algumas de suas pinturas têm símbolos relacionados com o suposto relacionamento de Jesus com Maria Madalena.

Dan Brown tece uma narrativa com grande poder de entretenimento, ele afirma que Maria Madalena seria o Santo Graal (o cálice de Cristo), que ela e Jesus seriam os progenitores da linhagem merovíngia de governantes europeus e que ela estaria sepultada sob a pirâmide invertida de vidro no Louvre, em Paris, onde ainda hoje se poderia sentir emanações de seu espírito divino.

O romance descreve o Cristianismo como uma gigantesca conspiração baseada numa grande mentira (a divindade de Cristo), que os Evangelhos do Novo Testamento são produtos humanos de machistas e anti-feministas que teriam procurado reinventar o Cristianismo para oprimir as mulheres e reprimir a adoração à deusa. (Leia também o post Wicca).

O imperador Constantino teria convenientemente divinizado Jesus a fim de consolidar seu controle sobre o mundo. O livro indica que na votação do Concílio de Nicéia, sobre a divindade de Cristo, o resultado teria sido apertado, houve 300 votos favoráveis e apenas dois contrários. Definitivamente a precisão histórica não é o ponto forte do romance. Essa é apenas uma das muitas distorções deliberadas existentes no livro.

Outra envolve os heréticos evangelhos gnósticos escritos no final do século II como sendo os evangelhos "reais". Encontrados em Nag Hammadi no Egito, em 1946, esses mitos gnósticos nunca foram reconhecidos pela igreja primitiva como Escrituras legítimas.

Nos anos 60 as pessoas acreditavam em tudo que liam no jornal só porque estava escrito ali. Nunca lhes ocorreu que as reportagens e editoriais eram redigidos por pessoas com agendas pessoais e políticas. Acreditava-se naquilo que se lia, não importando quem era o autor. Hoje ainda é assim, e ainda pior, pois temos a televisão, o cinema e a internet.

A advertência é a mesma: não acreditem em tudo que vocês lêem em um romance ou vêem em um filme!

A Bíblia exorta: "Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo afora. Nisto reconheceis o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; e todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus; pelo contrário, este é o espírito do anticristo, a respeito do qual tendes ouvido que vem e, presentemente, já está no mundo" (1 João 4.1-3). (Pre-Trib Perspectives)

por  Dr. Ed Hindson (assessor do reitor da Liberty University em Lynchburg/VA (EUA).

Fontes pesquisadas:

www.chamada.com.br

www.espada.eti.br

www.wikipedia.com

Autor: **Geração Maranata** Se for copiar cite a Fonte!

Início | Download | Links | Contato
Misso Portas Abertas JMM ANEM
Destino Final Heart Cry Jocum Missao Total Missao Total Projeto Paraguai