Técnicas para Mudança de Mente e Comportamento

Filed Under (Apostasia) by Geração Maranata on 15-11-2010

Tag: ,

This entry is part 1 of 10 in the series Técnicas para Mudança de Mente e Comportamento

por Geração Maranata

Para que se mudem atitudes, conceitos, valores, crenças, etc, de uma sociedade, várias técnicas são usadas aplicadas de forma gradativa.

Se analisarmos algumas situações pelas quais estamos passando veremos que essa técnica vem sendo empregada, manipulando a mente de pessoas.

Este método tem efeito até em comportamentos mais arraigados, como a fé, conceitos e valores pessoais.

Vemos que o mundo, de uma maneira geral, está reformulação antigas idéias, repensando conceitos, tolerando ou mesmo aceitando práticas antes consideradas impensáveis e inaceitáveis.

Vivemos numa época em que o engano e engodo é muito grande e precisamos estar atentos para que não sejamos influenciados e tomar cuidado para que esses tipos de métodos e técnicas não tenham efeito sobre nós.

 

Técnica utilizada para Mudança de Mente e Comportamento:

I – Algo muito ofensivo, que nem deveria ser discutido em público, é defendido por especialistas respeitados em um foro respeitável:

O objetivo é substituir a verdade absoluta pela relativa. A mídia tem um papel importante, pois apresenta os dois lados do assunto, porém a finalidade real é confundir o público.

II – A princípio o público fica chocado e indignado:

A idéia é fazer que, com a exposição constante do assunto, as pessoas comecem a perder o discernimento entre o certo e o errado.

III – No entanto, o simples fato que tal assunto tenha sido abordado publicamente torna-se assunto de debates:

Vários especialistas nas mais diversas áreas começam a debater. Dependendo do assunto, grupos são criados e organizados, uns de apoio e outros de oposição, gerando grandes conflitos.

IV – A repetição prolongada do assunto chocante em discussão, gradualmente vai anulando seu efeito:

Conflitos em todas as áreas começam a acontecer é necessário chegar a um consenso. Dependendo do assunto, será criada uma assembléia formada por representantes da sociedade.

V – As pessoas não ficam mais chocadas com o assunto:

Um consenso geral começa a tomar forma.

VI – Não mais indignadas, as pessoas começam a debater posições para moderar o extremo, ou aceitam a premissa, procurando os modos de atingi-la:

As pessoas começam a abandonar seus conceitos individuais pelos coletivos.

“Uma mentira contada várias vezes se torna verdade.”

 

Como nasce uma “verdade” a partir de uma mentira ?

Observem bem e vejam se essas etapas já não foram concluídas ou estão em fase de conclusão em relação a assuntos polêmicos como o aborto, homosexualismo, ideologia de gênero, pedofilia, eutanásia, libertinagem sexual, legalização de drogas, etc.

Tempos Difíceis !!

"O  Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios." – 1 Tim 4:1

"Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos." – 2 Timóteo 4:3-4

"Não deixem que ninguém os engane de modo algum. Antes daquele dia virá a apostasia e, então, será revelado o homem do pecado, o filho da perdição." – 2 Tessalonisences 2:3

 

Leia mais: http://geracaomaranata.com.br/2011/08/o-poder-da-desinformacao/

Para saber mais:

http://www.espada.eti.br/n1055.asp

http://apocalipsetotal.blogspot.com/2007/10/o-plano-de-7-etapas-de-mudana-do.html (este blog faz um ensaio aplicando esse tipo de técnica a um assunto polêmico)

O Tempo Está Próximo!

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 21-10-2010

Tag: ,

por Norbert Lieth

"Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade, para fazer cessar a transgressão, para dar fim aos pecados, para expiar a iniqüidade, para trazer a justiça eterna, pa¬ra selar a visão e a profecia e para ungir o Santo dos Santos. Sabe c entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido, ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas, as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos. Depois das sessenta e duas semanas, será morto o Ungido e já não estará; e o povo de um príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será num dilúvio, e até ao fim haverá guerra; desolações são determinadas. Ele fará firme aliança com muitos, por uma semana; na metade da semana, fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; sobre a asa das abominações virá o assolador, até que a destruição, que está determi¬nada, se derrame sobre ele" (Dn 9.24-27).

Em Daniel 9 encontramos os mais precisos dados cronológicos proféticos da Bíblia. A primeira vinda de Jesus é descrita com exatidão, com menção do dia certo em que Ele viria.

Entendo a cronologia, através dessas datas, veremos que a volta de Jesus deve estar bem próxima.

 

1. Do que trata o capítulo 9?

Essa passagem fala das setenta semanas de Israel e, em especial da 70a semana, que terá uma duração de 7 anos.

Tudo o que é descrito nesse capítulo não tem relação com a história mundial ou com história da Igreja, mas trata exclusivamente de Israel e de Jerusalém. Ao profeta Daniel, um judeu, é dito: "Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo (Israel) e sobre a tua santa cidade (Jerusalém)" (v.24).

Trata-se, portanto, da história que Deus escreve com Seu povo terreno durante um período de setenta semanas (de anos). Quando o final da 70a semana tiver sido alcançado, acontecerão seis coisas, que estão indicadas em Daniel 9.24:

1. "…para fazer cessar a transgressão…" Isso significa que o Messias virá e dará um fim à transgressão do Anticristo e do falso Profeta.

2. "…para dar fim aos pecados… " O Senhor, em Sua vinda, afastará completamente o pecado de Israel, assim como também está escrito em Romanos 11.26: "E, assim, todo o Israel será salvo, como está escrito: Virá de Sião o Libertador e ele apartai a Jacó as impiedades".

3. "…para expiar a iniqüidade…" Também essa expressão testemunha da expiação definitiva da culpa de Israel. O Senhor Jesus já expiou a iniqüidade de Israel há mais de 2000 anos na cruz do Calvário, mas Israel ainda não reconheceu essa expiação. Ela se tornará realidade para os judeus como nação apenas quando olharem para Aquele a quem traspassaram (Zc 12.10).

Não foi por acaso que um gentio proeminente escreveu no alto da cruz de Jesus: "Este é o Rei dos Judeus" (Lc 23.38), pois Ele carregou a culpa dos judeus. O que está escrito profeticamente em Isaias 53 será a confissão de culpa dos judeus quando Jesus voltar, um dia, ao monte das Oliveiras:

"Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados" (IS 53.4-5).

Neste momento pensamos no'"Yom Kippur", o Grande Dia da Expiação em Israel. Apenas neste único dia do ano o sumo sacerdo¬te podia entrar no Santo dos Santos do Tabernáculo ou do Templo. Levando em suas mãos o sangue dos animais sacrificados, ele desaparecia de diante dos olhos da multidão reunida no átrio, entrava no Lugar Santo e, passando pelo véu, entrava no Santo dos Santos aspergindo o sangue sobre e diante do propiciatório para reconciliar Israel com Deus.

O povo todo ficava esperando lá fora até o sumo sacerdote voltar. Na bainha das vestes do sumo sacerdote estavam afixados pequenos sininhos de ouro que balançavam a cada passo. Por isso o povo sabia, quando o som ficava mais intenso, que o sumo sacerdote havia deixado o Santo dos Santos e logo estaria saindo pela porta do Lugar Santo até o átrio. Quando ele aparecia e confirmava ao povo que a expiação havia sido feita, um brado de grande alegria perpassava a multidão, pois agora eles sabiam: os pecados de um ano inteiro estavam expiados mais uma vez.

Esse acontecimento anual em Israel era um exemplo da obra futura de Jesus Cristo. Ele morreu na cruz do Calvário como o Cordeiro do sacrifício, sem mácula, pelos pecados do mundo todo. Com Seu sangue Ele entrou no Santo dos Santos de uma vez por todas e já se encontra há mais de dois mil anos junto do Pai celestial, assentado à Sua direita no trono de Deus. Em breve terá chegado o tempo em que Ele sairá do Santo dos Santos celestial e voltará de maneira visível para o mundo todo, trazendo a expiação para Seu próprio povo.

4. Então Ele também virá "…para trazer a justiça eterna…" Isto se refere ao tempo em que o Senhor vai reinar com justiça eterna. Quando Jesus tiver voltado, estabelecerá Seu Reino de paz de mil anos governando o mundo todo a partir de Jerusalém.

5. "…para selar a visão e a profecia…" Isso significa que todas as profecias divinas estarão se cumprindo. Tudo o que Deus disse e mandou anunciar por meio dos profetas através dos séculos estará sendo cumprido visivelmente diante dos olhos de todos. Deus é fiel, e cumpre Sua Palavra. Jesus disse: "Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão" (Mt 24.35).

6. "…e para ungir o Santo dos Santos." Isso refere-se ao estabelecimento do Senhor Jesus Cristo como Rei eterno sobre todos os reis e Senhor dos senhores no novo templo, reconstruído em Jerusalém. Ele se assentará no "trono de Davi" e regerá o mundo com justiça a partir de Jerusalém.

Todos os pontos aqui alistados ainda não se cumpriram para lsrael. O Senhor ainda não voltou, pois Se encontra no santuário Celestial intercedendo por nós como sumo sacerdote.

Nos versículos seguintes temos a descrição do tempo (as 70 semanas) em que Israel se põe a caminho em direção ao alvo que acabamos de descrever. Figuradamente, é como se o Senhor tomasse um cronômetro em Suas mãos, marcasse uma hora, e o tempo começasse a correr. Ele diz a Daniel nos versículos 25-26:

"Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edifica Jerusalém, até ao Ungido, ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas; as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos. Depois das sessenta e duas semanas, será morto o Ungido e já não estará; e o povo de um príncipe que ha de vir destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será num dilúvio, até ao fim haverá guerra; desolações são determinadas".

O significado desses versículos pode ser dividido em oito itens:

1. O "cronômetro" divino que marca as setenta semanas para Israel começou a contar a partir do momento em que foi publicado o decreto que permitia aos judeus reconstruírem a cidade de Jerusalém "Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido, ao Príncipe, sete semanas (sete semanas de anos). Isso já se cumpriu

2. Até que veio o Ungido – Jesus Cristo – foram mais 62 semanas: "…e sessenta e duas semanas…" Também isso se cumpriu.

3. Então, "…depois das sessenta e duas semanas, será morto o Ungido e já não estará", portanto, depois de um total de 69 semanas (7 + 62 = 69 semanas) o Ungido seria morto e já não estaria mais sobre a terra. "Ser morto", assassinado, indica a morte cruel que Jesus sofreu pela crucificação. Ele já não estava mais em Israel. Também isto se cumpriu. Em Isaías 53.8-9 lemos em relação à morte do Ungido:

"Por juízo opressor foi arrebatado, e de sua linhagem dela cogitou? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; por cau-sa da transgressão do meu povo, foi ele ferido. Designaram-lhe a sepultura com os perversos, mas com o rico esteve na sua morte, posto que nunca fez injustiça, nem dolo algum se achou em sua boca".

4. Em Daniel 9.26 está escrito ainda: "…e o povo de um príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será num dilúvio…" Esse "povo de um príncipe que há de vir" é uma alusão aos romanos que destruíram a cidade de Jerusalém e o santuário (o templo) no ano de 70 d.C. Também isto se cumpriu.

5. Longo tempo depois, terá início a última semana, a septuagésima, que ainda falta se cumprir. E agora vem o próprio príncipe (o Anticristo). Se "o povo de um príncipe" no passado foram os romanos (império romano) que destruíram Jerusalém e o templo, no fim dos tempos o reino romano restabelecido será o povo de onde virá o príncipe (o Anticristo) de Daniel 9.26. Isso ainda não se cumpriu, mas está próximo de seu cumprimento.

6. Acerca do Anticristo, Daniel 9.27 diz: "Ele fará firme aliança com muitos, por uma semana". Isso quer dizer que o líder do reino romano restaurado se unirá a Israel através de uma aliança de paz de sete anos – na última das setenta semanas da profecia de Daniel.

7. "Fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; sobre a asa das abominações virá o assolador…" Isso significa que, no meio da última semana (que durará 7 anos), portanto depois de três anos e meio, o Anticristo quebrará a aliança que firmou com Israel. Por quê? Porque a respeito desse "homem da impiedade" está escrito que ele "se opõe e se levanta contra tudo que se chama Deus ou é objeto de culto, a ponto de assentar-se no santuário de Deus, ostentando-se como se fosse o próprio Deus" (2 Ts 2.4).

Neste momento Israel irá reconhecer que o Anticristo não é o Messias, e o rejeitará. Com isso estará rompida a aliança entre o Anticristo e Israel. Então virão os últimos três anos e meio, a Grande Tribulação propriamente dita, o "abominável da desolação", do qual o Senhor Jesus também falou em Seu Sermão Profético, por exemplo em Mateus 24.15: "Quando, pois, virdes o abominável da desolação de que falou o profeta Daniel, no lugar santo (quem lê entenda)".

Depois destes três anos e meio as setenta semanas estarão cumpridas para Israel, o "cronômetro" pára, o céu se abre e o Senhor da Glória vem para salvar Israel e destruir o Anticristo "até que a destruição, que está determinada, se derrame sobre ele" (v.27).

Então, em seguida se cumprirá aquilo que já vimos no versículo 24.

Entre a 69a e a 70a semana havia um segredo, um mistério ainda não revelado aos profetas da Antiga Aliança: a era da Igreja de Jesus, um tempo que Deus intercalou e que já dura quase 2.000 anos. Quando houver entrado "a plenitude dos gentios" (Rm 11.25), acontecerá o Arrebatamento da Igreja de Jesus dando início aos últimos sete anos, ou seja, a 70a semana de Daniel se inicia para Israel.

 

2. Cronologia dos eventos proféticos

Até aqui tudo se cumpriu como foi profetizado. Falta apenas a última, a 70a semana de sete anos.

3. Quão próximos estamos da 70a semana, a Grande Tribulação?

Primeiro devemos nos perguntar: de onde sabemos que a era da Igreja está terminando, que ela será arrebatada e que os últimos anos outra vez dizem respeito a Israel?

Em nossos dias também existem cálculos de diversos tipos, que devem ser levados a sério, e todos eles se referem ao tempo em que vivemos. Mas sabemos que precisamos ter muito cuidado e que não podemos confiar plenamente nesses cálculos. Ninguém sabe o dia nem a hora (Mt 24.36; 25.13)! Mas podemos confiar plenamente na Bíblia. Ela faz uma diferença entre espaço de tempo e momento (grego: kairos e chronos).

Não sabemos o momento do Arrebatamento, o dia e a hora. Mas podemos conhecer em que período de tempo ele vai acontecer, e é a esse período de tempo que devemos prestar atenção. O próprio Senhor Jesus disse:

"Ora, ao começarem estas coisas a suceder, exultai e erguei a vossa cabeça; pois que a vossa redenção se aproxima" (Lc 21,28).

Em relação aos sinais dos tempos Ele exortou dizendo:

"Sabeis, na verdade discernir o aspecto do céu e não podeis discernir os sinais dos tempos?" (Mt 16.3).

É como em um parto: o momento exato ninguém sabe, mas sabe-se a época aproximada em que o bebe vai nascer. Uma gravidez normal dura nove meses. Quando uma mulher se encontra no nono mês de gravidez, seu marido não lhe dirá: "Ainda temos muito tempo! Pode demorar mais alguns meses até que o nosso filho nasça!". Não, com certeza marido nenhum faz isso. Assim nós também podemos saber que nosso mundo está "grávido", maduro para o juízo, baseados em um sinal muito claro do fim dos tempos:

1. O maior e mais claro sinal do fim dos tempos é Israel. Jesus Cristo falou com muita clareza da figueira (Israel) como sendo o mais óbvio de todos os sinais antes de Sua Volta. Em Mateus 24.32-34 Ele diz:

"Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as folhas brotam, "sabeis que está próximo o verão. Assim também vós: quando virdes todas estas coisas, sabei que está próximo, às portas. “Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que tudo isto aconteça ".

Muito já foi discutido no sentido de descobrir o que o Senhor queria dizer com "esta geração não passará". Entendemos que essa expressão pode significar não apenas a geração do povo de Israel daquela época, que já passou há muito tempo.

Também o Senhor não pode ter se referido ao povo de Israel como tal, pois é um fato profético que o povo de Israel precisa ficar preservado até a volta do Senhor, senão Ele não poderia salvar essa nação das mãos de seu maior e último inimigo, que será o Anticristo.

Resta apenas uma alternativa: o Senhor fala claramente dos tempos finais e daqueles que vão passar por esse tempo.

Isso significa, portanto, que a geração que vivenciou a restauração de Israel ("Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as folhas brotam…"), também será a geração que passará pela Grande Tribulação e vivenciará a volta de Jesus.

Para isto existe uma passagem paralela no Antigo Testamento, em Ezequiel 36, onde o Senhor fala através do profeta:

"No dia em que eu vos purificar de todas as vossas iniqüidades, então, farei que sejam habitadas as cida¬des e sejam edificados os lugares desertos. Assim diz o Senhor Deus: Ainda nisto permitirei que seja eu solicitado pela casa de Israel: que lhe multiplique eu os homens como um rebanho. Co¬mo um rebanho de santos, o rebanho de Jerusalém nas suas fes¬tas fixas, assim as cidades desertas se encherão de rebanhos de homens; e saberão que eu sou o Senhor" (vv.33,37-38).

Nós – nossa atual geração – vemos Israel reconstruindo cidades, enchendo-se de gente e seu deserto florescendo!

Portanto a volta de Jesus para perdoar os pecados de Israel deve estar muito próxima, pois as profecias dizem respeito, como podemos ver com nossos próprios olhos, aos tempos de hoje!

Fazendo as contas a partir de 1948 (fundação do Estado de Israel) ou de 1967 (reconquista de Jerusalém por Israel) - "Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que tudo isto aconteça" – então temos toda razão e a obrigação de nos perguntar se o cumprimento dessa profecia não poderia acontecer em breve.

 

Fonte: Livro “As Profecias de Daniel” de Norbert Lieth

Onde encontrar: www.chamada.com.br/livraria/autores/?cod=NL

 

Uma Visão Geral dos Sinais dos Tempo

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 04-10-2010

Tag: ,

por David R. Reagan

Muitas pessoas acreditam que não há nada que se possa saber sobre o tempo do retorno do Senhor, porque Jesus disse que voltaria como um ladrão à noite (Mateus 24:42-44).

Mas Paulo deixa claro em 1 Tessalonicenses 5:1-6 que a declaração de Jesus não se aplica aos crentes: “Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele dia vos surpreenda como um ladrão…” Ele então continua explicando o porque: “Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios”. Paulo está se referindo, é claro, à luz do Espírito Santo que habita em todos os crentes verdadeiros e que pode nos iluminar através de nosso estudo das Escrituras para conhecermos o tempo da volta do Senhor (1 João 2:27).

 

A Atitude de Deus

De fato, Deus é obrigado por Seu caráter a advertir o mundo do retorno iminente de Seu Filho. A razão é que Jesus está voltando em grande ira para “julgar e fazer guerra” (Apocalipse 19:11), e Deus nunca derrama Sua ira sem aviso.

Deus não deseja que ninguém pereça, mas que todos sejam trazidos ao arrependimento (2 Pedro 3:9). Portanto, Deus sempre avisa antes de executar Sua ira. Ele advertiu o mundo através de Noé por 120 anos. Ele advertiu Sodoma e Gomorra através de Abraão.

Ele enviou Jonas para advertir a cidade pagã de Nínive, e enviou Naum a essa mesma cidade 150 anos depois.

Da mesma forma, Deus está advertindo o mundo hoje de que Seu Filho está prestes a voltar. Ele está chamando o mundo ao arrependimento. A mensagem da hora para os descrentes pode ser sumarizada nestas palavras: “Fuja da ira que está por vir fugindo para os amorosos braços de Jesus agora”. Jesus veio a primeira vez como uma expressão do amor de Deus; Ele veio para morrer pelos pecados da Humanidade. Mas quando Ele voltar, virá em vingança para derramar a ira de Deus sobre aqueles que rejeitaram o amor e a graça de Deus.

O breve retorno de Jesus também traz consigo uma mensagem para os crentes. Cristãos mornos e Cristãos carnais estão sendo chamados a dedicar suas vidas à santidade:

A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz. Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências. – Romanos 13:12-14

 

O Método de Advertência de Deus

Deus está alertando os crentes da breve volta de Seu Filho através do que chamamos “sinais dos tempos”. Estes são profecias a respeito de eventos mundiais que nos é dito para aguardar, profecias que identificarão o tempo da volta do Senhor.

A Bíblia está cheia desses sinais. Existem cerca de 500 profecias no Antigo Testamento que se relacionam com a Segunda Vinda do Messias. No Novo Testamento, um de cada 25 versos se refere à volta de Jesus.

De fato, existem tantos sinais que é difícil perceber todos eles. A melhor maneira que encontrei para fazê-lo foi colocá-los em categorias:

1) Os Sinais da Natureza – Nos é ordenado esperar por terremotos, fome, pestilência e sinais nos céus (veja Mateus 24:7 e Lucas 21:11).

Esta é a menos respeitada categoria de sinais, por várias razões. Por uma coisa, muitas pessoas simplesmente encolhem os ombros e dizem, “Sempre existiram calamidades naturais, então o que há de novo?” Note que Jesus diz que esses sinais serão como “dores de parto” (Mateus 24:8), isto é, eles aumentarão em freqüência e intensidade à medida que se aproxima o tempo de Sua volta. Em outras palavras, haverá terremotos mais intensos e mais freqüentes. Isto é exatamente o que está acontecendo hoje.

Outra razão por que esses sinais recebem pouco respeito é porque muitos Cristãos são tão racionalistas que não crêem realmente no sobrenatural, e, portanto, acham difícil acreditar que Deus fale ao mundo através de sinais da natureza. No entanto, a Bíblia ensina este princípio do início ao fim.

Deus lidou com o pecado do mundo através de um grande dilúvio nos dias de Noé (Gêneses 6). Ele chamou a nação de Judá ao arrependimento através de uma terrível invasão de gafanhotos (Joel 1). De igual forma, Ele chamou a nação de Israel a se arrepender enviando seca, tempestades de vento, ferrugem (vegetal), gafanhotos, fome e pestilência (Amós 4:6-10). O profeta Ageu apontou uma seca como evidência de que Deus estava chamando o povo a ordenar suas prioridades (Ageu 1:10-11).

O Novo Testamento começa com uma luz especial nos céus marcando o nascimento do Messias (Mateus 2:2). No dia em que Jesus foi crucificado, houve três horas de escuridão e um terremoto (Mateus 27:45-51). E quando Jesus voltar, a terra experimentará o maior terremoto de sua história, quando todas as montanhas serão niveladas, todos os vales serão elevados e todas as ilhas serão movidas (Apocalipse 16:17-21).

Deus sempre falou através dos sinais da natureza e continua a fazê-lo hoje. É melhor nós prestarmos muita atenção a eles.

2) Os Sinais da Sociedade – Jesus disse que a sociedade se tornará crescentemente ímpia e imoral à medida que se aproximar o tempo de Sua volta. De fato, Ele disse que se tornaria tão má quanto nos dias de Noé (Mateus 24:12, 37-39).

Paulo pinta um pavoroso retrato da sociedade dos tempos do fim em 2 Timóteo 3:1-5. Ele diz que ela será caracterizada por três amores: o amor a si mesmo (Humanismo), o amor ao dinheiro (Materialismo) e o amor aos prazeres (Hedonismo). Ele então aponta que o pagamento por esse estilo de vida carnal será o que os filósofos chamam niilismo, isto é, a sociedade se atolando em desespero. A mente dos homens se tornará depravada (Romanos 1:28), e as pessoas chamarão ao mal de bem e ao bem de mal (Isaías 5:20).

Estamos vendo essas profecias se cumprirem diante de nossos olhos hoje, enquanto observamos nossa sociedade rejeitar a herança Cristã e mergulhar em um poço infernal de impiedade, imoralidade e desespero. Pior ainda, estamos exportando nosso niilismo por todo o mundo através de filmes e programas de televisão imorais e violentos.

3) Os Sinais Espirituais – Existem sinais espirituais tanto positivos quanto negativos pelos quais procuramos. Os negativos incluem o aparecimento de falsos cristos e seus cultos (Mateus 24:5,11,24), a apostasia da igreja professa (2 Tessalonicenses 2:3), uma deflagração do Satanismo (1 Timóteo 4:1) e a perseguição dos Cristãos fieis (Mateus 24:9).

Esses sinais espirituais negativos começaram a aparecer em meados do Século 19 quando cultos Cristãos começaram a se formar. Primeiro vieram os Mórmons, então as Testemunhas de Jeová e depois a grande variedade de grupos espirituais como a Igreja de Cristo Cientista e a Igreja Unida.

A apostasia das denominações Cristãs tradicionais começou nos anos 1920 quando a escola Alemã de crítica elevada invadiu os seminários Americanos e minou a autoridade das Escrituras, ensinando que a Bíblia é a busca do Homem por Deus ao invés de a revelação de Deus ao Homem.

Durante os anos 1960 o Satanismo explodiu na cena Americana e tem desde então sido exportado por todo o mundo através de filmes, livros e programas de televisão Americanos. Tatear no oculto se tornou lugar comum em forma de astrologia, numerologia, admiração de cristais, meditação transcendental e canalização. Toda a tendência se consumou no aparecimento do Movimento da Nova Era com seu ensinamento de que o Homem é Deus.

Enquanto a sociedade se secularizava, o verdadeiro Cristianismo caiu sob crescente ataque. Valores judaico-cristãos, que já foram o fundamento da Civilização Ocidental, são agora abertamente ridicularizados, e aqueles que ainda aderem a eles são castigados como “fundamentalistas intolerantes” pela mídia.

Os sinais espirituais positivos incluem a proclamação do Evangelho a todo o mundo (Mateus 24:14), um grande derramamento do Espírito Santo (Joel 2:28-32) e iluminação espiritual para entender profecias que foram “seladas” até o fim dos tempos (Daniel 12:4,9).

Assim como com os sinais negativos, estamos vendo esses sinais positivos cumpridos em nossos dias. Através do uso da tecnologia moderna, o Evangelho tem sido proclamado por todo o mundo neste Século, e a Bíblia tem sido traduzida para as principais línguas.

O grande derramamento do Espírito Santo nos tempos do fim que foi profetizado pelo profeta Joel também começou. Joel chamou a isso de “chuva temporã” (Joel 2:23), e disse que ocorreria depois de o Judeus retornarem à sua terra. O estado de Israel foi restabelecido em 1948. Em 1949 Deus ungiu dois ministérios que teriam um impacto mundial, os ministérios de Billy Graham e Oral Roberts. Então, nos anos 60, veio o Movimento Carismático que trouxe renovação na adoração e deu ênfase à contínua validade dos dons do Espírito.

A aceleração no entendimento da profecia Bíblica começou em 1970 com a publicação do livro de Hal Lindsey, O Tardio Grande Planeta Terra. Ele pareceu abrir ao entendimento popular várias profecias que haviam sido “seladas” até os tempos do fim (Daniel 12:4,9). Notavelmente, se tornou o best seller número um no mundo, exceto somente a Bíblia, pelos dez anos seguintes!

4) Os Sinais da Tecnologia – O livro de Daniel diz que haveria uma explosão do conhecimento nos tempos do fim e que as pessoas se moveriam rapidamente (Daniel 12:4).

Existem muitas profecias que não podem ser compreendidas separadas da tecnologia moderna. Por exemplo, como pode o mundo inteiro olhar para dois corpos jazendo nas ruas de Jerusalém (Apocalipse 11:8-9)? A moderna tecnologia de televisão por satélite torna isso fácil. Como pode o Falso Profeta construir uma imagem do Anticristo que parece estar viva (Apocalipse 13:15)? A resposta, é claro, é a ciência da robótica. Como pode o Falso Profeta exigir que todas as pessoas na terra recebam a marca do Anticristo a fim de comprar e vender (Apocalipse 13:16-17)? Isso não seria possível sem computadores e lasers.

Jesus disse que a Tribulação será tão terrível que toda a vida na terra cessaria de existir se Ele não abreviasse esse período (Mateus 24:21-22). Como poderia toda a vida ser ameaçada antes do advento das armas nucleares? Outra referência a poder nuclear esta possivelmente contida na declaração de Lucas de que os homens no fim dos tempos “desmaiarão de terror” porque “os poderes do céu serão abalados” (Lucas 21:26). Isso certamente soa como uma referência à divisão do átomo.

5) Os Sinais da Política Mundial – A Bíblia profetiza que haverá um certo padrão de política mundial que caracterizará o mapa geopolítico do tempo do fim.

O foco será o restabelecido estado de Israel (Zacarias 12:2-3). Ele será sitiado por uma nação ameaçadora do “extremo norte”, a nação de “Rosh” ou a Rússia moderna (Ezequiel 38:2,6). Haverá também uma ameaçadora nação do Oriente que será capaz de enviar um exército de 200 milhões, a saber, a China (Apocalipse 9:13-16 a 16:12-13). Uma terceira fonte de perigo para Israel serão as nações Árabes que imediatamente o cercarão. Elas cobiçarão a terra e tentarão tomá-la dos Judeus (Ezequiel 35:10 e 36:2).

Outra peça chave na cena política mundial no fim dos tempos será uma coalizão de nações Européias que formarão uma confederação centralizada na área do antigo Império Romano (Daniel 2:41-44, Daniel 7:7,23-24 e Apocalipse 17:12-13). Essa confederação servirá como a base política para o aparecimento do Anticristo e a criação de seu reino mundial (Daniel 7:8).

Outros sinais políticos internacionais incluem guerras e rumores de guerras (Mateus 24:6), guerras civis (Mateus 24:7) e terrorismo internacional e impiedade generalizados (Mateus 24:12).

6) Os Sinais de Israel – Os sinais relacionados ao estado de Israel são prolíficos e muito importantes.

A profecia mais freqüentemente repetida no Antigo Testamento é a predição de que o povo Judeu será reunido dos “quatro cantos da terra” no final dos tempos (Isaías 11:10-12). A Bíblia declara que uma conseqüência dessa reunião será o restabelecimento do estado de Israel (Isaías 66:7-8). As Escrituras dizem que uma vez que os Judeus estejam de volta em sua terra, a própria terra experimentará um milagre de recuperação (Isaías 35). O deserto florescerá e as pessoas exclamarão, “Esta terra desolada tornou-se como o jardim do Éden” (Ezequiel 36:35).

Outro milagre do tempo do fim será o renascimento da língua Hebraica (Sofonias 3:9). Muitas pessoas não se dão conta do fato de que quando os Judeus foram dispersos de sua terra em 70 AD, eles cessaram de falar a língua Hebraica. Os Judeus que se estabeleceram na Europa desenvolveram uma nova língua chamada Yiddish, uma combinação do Alemão com o Hebraico. Os Judeus que migraram para a bacia Mediterrânea criaram uma língua chamada Ladino, uma combinação de Hebraico e Espanhol.

Outros sinais significantes de Israel que nós é ordenado aguardar no tempo do fim incluem a reocupação de Jerusalém (Lucas 21:24), o ressurgimento do poderio militar Israelense (Zacarias 12:6) e a re-focalização da política mundial em Israel (Zacarias 12:3).

Todos esses sinais se cumpriram neste século. A nação foi restabelecida, a terra foi reclamada, a antiga língua foi revivida, os Judeus estão de volta em Jerusalém e Israel é o ponto focal da política mundial.

Jesus diz em Lucas 21:28 que quando esses sinais começarem a acontecer, nós deveríamos “olhar para cima e erguer as nossas cabeças” porque “a nossa redenção está próxima”.

 

Os Sinais Chave

Os mais importantes sinais são aqueles que se relacionam a Israel, porque Deus usa os Judeus em toda a Escritura como seu relógio profético. Com isso eu quero dizer que muito freqüentemente quando o Senhor está revelando um evento importante que acontecerá no futuro, Ele apontará para o povo Judeu e declarar que quando uma determinada coisa acontecer a eles, o evento importante também ocorrerá.

Um bom exemplo desse princípio pode ser encontrado em Daniel 9, na famosa profecia das “Setenta Semanas de Anos”. O profeta nos manda esperar por um decreto a ser liberado que autorizará a reconstrução de Jerusalém. Ele então diz que o Messias virá sessenta e nove semanas de anos (483 anos) após o decreto ser liberado ao povo Judeu.

Existem duas profecias chave que se relacionam o retorno de Jesus a eventos que ocorreram na história Judaica desde 1948. Esses dois eventos claramente estabelecem o período em que estamos vivendo como o tempo da volta do Senhor.

 

O Estado de Israel

O primeiro é o restabelecimento do estado de Israel que ocorreu em 14 de maio de 1948. Jesus sinalizou este evento como aquele que sinalizaria Seu breve retorno.

Sua profecia está contida na parábola da figueira (Mateus 24:32-35) que Ele apresentou em Seu Sermão do Monte. Um dia antes de fazer este discurso, Ele havia posto uma maldição sobre uma figueira estéril, fazendo-a secar (Mateus 21:18-19). Isso foi uma profecia simbólica de que Deus em breve derramaria Sua ira sobre o povo Judeu por causa de sua esterilidade espiritual em rejeitar Seu Filho.

No dia seguinte Jesus relembrou Seus discípulos sobre a figueira. Ele mandou esperar que ela florescesse novamente. Em outras palavras, Ele mandou esperar pelo renascimento de Israel. Ele indicou que quando a figueira florescesse novamente, estaria às portas do Céu, pronto para voltar (Mateus 24:33).

Igualmente significante, Ele adicionou uma observação interessante: “Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam”. Qual geração? A geração que viu a figueira florescer.

Nós somos essa geração. A figueira floresceu. Jesus está às portas.

 

A Cidade de Jerusalém

O segundo evento chave foi profetizado por Jesus no mesmo discurso, como registrado por Lucas: “E cairão [os Judeus] ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem” (Lucas 21.24).

A primeira metade desta profecia se cumpriu em 70 AD, quarenta anos depois que Jesus falou estas palavras. Naquele ano os Romanos sob a liderança de Tito conquistaram Jerusalém e dispersaram os Judeus entre as nações. Jerusalém permaneceu sob ocupação gentílica por 1897 anos até 7 de junho de 1967, quando Israel reconquistou a cidade durante a Guerra dos Seis Dias.

A reocupação Judaica da cidade de Jerusalém é prova positiva de que estamos vivendo no tempo da volta do Senhor. Jesus disse que isso marcaria o fim da Era Gentílica.

 

Um Chamado à Ação

Não há como escapar à conclusão de que estamos vivendo em tempo emprestado. Os sinais dos tempos estão sobre nós e estão gritando por nossa atenção.

Você está pronto? Se Jesus voltasse hoje, seria Ele sua “Bendita Esperança” (Tito 2:11-14) ou seria o seu “Santo Terror” (Apocalipse 6:12-17)? Se você nunca O recebeu como seu Senhor e Salvador, agora é o momento de agir. Arrependa-se de seus pecados e clame o nome do Senhor para que possa ser salvo (Atos 2:14-39).

E se você é um Cristão, está vivendo como se Jesus pudesse voltar a qualquer instante? Você dedicou a sua vida à santidade? Você está orando pelos perdidos e testemunhando do Senhor quando tem oportunidade?

Você está ansioso pelo retorno do Senhor? Você pode dizer como Paulo que é um candidato a uma “coroa de justiça” porque tem vivido sua vida “no amor de Sua vinda” (2 Timóteo 4:7-8)?

E se eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo; para que onde eu estou, estejais vós também – Jesus, em João 14:3.

 

Extraído: www.olharprofetico.com.br (fonte original www.lamblion.com)

 

A voz do que clama!

Filed Under (Artigos) by Geração Maranata on 04-10-2010

Tag:

por Daniel Mastral

“Muitos, pois, de seus discípulos, ouvindo isso, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir? Sabendo, pois, Jesus em si mesmo que os seus discípulos murmuravam disto, disse-lhes: Isso escandaliza-vos?” João 6:60-61

As palavras de Jesus eram contundentes, pois continham a verdade. O conhecimento da verdade pode ser perturbador, pois abala nosso conceitos, nos faz rever concepções, nos força a uma mudança de rumo, de atitudes, de vida. Não é fácil andar na verdade. A verdade incomoda!

Jesus incomodava! Muitas vezes suas palavras promoviam revoltas nos judeus que pegavam pedras para lançar sobre Ele.

Quantas pedras não recebem os que divulgam a verdade?

Quantos verdadeiramente não tem se curvado a BAAL? Quantos não tem se curvado ao evangelho raso, contaminado com inveja, corrupção, orgulho, mentiras?

Jesus, certa vez, fez uma comparação entre um Fariseu e um Publicano, ou cobrador de impostos, cujo povo tinha ojeriza.

Já o Fariseu, era homem respeitado pelo povo, conhecia as leis, as escrituras sagradas, era um líder religioso majoritário de seu tempo, um representante da igreja. (Lucas 18:9-17).

O Fariseu mostra-se orgulhoso de sua vida. Jejua duas vezes na semana e dá o dízimo de tudo o que possui. Porém, o publicano, apenas reconhece que é pecador…

Quem é justificado, honrado é o que se humilhou, o publicano.

Jesus reserva um capítulo inteiro para exortar os Fariseus. Mateus cap. 23 é todo utilizado para este fim. Mais uma vez vemos que na exortação Jesus alerta que estes colocam fardos pesados sobre os homens, não vivem o que pregam, fecham as portas dos céus as vidas, são condutores cegos, hipócritas.

Embora dêem o dízimo, orem, jejuem, nada daquilo tem valor perante Deus.

Na narrativa Bíblica vemos apenas dois homens, desta classe, os Fariseus, os membros do Sinédrio, que foram tocados pelas palavras do Mestre: Nicodemos, que além de procurar a Jesus no meio da noite para buscar conhecimento, também é este que irá preparar o corpo de Cristo para o sepultamento, levando especiarias. Não se preocupou com o que iriam pensar dele, o que falariam dele? O amor que ele nutria por Jesus falou mais alto do que seu orgulho pessoal, que seu prestígio, seus valores. Pois ele conheceu a verdade! (João 19:38-40)

José de Arimatéia pediu permissão para sepultar Jesus. Ele era membro do Sinédrio, e Lucas o descreve como homem bom e justo (Lucas 23:50-52).

Com tal atitude o deixaria fadado a nunca mais utilizar aquele túmulo. Pois nele fora sepultado um homem condenado. Era assim que era preconizado nas leis judaicas.

Porque ele fez isso?

Porque conheceu a verdade, e esta verdade mudou seus conceitos, inverteu seus valores, mudou sua vida. Não se importava mais com o que pensariam dele, pois importava que ele conheceu a Jesus e conheceu a verdade. E esta verdade o libertou de seus velhos conceitos. Rompeu paradigmas!

Curioso, que era esperado pelo bom senso comum, que quem deveria ter tomados estas providencias deveriam ser seus discípulos.

Mas, quem o fez foram justo os Fariseus, os que ouviram a verdade e foram lapidados por ela.

Deus usa pessoas e circunstâncias que jamais nossa razão limitada poderia supor…faz do fraco, forte.

Paulo, era homem culto, formado em uma das melhores universidades de seu tempo. Tinha prestígio, poder, dinheiro, notoriedade. Conheceu a Jesus, conheceu a verdade e foi transformado por ela.

Nada mais o separaria do amor de Deus, nada! O viver passara a ser Cristo!

Nele, Paulo podia todas as coisas! Fez grandes coisas. Milagres, saqueou o inferno, trouxe luz onde haviam trevas. Pagou o preço. Foi perseguido, pelos judeus, por falsos irmãos…Mas não desistiu. Não importava mais o que pensariam dele, pois ele conheceu a verdade e agora nada mais importava, a não ser propagar a verdade! Foi transformado por ela!

Paulo nos ensina os caminhos desta verdade, cuja estrada é o amor. Amor que o Mestre já havia ensinado que era a marca do Cristão verdadeiro.

“Nisso reconhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”

Pautado neste amor, Paulo nos dá um ensinamento extraordinário. Pois a velha lei, já não existe mais. A maldição foi levada no madeiro. Temos uma nova aliança através do sangue de Cristo. E, agora há dois mandamentos fundamentais: “Amar e Deus acima de todas as coisas e amar ao próximo como a si mesmo.”

Quem ama dá o melhor! O melhor do tempo, da provisão…

Os Incas davam a vida de seus filhos para serem sacrificados em vulcões.

Escolhiam crianças entre 6 e 8 anos de idade. Os sacerdotes percorriam as vilas, e escolhiam as vítimas. As mães não podiam dar sinal de tristeza, pois tiveram seus filhos escolhidos pelos “deuses”.

Passavam então a ter uma dieta especial de carne e milho durante 6 meses, a fim de fortalece-las para a jornada a pé, por mais 6 meses e fim de percorrer 1.600 quilômetros até a base de um vulcão onde eram celebradas as cerimonias de sacrifício aos “deuses”.

Era preconizado que as crianças fossem acompanhadas de suas mães, a fim de que o laço materno as mantivessem vivas durante todo o percurso que era cheio de perigos: cobras, escorpiões, mosquito da palha – temido naquele tempo, pois sua picada causaria infecções graves.

Davam o melhor que tinham…davam a vida de seus próprios filhos!

Creio que todo pai, ou mão daria a vida pelos seus filhos. Mas não daria seu filho a morte. Os Incas faziam tal ato.

O que temos dado para Jesus? O melhor? Ou a sobra o resto?

Paulo nos ensina algo…

Quando forem recolher ofertas para os santos, dêem cada um segundo a sua prosperidade…(I Cor. 16:1-2)

Não há aqui taxas, valores preestabelecidos. Mas a mola que move os corações é o amor. Davi vai levantar fundos para a construção da casa do Senhor. Apenas diz uma frase: “Quem está disposto a consagrar-se hoje diante do Senhor?”. E sobejou!

Não houve discursos prolongados, não houve promessas estapafúrdias, não houve ameaças de maldições, apenas um pedido de consagração, movido pelo amor. Não se deixem enganar!

Moisés, da mesma forma. Não vemos discursos eloqüentes, efusivos, teatrais. Apenas o pedido de oferta especial para a construção do Tabernáculo. Sobejou!

Qual a chancela de Deus? Onde Deus está? Onde Ele realmente é adorado?

Nos cultos de milagres? Mas Simão mágico também fazia milagres…enganava muita gente. Do maior ao menor, do culto ao iletrado, do rico ao pobre. Foi batizado. Falsos profetas fazem sinais e prodígios para enganar…se possível até os eleitos!

Jim Jones não enganou a muitos? Mais de mil vidas se suicidaram por acreditarem em uma mentira. Acautelai-vos dos falsos profetas…que se dizem irmãos mas são roubadores, maldizentes…

Jesus fazia milagres, mas sua marca era o amor. Nisso reconhecerão que são meus discípulos, no amor!

Se após uma campanha de “milagres” você ouvir: “Não saia sem comprar a toalha santa, o óleo de Israel, o sal sagrado, a pedra que matou Golias, a água ungida do Jordão, a vassoura consagrada para varre o diabo de sua vida, etc.”

Jesus não está ali…Jesus expulsou os mercadores do Templo.

Se alguém for muito bom para pedir ofertas, tiver um discurso bem elaborado, articulado, prometer coisas em troca de valores já direcionados…fuja! Você está diante de um profissional da fé. Alguém treinado para te extorquir, te roubar, te enganar. O que move seu coração é o amor. Não ameaças, promessas vazias, unção disso ou daquilo.

Quem conhece a verdade ama a verdade abomina a mentira. Ama o que Deus ama e detesta o que Deus condena.

Seja sábio! Conheça a verdade, e ela guiará seus passos. Mudará sua vida, seus conceitos, seus valores. Não importará mais nada a não ser a verdade! Você será perseguido, banido, apedrejado, mas a verdade estará com você. Jesus estará com você.

Os escândalos virão…Jesus profetizou. Não olhe para eles. Pois ai daqueles pelos quais os escândalos vierem.

Olhe para Jesus e faça parte do remanescente fiel que não se curva aos homens, a mentira, a soberba.

Tenho vivido isso na pele a cada dia. E posso dizer que vale a pena seguir esta trilha estreita. Não há atalhos para Deus. Há um só caminho, o caminho da verdade que te conduzirá a vida em abundância.

Peço que continuem sempre orando por nossas vidas. Que o Pai renove nossas forças a cada dia, nos guarde em Seus estatutos.

Que não falte o pão sobre nossa mesa, nem humildade no coração. Que jamais venhamos a cair no laço de mentira da soberba.

Que jamais nos tornemos medíocres profissionais da fé. Que o Pai nos capacite a suportar os cravos, as perseguições, as injúrias, as difamações, os perigos, os açoites, as privações.

Que a Graça do Deus Pai continue a nos fortalecer a cada manhã, nos capacitando a realizar a Obra que nos foi confiada e que, a cada dia mais e mais vidas sejam levadas aos pés da Cruz através deste trabalho.

Que Deus, Todo Poderoso levante mais intercessores, mais amigos, mais aliados, mais mantenedores a fim de nos trazer a força do Alto, o renovo, o entusiasmo a cada dia.

Obrigado a todos que de alguma forma tem colaborado conosco e para o Reino de Deus a fim de propagar as boas novas. Nos ajudem, divulgando nosso site, o trabalho, os Seminários, os livros. Nos cubram com suas preces, sempre! Este é o combustível que nos move.

Conheça a verdade e ela te libertará!

 

Fonte: www.guia.com.br

Daniel Mastral é missionário, conferencista e escritor, tendo 15 livros publicados.

www.danielmastral.com.br

 

Por que estamos no fim?

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 08-08-2010

Tag: ,

A Bíblia é a palavra de Deus e, a cada dia que passa, em vez de tornar-se obsoleta, sua mensagem se torna mais real, nos revelando o plano de Deus através dos séculos, pois como disse Jesus “o céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar” (Mateus 24:35).

Os eventos que prenunciam o desfecho do cenário e realidade em que vivemos, são cada vez mais claros e significativos. Diante de tantas guerras, violência e perda de referenciais, urge o surgimento de um líder que resolva esses problemas e traga a tão sonhada paz. Blocos de países, inclusive com moedas comuns são a ante-sala de um governo mundial maligno. O aumento assombroso do misticismo na literatura, cinema, música e o aprofundamento do ecumenismo já dão uma sustentação prévia à futura atuação do falso profeta. Tudo isso vem ocorrendo paulatinamente, como que se estivesse obedecendo a um cronograma cuidadosamente elaborado. Por exemplo, quem diria há 30 anos, num mundo ainda vivendo os efeitos da “Guerra Fria”, que hoje ele estaria praticamente unido e globalizado, contando com blocos político-econômicos como a União Européia, Alca, Mercosul, G8, etc? Quem diria que as crianças e a sociedade em geral encarariam a feitiçaria e a bruxaria como moda e com toda naturalidade, influenciados por livros e filmes como Harry Potter e Senhor dos Anéis? Quem diria que com um simples toque no mouse do seu computador você estaria em qualquer lugar do mundo a qualquer hora?!

Analisemos detalhadamente os fatos. Teoricamente, hoje já existe a tecnologia necessária para implementar o controle total profetizado em Apocalipse 13:16-18, faltando apenas uma conjuntura geopolítica apropriada, o que pode acontecer a qualquer momento!

De acordo com as profecias de Daniel e Apocalipse, o sistema político que servirá como base de atuação para o anticristo terá sete cabeças e dez chifres. Um fato interessante é a configuração do atual G-8. Esse grupo já abriu as portas para a inclusão de outros países, como foi o caso da Rússia, por motivações puramente políticas (a Rússia não pode ser considerada hoje um país rico, porém ainda possui um considerável arsenal nuclear). É lógico supor que o atual G-8, num futuro muito breve, receba novos integrantes, principalmente vindos da Ásia e da América do Sul, para que as suas decisões políticas globais tenham uma aparente legitimação mundial. Ou seja, o atual G-8 pode tornar-se a qualquer momento G-10, perfazendo assim os dez chifres da besta.

Os dez chifres também podem surgir de uma nova composição no seio do Conselho de Segurança da ONU ou até mesmo de uma reorganização mundial em dez grandes blocos, logo após um grande colapso mundial. É preciso esperar o momento certo para identificar com propriedade esses dez chifres. Em Daniel 2:40-44, os dez chifres são relacionados com dez dedos, parte deles de barro e parte de ferro, deixando claro que esses países estarão unidos não por um vínculo verdadeiro e sincero, mas por conveniências e interesses políticos. O fato da disparidade dos materiais que formam os dedos (ferro e barro) parece sugerir também desigualdade social e financeira entre os países que formarem os dez chifres. Temos certeza de que, no momento oportuno, os servos do Senhor poderão identificar esses dez chifres.

Acreditamos, e temos fortes indícios para tal, que existem sociedades secretas, que, visando promover uma “Nova Ordem Mundial”, estão manipulando acontecimentos, controlando a mídia e criando todas as condições necessárias para que um governo mundial seja finalmente uma realidade. São pessoas influentes, a maioria pertencente a países do primeiro mundo, grandes empresários, políticos, religiosos e ativistas. Todos eles com um objetivo em comum: A NOVA ORDEM MUNDIAL.

É importante salientar que a maior parte dessas pessoas e da população em geral é e será partidária desse novo sistema, movida pelo desejo de viver em mundo mais justo, humano e pacífico. Somente alguns líderes saberão o real propósito: O CONTROLE POLÍTICO E ECONÔMICO DO MUNDO PELO ANTICRISTO. Sem dúvidas, o anticristo já está atuando nos bastidores. Talvez pessoas que o cercam neste momento não conheçam seus reais objetivos espirituais, contudo são pessoas que desejam uma nova ordem mundial, que é, como vimos anteriormente, o anelo da maioria da população mundial. Quem não quer ver o mundo livre de guerras, terrorismo, conflitos religiosos, fome, criminalidade, desemprego e tantas outras mazelas? O anticristo surgirá solucionando paulatinamente e às vezes até de forma sobrenatural todos esses problemas e para tal terá o apoio decisivo das principais lideranças religiosas do mundo, inclusive a maior delas: o falso profeta.

A seguir, daremos 10 razões que nos fazem crer já estar vivendo o prelúdio do final dos tempos profetizado na Bíblia.

 

1. REORGANIZAÇÃO MUNDIAL EM GRANDES BLOCOS POLÍTICOS E ECONÔMICOS, FACILITANDO UMA FUTURA ADMINISTRAÇÃO MUNDIAL INTEGRADA.

Com a globalização, termo que era desconhecido há menos de vinte anos, as nações, num processo de sobrevivência econômica e administrativa, têm procurado agrupar-se em grupos coesos. Esse agrupamento visa estabelecer um fortalecimento da nação a nível internacional, tornando-a mais competitiva em todas as áreas, pelo simples fato de pertencer a um grupo consolidado. Assim sendo, fica mais fácil negociar, comprar, vender, importar, exportar, diminuir taxas e impor seus produtos em outros mercados.

Essa tendência mundial está simplificando os sistemas administrativos e econômicos globais, propiciando, num futuro próximo, o estabelecimento de uma administração mundial, algo inconcebível há pouco tempo atrás. Essas mudanças globais ocorridas em menos de cinqüenta anos, só fazem confirmar a veracidade das profecias bíblicas no que concerne ao governo mundial do anticristo e o controle que o mesmo exercerá sobre o planeta por um tempo específico.

 

2. TENDENCIA MUNDIAL PARA A UNIFICAÇÃO DOS SISTEMAS DE IDENTIFICAÇÃO INDIVIDUAL ATRAVÉS DE SENHA OU NÚMERO ÚNICO.

Paralela à globalização, existe uma tendência mundial para a unificação dos sistemas de identificação individual, num processo irreversível do ponto de vista tecnológico devido à sua segurança, modernidade e facilidade. Vários países já têm adotado o sistema único de identificação e outros já estudam aplicar esse sistema em curto prazo em seus territórios. Cremos que a constante ameaça terrorista nos países mais prósperos e influentes, acelerará a adoção de sistemas de identificação cada vez mais rígidos e invasivos.

Na unificação dos sistemas de identificação individuais, a pessoa, em vez de possuir vários números para todos os seus documentos, possui apenas um número para todos eles. Isso é implementado graças aos sistemas interligados de informação on-line entre os diversos órgãos. Essa é mais uma preparação e condicionamento mental para que as pessoas, no momento certo, estejam aptas para serem marcadas pelo governo mundial da besta e não questionem o porquê de uma marca única.

 

3. IMPLEMENTAÇÃO DIÁRIA DA TECNOLOGIA NECESSÁRIA PARA O CONTROLE TOTAL (RASTREAMENTO POR SATÉLITE, CÓDIGO DE BARRAS, CHIPS SUBCUTÂNEOS E BIOMETRIA).

A tecnologia para possibilitar o controle total descrito no Apocalipse já existe atualmente, faltando apenas uma conjuntura geopolítica internacional apropriada para que a mesma seja implementada. É interessante observar que a maior parte das mercadorias que consumimos, já traz em seus códigos de barras o número 666. Até mesmo os estabelecimentos comerciais mais precários estão adquirindo leitores óticos para agilizar e simplificar seu controle, reduzindo custos. Cremos que há um condicionamento progressivo para que a população mundial aceite de bom grado e sem maiores objeções a marca da besta. Isso fica patente na questão do código de barras. Mesmo não sendo a marca da besta em si, a maior parte das mercadorias que compramos trazem o número 666 em suas barras de segurança. Ou seja, já se tornou corriqueiro comprar e consumir produtos com o número 666. Vemos neste caso um condicionamento gradual e paulatino.

Tudo indica que a marca da besta fará parte de um sistema de identificação única e, ao mesmo tempo, de movimentação financeira. Isso, teoricamente, agilizaria o processo de atendimento ao cliente, aumentaria os níveis de segurança do estabelecimento (pelo simples fato de não trabalhar com dinheiro), reduziria os índices de inadimplência e permitiria ao poder público um maior controle, até mesmo on-line, das responsabilidades tributárias do comerciante e das responsabilidades do consumidor. A utilização de parte dessa tecnologia já na atualidade, nos leva a acreditar que esse será o sistema utilizado pelo futuro governo mundial maligno.

É claro que a marca maligna profetizada no capítulo 13 do Apocalipse terá implicações espirituais que justifiquem o castigo que sobrevirá aos que a possuírem. Levando em consideração o caráter maléfico do anticristo, o convencimento mundial para a adoção da nova forma de controle, deverá vir acompanhada de algum tipo de ritual ocultista, pacto, declaração ou até mesmo de uma “revelação alienígena”. Ou seja, as pessoas que aceitarem a inserção na sociedade ao serem marcadas, estarão aceitando também, de forma consciente, os envolvimentos espirituais implícitos nesse ato.

 

4. MASSIFICAÇÃO E ACEITAÇÃO DE CONCEITOS MÍSTICOS ATRAVÉS DA LITERATURA, CINEMA E MÍDIA EM GERAL, VISANDO A PREPARAÇÃO MENTAL PARA A ATUAÇÃO SOBRENATURAL DO ANTICRISTO E DO FALSO PROFETA.

Para que o anticristo e o falso profeta possam ser aceitos pela maior parte da população mundial, é preciso que a mente dessas pessoas, que não têm a mente de Cristo, estejam condicionadas e receptivas para tal acontecimento.

Vemos atualmente uma avalanche de misticismo, esoterismo e procura por temas espiritualistas. É um fenômeno nunca antes visto. Após o período de racionalismo e ceticismo, posterior à revolução industrial do século XIX, está surgindo uma nova onda mística em todo o planeta. Os livros, filmes e sites mais procurados são aqueles que trazem uma temática espiritualista. Tudo isso para que, quando surgirem o anticristo e o falso profeta, operando sinais surpreendentes e prometendo uma nova era de desenvolvimento espiritual para a humanidade, sejam aceitos mundialmente como seres “iluminados”.

 

5. EXISTÊNCIA DO G-8 (SETE PAÍSES MAIS RICOS E RÚSSIA) E ABERTURA PARA A ENTRADA DE MAIS INTEGRANTES, PODENDO FORMAR-SE O G-10, ENCAIXANDO-SE NA PROFECIA SOBRE OS DEZ CHIFRES DA BESTA.

Se levarmos em consideração que o anticristo terá o apoio das principais lideranças internacionais, nos parece muito mais que uma mera coincidência o fato dos países mais ricos do mundo e, consequentemente, os mais influentes, terem formado uma organização denominada G-7. Esse grupo tem aberto suas portas para outros integrantes, a exemplo da Rússia, podendo chegar, em determinado momento a ser G-10.

O Apocalipse afirma categoricamente que a besta terá sete cabeças e dez chifres e que esses chifres ou reinos (países), entregarão o seu poder (soberania) à besta (Apocalipse 17:16-17).

Acreditamos que o fato dos sete países mais ricos estarem abrindo as portas para nações teoricamente menos influentes, busca legitimar a nível internacional qualquer medida tomada pelo grupo. Neste caso, países do terceiro mundo se sentiriam representados com a inclusão de um ou dois países ao atual G-8 (sete países mais ricos e Rússia). Deixamos claro que se tratam apenas de cogitações baseadas na realidade geo-política atual, a qual pode mudar drasticamente. Contudo, podemos afirmar categoricamente que, em determinado momento, as nações entregarão a sua soberania à besta.

 

6. SITUAÇÃO NO ORIENTE MÉDIO.

A criação do Estado Palestino, de acordo com o contexto escatológico, traz conseqüências importantes para o cenário político anterior à tribulação. Para analisar de forma correta essas conseqüências, devemos contar com a direção da palavra profética de Deus a esse respeito.

Em Ezequiel 38, o profeta narra a futura invasão de Gog a Israel. Não devemos confundir essa invasão com aquela que ocorrerá após o Milênio (Apocalipse 20:7-10). Neste último caso, fica evidente que será uma rebelião a nível internacional, dirigida pelo próprio Lúcifer. Já na narrativa de Ezequiel 38, Gog é um rei do “extremo norte” (Ezequiel 38:15). É interessante verificar que, ao traçar uma linha imaginária de Jerusalém até o “extremo norte”, essa linha passará por Moscou, capital da Rússia. Também é interessante destacar que Gog planejará atacar Israel quando a nação judia estiver vivendo em paz e tranqüilidade. O versículo 8 do capítulo 38 de Ezequiel descreve essa realidade com detalhes: “Depois de muitos dias serás visitado. No fim dos anos virás à terra que se recuperou da espada, e que foi congregada dentre muitos povos, junto aos montes de Israel…” Essa condição de paz não condiz com a realidade atual no Oriente Médio, tornando necessário que algo ocorra para que a profecia se cumpra integralmente.

O versículo citado anteriormente deixa claro que, no momento em que Gog invadir Israel, a nação judia será um país “restaurado da guerra”. O versículo 11 do mesmo capítulo nos mostra que Israel viverá naquela época em aldeias “não muradas”, o que também não condiz com a realidade atual, na qual um muro de isolamento está sendo construído por Israel ao longo das suas fronteiras com a faixa de Gaza.

Acreditamos que o ataque de Gog (país do extremo norte, provavelmente a Rússia e alguns aliados), ocorrerá logo no início do período tribulacional de sete anos, baseados no versículo 9 do capítulo 39 de Ezequiel. Ali fica claro que o povo israelense aproveitará as armas das tropas de Gog, após a derrota sobrenatural das mesmas. Esses armamentos serão utilizados como combustível pelos judeus por sete anos, talvez suprindo a falta de outros elementos, considerando o desabastecimento e instabilidade mundial na época tribulacional.

Chegamos à conclusão que, quando Gog e seus aliados invadirem Israel, a nação judia estará vivendo em “paz” numa realidade pós-guerra. Isso, como já comentamos anteriormente, não condiz com a realidade atual da área em questão. Algo deve acontecer para que o cenário de paz, segurança e tranqüilidade seja uma realidade no Oriente Médio pouco antes da invasão de Gog.

Existe uma profecia específica no livro do profeta Obadias referente aos filhos de Edom (Obadias 1:1-9). No versículo 18 do mesmo capítulo, o profeta descreve um conflito de grandes proporções entre israelenses e edomitas: “E a casa de Jacó será fogo, e a casa de José uma chama, e a casa de Esaú palha; e se acenderão contra eles, e os consumirão; e ninguém mais restará da casa de Esaú; porque o Senhor o falou”. Os edomitas não são árabes (descendentes de Ismael) e sim um povo que se estabeleceu no Oriente Médio, hoje relacionado por muitos aos palestinos.

Acreditamos, baseados nestes direcionamentos bíblicos, que antes da tribulação, haverá um conflito de grandes proporções no Oriente Médio, ocasião em que Israel destruirá seus inimigos mais próximos. Neste contexto, a criação do estado palestino tende a acelerar ainda mais todo o relógio profético para os últimos tempos.

 

7. NECESSIDADE MUNDIAL URGENTE DE CONTROLE DO TRÁFICO DE DROGAS, TRÁFICO DE ARMAS, LAVAGEM DE DINHEIRO E TERRORISMO.

Apesar de todas as medidas tomadas e esforços feitos, esses problemas continuam crescendo em todo o planeta, colocando em xeque o tênue equilíbrio social, político e econômico.

A população em geral espera ansiosamente por medidas que tragam a solução para esses males. Esse anelo global será utilizado pelo anticristo para implementar o seu controle total, sob o pretexto de reduzir ou acabar com essas mazelas.

 

8. ESTÍMULO MUNDIAL AO ECUMENISMO E A TOLERÂNCIA RELIGIOSA E CRESCENTE OPOSIÇÃO ÀS POSIÇÕES FUNDAMENTALISTAS E CONSERVADORAS.

O anticristo terá o apoio decisivo das principais lideranças religiosas, as quais identificarão a besta como “um enviado de Deus” para levar a humanidade a um novo patamar de desenvolvimento pessoal e espiritual.

É interessante constatar que todas as grandes religiões mundiais, inclusive o judaísmo, estão à espera de um ser iluminado…

O sistema ecumênico está propiciando uma união cada vez mais forte entre as diversas crenças e essa união será a base espiritual de atuação da besta. Nos últimos tempos, o ecumenismo terá um líder único, chamado no livro de Apocalipse de “falso profeta”. O mesmo alcançará essa liderança por meio de atos sobrenaturais e surpreendentes que fará (Apocalipse 13:13).

 

9. ESPERANÇA MUNDIAL POR UMA LIDERANÇA EFICIENTE E CARISMÁTICA QUE TRAGA SOLUÇÃO PARA OS SEUS GRAVES PROBLEMAS.

Atualmente é visível, até mesmo para o observador menos informado, a falta de uma liderança internacional que inspire respeito e carisma a nível internacional. Apesar de existirem nações mais poderosas que outras, os líderes dessas potências não têm se destacado pelo seu carisma, o que não acontecia em épocas anteriores. Líderes como John Kennedy, Winston Churchil, Joseph Stalin, de Gaulle, Mussolini, Napoleão e Carlos Magno já não encontram eco nos governantes atuais, no que se refere ao carisma pessoal. Pelo contrário, os líderes da atualidade destacam-se por sua instabilidade e debilidade de caráter e pela antipatia popular que despertam.

O mundo espera, de forma implícita, o surgimento de um líder que traga a solução para seus grandes dilemas. Essa constatação é mais uma prova que nos permite afirmar que estamos nos tempos do fim.

 

10.AUMENTO PROGRESSIVO DA POBREZA, DESEMPREGO, VIOLENCIA E INSTABILIDADE SOCIAL, QUE GERARÃO UM CLIMA APROPRIADO PARA O APARECIMENTO DA BESTA TRAZENDO SOLUÇÕES SOBRENATURAIS.

Quem não quer a solução definitiva para essas mazelas que afligem a humanidade? A besta surgirá resolvendo alguns desses problemas, utilizando para tal até mesmo meios sobrenaturais. Essa é mais uma razão para que a Igreja de Cristo esteja cada vez mais vigilante. O fato de desejar a solução dos problemas mundiais não justifica aceitar qualquer solução proposta. Os cristãos devem ter em mente que a solução definitiva para todos os males da humanidade, se manifestará na segunda vinda de Jesus, quando o Mestre destruirá o poder político e religioso que tem imperado no planeta durante milênios.

VOCÊ ESTÁ PREPARADO EM TODOS OS ASPECTOS PARA ENFRENTAR OS DIAS DIFÍCEIS QUE SE APROXIMAM?

É TEMPO DE ESTAR EM COMUNHÃO COM DEUS ACIMA DE TODAS AS COISAS E NÃO NEGAR O SEU NOME SOB NENHUMA CIRCUNSTÂNCIA.

Maranata!

 

Jonerikson Santana/Jesiel Rodrigues

www.projetoomega.com

 

Os Dez sinais Proféticos

Filed Under (Sinais Proféticos) by Geração Maranata on 07-08-2010

Tag: ,

Quando o mundo vai acabar ? E como ? As Escrituras não se calam:  Deus nos diz quando, como e onde o mundo que conhecemos se acabará.  Quais são as evidências bíblicas de que somos a última geração ? Mostramos, a seguir, dez sinais bíblicos de que podemos ser a geração que verá a volta de Jesus Cristo com grande glória, descendo das nuvens.

1. A explosão do conhecimento. A primeira indicação que confirma que somos a última geração está registrada em Daniel: “Tu, porém, Daniel, encerra as palavras e sela este livro, até ao tempo do fim; muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará (12.4)”.

A tradução literal deste trecho das Escrituras indica que a última geração experimentará uma explosão de conhecimento.  Somos definitivamente, esta geração.  Do Jardim do Éden até 1.900 d.C., os seres humanos andaram em cavalos, como o rei Davi ou Júlio César.  Num espaço de alguns anos, o homem inventou o automóvel, o avião e o ônibus espacial.  Na área médica, temos presenciado tamanha explosão de conhecimento, que a ciência precisou redefinir o conceito de morte.   O ser humano poder ser mantido vivo quase que indefinidamente através de máquinas e drogas miraculosas.  A explosão de conhecimento é evidente na super infovia de informação.  Você pode ficar sentado comodamente em sua casa e obter qualquer informação que desejar através da Internet.

 

2. A praga no Oriente Médio.  O profeta Zacarias teve uma visão e não soube como descrevê-la, chamando-a de “os terríveis resultados de uma praga”.  Esta praga será enviada a todos os que vierem para lutar contra Jerusalém nos últimos dias.  A praga consome a carne do homem, estando ele ainda de pé.  Os olhos apodrecem ainda nas órbitas, e a língua se dissolve ainda dentro da boca (ver Zc 14.12-15).

Esta praga de Zacarias foi um mistério para a geração de meus pais, mas, então, a bomba atômica foi inventada.  Uma bomba atômica pode produzir, em milésimos de segundos, uma temperatura de mais de 1 milhão de graus.  É desta forma que os olhos e a língua de um homem são consumidos antes que o seu corpo caia no chão.  A praga de Zacarias não é mais um mistério.  É um armamento atômico,  e ele será usado no Oriente Médio.

 

3. O renascimento de Israel. Todos os grandes profetas testemunharam que Deus tiraria o povo judeu de suas sepulturas gentílicas (as nações) e o traria à Terra de Israel antes da volta do Senhor.

Lembro-me muito bem do dia 15 de maio de 1948.  Tinha oito anos de idade, estava sentado à mesa da cozinha com meu pai, um homem calmo com uma mente brilhante. Eu e papai estávamos ouvindo o rádio, quando o locutor anunciou dramaticamente: “As nações Unidas anunciaram hoje que reconheceram formalmente o Estado de Israel”.

Meu pai me olhou direto nos olhos e disse: “Acabamos de ouvir a mais importante mensagem profética a ser pronunciada até a volta de Jesus Cristo à Terra!” Israel havia renascido, conforme profetizado em Is 66.8.

O renascimento de Israel não é um acidente histórico.  Ele é mão de Deus no controle da situação, justamente como os profetas de Israel disseram que aconteceria.

 

4. Os judeus voltarão para a sua Terra. Jeremias declarou:  “Portanto, eis que vêm dias, diz o Senhor, em que nunca mais dirão:  Tão certo como vive o Senhor, que fez subir os filhos de Israel da terra do Egito; mas: Tão certo como vive o Senhor, que fez subir, que trouxe a descendência da casa de Israel da terra do Norte e de todas as terras para onde os tinha arrojado;  e habitarão na sua terra” (23.7-8).

Os judeus da terra do Norte (Rússia) retornaram a Israel em dezenas de milhares, assim como os outros judeus do resto do mundo.  Através dos noticiários da televisão, vimos o seu desembarque no aeroporto de Tel Aviv, Lemos sobre isto em todo tipo de mídia impressa.  Mas lemos isto, primeiramente, em Jeremias.  Este é outro sinal de que somos a última geração.

 

5. Jerusalém não estará mais sobre o controle dos gentios. A profecia bíblica nos informa que Jerusalém não será mais governada pelos gentios na última geração. O povo judeu não controlava Jerusalém desde o ano 70 d.C., quando os romanos atacaram a cidade e destruíram o templo, até que houve a guerra de Seis Dias, em 1967.  Jesus disse que “até que os tempos dos gentios se completem, Jerusalém será pisada por eles” (Lc 21.24).  O salmista disse “porque o Senhor edificou a Sião [Jerusalém], apareceu na sua glória” (Sl 102.16).  Jerusalém está sob controle dos judeus pela primeira vez em dois mil anos. Somos a última geração.

 

6. Comunicação internacional instantânea.  Em Ap 11.3,7-10, João descreve duas testemunhas que serão executadas, e seus corpos sem vida ficarão por três dias e meio nas ruas de Jerusalém, sendo vistos por pessoas, tribos, línguas e nações.  Por diversas gerações, os estudiosos se perguntaram sobre como estas testemunhas poderiam ser vistas por toda a terra ao mesmo tempo.  Então, chegou a televisão e, depois, os satélites de comunicação.  Isto não era possível em 1900 ! Isto não era possível até 1960 !  Isto é possível agora, pois somos a última geração.

 

7. Dias de engano. Jesus advertiu: “Vede que ninguém vos engane.  Porque virão muitos em meu nome… e enganarão a muitos… porque surgirão falsos cristos e falsos profetas operando grandes sinais e prodígios para enganar, se possível os próprios eleitos (Mt 24.4-5,24). Jesus advertiu que o problema número 1 da terra nos últimos dias seria a fraude.  O secularismo é um engano.  As teorias e filosofias da Nova Era são uma fraude.  Os gurus ambientalistas, que dizem que a terra nada mais é senão o seio da “deusa mãe”, estão simplesmente espalhando uma ilusão.  A igreja apóstata, que tem aparência de piedosa, mas nega o poder de Deus, está praticando uma fraude.  O engano prolifera, pois somos a última geração.

 

8. Fome e Pestes. Algumas potências mundiais são capazes de alimentar o mundo inteiro, mas muitos fazendeiros são pagos para não produzir certas espécies de alimentos, pois, do contrário, a oferta de produtos seria muito grande e, conseqüentemente, os preços despencariam no mercado.  Vemos todos as noites no noticiário da televisão crianças desnutridas, com barrigas inchadas, olhos esbugalhados e ossos à mostra.  Por quê ? Jesus disse que, nos últimos dias, “se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fome e terremotos em vários lugares; porém tudo isto é o princípio das dores” (Mt 24.7-8).

“Nesse tempo, se levantará Miguel, o grande príncipe, o defensor dos filhos do teu povo, e haverá tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas, naquele tempo, será salvo o teu povo, todo aquele que for achado inscrito no livro.  Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna e outros para vergonha e horror eterno.  Os que forem sábios, pois, resplandecerão como fulgor do firmamento;  e os que a muitos conduzirem à justiça, como as estrelas, sempre e eternamente.” Dn 12.-13.

 

9. Terremotos. Deus usa os terremotos para se comunicar com os surdos espirituais.  A Bíblia registra pelo menos 33 exemplos de que Deus usou um terremoto para chamar a atenção do ser humano.  A terra tremeu no monte Sinai quando Moisés recebeu os Dez Mandamentos (Ex.19.18).  Deus usou um terremoto em Jerusalém, durante a crucificação de Cristo, para separar em dois, de cima a baixo, o véu do templo (Mt 27.51).  Fez uso de um terremoto, na ressurreição, para rolar a pedra da tumba emprestada, não para que Jesus saísse, mas para n´s entrássemos (Mt. 28.2).  Os constantes tremores de terra são a voz de Deus falando através da natureza para nos lembrar de que somos a última geração.

 

10. Como nos dias de Noé. Jesus disse no Livro de Mateus: “Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão o Pai.  Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem” (24.36-37). Que características marcaram os dias de Noé ? Gênesis nos conta que a maldade do ser humano era muito grande sobre a terra e que “era continuamente mau todo desígnio do seu coração” (Gn 6.5).

Se você abrir seu jornal pela manhã, perderá o apetite lendo sobre assassinatos, abuso infantil, estupros, seqüestros, assaltos, abuso de cônjuges, corrupção no governo, tráfico de drogas, pornografia, homossexualidade, adultério e fornicação.  Esta geração é semelhante à de Noé, como seus pensamentos continuamente maus.  È por isso que sabemos que somos a última geração.

 

Extraído da Bíblia de Estudos das Profecias

Maranta!

 

 

 

 

 

(TG 5:8) –  Sede vós também pacientes, fortalecei os vossos corações; porque já a vinda do Senhor está próxima.

(1TS 5:23) –  E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo.

(AP 1:3) –  Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.

(TT 2:13) –  Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo;

**Geração Maranata** Se for copiar cite a Fonte!

Início | Download | Links | Contato
Misso Portas Abertas JMM ANEM
Destino Final Heart Cry Jocum Missao Total Missao Total Projeto Paraguai