Inspiração que vem das trevas

Filed Under (Apostasia) by Geração Maranata on 16-11-2012

Tag:

por Geração Maranata

O que os livros da "Saga Crepúsculo", da "Série Harry Potter" e a trilogia "50 Tons de Cinza" têm em comum? A fonte de inspiração.

As autoras desses livros confessaram que a inspiração para os romances veio repentinamente, através de sonhos, pensamentos, visões, etc.

Os livros trouxeram riqueza e fama instantâneas para sua autoras, que antes eram ilustres desconhecidas, como a religiosa (mórmon) e com pouca experiência em escrita (Stephenie Meyer/Crepúsculo), ou a dona-de-casa mãe de dois filhos adolescentes e que nunca tinha escrito um livro sequer (E. L. James/50 Tons de Cinza), e a escritora pobre com crises de depressão (JK Rowling/Harry Potter). 

O fato é que esses livros estão disseminando ocultismo, bruxaria, satanismo (vampiros/lobisomem), perversão sexual, blasfêmia, profanação, etc, não restando dúvidas de quem está por trás dessas inspirações.

O público alvo sem dúvida são os jovens, ainda que '50 Tons de Cinza' seja destinado aos adultos, o fato é que são os adolescentes e jovens que estão lendo essas sujeiras. 

Para entender quem são as autoras e como surgiu a inspiração dos livros, selecionei alguns recortes de notícias (os grifos são meus).

Nota: No final da matéria há informação sobre outro livro com inspiração suspeita.

Série Harry Potter

Era 1990. Meu namorado na época e eu tínhamos decidido ir até Manchester juntos. Depois de ficar procurando por um apartamento um fim de semana, viajava sozinha de volta a Londres em um trem lotado e a idéia de Harry Potter simplesmente surgiu na minha cabeça."  
"Eu vinha escrevendo quase continuamente desde os seis anos de idade, mas nunca tinha ficado tão entusiasmada com uma ideia antes. Para minha imensa frustração, não tinha uma caneta que funcionasse e era tímida demais para pedir a alguém uma emprestada"…  
"Eu não tinha uma caneta que funcionasse, mas eu acho que isso provavelmente foi uma coisa boa. Simplesmente fiquei sentada pensando por quatro horas (o trem estava atrasado), enquanto todos os detalhes borbulhavam em meu cérebro e esse menino magricela, com cabelos pretos, de óculos que não sabia que era um bruxo foi se tornando cada vez mais real para mim."
Fonte: www.jkrowling.com/pt_BR/#/linha-do-tempo/tudo-comecou-na-plataforma-9-3-4
 
JK Rowling admitiu que a história inicial de Harry Potter, bem como muitos dos personagens do romance, foi comunicada a ela por meio de um fluxo de consciência
'Harry como um personagem, veio completamente formado, como surgiu a idéia de seus capangas, os personagens de Ron e Hermione, que é o cérebro do trio,' ela disse. 'Tudo começou com Harry, então todos esses personagens e situações vieram à tona na minha cabeça.' "
Fonte: Boston Globe, 03 de janeiro de 1999, Massachusetts, EUA
 
JK Rowling descreve a maneira como ela escreve, por vezes, como se ela só está tomando notas de coisas que ela vê e ouve em visões, 'Eu vejo uma situação e depois eu tento descrevê-lo tão vividamente quanto eu puder.'
'E eu adoro escrever diálogos. O diálogo vem a mim como se eu só estivesse ouvindo uma conversa.'
Fonte: www.januarymagazine.com / Janeiro Perfil: JK Rowling, por Linda Richards
 
Seus livros, traduzidos para sessenta e quatro línguas, venderam mais de 400 milhões de cópias pelo mundo todo, e renderam à autora por volta de 576 milhões de libras, mais ou menos 1 bilhão de dólares, segundo estimativa da Forbes em fevereiro de 2004, tornando-a a primeira pessoa a tornar-se bilionária (em dólares) escrevendo livros.
Fonte: www.pt.wikipedia.org/wiki/J._K._Rowling
 
 

Saga Crepúsculo

"Stephenie Meyer diz que a ideia para Crepúsculo ocorreu para ela em um sonho em 2 de junho de 2003. O sonho era sobre uma garota, e um vampiro que estava apaixonado por ela, mas ele sentia desejo pelo sangue dela, porém não queria que ninguém soubesse suas origens.
 
Com base nesse sonho, Meyer escreveu a transcrição do que é agora o capítulo 13 do livro. Ela nunca havia pensado em vampiros, e o sonho surpreendeu a ela própria.
 
A autora chegou inclusive a dizer: "Não escolhi os vampiros. Eles me escolheram."
 
Apesar de ter muito pouca experiência em escrita, em questão de três meses ela havia transformado um vívido sonho em um romance concluído.
 
Após redação e edição do romance, ela assinou um contrato de três livros com a Little, Brown and Company por US $ 750.000.
 
O livro chegou ao 1º lugar na Lista de Best-sellers do The New York Times e foi traduzido para diversas línguas, por boa parte do mundo… 
 
Os livros da série Crepúsculo já venderam cerca de 120 milhões de cópias ao redor do mundo, com traduções em 37 línguas diferentes, para 50 países.
Meyer é membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
 
Fonte: pt.wikipedia.org/wiki/Stephenie_Meyer
 
“Eu acordei (naquele 2 de junho) depois de um sonho muito vívido. No meu sonho, duas pessoas estavam tendo uma conversa intensa no meio da floresta. Uma dessas pessoas era apenas uma garota comum. A outra pessoa era fantasticamente linda, brilhante, era um vampiro. Eles estavam discutindo as dificuldades inerentes ao fato de que: (a) eles estavam se apaixonando, enquanto (b) o vampiro estava particularmente atraído pelo cheiro do sangue dela, e estava tendo um momento difícil impedindo-se de matá-la imediatamente […] eu digitei o máximo que eu podia lembrar, chamando os personagens de ‘ele’ e ‘ela’”.
Esse sonho foi tão significativo para a saga de Crepúsculo, que Meyer produziu uma transcrição dele no capítulo 13 do seu livro Crepúsculo, intitulado “Confissões”.
Meyer afirma que algum tempo depois de ela ter ‘recebido’ o sonho revelador, ouviu vozes incessantes em sua cabeça que não iriam parar até que ela fosse escrever. ‘Bella e Edward [o vampiro] foram, literalmente, as vozes na minha cabeça. Eles simplesmente não podiam calar a boca. Eu ficava acordada até o quanto conseguia ficar, tentando colocar todas as coisas que estavam em minha mente no papel, e depois engatinhei exausta para a cama […] Apenas para ter um início de conversa na minha cabeça.’”
A história de Meyer fluiu tão furiosamente que ela disse, às vezes, “eu não conseguia digitar rápido o suficiente”. Ela terminou o conto obscuro, embora fosse seu primeiro livro, em apenas três meses. Meyer também disse: “Estou muito ansiosa para finalmente ter o Crepúsculo nas prateleiras, e um pouco assustada também. No geral, ele foi um verdadeiro trabalho de amor, amor por Edward e Bella e todo o resto dos meus amigos imaginários, e estou muito feliz que outras pessoas chegaram a conhecê-los agora.” Meyer declarou também que “os personagens de Crepúsculo eram tão reais para mim, que eu queria que outras pessoas os conhecessem”.
Fonte: www.stepheniemeyer.com/twilight.html
 
"Infelizmente, se a verdade fosse conhecida e os fãs de Crepúsculo estivessem realmente conscientes da natureza obscura e maligna das forças “reais” que estão por trás dessa saga, eles correriam para a saída mais próxima. Embora a entidade espiritual tenha aparecido como Edward, nos sonhos de Meyer, e tenha se comunicado com ela enquanto ela estava consciente, ele revelou mais sobre sua verdadeira natureza do que Meyer esperava. 
Meyer confessou a EW.com: “Eu realmente tive um sonho depois que terminei o Crepúsculo, nele Edward veio me visitar, apenas eu estava errada e ele realmente bebia sangue como todos os outros vampiros e não podia viver com o sangue dos animais da maneira que eu tinha escrito. Nós tivemos essa conversa e ele foi aterrorizante.”
Um demônio com qualquer outro nome ainda é um demônio. Em lugar de ser o “um demônio vampiro bom” que é capaz de se conter e não beber o sangue de Bella, como os demônios do passado, que exigiam o sangue das crianças através do sacrifício delas, é evidente que as entidades espirituais por trás de Crepúsculo são os mesmos e velhos demônios."
Fonte: www.midiailluminati.blogspot.com.br/2010/10/crepusculo-ocultismo-para-jovens-parte.html

 

Cinquenta Tons de cinza

"Eu estava muito infeliz no último emprego — e, no mesmo momento, vi por acaso o primeiro filme da série Crepúsculo. Adorei. Pedi então ao meu marido que me desse o livro como presente de Natal. Ele me deu a série toda, e eu a li inteirinha, de cabo a rabo, em cinco dias. Antes do Ano-Novo já tinha terminado — e só não a recomecei do início imediatamente porque me sentei ao computador e comecei a escrever. Foi como se alguém tivesse acionado um interruptor em mim." 
Fonte: http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/dica-de-leitura/entrevista-com-e-l-james-autora-do-livro-mais-vendido-no-mundo-no-momento-experimentar-coisas-diferentes-no-sexo-com-o-parceiro-pode-ser-um-bocado-divertido
 
Ela não se importa com a reação dos conservadores que a acusam de desencaminhar jovens. Nem das feministas que apontam a trilogia como reforço ao machismo. Erika não vê problema em incitar as jovens (adultas) a práticas de perversão sexual. “Espero que as meninas escolham melhor seus parceiros com o livro. Sobre o sadomasoquismo, ele pode ser saudável se as partes envolvidas estiverem de acordo, se o ambiente for controlado e seguro.”
Fonte: http://revistaepoca.globo.com/cultura/noticia/2012/09/el-james-diz-que-sua-trilogia-erotica-ajuda-jovens-escolher-melhor-os-parceiros.html
 
Segundo matéria publicada no site da revista Época, E. L. James promoveu a obra do compositor inglês Thomas Tallis (do século XVI), ao escrever que seu personagem pervertido Christian Grey aprecia as músicas dele. Detalhe: Tallis escreveu predominantemente música religiosa … No romance, a obra religiosa do austero Tallis é usada para animar perversões sexuais e práticas sadomasoquistas …   Profanação é palavra bem adequada para o que James fez em sua história. Com inúmeras músicas disponíveis, ela tinha que ter usado justo uma de cunho religioso? Parece que, além de promover o sexo pervertido, James também tratou de dar uma pitada de blasfêmia em Cinquenta Tons de Cinza. 
Uma coisa chama a atenção: à semelhança de J. K. Rowling, autora da série Harry Potter e de outros autores “meteóricos” (como Stephenie Meyer/Crepúsculo), E. L. James admite ter recebido um “empurrão” de “alguém”. É quase como se tivessem sido “inspiradas”, de tal maneira que onde não havia talento nem experiência surgem fama, dinheiro e influência sobre a mente e os hábitos de milhões de pessoas.
Fonte: Michelson Borges – http://www.criacionismo.com.br/2012/08/tons-de-cinza-que-vem-das-trevas.html

-*-

Atualizado em 21/11/2012

Outro livro foi publicado no Brasil este ano (2012): 'Sangue Quente' de Isaac Marion. O que conecta esse livro com os descritos acima foi o fato da autora do Crepúsculo, 'Stephenie Meyer', dizer que adorou o livro, encorajando os seus milhões de fãs a lerem e assistirem ao filme (que estreará em Fev/2013). Além do mais, o estúdio que adaptou o livro para o cinema é a mesma da saga Crepúsculo: Summit Entertainment.

O livro 'Sangue Quente', conta a história de um morto-vivo chamado R e de como se apaixonou por um humana. É o primeiro livro publicado pelo autor

O autor diz que não escreveu uma trilogia, mas tem uma história pronta que remete a vida anterior de R e de sua morte, que haiva ocorrido 9 anos antes (olha o nove aí) de se tornar zumbi.

Fonte: 

http://entretenimento.r7.com/jovem/noticias/apos-vampiros-zumbis-sao-nova-aposta-do-estudio-de-crepusculo-20110523.html
http://en.wikipedia.org/wiki/Warm_Bodies
 

 

Harry Potter – Familiarizando-se com a Força da Feitiçaria

Filed Under (Apostasia, Defesa da Fé) by Geração Maranata on 14-07-2011

Tag:

“Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem” (Romanos 12.21).

Nenhum outro livro ou  filme infanto-juvenil passou com tanta eficiência o conceito de “Deus” como uma “força energética” do que a série cinematográfica Star Wars (Guerra nas Estrelas).

Obiwan Kenobi, um guerreiro Jedi dos filmes Star Wars, é um perfeito porta-voz desta “força impessoal” quando define-a para o jovem Luke Skywalker:

"A força é o que dá ao Jedi o seu poder. A força é um campo de energia criada por todas as coisas vivas: cerca-nos e penetra-nos. E une a galáxia. […] Precisa aprender como age a força. […] Aprenda sobre a força, Luke."

Do ponto de vista do Cristianismo, é inconcebível pensar que esta “força impessoal” seja Deus.

Na Bíblia Sagrada existem duas forças diametralmente opostas, uma do bem e outra do mal, atuando no Cosmo.

Por outro lado, tanto na série Star Wars quanto na série Harry Potter a noção é puramente taoísta: existe apenas uma força que pode ser manipulada tanto para o bem como para o mal, portanto o bem e o mal viriam da mesma fonte, teriam uma só origem.

A série Harry Potter ressalta o bem e o mal como se ambos fossem um.

Como disse Quirrell, o primeiro professor de 'Defesa Contra as Artes das Trevas' de Harry Potter, possesso pelo mau Voldemort: “Não existe bem nem mal, só existe o poder”.

Isso fica logo claro, ainda na primeira metade do primeiro livro da série.

Harry Potter, sem saber, adquire uma varinha mágica semelhante à do seu rival Voldemort.

O senhor Olivaras, vendedor de varinhas mágicas, faz o seguinte comentário para Potter:

– Bravo! Mesmo, ah, muito bom. Ora, ora, ora… que curioso… curiosíssimo…

Repôs, a varinha de Harry na caixa e embrulhou-a em papel pardo, ainda resmungando:

– Curioso… curioso…

– O senhor me desculpe – disse Harry –, mas o que é curioso?

O Sr. Olivaras encarou Harry com aqueles olhos claros.

– Lembro-me de cada varinha que vendi, Sr. Potter. De cada uma. Acontece que a fênix cuja pena está na sua varinha produziu mais uma pena, apenas mais uma. É muito curioso que o senhor tenha sido destinado para esta varinha porque a irmã dela, ora, a irmã dela produziu a sua cicatriz.

Harry engoliu em seco.

– É, tinha trinta e quatro centímetros. Puxa. É realmente curioso como essas coisas acontecem. A varinha escolhe o bruxo, lembre-se… Acho que podemos esperar grandes feitos do senhor, Sr. Potter… Afinal, Aquele-Que-Não-Se-Deve-Nomear realizou grandes feitos, terríveis, sim, mas grandes.

Harry estremeceu. Não tinha certeza se gostava do Sr. Olivaras. Pagou sete galeões pela varinha e o Sr. Olivaras curvou-se à saída deles.

O mais inquietante é que, no decorrer da série, alguns dos poderes mágicos de Potter foram transferidos do temível Voldemort diretamente para Harry, por ocasião da tentativa de matá-lo quando bebê. É como se a carga má de Voldemort tivesse sido drenada para Potter.

Até ao final do quarto livro da série, Harry Potter tem sido fiel ao lado bom da força (como aquela turma de Luke Skywalker em Star Wars) representada por Alvo Dumbledore.

A autora consciente ou inconscientemente transfere para o bruxo Dumbledore a figura de “Deus”.   Dumbledore é antigo, todo-poderoso, sábio, calmo, seguro e piedoso, enfim, uma pessoa em quem Potter pode confiar. Os leitores também passam a respeitar e admirar o principal e mais experiente bruxo “bom” da série.

Ao final do segundo livro, 'Harry Potter e a Câmara Secreta', Potter foi salvo de um ataque do Lord Voldemort pelo fênix de Dumbledore. O fênix só ajudou Harry porque o menino tinha demonstrado uma “verdadeira lealdade” a Dumbledore.

No terceiro livro, 'Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban', após tomar um tremendo susto com uma criatura estranha (“um dementador”), Potter sente-se calmo com a presença de Alvo Dumbledore.

Os livros sugerem, a exemplo de algumas religiões orientais, que a única diferença entre o bem e o mal é apenas a direção em que você vai usar a força impessoal. Essa é uma cosmovisão de uma força dualística, contrária ao ensinado pela Bíblia.

 

A ética por trás da força

Para os taoístas, os seguidores da Nova Era e bruxos de Harry Potter, o mal é apenas o complemento do bem. Ensinam que tudo no Cosmo é composto de opostos e a harmonia só existe se nutrirmos e convivermos com esta polaridade: luz e trevas, masculino e feminino, bem e mal e assim por diante.

A ética por trás da força que age em Harry Potter é também herdada do taoísmo e já foi até assimilada pela Nova Era. Para os esotéricos, o conceito não é mais faça “isto ou aquilo”, mas faça “isto e aquilo”.

O mal deixou de ser considerado alguma coisa perversa (como, por exemplo, a nossa natureza pecaminosa a qual devemos detestar), mas simplesmente a outra metade do bem.

Para os taoístas, adeptos da Nova Era e bruxos de Harry Potter, o mal é apenas o complemento do bem. Ensinam que tudo no Cosmo é composto de opostos e a harmonia só existe se nutrirmos e convivermos com esta polaridade: luz e trevas, masculino e feminino, bem e mal e assim por diante.

O taoísmo afirma que todas as vidas interagem nestes dois opostos até finalmente se fundirem.

Isso cria uma ética relativa e muito flexível.

Por exemplo, se a pessoa escolher ser homossexual, bissexual, monógama, polígama ou seja lá o que for, isso é OK, está tudo bem. Defendem a tese de que desde que você não machuque ninguém e esteja tudo bem com você, não há problema em praticar qualquer ato.

Os adeptos da Nova Era escolhem sua verdade, moral e sabedoria próprias. Os padrões morais absolutos e os princípios eternos de sabedoria revelados na Bíblia Sagrada são simplesmente jogados pela janela enquanto o homem senta-se no trono.

As mensagens atuais de muitos filmes e livros transmitem a doutrina de que “somos um com o universo” e de que “precisamos confiar na força”. Como afirma Tal Brooke, um apologista cristão, em seu livro One World:

"A mensagem era ‘Ame aquilo que é estranho, quebre o convencional, ame aquilo que é inaceitável, monstruoso e até grotesco; e apenas aqueles que estão prontos podem experimentar tal amor cósmico.’ Como dizem os yogis indianos, ‘aprenda a amar – incluindo coisas que são feias ou que até pareçam más – vendo a união em todas as coisas, o divino em todas as coisas’. Assim, como foi dito a Luke Skywalker: ‘Solte-se. Confie na Força’." ('One World' de Tal Brooke, apologista cristão)

Por outro lado, a ética cristã é absoluta e inflexível. Deus é absoluto e incomparável:

“Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força” (Deut 6.4-5).

“Por isso, hoje saberás e refletirás no teu coração que só o Senhor é Deus em cima no céu e embaixo na terra; nenhum outro há” (Deut 4.39).

Deus também não comunga com as trevas e n’Ele só existe luz:

“Ora, a mensagem que, da parte dele, temos ouvido e vos anunciamos é esta: que Deus é luz, e não há nele treva nenhuma” (1 João 1.5).

Uma vez que a moral e a ética passam a ser relativas, a censura do comportamento humano e das nossas aspirações passa a ser frouxa. Conseqüentemente, Deus é destronado, os valores cristãos se perdem de vista, enquanto o princípio do prazer torna-se o mais alto valor na vida do ser humano.

 

A autoridade por trás da força

A boa força é um poder que é entregue por Deus e exercitado de acordo com Sua vontade.

A força má (demoníaca), por outro lado, é um poder que é confiscado ou enfeitiçado ou suplicado – em vez de entregue – e exercido para fins egoístas.

O escritor evangélico John Andrew Murray escreve no Citizen Magazine:

Fãs cristãos de Harry Potter insistem que a série não difere das Crônicas de Nárnia de C. S. Lewis, que muitos pais cristãos aceitam. …a diferença entre as duas reside no conceito de autoridade. Sob a perspectiva cristã, autoridade e força sobrenatural estão unidas.

Dê uma olhada em Marcos 2, quando Jesus cura o paralítico. Quando Jesus viu o paralítico, disse-lhe primeiro: “Filho, os teus pecados estão perdoados”. Esta afirmação resultou na seguinte cena:

“Mas alguns dos escribas estavam assentados ali e arrazoavam em seu coração: Por que fala ele deste modo? Isto é blasfêmia! Quem pode perdoar pecados, se não um que é Deus? E Jesus, percebendo logo por seu espírito que eles assim arrazoavam, disse-lhes: Por que arrazoais sobre estas coisas em vosso coração? Qual é mais fácil? Dizer ao paralítico: Estão perdoados os teus pecados, ou dizer: Levanta-te, toma o teu leito e anda? Ora, para que saibas que o Filho do homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados – disse ao paralítico: Eu te mando: Levanta-te, toma o teu leito e vai para tua casa. Então, ele se levantou e, no mesmo instante, tomando o leito, retirou-se à vista de todos, a ponto de se admirarem todos e darem glória a Deus, dizendo: Jamais vimos coisa assim!” (Marcos 2.6-12).

A força, o poder de Cristo flui da Sua própria autoridade. Esta é a natureza de todo o poder legítimo – é concedido e guiado pela autoridade.

Quando lemos a série de Rowling, descobrimos que ela eficazmente divorcia o poder da autoridade. Não existe uma pessoa soberana ou um princípio governando o uso do sobrenatural.

Na série, os poderes mágicos são adquiridos como herança ou são aprendidos. Não são concedidos por uma autoridade superior, porque não existe uma Autoridade Superior – a não ser o mentor de Harry, Alvo Dumbledore e o mau Lord Voldemort. Os dois são iguais, antagônicos e misteriosos para serem uma autoridade superior. […]

A boa força é um poder que é entregue por Deus e exercitado de acordo com Sua vontade. […] A força má, por outro lado, é um poder que é confiscado ou enfeitiçado ou suplicado – em vez de entregue – e exercido para fins egoístas.[6] (itálico acrescentado pelo autor).

O poder descrito na série Harry Potter e o poder descrito na Bíblia são diferentes, opostos, como o norte e o sul, a luz e as trevas.

A escritora Rowling convida seus leitores a descobrirem o poder da bruxaria, um poder único e “neutro”, onde a inteligência de cada um é que vai determinar se ele deve ser usado para o bem ou para o mal.

Os escritores bíblicos convidam seus leitores a descobrirem dois poderes separados, sem qualquer comunhão entre eles – pois jogam em times diferentes!

Na Bíblia, o poder divino é mais poderoso, sempre vencedor, celebrado, bondoso e cuidadoso.

Já o poder maligno rouba, escraviza, engana, está vinculado à bruxaria (wicca) e mata.

 

Para concluir:

- O símbolo das "Relíquias da Morte" é um triângulo com um círculo dentro, segundo o wikipedia, esse símbolo significa: a Varinha das Varinhas, a Pedra da Ressurreição e o Manto (Capa) da Invisibilidade, representados por uma reta vertical, um círculo e um triângulo, respectivamente.

Muitos acreditam que o Símbolo das Relíquias da Morte, criado pela autora, é uma mistura de mitologia celta e nórdica. O mito das Relíquias da Morte provém dos contos de Beedle, o Bardo. Bardo é o primeiro dos “degraus” druídicos. As três relíquias são tudo que um mago precisa para fugir da morte. A Morte e a Vida são temas freqüentes no Paganismo e o tema foi muito usado pela autora por toda a Obra.

Um risco no centro, representando a Varinha, um circulo concêntrico, a Pedra, e o triângulo, a Capa. Para as antigas civilizações os símbolos são muito importantes. O risco que tudo desenha, o circulo que representa os ciclos e o triângulo eqüilátero representando a perfeição tríplice divina. A matemática falará o mesmo.

Para outras pessoas o símbolo do triangulo (muito usado na maçonaria), lembra um olho dentro, quem viu o filme, diz que até o personagem Harry nota a semelhança.

- Na Bíblia Satanás é comparado à Serpente:

O site oficial de "Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 2" lançou mais um mimo para os fãs da saga: um tradutor para a língua "parseltongue", a "língua das cobras".

Na saga, o poder de falar com cobras é privilégio de poucas pessoas – somente Harry e seu rival, Lord Voldemort, têm esse poder. (Fonte: http://cinema.uol.com.br/ultnot/2011/07/01/site-oficial-de-harry-potter-lanca-tradutor-em-parseltongue-a-lingua-das-cobras.jhtm)

 

- A investida do diabo nestes últimos dias é incutir na sociedade o conceito da filosofia taoísta.  Segundo ela, não existe pecado, gênero masculino e feminino e, o fundamental, o Mal não existe, pois sem esse também não existem diabo e demônios.

"… o bem e o mal, o belo e o feio, o exato e o falso, dia e noite, pecado e virtude, só existem como complementos um do outro. São resultado dos critérios de comparação intalados em nossa mente para valorar os nossos estados neurológicos. Essas ações são comandadas por duas forças contrárias entre si, mas igualmente necessárias e complementares, porque uma não existe sem a outra. Essas forças são Yin e Yang, energias positiva e negativa, masculina e feminina, que estão na origem de tudo que existe."

O Encontro dos Opostos

Todos no mundo reconhecem o belo como Belo

E desta forma sabem o que é o Feio.

Todos no mundo reconhecem o bem como Bem

E dessa forma sabem o que é o Mal.

Assim, o Ser e o não-ser geram-se mutuamente,

O curto e o longo se delimitam

O alto e o baixo se inclinam

O tom e o som se harmonizam

O antes e o depois seguem-se um ao outro.

(Tao Té Ching)

 

Por Dr. Samuel Fernandes Magalhães Costa (com adaptações)

www.chamada.com.br

**Geração Maranata ** Se for copiar favor informar a fonte

Harry Potter = Jesus Cristo? mais uma blasfêmia nas livrarias

Filed Under (Apostasia) by Geração Maranata on 09-04-2011

Tag: , ,

Escritor comete blasfêmia ao lançar livro que compara o bruxo infantil Harry Potter a Jesus Cristo

 

O livro, lançado no final de dezembro de 2010, explora as possíveis semelhanças e as relações entre Jesus e Harry Potter. Sua conclusão é que a única (grifo meu) diferença entre Harry Potter e Jesus Cristo é que Jesus tem tradicionalmente sido considerado por seus seguidores um personagem histórico.

Segundo a editora, o livro “não é principalmente sobre Harry Potter, mas sobre a história religiosa, a mitologia astrológica, o simbolismo esotérico e a tradição literária de Jesus Cristo”. O título apenas se refere ao argumento central deste livro: Jesus Cristo e Harry Potter têm muito em comum. O aspecto principal é o fato de que ambos são construções literárias, ou em outras palavras, personagens de ficção.

Derek Murphy, que estudou teologia na ilha de Malta e está agora na Ásia, fazendo doutorado em literatura comparada, afirma: “Eu sempre fui um grande fã de Harry Potter. Como eu estava fazendo minha pesquisa sobre religião e literatura esotérica, descobri tantos paralelismos entre Harry, Jesus e as fontes ainda mais antigas. Fiz a minha tese de mestrado sobre a influência mística tanto em Harry Potter quanto na literatura bíblica. O mais fascinante, especialmente à luz da controvérsia em torno dos livros de Harry Potter (que promoveriam a feitiçaria e o satanismo entre as crianças, etc), é que estas semelhanças vêm sobretudo de fontes pré-cristãs”.

O fato de no final da saga, que reúne sete volumes, onde Harry acaba morrendo, uma morte sacrifical e ressuscita para derrotar de uma vez por todas seu arqui-inimigo, Valdemort, contribui muito para as comparações e paralelos.

Cerca de uma dúzia de outros livros sobre a relação entre Jesus e Harry Potter já foram publicados. A maioria é de autores cristãos ansiosos em ajudar a suavizar a tensão entre a popularidade de Harry e as comunidades conservadoras que desejam denunciá-lo como agente do mal. ”Jesus Potter, Harry Christ” porém, é um livro para mudar esse jogo, defendendo que as semelhanças entre Jesus e Harry não fazem Harry mais “santo” – apenas tornar Jesus mais obviamente fictício. (grifo meu)

”A verdadeira questão que precisamos fazer não é se Harry Potter é uma ‘figura de Cristo’ (semelhante a um salvador histórico religioso), mas se Jesus Cristo é uma” figura de Potter “(um redentor, criado a partir de símbolos mitológicos e filosóficos)", argumenta o livro.

O livro foi lançado no dia 21 de dezembro (solstício de inverno e aniversário do autor).

Sobre o Autor

Derek Murphy, um escritor e artista de Portland, Oregon, cujo interesse na história cristã começou como um estudante de teologia na ilha mediterrânea de Malta.

A insatisfação crescente de Derek com o dogma cristão e da crescente certeza de que a evidência histórica não oferece suporte a aos primórdios do cristianismo, levou-o à exploração de teorias alternativas. Depois de viver na Itália e na Espanha, e depois passando para a Ásia, em 2005 ele publicou Little Dead Fish: A História acidental de Jesus Cristo.

Harry Potter, Jesus Cristo contem muito de sua pesquisa, focando a inclusão dos antigos símbolos mitológicos e motivos astronômicos na religião contemporânea e da literatura infantil.

Ele está agora em Taiwan terminando seu PhD (doutorado) em Literatura Comparada e trabalhando em seu segundo livro.

O Livro

As polêmicas envolvendo os livros de Harry Potter e o Cristianismo existem desde o lançamento do primeiro livro, “Pedra Filosofal“, em 1997. Vários escritores a partir daí tentam através de livros mostrar e explicar a existência de uma conexão entre “Potter” e “Religião”. O livro de Derek tem a finalidade, mais especificamente, de tentar estabelecer uma ligação entre “Potter” e “Jesus Cristo” e suas influências para JK Rowling.

O livro explora as raízes da polêmica religiosa em torno da série Harry Potter, traça as semelhanças intrigantes entre Jesus e Harry, e revela 'surpreendentes segredos da história cristã'.

Jesus Potter Harry Cristo será lançado pela editora Holy Blasfemy (olha o nome da editora!) e conterá 450 páginas.

Algumas das semelhanças sugeridas pelo livro:

 

  • Harry nasceu como fora predito em profecia, para destruir o mal. Somente ele poderia destruir Voldemort. Jesus nasceu, como fora predito em profecia, para destruir o mal. Somente ele poderia destruir Satanás.
  • Harry nasceu em um período em que o governo de Voldemort estava vigente. Os bons bruxos, tornaram-se maus, aliaram-se ,corromperam-se com Voldemort. Segundo o livro 1: Ninguém sabia em quem confiar.  Jesus nasceu em um período em que o reino de Satanás parecia dominante.Os mestres fariseus aliaram-se a Satanás, corromperam-se por ele, e muitos dentre o povo aderiu o sistema. Segundo a Bíblia: As pessoas estavam seguindo doutrinas humanas.
  • Harry fora encontrado por Hagrid, que fora informado por Dumbledore, em uma casa completamente destruída, indigna de receber aquele que viria para destruir o mal. Harry estava sendo perseguido por Lord Voldemort. Seus pais fugiam para protegê-lo. Depois disso Harry viveu longe de Voldemort, exceto por sonhos que o faziam vislumbrar cenas daquele dia.  Jesus fora encontrado pelos magos, que foram informado pelos anjos, em um estábulo, morada de animais, local indigno de comportar aquele que viria para livrá-los do mal. Jesus estava sendo perseguido por Herodes. Seus pais fugiam para protegê-lo. Jesus cresceu como uma criança cresce, longe do inimigo, porem, ia a sinagoga, e lá ouvia falar do Cristo que morreria, tinha pequenos vislumbres.
  • Harry habitara com seus tios, os Dusleys, que eram pessoas mesquinhas, orgulhosas, perversas, ressentidas, mentirosas. Harry, apesar de crescer neste ambiente, não fora influenciado por ele.  Jesus habitara em Nazaré. Natanael perguntara: “PODE ALGO BOM VIR DE NAZARÉ?” Apesar dá má influência das pessoas orgulhosas, mentirosas, perversas de Nazaré, Jesus não fora influenciado por ela.
  • Harry sabia que iria morrer para libertar o mundo mágico do poder exercido por Voldemort e sua influência.  Jesus sabia que iria morrer para libertar o mundo dos homens do poder exercido por Satanás e sua influência.
  • Harry possuía uma cicatriz a qual estava destinado a possuir para sempre. Uma cicatriz que foi resultado de uma investida que deveria matá-lo, como fora predito: um teria que morrer para matar o outro. Porém, miraculosamente, Harry permaneceu vivo, com uma cicatriz que viria a ser útil.  Jesus possuía, após a ressurreição, uma cicatriz a qual permaneceria para sempre. Uma cicatriz que foi o resultado da investida de Satanás, como fora profetizado em Gênesis, um teria que morrer para destruir o outro. Jesus permanecera vivo, com suas cicatrizes.
  • Harry ressucitara.  Jesus ressucitara.
  • Harry possuía seguidores, discípulos, amigos. Jesus possuía seguidores, discípulos, amigos.
  • Harry tinha um inimigo que também possuía seguidores. Jesus tinha um inimigo que também possuíam seguidores.

Nota: comparações feitas pelo blog harryejesus.blogspot.com, simpatizante do bruxo.

O que é Abordado:

  • Bases astrológicas para o simbolismo religioso
  • A história da crítica bíblica que levou à percepção moderna de Jesus Cristo
  • A controvérsia sobre a igreja primitiva se Jesus veio em carne
  • Evidência bíblica de que o cristianismo era originalmente um culto de iniciação
  • Por que os mártires estavam dispostos a morrer por Jesus Cristo
  • Figuras da mitologia que prefigurou motivos cristãos e seus símbolos
  • Os rituais pagãos, crenças e costumes que se entrelaçou com a prática cristã
  • Exatamente como Jesus desenvolveu a partir de um construção literária em uma figura histórica

Conclusão

Muitos cristão querem 'forçar a barra' para 'santificar' a saga de Harry Potter.  Isso é um dos sintomas da Igreja doente deste últimos dias.

Veja o que o site GNotícias escreveu em uma das suas reportagens:

"A princípio, o mundo da religião não ficou particularmente entusiasmado com a chegada do menino Potter… Mas, nos últimos anos, escritores e pensadores religiosos passaram a se entusiasmar por Harry – tanto a Christianity Today, uma revista evangélica, quanto L’Osservatore Romano, o jornal do Vaticano, elogiaram o último filme. O Christian Broadcasting Network, canal de Pat Robertson, apresenta em seu website uma seção especial sobre A Controvérsia de Harry Potter, que reconhece que “importantes pensadores cristãos têm opiniões muito diferentes sobre os produtos Harry Potter e como os cristãos devem responder a eles”. (noticias.gospelmais.com.br)

O fato é que a autora plagiou parte da história de Cristo e adaptou ao seu personagem para forçar a semelhança.

Porém há também alguns depoimentos da autora de Harry Potter, JK Rowling, que diz o seguinte:

"E eu realmente amo escrever diálogos. Os diálogos vêm a mim como se eu estivesse apenas ouvindo uma conversa. " (fonte: www.januarymagazine.com)

"Eu vejo uma situação e depois eu tento descrevê-la tão vividamente quanto eu posso." (fonte: www.januarymagazine.com)

"Harry como um personagem veio completamente formado, assim também surgiu a idéia para seus companheiros, os personagens Ron e Hermione, sendo ela o cérebro do trio”. "Tudo começou com Harry, então todos esses personagens e situações inundaram (ou chegaram em enormes quantidades) a minha cabeça." (http://vamosfalardecinema.wordpress.com/2010/05/08/harry-potter-e-as-reliquias-da-morte)

O que transparece, ante as informações sobre a inspiração para escrever o livro, é que Rowling recebeu do mundo espiritual as instruções. Ela apenas tomava nota das coisas que via e ouvia em visões.

Sabe-se pela Bíblia que a comunicação com o mundo espiritual (espíritos), chama-se feitiçaria.  Então como pode um livro sobre bruxaria e inspirada por feitiçaria ter alguma relação com Jesus Cristo?

Estamos vivendo tempos difíceis, mais do que nunca precisamos de discernimento para distinguir o engano, o falso do verdadeiro e as táticas do diabo.

 

 

Leia também:

Desmacarando Harry Potter

Harry Potter e o Cristianismo

Fontes:

www.creio.com.br

www.ogalileo.com.br

www.harryejesus.blogspot.com

 

A Wicca Moderna – Halloween

Filed Under (Apostasia) by Geração Maranata on 07-10-2010

Tag:

Extraído do livro "The Facts on Halloween" (John Ankerberg e John Weldon).

Dia 31 de outubro muitas pessoas participam da festa chamada "Halloween", popularmente chamado de "Dia das Bruxas" no Brasil. Mas essa festa, aparentemente inocente, tem estreita ligação com práticas ocultistas, mesmo que muitos não percebam isso.

Sua origem data de tempos antigos, quando os druidas (magos de origem celta) realizavam cerimônias de adoração ao "deus da morte" ou ao"senhor da morte" em 31 de outubro. Isso

acontecia na cerimônia "Samhain" durante o festival de inverno, na qual eram oferecidos sacrifícios humanos. Essa prática ancestral foi sofrendo alterações com o passar do tempo. A Igreja Católica posteriormente tentou cristianizar o "Samhain ", declarando o 1º de novembro como o Dia de Todos os Santos e o 2 de novembro com o Dia de Finados, sendo que em ambas as datas os mortos eram lembrados.

Nos Estados Unidos essa festa é muito comum e tem forte apelo comercial, sendo também tema de vários filmes de horror. A imagem de crianças vestidas com fantasias "engraçadinhas" de bruxas, fantasmas e duendes, pedindo por doces e dizendo "gostosuras ou travessuras". Há algum tempo, o Brasil tem se deixado influenciar por muitos aspectos que não fazem parte de sua cultura e tem celebrado essa festa em escolas, clubes e até em shopping centers.

Diante dessa realidade, devemos nos questionar:

Halloween está relacionado às práticas ocultistas modernas?

Mesmo que hoje em dia Halloween seja comemorado de uma maneira inocente por muitos jovens, ele é levado a sério pela maioria das bruxas, membros do movimento neo-pagão e ocultistas em geral. Antes de continuarmos, devemos destacar que a associação histórica e contemporânea do Halloween com o ocultismo causaram uma espécie de "efeito híbrido" na maior parte da sociedade, de modo que a comemoração do Halloween não é, necessariamente, uma prática totalmente inocente. Ao ler vários relatos sobre o Halloween, pode-se ficar impressionado com o grande número de práticas de superstições e de adivinhação envolvidas com ele. Algumas das superstições e todas as práticas estão relacionadas com o ocultismo.

É preocupante o quanto as superstições podem controlar ou dirigir a vida de uma pessoa de maneiras terríveis. Mais ainda, as verdadeiras práticas de adivinhação sempre trazem conseqüências. Na verdade, desde as décadas finais do século dezenove, o Halloween tem sido lembrado como um período "para se usar amuletos, lançar maldições e se fazer adivinhações". Como já dissemos, isso está relacionado aos antigos druidas, pois o "Samhain" marcava o início de ano novo, o que resultou num interesse em adivinhações e previsões sobre o que o próximo ano traria.

No Halloween se cria (e ainda á assim em certos lugares) que seguir um ritual em particular pode fazer com que a imagem do seu futuro cônjuge apareça atrás de você: "Muitas crenças surgiram sobre como invocar a imagem do futuro esposo ou esposa de alguém. As garotas criam que caso alguém ficasse diante do espelho, comendo uma maçã, à meia-noite, a imagem de seu futuro esposo apareceria de repente diante dela. Se nenhuma imagem aparecesse, isso significava que a garota ficaria solteirona".

No sul dos Estados Unidos há um costume baseado na crença dos druidas de que o desespero de uma vítima de sacrifício humano podia revelar previsões para o futuro. "Punha-se fogo numa tigela com álcool, e atirava-se no fogo ‘oferendas’ tais como figos, cascas de laranja, passas, castanhas e tâmaras envoltas em papel alumínio. A garota que tirasse a melhor das oferendas do meio do fogo iria conhecer seu futuro esposo dentro de um ano".

A preocupação com tais atividades pode ser vista na seguinte declaração do Livro Americano dos Dias (American Book of Days): "Vários meios de adivinhação do futuro eram usados no Halloween e os resultados eram aceitos com toda seriedade". Em outras palavras, quando estamos lidando com tentativas sérias de adivinhar o futuro – seja em relação ao futuro em geral, ao futuro cônjuge, ou sobre a vida e a morte – as conseqüências na vida das pessoas podem ser muito maiores do que simples brincadeiras.

Hoje em dia outras práticas ocultistas estão presentes no Halloween. Em New Orleans o "Museu do Vodu apresenta normalmente um ritual de Halloween no qual as pessoas podem ver rituais de vodu reais". Na cidade de Salem, estado de Massachusetts, um festival de Halloween acontece de 13 a 31 de outubro incluindo uma mostra de parapsicologia.

Na bruxaria moderna o Halloween também é considerado uma noite especial. Um livro conhecido sobre o movimento neo-pagão relata o seguinte sobre esses dias importantes de celebração da bruxaria: "As grandes cerimônias de sabbat são: o ‘Samhain’ (Halloween), o Ano-Novo celta (nesses dias acredita-se que os portais entre os mundos estão enfraquecidos, e então ocorrem contatos com os ancestrais), ‘Oimelc’ (1º de fevereiro, festival da purificação de inverno)… ‘Beltane’ (1º de maio, o grande festival da fertilidade)… diferentes linhas da bruxaria… tratam esses festivais de maneiras diversas. Mas quase todas as linhas celebram pelo menos o ‘Semhain’ e o ‘Beltane’". Algumas bruxas tiram o dia de folga de seu trabalho para comemorarem essa data especial para elas, enquanto outras chegaram a tentar o fechamento das escolas para a comemoração desse grande sabbat.

Muitos grupos satânicos também consideram o Halloween uma noite especial, em parte porque ele "tornou-se o único dia do ano em que se acredita que o diabo possa ser invocado para revelar os futuros casamentos, problemas de saúde, morte, colheitas e o que acontecerá no próximo ano". Na verdade a bruxaria e o satanismo têm certas semelhanças. Mesmo que sejam coisas distintas, e mesmo que se dê legitimidade às declarações do movimento neo-pagão que desdenha o satanismo, devemos lembrar o claro ensino bíblico de que o diabo é a fonte de poder por trás da bruxaria e de todas as formas de ocultismo. A ex-bruxa Doreen Irvine declara: "a bruxaria negra não está distante do satanismo… Praticantes da bruxaria negra têm um grande poder e não devem ser subestimados… Eles podem até exumar covas recentes e oferecer os corpos em sacrifício à Satanás".

Além disso tudo, o costume de pedir balas e doces fantasiados de bruxas, vampiros, fantasmas, etc., que é comum nessa festa, está relacionado com os espíritos dos mortos na tradição pagã e até católica. Por exemplo, para os antigos druidas "os espíritos que se acreditava andarem de casa em casa eram recepcionados com uma mesa farta para um banquete. No final da refeição, os habitantes da cidade fantasiados e com máscaras representando as almas dos mortos iam em procissão até os limites da cidade para guiar os fantasmas para fora".  As máscaras e fantasias usadas no Halloween podem ser relacionadas também com a tentativa de certas pessoas de se esconderem para não serem vistas participando de cerimônias pagãs ou ,como no xamanismo e em outras formas de animismo, mudar a identidade de quem as usa para que possa se comunicar com o mundo espiritual. As fantasias podem ser usadas também para afugentar espíritos maus.

Depois de fazermos essas considerações sobre o assunto, tendo em vista que o Halloween está associado a práticas de bruxaria e ocultismo, devemos analisar qual deve ser nossa atitude em relação a essa festa, que mesmo sendo vista secularmente como um passatempo tem implicações sérias.

Devemos nos perguntar: Que princípios bíblicos devem ser usados para discernir esse assunto?

As Escrituras nos dizem que o homem espiritual julga todas as coisas e que no futuro irá também julgar os anjos. Então somos competentes o suficiente para julgar assuntos triviais agora (1 Coríntios 2,15; 6.3). Se julgarmos todas as coisas e retermos o que é bom, abstendo-nos de toda forma de mal, estaremos cumprindo com nossa obrigação (1 Tessalonicenses 5.21,22). Então vamos examinar esse assunto para chegarmos a uma posição bíblica sobre o Halloween.

Se na celebração de Halloween existem atividades envolvendo práticas genuinamente ocultistas, as Escrituras são claras em afirmar que devem ser evitadas. Tanto o Antigo como o Novo Testamento fazem referência às práticas de bruxaria, encantamentos, espiritismo, contatos com os mortos, adivinhações e assim por diante – e todas essas coisas estão potencialmente ligadas ao Halloween. (Levítico 19.31).

"Não se achará entre ti quem faça passar pelo fogo o seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem necromante, nem mágico, nem quem consulte os mortos; … Porque estas nações que hás de possuir ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR, teu Deus, não permitiu tal coisa" (Deuteronômio 18.10,11,14) .

"[Rei Manassés de Judá] queimou seus filhos como oferta no vale do filho de Hinom, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçarias, tratava com necromantes e feiticeiros e prosseguiu em fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocar à ira" (2 Crônicas 33.6).

Em nenhum lugar na Bíblia vemos essas coisas como sendo aceitáveis diante de Deus. À luz desses versículos, ninguém pode argumentar logicamente que a Bíblia apóia tais práticas.

Fonte: www.chamada.com.br

 

A Wicca Moderna

Filed Under (Apostasia) by Geração Maranata on 28-08-2010

Tag:

por Geração Maranata

 

"Estamos nos movendo, agora, para uma Era onde a última fronteira não é o Espaço, mas a Mente.

Inicia-se uma Nova Era para a Humanidade!"

É assim que o “Movimento Nova Era” define os dias atuais. Segundo eles, estamos para entrar em uma Era onde o ser Humano irá transcender, haverá uma revolução mental. É o Poder da Mente (Leia O Segredo). Não é à toa que a feitiçaria, atualmente mais conhecida como Wicca, tem invadido a sociedade. Houve um tempo que ser bruxo(a)  era visto  como algo demoníaco e pagão. Hoje não, ser bruxo é bom, nada tem nada haver com Demônios, pelo menos é assim que está sendo vendido, principalmente aos nossos jovens e adolescentes.

 

Harry Potter – A Wicca moderna

Crianças estão tendo suas bases religiosas e sociais fundamentadas no Paganismo.

Uma “onda desenfreada” de 

paganismo está atingindo cada vez mais os nossos jovens, começando pelas nossas crianças. Os filmes da saga do famoso bruxinho Harry Potter, exercem uma sedução sutil e profunda que corrompe a alma dos jovens cristãos antes mesmo que ela seja completamente formada. O ator britânico Daniel Radcliffe, que interpreta Harry Potter nos filmes da série, declarou ser ateu e não acredita em Deus. Assim como a Wicca vem crescendo, muitas crianças estão nascendo em famílias Pagãs e tendo suas bases religiosas e sociais fundamentadas no Paganismo.

Fonte do artigo abaixo: http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u3570.shtml

 

Interesse por bruxaria aumenta com Harry Potter

"Com o lançamento de "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban", terceiro filme da série que conta as aventuras de uma criança que se torna aprendiz de bruxo, o interesse pela bruxaria cresceu ainda mais — e o que não falta são baixinhos, os maiores fãs do personagem, dispostos a aprender tudo sobre o tema.

Que o diga Tânia Gori, dona da escola de esoterismo Casa de Bruxa, em Santo André, na região do ABC paulista.
"A cada lançamento de Harry Potter, cresce o número de crianças e de adultos interessados em aprender bruxaria."
Para atender a demanda infantil, Gori criou um curso s

ó para as crianças. O estudante Danilo Cardenas D'Ângelo, de dez anos, é um dos alunos. Atualmente, D'Ângelo freqüenta o segundo estágio do curso e anuncia que já dispõe de conhecimentos "avançados".
A estudante Ana Carolina Zago, 15, também freqüenta o curso de bruxaria. "Comecei por influência da minha mãe, que fez um curso sobre o tema para adultos. Mas é claro que gosto do bruxinho e meu interesse aumentou ao conhecê-lo."
O também estudante Marcos Almeida, 12, nunca fez cursos para virar um mago, mas elegeu Harry Potter seu ídolo. "Tenho pôster dele no quarto e não sosseguei enquanto o meu pai não comprou uma roupa igual à dele.""

Wicca é uma religião neopagã fundamentada nos cultos da fertilidade e tem sua origem na Europa Antiga. O bruxo inglês Gerald B. Gardner impulsionou o renascimento do culto, com o nome de Wicca, junto com outros bruxos e bruxas, em meados dos anos 40 e 50. (Fonte Wikipedia).

Se colocarmos a palavra 'wicca' no Google encontraremos 22.900.000 resultados!

São Milhões (sem exagero) de sites ensinando, orientando, estimulando e convertendo milhares e milhares de pessoas, principalmente os Jovens.

Os jovens estão sempre à procura de novidades, algo a seguir, um ideal, uma religião. A Wicca é uma religião.  Para os jovens a religião é mais do que algo à seguir,  é um Estilo de Vida!

Para saber mais:  http://www.espada.eti.br/hpotter.htm

 

A reportagem abaixo foi extraída da Revista 'Isto É' de 2007

Fonte: http://www.istoe.com.br/reportagens/4000_VOCE+ACREDITA+EM+BRUXAS+

Você acredita em bruxas?

Conectadas pela internet, feiticeiras de todo o País se preparam para encontro latino-americano de wicca, a bruxaria moderna, em junho

TRADIÇÃO: A bailarina Gleice Frioli é praticante de wicca há 13 anos

Esqueça as piaçavas. As bruxas de hoje não voam pelos céus montadas em vassouras para encontrar suas companheiras de magia – elas mandam e-mails, enviam mensagens pelo MSN, deixam recados no Orkut. Feiticeiras modernas também não se reúnem às escondidas no breu das florestas. A 3ª Conferência de Wicca & Espiritualidade da Deusa, que pretende atrair de 600 a 800 praticantes e simpatizantes, em junho, acontecerá em um hotel no centro de São Paulo.

A escritora 

inglesa Janet Farrar, autora de 'A bíblia das bruxas', já confirmou presença e será o grande destaque entre os palestrantes. "É o maior evento da wicca na América Latina", garante Claudiney Prieto, idealizador do encontro e autor de oito livros sobre o tema, entre eles 'Wicca – a religião da deusa', que está na 12a edição e já vendeu mais de 30 mil exemplares.

Fundada nos preceitos do antigo paganismo, a wicca, também chamada de bruxaria moderna, é considerada por seus adeptos uma religião. Ela se baseia no culto à natureza e à deusa-mãe, uma divindade feminina que seria a responsável pela criação de tudo na Terra. Livres da ameaça de arderem em fogueiras (leia quadro), as feiticeiras da atualidade podem ostentar sem medo seus pentagramas, o símbolo dos bruxos. Uma pesquisa da Universidade da Cidade de Nova York, de 2001, apontou que a wicca, com 134 mil adeptos, era a religião que crescia mais rapidamente nos Estados Unidos. No site de relacionamentos Orkut existem 875 comunidades em português relacionadas à wicca. A maior delas, denominada Sociedade Wicca/ Bruxaria, tem mais de 25 mil integrantes. Adepta há dez anos, a gerente de revendas Claudia Issa, 30 anos, começou como uma bruxa solitária. "Há uns cinco anos conheci outros praticantes pela internet e passei a fazer parte de um grupo", diz ela.

Como todo fenômeno pop que se preze, a bruxaria faz sucesso também no cinema (Harry Potter e o cálice de fogo, o quarto filme da saga, arrecadou mais de US$ 600 milhões no mundo) e na televisão (em séries como 'Charmed', que durou oito anos, e na nova novela das seis da Globo, 'Eterna Magia', que tem como protagonistas duas irmãs praticantes de wicca). Mas as bruxas parecem não estar muito empolgadas com o súbito interesse global pelo assunto. "A novela deve aumentar o número de pessoas que querem ser bruxas pelo modismo", afirma a bailarina Gleice Lemos Frioli, 28 anos, praticante de wicca há 13.

"Assisti ao primeiro capítulo mais por curiosidade. Não tenho tempo para televisão. Uma bruxa moderna tem de estudar muito e trabalhar mais ainda", explica a secretária e professora de dança do ventre Rose Terra, 41 anos, wiccaniana há 12. Os adeptos se dedicam aos rituais, que não mudaram tanto assim: eles ainda envolvem caldeirões e poções, porém registram esses momentos com suas câmeras digitais. Os principais celebram as luas cheias do ano (os esbats) e as mudanças de estação (os sabbats). Os seguidores podem praticar os ritos sozinhos ou se reunir em covens, os grupos de bruxos que se socializam e fazem encontros coletivos. Para isso, basta uma chamada pelo celular.

 

Um pouco de história

A Wicca era uma religião dos povos antigos da atual Europa, praticada principalmente pelos Celtas, que ressurgiu após 2000 anos nos nossos dias com força total.

Quando Robert Graves publicou em 1948 o livro “The White Goddess” (A Bruxa Branca), a Wicca começou a ser reavivada. Mas somente em 1951, quando a última das leis inglesas contra a Bruxaria foi sancionada, Gerald Gardner publicou o famoso livro “Witchcraft Today” (Feitiçaria Hoje), foi aí que a Bruxaria explodiu e tornou-se uma religião oficial, constitucional e reconhecida por toda a Inglaterra e de lá imigrou para todo o mundo.

A Bruxaria tornou-se muito conhecida e professada entre os europeus e norte americanos, porém, nos últimos dois anos houve um crescente interesse pela Bruxaria no Brasil, e hoje já faz parte de um grupo à parte nas vendas em todas as livrarias do Brasil.

A palavra Wicca vem do saxão “witch” ou do inglês arcaico “wicce” que significa girar, moldar ou dobrar. Alguns estudiosos porém, afirmam que esta palavra vem da raiz germânica “wit” que quer dizer 'saber'. Deduz-se então que a palavra Wicca significa a “a sabedoria de girar, dobrar e moldar as forças da Natureza ao nosso favor”.

A Wicca é uma filosofia mágica de vida baseada nos ciclos da natureza, incluindo várias formas de Magia Branca e rituais para harmonização pessoal, através das forças da natureza, envolvendo o poder das fases lunares e das quatro estações do ano.

A raiz dessa religião era a adoração à "Grande Deusa Mãe" e ao "Deus Cornífero". Ensinavam que o Universo foi criado à partir do corpo e da mente da grande deusa. Ela é o princípio que simboliza a fecundação e a criação, mãe de todos os deuses. Seu filho e consorte, o deus Cornífero, representa a fertilização.

Na wicca o deus é o princípio masculino, o complemento perfeito da deusa. É freqüentemente identificado com o sol, com os desertos e florestas e com os animais.

Quanto à deusa é associada à lua, aos mares e à Terra.

Segundo a wicca a Terra é a nossa casa, a nossa deusa, daí a importância da Wicca venerar tanto a natureza e sua preservação. Não é por acaso a obsessão ecológica dos nossos dias.

No conceito wiccaniano, Jesus foi um homem comum e iluminado como Buda, Krishna, e outros fundadores de outras religiões (Leia também "Quem é Jesus para Voce?).

Segundo a Wicca, todos ensinaram a mesma coisa: como tornar-se um só caminho reverenciando a natureza.

Na wicca a salvação é vista como uma reencarnação na forma de evolução. Acreditam que continuam a viver após a morte e voltam em outras forma, outros corpos em sucessivas reencarnações. Quanto à interpretação wiccaniana da reencarnação, segundo eles, não se sabe a finalidade da reencarnação, sabe-se somente que é um processo contínuo como as luas e estações do ano. Como a deusa que tem seu filho Cernunos, que depois de criado, em sua juventude, engravida a própria mãe, morre e volta a nascer dela mesma!  (A que absurdo chega um pensamento influenciado pelo maligno na vida das pessoas!).

 

Fontes:

www.wikipedia.org

www.estudosapologeticos. blogspot.com

 

A salvação é pela graça, mediante a fé em Cristo Jesus. (Jo.3.16; 14.6; At.4.12; Rm.3.23-26; 10.9,10; Gl.2.16; Ef.2.8,9; Tt.3.4,5).

Finalizamos afirmando que a Wicca também faz parte da Mudança de Comportamento, estratégia usada pelo inimigo para afastar o ser humano da Verdade que é Cristo.

 

 

Início | Download | Links | Contato
Misso Portas Abertas JMM ANEM
Destino Final Heart Cry Jocum Missao Total Missao Total Projeto Paraguai