Profecia Maia para 2012: o retorno do nono deus Bolon Yokte

Categoria (Arqueologia, Sinais Proféticos) por Geração Maranata em 12-12-2011

Tag: ,



Por Geração Maranata

O retorno do deus Maia Bolon Yokte

Supostamente a profecia Maia fala sobre um possível fim-do-mundo em 21-12-2012, porém os Arqueólogos descobriram que, na verdade, o calendário Maia não anuncia o fim desse mundo, mas o término de uma era ou 13º Baktun e o início de um novo ciclo.

O interessante é que nesta nova interpretação da profecia Maia o anúncio é sobre o retorno de “Bolon Yokte", um deus que está vinculado à criação e à guerra e que, segundo a mitologia, participou do começo dessa era e 'voltará' (em outra tradução 'descerá') no início da nova era Maia.

Bolon Yokte = bolon (nove), y (plural), ok (pé),-te (árvore), ou seja, os nove pés da árvore de deus (a base ou suporte). Outras traduções do nome são 'God of Nine Steps', o 'Deus Nine-Footed' e 'Jaguar-Foot-Tree', esta última tradução da palavra bolon ou balan (nove) foi usada pelos Maias como um trocadilho para balam (jaguar). Deus Jaguar é um dos nove 'Lords of the Night' (Submundo). Obs: Olha o número nove aí novamente.

Esse deus é associado aos conflitos, guerras, eclipses e catástrofes naturais, etc. Ele também participou da criação do mundo atual e estará presente na próxima criação (a partir de 2012).  A escuridão acompanhará a 'descida' desse deus, como assinalada nas inscrições antigas que, no entanto, não puderam ser concluídas por conta de danos à glifos.  

Estamos vendo o anúncio da chegada de vários 'messias' e 'deuses', não só dos Maias, mas de outras religiões.  Por exemplo, o presidente do Irã Mahmoud Ahmadinejad, acredita firmemente que o 12º Iman ou Mahdi está para se manifestar (Leia:  Discurso do presidente do Irã na ONU – Nova Ordem Mundial Espiritual).

Além de reportar as várias profeciais dos diversos 'messias' e 'salvadores do mundo', a mídia também tem noticiado previsões para 2012, que vão desde catástrofes naturais à crise financeira global, respaldando ainda mais essas profecias:

- Caos financeiro mundial (Leia: Caos financeiro e Guerra estão por vir, dizem especialistasProbabilidade de recessão nos EUA em 2012 é superior a 50%Gerald Celente prevê revolução e a possibilidade de uma grande guerraGerald Celente prevê revolução na América até 2012)

- Derretimento das calotas polares (Leia: Efeitos do aquecimento global)

- Atividades solares intensas (Leia: Tempestade Geomagnética e Manchas Solares)

- etc…

Ainda que essas previsões se concretizem ou não, o que vemos é a humanidade sendo preparada mentalmente e condicionada para presenciar e passar por catásfres, desastres, caos e aceitar quando 'alguém' oferecer soluções. 

A Mídia anuncia massivamente a crise financeira mundial, a violência, o terrorismo, a possibilidade de guerras (principalmente no Oriente Médio), a instabilidade da moeda (euro e dolar), a queda dos ditadores, as rebeliões políticas, os desastres climáticos com a possibilidade de piorar devido ao aquecimento global, todas essas coisas somadas geram ansiedade, insegurança, pavor do que pode estar para acontecer…   Para completar, a indústria cinematográfica tem abordado cada vez mais o tema apocalíptico, tendo como base grande parte desses acontecimentos, gerando na mente das pessoas que o filme pode não ser 'mera coincidência', mas uma antevisão do que está por vir.

Em meio aos desastres e caos, a população estará disposta a tudo para ter segurança e garantir sua integridade física e de seus bens, ainda que para isso tenha que abrir mão de sua privacidade e as nações de sua soberania.

Estejamos atentos, pois os acontecimentos estão se acelerando.

As matérias abaixo foram publicadas em vários jornais.  

Maias previam retorno de um deus em 2012 e não o fim do mundo, diz estudo
01-12-2011
 
Segundo especialistas, o ano de 2012 marcaria o término de uma era e ao começo de outra, com o retorno do deus Bolon Yokte
 
MÉXICO – As previsões dos maias para dezembro de 2012 não se referem ao fim do mundo, mas ao retorno do deus Bolon Yokte, que voltaria ao término de uma era e ao começo de outra, segundo uma nova interpretação divulgada nesta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) do México.
 
Os especialistas Sven Gronemeyer e Barbara Macleod, da Universidade da Trobe (Austrália), divulgaram uma nova interpretação das inscrições maias do sítio arqueológico de Tortuguero, durante a 7ª Mesa Redonda de Palenque, realizada no estado mexicano de Chiapas.
 
A data de 21 de dezembro de 2012 citada nas inscrições do povo indígena maia gerou diversas especulações sobre supostas "profecias maias do fim do mundo", versão que foi rejeitada pelos arqueólogos e epigrafistas.
 
Segundo os especialistas, os maias criaram um calendário com base em um período de 400 anos, denominado Baktun. Cada era é composta por 13 ciclos de 400 anos, que somavam 5.125 anos, e, segundo a conta, a era atual concluiria em dezembro de 2012.
 
Gronemeyer explicou que, de acordo com a visão maia, no final de cada era, completava-se um ciclo de criação e começava outro. 

Nesta inscrição, menciona-se que 21 de dezembro "seria investida a deidade Bolon Yokote", um deus vinculado à criação e à guerra, que participou do começo da atual era, iniciada em 13 de agosto do ano 3.114 a.C.
 
O epigrafista alemão indicou que essa inscrição está ligada à história da cidade maia de Tortuguero, na qual se cita o governante Bahlam Ajaw (612-679 d.C.) como futuro participante de um evento do final da era atual.
 
O texto de caráter narrativo, segundo Gronemeyer, mostra que os governantes maias deveriam "preparar o terreno para o retorno do deus Bolon Yokte, e que o Bahlam Ajaw seria o anfitrião de sua posse".
 
Conforme este prognóstico, o deus Bolon Yokte presidiria o nascimento de uma nova era, que deverá começar em 21 de dezembro de 2012, e supervisionaria o fim da era atual.
 
"A aritmética do calendário maia demonstra que o término do 13º Baktun representa simplesmente o fim de um período e a transição para um ciclo novo, embora essa data seja carregada de um valor simbólico, como a reflexão sobre o dia da criação", comentou Gronemeyer.
 
O epigrafista mexicano Erik Velásquez disse que, para os escribas maias, a história como uma narração de eventos humanos foi uma preocupação secundária. Eles se centravam nos rituais de qualquer tipo, por isso, "as inscrições mostram relações complexas entre o tempo, as esculturas e os prédios".
 
"Na antiga concepção maia, o tempo se construiu tal como as esculturas e os prédios que as continham, os períodos tinham consciência, vontade, personalidade e se comportavam como humanos", acrescentou Velásquez.

Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/vidae,maias-previam-retorno-de-um-deus-em-2012-e-nao-o-fim-do-mundo-diz-estudo,805315,0.htm

 

Cientistas acham nova referência maia ao 'fim do mundo' em 2012

25-11-2011
 
Arqueólogos mexicanos descobriram a segunda referência ao "fim do mundo" que teria sido previsto pelos maias e que ocorreria em 2012. Até agora, especialistas afirmavam que havia apenas um achado que mostrava o fim do calendário do povo antigo. 
 
Em um comunicado, o Instituto Nacional de Arqueologia do México anuncia um debate sobre o assunto e admite existir uma segunda referência ao fim do calendário, um tijolo descoberto no templo de Comalcalco. O achado, afirma Arturo Mendez, representante do instituto, foi descoberto há alguns anos e foi submetido a um estudo completo, mas está guardado e não é exibido ao público.
 
Contudo, entre os cientistas, há dúvida se o objeto realmente tem relação com o "fim do mundo" maia. "Alguns propuseram que é outra referência a 2012, mas eu não estou nem um pouco convencido", diz à agência David Stuart, especialista em epigrafia maia da Universidade do Texas.
 
A data no texto descoberto bateria com o fim do 13º Baktun – ciclo maia que se encerraria em 21 de dezembro de 2012. Contudo, Stuart diz que pode corresponder apenas a alguma data similar no passado. "Não há razão para não achar que possa também ser uma data antiga, descrevendo algum evento histórico importante no período Clássico. Na verdade, o terceiro glifo no tijolo aparentemente deve ser lido como o verbo 'huli', 'ele/ela chega'", diz o pesquisador.
 
"Não há verbo no futuro (ao contrário da inscrição de Tortuguero – a primeira descoberta), o que, do meu ponto de vista, coloca a data de Comalcalco mais como uma referência histórica do que profética", afirma o cientista.
 
Ambas as inscrições – Tortuguero e o tijolo de Comalcalco – teriam sido criadas aproximadamente há 1,3 mil anos atrás. A primeira descreve algo relacionado ao deus Bolon Yokte (associado à guerra e à criação) em 2012, mas erosão e um rachado na pedra impedem a leitura do final da passagem, mas alguns cientistas acreditam que diga "ele irá descer dos céus". Ainda de acordo com a agência, no texto de Comalcalco os símbolos estariam invertidos ou cobertos com estuque, o que indicaria – por quem o escreveu – que eles não devem ser vistos.
 
O instituto mexicano afirma que a ideia de fim do mundo em 2012 é apenas uma interpretação mal feita do calendário maia. Segundo os arqueólogos mexicanos, o tempo para o povo antigo era divido em longos ciclos e o texto de Tortuguero apenas indica o fim de uma era e o começo de outra.

Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5488607-EI8147,00-Cientistas+acham+nova+referencia+maia+ao+fim+do+mundo+em.html

Leia também:

Comentarios:

Post a comment

Início | Download | Links | Contato
Misso Portas Abertas JMM ANEM
Destino Final Heart Cry Jocum Missao Total Missao Total Projeto Paraguai